Como vender em marketplace? Confira o passo a passo para ter sucesso nessa estratégia de vendas

Quer começar a vender nos maiores marketplaces do Brasil, mas tem dúvidas? Este guia completo vai te dar o passo a passo de como iniciar de forma correta nessas grandes vitrines!

Vender em marketplaces se tornou uma alternativa popular para quem deseja abrir um negócio online.

É relativamente fácil e lucrativo fazer um cadastro nesse tipo de site, anunciar os produtos e receber os pagamentos a cada venda bem-sucedida.

Contudo, como qualquer outro negócio, vender em marketplace exige que você ultrapasse alguns desafios.

Para ajudar você que está pensando em investir nesse tipo de comércio eletrônico, produzimos este guia completo de como vender em marketplace.

Confira e boa leitura!

Como vender em marketplace: por onde começar?

Está descobrindo como vender em marketplace? Separamos algumas coisas básicas que você precisa saber para começar.

Entenda como funciona um marketplace

Marketplace é um site ou aplicativo que reúne ofertas de produtos e serviços de vários vendedores.

O cadastro nesse tipo de plataforma geralmente é gratuito, e o vendedor precisa pagar uma comissão por cada item vendido.

Você vai encontrar marketplaces mais gerais — como a Amazon, que anuncia uma infinidade de categorias de produtos e serviços — e marketplaces de nicho — como a Dafiti, que se concentra em vender produtos de um determinado segmento.

Quem decide comprar em um marketplace pode finalizar sua compra dentro do próprio site, sem precisar ser direcionado para uma loja virtual ou rede social do vendedor.

Em resumo, o marketplace funciona como uma loja virtual capaz de mediar a relação entre compradores e vendedores.

Ele é responsável por receber o pagamento do cliente e repassar o valor para quem vende.

Escolha bons produtos para vender

Antes de começar a vender em marketplaces, é importante fazer uma pesquisa de produtos para garantir que o que você venderá será lucrativo.

Essa pesquisa depende de dados como: quantas unidades de um determinado produto são vendidas ao longo do tempo e a que preço, quantos outros vendedores estão competindo pelos mesmos clientes em um nicho específico.

Podemos resumir tudo isso em dois pontos: demanda e concorrência.

Ao analisar a demanda, preste atenção nos mais vendidos.

Na página oficial da Amazon, por exemplo, você pode acompanhar em tempo real os produtos mais vendidos em cada categoria.

A lista é atualizada a cada hora.

Se você está tendo problemas para descobrir o que vender, aproveite os lançamentos de produtos que estão em alta demanda.

Além disso, fique de olho nas novas tendências, em produtos sazonais e itens do dia a dia.

Ao analisar a concorrência, saiba que, esteja vendendo um sofá usado, um carro ou um produto artesanal, você estará competindo com muitos outros vendedores.

Logo, preste atenção aos preços, tarifa de frete, condições de pagamento, interação com os clientes, estilo de fotografia, descrição dos itens e mix de produtos.

O que vender para ganhar dinheiro em 2022: Confira 22 ideias de produtos para vender na internet e os nichos em alta!

Encontre bons fornecedores

Você quer fazer o seu melhor para fornecer produtos de alto nível no marketplace, mas sem os fornecedores certos, terá dificuldades para alcançar esse objetivo.

Ter um bom fornecedor melhora sua capacidade de competir em preços com os concorrentes da plataforma escolhida, além de permitir que sua marca cumpra os pedidos nos prazos corretos de envio.

Para escolher bons fornecedores, leve em consideração duas coisas: o que você vai vender e o seu processo logístico.

Se você já sabe exatamente o que quer vender, ótimo!

Com base nas necessidades do seu consumidor, será mais fácil entender por onde começar a procurar, quais qualidades em um fornecedor são importantes para você e quais faixas de preço você deve esperar.

Em seguida, é preciso considerar o processo logístico que você deseja para seu negócio.

O modelo logístico mais comum consiste em sua loja fabricar e enviar os produtos diretamente do seu próprio armazém.

Outra opção é usar o modelo de dropshipping, que consiste em vender sem estoque.

Isso significa que você fica responsável apenas pelos processos de venda e marketing, enquanto o fornecedor é quem fabrica o produto e envia o pedido em nome da sua loja.

Mas você também pode fabricar seus produtos e enviá-los para um armazém terceiro para que, de lá, os pedidos sejam levados para o cliente.

Com esses dois critérios — o que você vai vender e qual seu processo logístico — será mais fácil criar uma lista de fornecedores para sua loja.

Banner: vender em marketplace com taxa zero

Como é o processo para vender no marketplace: confira os 6 passos

Cada marketplace tem um processo único de funcionamento.

No entanto, podemos explicar um quadro geral de como esse tipo de comércio virtual realmente funciona.

1. Realize o cadastro no marketplace

O cadastro no marketplace é simples. Você precisará informar dados pessoais e dados específicos do seu negócio, além de anexar alguns documentos.

2. Liste os produtos que irá vender no marketplace

Feito o cadastro, você pode listar os produtos que você venderá no marketplace.

Será preciso escolher a categoria do produto, inserir tags, fotos e a descrição de cada item.

3. Consumidor realizou a compra e agora?

O pagamento acontece dentro do marketplace.

É responsabilidade da plataforma aceitar o pagamento e, depois, repassar o valor para o lojista, com a taxa de comissão já cobrada.

4. Receba o pedido e realize a entrega

Na maioria dos casos, o processo logístico de armazenar e enviar o produto no prazo correto fica por conta do lojista.

5. O consumidor escolhe como quer receber o produto

O comprador geralmente tem a opção de receber o produto em um destino cadastrado na plataforma ou fazer a retirada em um ponto físico do marketplace.

6. O marketplace libera o pagamento para o lojista

Cada marketplace tem uma política sobre os prazos para repassar o valor de cada produto vendido dentro da plataforma.

Como escolher o marketplace ideal?

Identificar os melhores marketplaces para o seu negócio envolve pesar as restrições de cada plataforma, as categorias de produtos, o público-alvo e outros requisitos.

Tudo o que você precisa é de um pouco de pesquisa inicial para, então, fazer a escolha mais inteligente.

Abaixo, veja algumas dicas para encontrar os melhores marketplaces.

Conheça os principais marketplaces do Brasil

Descubra quais são os grandes nomes do mercado e algumas opções de marketplaces que estão se destacando em nichos específicos. 

Amazon:

A Amazon está na linha de frente em inovação, com processos logísticos próprios e suporte ao cliente, sendo um dos melhores marketplaces do Brasil e do mundo.

São 19 categorias de produtos que os sellers ou vendedores podem divulgar na plataforma e alcançar centenas de milhões de visitantes.

Mercado Livre

Com milhares de vendedores e compradores ativos, o Mercado Livre também está entre os principais marketplaces.

Dentre as principais vantagens de vender na plataforma, estão a grande visibilidade, a confiabilidade do site e a integração com a loja online.

Americanas:

A Americanas integra os sites das marcas Americanas, Americanas Empresas, Submarino e Shoptime, trazendo uma grande visibilidade para todos que divulgam produtos dentro da plataforma.

É cobrada apenas uma comissão sobre as vendas, que varia de 12% a 19% de acordo com a categoria do produto.

Magazine Luiza

Vender no marketplace da Magazine Luiza (Magalu) tem grandes vantagens, como processo logístico próprio (o que diminui o tempo de envio do produto), taxa de comissão de 16% por produto vendido e acesso a milhões de visitantes espalhados em todo o país.

AliExpress

O AliExpress está entre os maiores marketplaces do mundo e, a partir de 2021, passou a aceitar vendedores brasileiros, cobrando uma comissão que varia de 5% a 8%, de acordo com a categoria de produtos.

OLX

A OLX se consolidou como um dos principais marketplaces para a compra e venda de produtos usados no Brasil.

Contudo, também é possível vender produtos novos nessa plataforma. Além da facilidade, uma vantagem de vender na OLX é que existe um limite mensal de anúncios gratuitos.

Shopee

O marketplace queridinho do momento, não poderia ficar de fora da nossa lista.

A plataforma de compra e vendas é um sucesso absoluto no país e costuma ser vitrine dos mais variados produtos.

A Shopee faz a intermediação das vendas de forma bem semelhante ao Mercado Livre.

E aí, algum marketplace dessa lista combina com o seu negócio?

Lembre-se de que nada impede que sua loja venda em mais de uma plataforma.

Banner: vender em marketplace com taxa zero

Conheça as limitações de cada plataforma

É uma boa ideia verificar as diretrizes da plataforma antes mesmo de fazer seu cadastro ou postar um anúncio.

Cada marketplace tem uma lista de seus Termos e Políticas.

Para citar um exemplo, no marketplace da Amazon, é permitido vender bebidas alcoólicas como cervejas, vinhos, licores e destilados.

Por outro lado, se você buscar as diretrizes do marketplace do Facebook (Meta), vai perceber que essa é uma das categorias que não são permitidas.

Considere a reputação da plataforma

Os compradores levam em consideração a opinião de outras pessoas para comprar ou não em determinada plataforma.

Por isso, a popularidade e a reputação do marketplace são tão importantes quanto a qualidade dos produtos que você deseja vender.

Pesquise a proporção de pessoas que confiam no marketplace e a probabilidade de seu produto ser comprado por meio dele.

Se alguma plataforma fornecer um atendimento ao cliente ruim, por exemplo, isso também prejudicará sua marca ou reputação do produto.

Para evitar situações como essa, é sempre melhor vender seu produto por meio de um marketplace que tenha boa base de clientes e reputação.

Pese os custos para vender na plataforma

Quando você realiza uma venda, o marketplace automaticamente cobra um percentual sobre o pagamento, como vimos anteriormente.

O percentual varia conforme as plataformas. Por isso, vale a pena comparar as taxas cobradas por cada uma.

Na Amazon, por exemplo, essa comissão pode variar entre 8% e 20% do valor do produto, dependendo da categoria na qual ele está listado.

Também é cobrado um valor mensal de acordo com o plano que você escolhe no momento de se cadastrar no marketplace.

O Mercado livre, por outro lado, cobra uma taxa de 11% ou 16% para produtos com valor acima de R$ 200.

Já as mercadorias com preços inferiores a esse valor têm taxa de 11% ou 16%, mais R$ 5 por unidade.

Qual é a documentação necessária para vender em marketplaces?

A seguir, confira alguns documentos e informações que a maioria dos marketplaces solicita durante o processo de registro.

  • nome do titular da conta;
  • e-mail e número de celular;
  • informações da loja online como: razão social, endereço comercial (comprovado com um comprovante de domicílio) e nome fantasia;
  • conta bancária;
  • cartão de crédito ou débito do titular da conta;
  • CPF;
  • CNPJ.

Alguns marketplaces permitem que os vendedores façam o cadastro com o CPF, enquanto outros demandam a numeração do CNPJ.

Também existem plataformas que deixam esse requisito como informação opcional para o vendedor (você pode usar CPF ou CNPJ), como a Amazon.

Em alguns casos, você pode precisar de certidões negativas de débitos tributários, trabalhistas e previdenciários, além de declarações sobre o sistema tributário do e-commerce. Mas isso não acontece na maioria dos casos.

Para deixar o cadastro o menos burocrático possível, a maioria das plataformas permite anúncios tanto de pessoas físicas quanto pessoas jurídicas.

É preciso ter loja online para vender no marketplace?

Você pode usar o marketplace como único canal de vendas para os seus produtos, sem ter uma loja virtual separada.

Essa é uma alternativa barata de vender na internet, pois você não precisa arcar com todos os custos de construir uma loja virtual do zero, além de aproveitar a credibilidade e visibilidade do marketplace.

No entanto, nos marketplaces das redes sociais, você precisa criar um perfil na rede com antecedência.

Por exemplo, para vender produtos no marketplace do Facebook (Meta), primeiro você precisa de uma página na rede social dedicada ao seu negócio.

Como se destacar nos marketplaces?

Maximize seus lucros e renove seu estoque o mais rápido possível com as melhores dicas para se destacar em marketplaces.

Defina um preço razoável

Uma das decisões mais difíceis quando você está descobrindo como vender em marketplace é definir o preço.

Embora você queira otimizar ao máximo seu lucro, é importante definir um preço razoável para garantir que os produtos sejam atrativos.

Para começar, procure itens semelhantes em seu segmento para avaliar as faixas de preço da concorrência.

Se você espera uma venda rápida, pode precificar seu item com um valor pouco abaixo dos itens vendidos por outras lojas dentro do marketplace.

Sinta-se à vontade para definir um preço um pouco mais alto se achar que seu item é de melhor qualidade do que produtos similares listados no marketplace.

Nesse caso, inclua detalhes na descrição do item que expliquem o que o diferencia dos demais.

Tire fotos de alta qualidade

Uma das melhores maneiras de garantir que seu produto seja vendido rapidamente em um marketplace é usando fotos de alta qualidade.

Se os compradores em potencial podem ver como o item realmente é na sua vitrine online, as chances de compra são maiores.

No momento de tirar as fotos, considere estas dicas:

  • coloque o item na frente de um fundo neutro e minimize as distrações para que o foco esteja no próprio item;
  • tire fotos de vários ângulos para fornecer uma imagem completa das partes mais interessantes;
  • aproveite a luz natural colocando o item na frente de uma janela ensolarada, se possível;
  • considere tirar fotos ao ar livre em uma área sombreada para evitar sombras fortes;
  • desligue a iluminação do teto para manter as cores o mais naturais possível.

Com as técnicas certas, quase qualquer câmera pode ser usada para tirar fotos de produtos para lojas virtuais, até mesmo a câmera do seu smartphone.

Porém, se você está procurando a melhor qualidade de imagem, considere comprar uma câmera DSLR.

Confira também: Dicas para boas fotos de produtos apenas com o celular!

Forneça uma descrição detalhada

Ofereça o máximo de detalhes sobre o item na descrição para reduzir a quantidade de perguntas de potenciais compradores.

Se tudo que eles precisam saber estiver ali, a tendência é que finalizem a compra o mais rápido possível.

Inclua detalhes sobre a marca, o fabricante e o número do modelo. Forneça medições precisas e quaisquer detalhes relevantes sobre a condição do item, incluindo falhas e sinais de uso, caso esteja vendendo produtos usados.

Preze pela honestidade ao descrever o produto, principalmente quando se trata de tamanho, local de origem e condição. Você estará desperdiçando seu tempo — assim como o do comprador — caso o item não corresponder à descrição no momento da retirada.

Certifique-se de incluir tags

Você deseja que o comprador em potencial encontre seu item depois de escrever o que ele quer na barra de busca do marketplace, certo?

Então, verifique primeiro se o seu produto está listado na categoria correta para que seja fácil encontrá-lo.

Depois, inclua as tags. Alguns marketplaces como a Amazon permitem que os vendedores rotulem seus itens com tags de pesquisa para facilitar que os compradores em potencial encontrem exatamente o que estão procurando.

Por exemplo, se você estiver vendendo uma câmera vintage, inclua tags como “vintage”, “câmera”, “antigo”, e assim por diante.

Responda às dúvidas rapidamente

As transações em marketplaces tendem a acontecer com rapidez.

Por isso, é importante monitorar regularmente as mensagens recebidas quando você tem um item postado em uma plataforma.

Responda aos interessados o mais rápido possível para tirar dúvidas sobre a condição do produto, utilidade, funcionalidades etc.

Se você não responder uma pergunta em 24 horas, o comprador em potencial pode já ter comprado o item de outro vendedor.

Seja consistente

Os vendedores que tentam vender tudo o que podem nos marketplaces raramente são bem-sucedidos.

Se você gosta de móveis e utensílios de cozinha, seja consistente nisso.

Procure estabelecer sua própria marca para o tipo de produto que você vende nas plataformas.

Você se tornará conhecido no mercado por isso.

Essa consistência lhe dará maior controle sobre preços, produtos e experiência de entrega.

Ela também pode ajudar a criar seguidores em seus perfis nas redes sociais, porque sua marca será conhecida como especialista em determinado segmento.

Se os compradores reconhecerem seu estilo e souberem que você oferece produtos de qualidade, a tendência é que eles se tornem clientes recorrentes e encontrem seus anúncios com mais facilidade na internet.

Como usar o remarketing, anúncios pagos e as redes sociais para vender nos marketplaces?

Veja como o remarketing, os anúncios pagos e as redes sociais podem ajudar a aumentar suas vendas nos marketplaces.

Remarketing

O remarketing é uma excelente estratégia para aumentar a taxa de conversão dos seus canais de vendas, inclusive dos seus produtos anunciados em marketplaces.

A estratégia consiste em exibir anúncios do Google Ads para usuários que demonstraram interesse em seus produtos anteriormente.

O objetivo do remarketing é fazer com que o potencial cliente volte à página do produto e finalize a compra.

Anúncios pagos

Para vender mais em pouco tempo, é preciso investir em anúncios pagos.

Por meio do Google Ads, você não precisa de muito para fazer com que potenciais clientes do seu negócio recebam campanhas e anúncios personalizados dos seus produtos.

Redes sociais

Aproveite a audiência nas redes sociais para levar seu público para lançamentos, produtos em destaque e outros itens vendidos nos marketplaces.

Você também pode usar as redes sociais para vender diretamente de lá seus produtos, usando a vitrine de vendas do Instagram e Facebook, por exemplo.

Bônus: dicas de como acertar no frete e na logística de entrega

O preço do frete e a qualidade da entrega dos pedidos são dois fatores cruciais, que podem ajudar um vendedor a se destacar dentro do marketplace em meio a seus concorrentes.

Saiba escolher uma transportadora

Se você optou por entregar os pedidos diretamente do seu estoque, será preciso escolher uma boa transportadora para evitar atrasos e erros no processo de entrega para o cliente final.

Falhas como essas só prejudicam a reputação da sua loja perante os clientes.

Você também tem a opção de contar com os Correios para enviar os produtos. Então, pese as vantagens e desvantagens de cada opção.

Avalie o suporte logístico do marketplace

No geral, o marketplace oferece o suporte dentro do site, mas os fretes e o transporte dos produtos ficam por conta dos vendedores.

No entanto, a Amazon é um exemplo de plataforma que oferece uma infraestrutura completa de logística para o vendedor.

Tornando-se um vendedor Prime da Amazon, seus produtos podem ser armazenados pelo próprio marketplace, o que diminui consideravelmente o tempo de entrega dos pedidos.

Viu como vender em marketplace pode ser um grande investimento?

Tendo ou não uma loja virtual, fazer o cadastro nessas plataformas vai ajudar seu negócio a dar mais visibilidade para seus produtos e expandir seu público.

Gostou das dicas de como vender em marketplace? Agora, aproveite para saber como usar as melhores estratégias de SEO nessas plataformas.

Não há comentários ainda. Seja o primeiro a escrever um.

Deixe seu comentário