Webshoppers 44: E-commerce bate recorde de vendas e cresce 31% em relação ao semestre anterior

Estudo realizado pela Ebit | Nielsen com parceria com a Bexs Banco aponta que o faturamento do e-commerce atingiu mais de 53,4 […]

Estudo realizado pela Ebit | Nielsen com parceria com a Bexs Banco aponta que o faturamento do e-commerce atingiu mais de 53,4 Bilhões no último semestre e alcançou um marco histórico. No entanto, a pesquisa ainda mostra outros dados relevantes, confira.

Novo estudo mostra em dados precisos o quanto o e-commerce cresceu neste ano e confirma a estimativa que já imaginávamos há algum tempo: o brasileiro está mais confortável em comprar online. Ou seja, temos agora, um novo comportamento do consumidor em alta. 

 

Como resultado, a pesquisa mostra vários dados relevantes para quem tem interesse em investir no mercado de e-commerce e conhecer a fundo as características desse novo consumidor. E o mais importante, ter uma base para suas estratégias de vendas online.

Afinal, o que é Webshoppers 44?

Para esclarecer, Webshoppers 44 é o relatório de maior credibilidade brasileiro realizado pela A Ebit l Nielsen. Seu objetivo é classificar a reputação das lojas online de acordo com as avaliações dos próprios consumidores, dessa forma, o estudo deste ano revela:

Crescimento no número de pedidos

Em um comparativo com o semestre anterior, o número de pedidos cresceram uma média de 7% no total. A migração das lojas físicas para o online, certamente, estimularam o comércio eletrônico que saiu de 93,1 mi para 100 mi, neste semestre de 2021.

Aumento do ticket médio

O ticket médio teve um aumento muito significativo de um semestre para outro. Em 2020 o valor da compra era de aproximadamente R$ 438, nos seis primeiros meses de 2021, o valor médio saltou para R$ 534. Um aumento total de 22%.

Segmentos em destaques

A pesquisa mostra ainda quais segmentos tiveram um aumento significativo em faturamento neste semestre de 2021 e destaca também o número de pedidos de cada um deles, por exemplo:

  • Esportivo: com uma alta de 48% em número de vendas e um aumento de 27% em relação ao número de pedidos, esse segmento foi o segundo lugar em crescimento. Com um total de 4,3%;
  • Casa e decoração: teve o aumento mais significativo em relação ao número de pedidos, um crescimento de 155% enquanto seu número de pedido foi para 67% a mais;
  • Petshop: os donos de pets estavam mais dispostos a gastar. Os pedidos desse departamento mostram que houve um aumento significativo. Como resultado foram 56% a mais em volume de vendas e 48% em relação à pedidos, neste semestre;

Onde o consumidor busca informações?

Apesar de ser o maior buscador do mundo, o Google nem sempre é usado pelo consumidor para buscar o produto ou serviço que necessita. Os clientes têm buscado novas alternativas para pesquisar o que precisam por meio de palavras-chave.

Uso das redes sociais 

O crescimento das redes sociais é um fato que não podemos negar, mas hoje elas não são mais vistas apenas como local de entretenimento ou consumo de conteúdo personalizado para seu público, por exemplo.

Segundo a pesquisa, 30% das buscas por produtos da categoria roupas e calçados foram realizadas através das redes sociais. Ou seja, aos poucos elas têm se tornado novos buscadores.

Além disso, podemos perceber com esse dado a importância de investir em redes sociais de forma estratégica juntamente com sua loja virtual. Ou seja, as duas devem ser parceiras de vendas para seu negócio. 

Não é o fim dos buscadores, longe disso

 O relatório mostra ainda, que as buscas ainda predominam nas categorias casa e decoração e automotivos. O primeiro com 34% das buscas, seguido de 41% da segunda categoria.

Mobile sai na frente do desktop em faturamento e pedidos

Há algum tempo, temos falado sobre o fato do consumidor querer praticidade no seu dia a dia. Certamente, o celular hoje é um item indispensável para a maioria dos brasileiros.

Dessa forma, o mais importante é entender que os dados já comprovam. Esse novo comportamento do consumidor é refletido em números. No comparativo com o primeiro semestre de 2020 para o deste ano, o faturamento do mobile foi de 28,2 bi, um aumento de 28,4%. 

Em questão de pedidos, como resultado, tivemos um aumento de 8,7% e um total de 56,3 mi de solicitações diretas pelo mobile

Regiões do Brasil

Qual região contribui mais para o crescimento do e-commerce no Brasil? Essa pergunta também é respondida pela pesquisa, que afirma que a região sudeste é responsável  por cerca de 51% do crescimento do comércio virtual no país.

A região sudeste também é a mais importante para o faturamento do país em relação ao e-commerce. O índice registrado foi de 63%. Já em variação, o relatório mostra que as regiões sul e norte, são as que mais cresceram. 57% em relação a primeira região e 52% na segunda.

Outros dados demográficos

Norte, centro-oeste e sul são as regiões com maior oportunidade de desenvolvimento. Os dados são referentes ao delivery que vem crescendo nesses estados em comparação com o restante do Brasil. Os pedidos com crescente aumento são: 

  • Delivery Supermercados;
  • Delivery Comida pronta; 
  • Delivery de Farmácia; 

Futuro do e-commerce

É muito cedo para afirmar, mas dados já comprovam que as vendas online estão apenas começando sua história, pois o e-commerce segue batendo recordes a cada semestre.

Além disso, novos consumidores aumentaram o ticket médio nas compras durante o primeiro semestre de 2021. Isso representa um crescimento de 31%, acima do total do e-commerce.

Previsões mostram que categorias como: casa e decoração, juntamente com artigos esportivos, mantém crescimento expressivo durante o primeiro semestre e os novos consumidores estão gastando cada vez mais nas suas compras online.

Em conclusão, a pesquisa Webshoppers 44 realizada pela Ebit | Nielsen prevê ainda, que até o final de 2021 o crescimento do setor será de aproximadamente 26%, algo muito positivo. Dessa forma, investir no mercado do e-commerce é sua melhor escolha.

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário