Durante a pandemia: vagas de emprego no e-commerce crescem 162%

Com todas as lojas físicas fechadas e apenas os serviços essenciais funcionando, as compras online foram o que não deixou a economia […]

Com todas as lojas físicas fechadas e apenas os serviços essenciais funcionando, as compras online foram o que não deixou a economia brasileira parar de vez — mesmo com o impacto negativo muito grande, devido à quarentena. 

Logo, tendo as compras virtuais como única saída, o e-commerce bateu recordes de vendas, abertura de novas lojas e expansão de grandes varejistas. 

Consequentemente, segundo uma pesquisa divulgada pela Catho — plataforma para vagas profissionais no Brasil, o e-commerce recrutou cerca de 162% profissionais a mais durante a pandemia.

Boa parte dessas contratações foram de lojas que já existiam e precisaram contratar mais devido ao crescimento surpreendente do setor.  As vagas de vendedor, atendente, gerente e supervisor de e-commerce foram as que registraram maior alta no período. 

“O crescimento expressivo na área de comércio eletrônico comprova que as empresas, de todos os portes e nichos, estão apostando na transformação digital e se adaptando à nova realidade de pouco contato físico com os clientes para evitar a propagação do vírus. Atualmente, oferecer serviços online pode ser a garantia de continuidade de negócios”, declarou Regina Botter, diretora de Operações da Catho.

Novas contratações no e-commerce movimentam a economia no Brasil.

Por fim, segundo a própria pesquisa da Catho, o e-commerce só perdeu em volume de contratações para o setor da saúde. Nada mais que o esperado. 

Assim, podemos evidenciar que, o e-commerce foi parte essencial para que o Brasil não parasse completamente durante a pandemia. Levando produtos a quem compra à distância e abrindo novas vagas de emprego por todo o país. 

Isso deve continuar acontecendo, com menos intensidade, mas as contratações no setor não devem parar. Isso porque, os consumidores pretendem continuar comprando online mesmo depois da quarentena. 

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário