Velocidade de carregamento: O que é e 15 dicas para melhorar a do seu site!

A velocidade de carregamento de um site, é o tempo que demora para que todos os elementos de uma página carreguem de forma completa. Muito importante para as vendas, algumas medidas devem ser tomadas para não atrapalhar o carregamento da página ou até mesmo interromper a navegação do cliente como: otimização de imagens, moderação de anúncios, limpeza de cache dentre outros.

Sabia que a velocidade de carregamento do site é um fator de extrema importância para sua loja virtual?

É isso mesmo! Se o cliente não consegue navegar de maneira objetiva e rápida, dificilmente se sentirá à vontade para fechar uma compra.

Se você não entende como a métrica de velocidade do site funciona, não conseguirá oferecer o melhor a ele.

Com isso, a sua taxa de rejeição aumenta e o engajamento diminui.

Portanto, é essencial focar na experiência do usuário (UX), inclusive porque esse é um fator que reflete diretamente nos rankings de mecanismos de pesquisa.

Ou seja, nos sites de busca, aqueles que seu público usa para encontrar sua loja ou um produto em especial que você vende.

A boa notícia é que existem várias ferramentas que permitem essa otimização e garantem resultados favoráveis não apenas para seu negócio, mas também para seus clientes.

Além disso, implementar essas melhorias é uma forma de sair na frente da concorrência e se tornar referência no mercado digital.

Tem curiosidade em aprender mais e fazer com que seu e-commerce seja um verdadeiro sucesso? Aproveite que está aqui e confira tudo sobre o assunto!

O que é velocidade de carregamento da página?

Basicamente, a velocidade de carregamento do site está ligada a tudo o que precisa ser mostrado quando alguém visita a sua página.

É o tempo que essa página leva para abrir e ter todos os seus recursos em funcionamento. Existem vários fatores que influenciam nesse desempenho, como:

  • quantidade de imagens, vídeos e arquivos de mídia em geral;
  • temas e plugins instalados;
  • codificação e scripts de servidor do site e de cada página específica dentro dele.

Se não estiverem alinhados, o carregamento ficará lento. Algo que compromete a experiência do usuário e a referência que ele tem, no caso, da sua loja virtual.

Além disso, um site muito lento não se adapta a todo e qualquer tipo de dispositivo.

Hoje em dia, a maioria das pessoas usa smartphones para fazer buscas, compras e demais acessos na internet, então se o seu site não se tornar responsivo, será muito complicado ampliar o interesse do público por ele.

Por que a velocidade de carregamento é importante?

Quando se trata da velocidade do site, cada segundo faz a diferença.

Uma pesquisa recente do Google mostra que quando o tempo de carregamento passa de um para três segundos, a probabilidade de que o visitante saia imediatamente da página aumenta em 32%.

O que representa uma taxa de rejeição significativa, concorda?

Pois, a partir disso, se surpreenda com mais uma informação: se o tempo chega a 5 segundos, a probabilidade passa para 90%.

Portanto, as chances de bater metas de vendas e conversões se tornariam ainda menores, uma vez que ninguém se sente à vontade para esperar.

Outra questão importante é que a velocidade de carregamento do site é indispensável para seu Search Engine Optimization, o famoso SEO.

Para rankear os sites, o Google considera inúmeros pontos classificatórios para as páginas, e esse é um dos sinais que são analisados primeiro.

Ele é válido tanto para pesquisas feitas pelo computador quanto por dispositivos móveis. Mas não é só isso.

A velocidade de sua página ainda impacta diretamente na percepção que seus consumidores têm da marca.

Uma página que demora demais para carregar ou que apresente erros ao longo do processo fazem com que a empresa pareça pouco profissional e nada confiável.

Dessa maneira, para ter um site eficiente, valorizar a velocidade de carregamento é o primeiro passo. Daí a importância de considerar ferramentas que potencializam esse desempenho.

Qual é o tempo de carregamento ideal?

Como você acabou de ver, uma página que extrapola 1 segundo pode deixar de converter quase que imediatamente.

Portanto, o ideal é fazer o máximo para que esse limite não seja ultrapassado.

A recomendação precisa do Google é que a página esteja completamente acessível em meio segundo.

De fato, é algo extremamente rápido, e para uma loja virtual, pode ser que esse tempo seja difícil de ser cumprido.

Daí a importância de apostar em todas as otimizações possíveis para poder criar uma página amigável.

O que pode ser feito para otimizar sua loja virtual?

Agora que você sabe a importância da velocidade do site e quanto tempo ela deve ter, chegou a hora de trabalhar para que essa métrica melhore.

Portanto, aqui estão algumas dicas para que você alcance esse objetivo e veja suas páginas carregarem rapidamente.

Otimize imagens

Sem dúvida alguma, são as imagens as grandes responsáveis por dar um visual atraente para qualquer página da web. Contudo, em excesso ou muito pesadas, podem atrasar o carregamento.

Uma das melhores maneiras de fazer com que isso não aconteça é compactar e otimizar as imagens. Isso pode ser feito ao alterar os formatos do arquivo, para que ele fique mais leve e não perca a qualidade.

É possível otimizar imagens com plugins e ferramentas, pagas ou não. É só procurar pelo que atende melhor às suas necessidades e se dedicar a essa ação.

Elimine recursos desnecessários

Quando se fala em acelerar o carregamento de páginas, é importante considerar a eliminação de recursos. Também conhecida por bloqueio de renderização.

Para isso, é preciso levar em conta que os códigos de Javascript e CSS normalmente fazem com que as páginas HTML carreguem mais devagar.

Por outro lado, é isso o que faz com que o visual que você escolheu para o site seja conservado.

A situação pode ser resolvida quando você permite que esses recursos sejam carregados assincronamente.

Algo que faz com que o conteúdo principal seja apresentado de imediato para o cliente, e o restante seja carregado depois, otimizando a experiência do usuário.

Modere anúncios

Cuidado com tudo o que diz respeito a anúncios dentro de sua página. Banners e popups, por exemplo, estão cada vez mais caindo em desuso.

Por vezes, para comunicar algo importante, vale a pena usar algum recurso mais leve dentro da própria estrutura do site.

Com isso, o cliente também não se depara com tantas informações e corre riscos de ficar confuso.

Muitas vezes, os anúncios podem travar o computador do usuário ou mesmo não se adaptar tão bem a uma versão responsiva do site. Então, é bom se planejar bem em relação a eles.

Tenha um servidor dedicado

O servidor dedicado é um servidor exclusivo no data center. Não sabe o que isso quer dizer?

Bem, simplesmente que ele ajuda a customizar todas as suas necessidades para manter a loja no ar.

É muito melhor do que um servidor usual e compartilhado. Isso porque do espaço de armazenamento à memória e velocidade de processamento são otimizadas.

Todas essas questões influenciam diretamente no carregamento da página. Que, por sua vez, fica muito mais rápido.

Utilize um tema bem desenvolvido

Também é essencial que você tenha um tema bem desenvolvido para o site. Ele não inclui apenas as questões de design e organização da loja, mas também sua estrutura de linguagem.

É preciso que o tema ofereça exatamente o que você precisa para conseguir abrigar todo o seu conteúdo. Mas que seja intuitivo e simplificado para o cliente.

Dessa forma, além de carregar rápido, o site prenderá a atenção do cliente, e as chances de que ele efetive suas compras será muito maior.

Reduza o número de redirects da página

Outra providência que contribui para a velocidade de carregamento do site é evitar redirects numerosos. Por vezes, o redirecionamento é necessário para que o cliente não vá para uma página da loja que não existe.

Essa é até mesmo uma orientação SEO para não deixar o usuário frustrado e encaminhar o buscador para a principal página a ser indexada. Todavia, redirects em excesso geralmente sobrecarregam o servidor.

Isso porque adicionam um ciclo a mais de requisições, que fazem com que o carregamento atrase.

É importante lembrar, nesse ponto, que quando a página tem um design responsivo, esse problema não acontece.

Minimize CSS, Javascript e HTML

Sempre que um programador desenvolve os códigos do site, costuma colocar quebras de linha, espaços e comentários. Essas são informações que o seu cliente não vê.

No entanto, elas ocupam bastante espaço. Dessa forma, podem acabar deixando a página mais pesada. O ideal é minimizar esses códigos, para que o resultado fique mais leve.

Caso o seu site já esteja pronto a algum tempo, não é preciso fazer todo o trabalho em código por código. Mais uma vez, basta utilizar ferramentas que possibilitem a redução dos códigos. Por segurança, faça um backup dos arquivos.

Crie páginas AMPs

As AMPs, ou Accelerated Mobile Pages, são uma ótima alternativa para acelerar o carregamento. Elas nada mais são do que um projeto de código aberto que faz com que a navegação seja mais veloz.

Para você ter uma ideia, essa tecnologia foi desenvolvida para que as páginas carregassem de forma instantânea em qualquer dispositivo móvel. Mas como isso funciona?

Bem, assim que alguém acessa, ela mostra exatamente o mesmo conteúdo da página original. Porém, elimina elementos dispensáveis, para que o site fique mais leve e ágil.

Se quiser criar AMPs, é possível investir em plugins. O que torna tudo mais fácil, já que não será preciso alterar códigos.

Limpe o cache de suas páginas da web

O cache é uma das maneiras mais eficazes de acelerar as páginas do seu site. O cache armazena cópias de seus arquivos, minimizando o trabalho necessário para o servidor gerar e mostrar a página no navegador do usuário.

O armazenamento em cache de suas páginas pode ajudar a reduzir o tempo até o primeiro byte (TTFB), exigindo que o servidor use menos recursos para carregar uma página. Esse armazenamento pode ficar por conta do seu servidor ou de algum plugin.

Compacte pelo Gzip

Você já ouviu falar sobre o formato de compressão Gzip? Ele é ideal para diminuir o tamanho de arquivos que são enviados pelo servidor, além do tempo de transferência.

Ele oferece pelo menos 90% de compressão para arquivos maiores. Algo extremamente eficiente para que o carregamento das páginas seja reduzido.

Qualquer navegador atual tem compatibilidade com esse formato.

Sempre que o usuário acessa, a compactação é automática. Basta autorizar a configuração no servidor e testar se ela está de fato ativa em seu site.

Ative o cache do navegador

E por falar em cache, o cache do navegador é outra maneira de aproveitar para melhorar a velocidade de carregamento da página.

Essa técnica permite que o navegador armazene uma variedade de informações para que ele não precise recarregar a página inteira toda vez que um usuário a visita.

Isso pode ser feito facilmente por meio de algum plugin. As ferramentas em geral são gratuitas, e basta pesquisar para ver qual delas se encaixa melhor para sua loja virtual.

Elimine plugins desnecessários

Muito se falou até agora em plugins, mas nem todos eles são realmente interessantes para seu site. Ter muitos deles pode deixar as páginas muito mais lentas.

Muitos deles ficam desatualizados ou sem manutenção adequada e passam a representar uma ameaça à segurança de acesso da página.

Além de apresentar problemas de compatibilidade que prejudicam o desempenho do site como um todo.

Portanto, é importante minimizar o número de plugins que você usa. Desabilite e faça testes para ter certeza de como a página se comportará com o usuário.

Prefira formatos de última geração para as imagens

Ainda no assunto imagens, você precisa sempre priorizar os formatos de última geração para esse tipo de arquivo. Os principais são JPEG 2000, JPEG XR e WebP.

São eles que permitem que a qualidade das imagens seja sempre mantida. Além de ajudar a consumir menos dados pelas redes de celular e otimizar o carregamento.

Aproveite a dica e, ao formatar as imagens, lembre-se de colocá-las sempre no tamanho correto de uma vez.

Não há qualquer necessidade de subir imagens grandes e ocupar espaço sem qualquer necessidade, o que poupa trabalho na conversão dos formatos.

Adie o carregamento de imagens fora da tela

As imagens que não aparecem na tela também interferem no tempo de carregamento do site. Mas se o cliente não está exatamente visualizando todas elas, é possível adiar seu carregamento.

Você já deve ter percebido isso ao acessar um site e ver que as imagens só aparecem conforme você rola a página.

O nome desse recurso é lazy load, ou, na tradução, carregamento lento. Ele é simples e pode ser adaptado com facilidade em seu site.

Aposte em uma rede de entrega de conteúdo (CDN)

Uma rede de distribuição de conteúdo, também conhecida como CDN, é uma rede de servidores que pode ajudar a melhorar a velocidade de carregamento da página.

Ela faz isso hospedando e entregando cópias do conteúdo estático do seu site para servidores localizados em todo o mundo.

Uma CDN funciona juntamente com a sua hospedagem, e não de forma a substituí-la.

Você ainda pode aproveitar uma CDN para distribuir cópias dos arquivos do seu site entre data centers estrategicamente escolhidos.

Com isso, é possível maximizar o desempenho, reduzindo a distância que as solicitações de dados precisam percorrer entre os navegadores e seu servidor.

Ao carregar o conteúdo de seu site de um servidor próximo a cada visitante, uma CDN ajuda a reduzir a latência da rede e a produzir TTFBs mais baixos, além de diminuir as distâncias geográficas de acesso.

Como medir a velocidade de carregamento do site?

A proposta do Google é fazer com que a velocidade de carregamento do site seja cada vez melhor. Por ser o maior mecanismo de busca do mundo, ele sabe muito bem o que os usuários esperam em suas experiências de acesso.

Desde 2010, essa velocidade é um dos principais fatores de ranqueamento. E, a partir de 2018, ele passou a ser incluído nas análises de buscas mobile.

Por isso, o Google desenvolveu certas ferramentas que permitem diagnosticar problemas de velocidade e propor correções que tragam melhorias. E aqui estão as principais!

PageSpeed Insights

Sem dúvida alguma a PageSpeed Insights é uma ferramenta mais popular para testar a velocidade das páginas. Ela é gratuita, e voltada para desenvolvedores.

Sua utilização é bem simples. Você só precisa colocar a URL a ser testada na plataforma, e a análise é feita automaticamente.

Os resultados mostram pontuações de 0 a 100, tanto para desempenho em desktop quanto para mobile.

O diagnóstico ainda comprova quanto tempo os elementos do site levaram para carregar e apontam o que fazer para corrigir seus problemas.

Vale lembrar que quanto mais próxima a sua pontuação estiver de 100, menos correções serão necessárias.

Lighthouse

O Lighthouse é um software do Google muito utilizado para auditar sites. Ele funciona como uma espécie de recurso de linha de comando, ou ainda como uma extensão amigável do Chrome.

Em primeiro lugar, ele mostra a velocidade do site. Mas também é ideal para que você veja os demais aspectos qualitativos das páginas.

Para usá-lo, é preciso inserir a URL na plataforma. Como a anterior, ela também mostra sugestões de melhorias, de acordo com quesitos como performance, SEO, acessibilidade e muito mais.

Chrome User Experience Report

A partir do Chrome User Experience Report , você consegue avaliar plenamente a experiência do usuário em sua página. Entretanto, ele envolve questões mais técnicas, que exigem um conhecimento maior.

Assim, o ideal é que seja consultada por desenvolvedores. A ferramenta recolhe dados reais de todos os usuários do Chrome e mostra o desempenho médio do seu site na web.

Inclusive no que diz respeito à velocidade. A partir disso, é possível fazer uma comparação com a média e identificar aspectos que devem ser melhorados.

GTmetrix

O GTmetrix é outra das ferramentas mais requisitadas de medição de velocidade de sites.

Depois de analisar a página indicada, a plataforma oferece um percentual de pontos para a velocidade, o tempo de carregamento e o tamanho do site.

Para completar, ainda faz uma comparação com as demais médias do mercado. Por fim, é possível conferir as sugestões de ajustes para implementar correções eficientes em sua página.

SUCURI Load Time Tester

SUCURI Load Time Tester ajuda a verificar seu carregamento com base em uma nota global, que é calculada com a média de 15 localidades.

Ele analisa fatores como resposta média, grau de desempenho e tempo gasto.

A partir dos resultados, você entende melhor quais pontos atrapalham a velocidade de carregamento. E ainda consegue verificar soluções simplificadas para acabar com os gargalos.

WebPageTest

Com o WebPageTest, o usuário faz o teste de desempenho de página de acordo com a conexão em diferentes navegadores e localidades. Assim, é possível conferir um relatório completo.

Entre os aspectos analisados, estão: tempo de carregamento total do site, tempo de carregamento na primeira visita e nas posteriores, e detalhes de CDN. É uma plataforma simples, mas muito eficiente.

Pingdom

O Pingdom fecha essa lista, sendo ele o mais usado para a comunidade do WordPress. É preciso lembrar, no entanto, que é uma ferramenta paga, mas é possível aproveitar o período de teste grátis por 14 dias.

A grande vantagem é que, de todas as opções, essa é a mais completa.

Todas as análises são aplicadas em várias partes do mundo, então você consegue visualizar não apenas a velocidade e o desempenho do site, mas a disponibilidade dele para outros países.

A ferramenta ainda aponta, periodicamente, sugestões de melhorias. Além de disparar alertas sempre que algum problema se manifesta.

Como você pode ver, a velocidade do site é um fator que merece a sua atenção, se você quer que a sua loja virtual tenha sucesso.

Em um mundo no qual a correria faz parte do dia a dia de todo mundo, não dá para fazer com que o cliente espere mais do que gostaria ao visitar a sua loja.

Sem dizer que, mais do que nunca, a velocidade de carregamento do site está diretamente associada às conversões e às experiências de usuário positivas na internet.

Se você quer que o seu negócio seja reconhecido por facilitar essas duas coisas, é preciso colocar as dicas deste artigo em prática e fazer com que seu público tenha uma jornada de compra inesquecível.

Loja física na internet

Não há comentários ainda. Seja o primeiro a escrever um.

Deixe seu comentário