E-commerce deve faturar 16% mais na Black Friday deste ano, diz Abcomm
Aprenda agora o que fazer para montar um sex shop online!

Tudo o que você precisa saber sobre estoque para loja virtual

Publicado em: • Última Atualização:

Quando falamos em e-commerce, geralmente, as primeiras questões que passam pela nossa cabeça estão relacionadas à taxa de conversão e ao aumento das vendas. Porém, para que a empresa tenha sucesso nesses quesitos, é necessário haver bom planejamento e controle do estoque para loja virtual.

João José Viana, em seu livro Administração de Materiais: Um Enfoque Prático, ressalta que “a problemática relacionada à estocagem resume-se na identificação de dois elementos: qual a necessidade de suprimento e qual a quantidade produzida para vender”. Isso porque é importante que os recursos estejam disponíveis quando solicitados, tanto por um cliente como por alguma produção interna e, assim, não afetar as vendas. Por outro lado, quando há excesso de estoque, existe o risco de prejuízos.

Nesse sentido, queremos auxiliar você na manutenção e na escolha do melhor estoque. Foi por isso que preparamos este texto. Continue a leitura para dominar o assunto!

O que é estoque do e-commerce?

A função de um estoque é armazenar certa quantidade de itens em algum local, por determinado período. O propósito é diminuir as incertezas quanto à entrada e à saída das mercadorias e contar com o produto para quando ele for solicitado.

Ao falarmos sobre loja virtual, podemos ter a sensação de que o estoque dela é mais simples, por não se exigir que tantos itens fiquem à mostra para o público. Esse pensamento pode até fazer certo sentido, mas essa modalidade não dispensa um bom gerenciamento. Isso porque alguns problemas podem ocorrer, como a insatisfação de um cliente pela falta de mercadoria — mais adiante detalharemos essa questão.

Assim como em uma loja física, no e-commerce também podem existir vários tipos de armazenagens, as quais demandarão espaço físico adequado, organização para conseguir encontrar o que foi pedido, segurança para evitar perdas, controle para saber o que ainda resta e o que necessita de reposição.

Com isso, falando em termos práticos, pode-se dizer que não existe tanta diferença ao se comparar um estoque de e-commerce e um estoque de loja física, já que ambos exigem processos referentes a uma administração eficaz. O que muda é o espaço exigido, que a depender da loja virtual, pode ser mantido inicialmente, de maneira informal, na casa do comerciante.

Qual é a importância dele para o negócio online?

Quando um estoque é planejado e controlado corretamente, ele tende a agregar valor para o comércio online. Confira, a seguir, as principais vantagens disso.

Evita a insatisfação de um cliente que faz o pedido de algo que não está mais armazenado

Pode acontecer de determinado comerciante ter uma loja física e uma online, utilizando o mesmo estoque para as duas. Se não houver controle entre os itens adquiridos em cada comércio, existe o risco de diferentes consumidores — um virtual e outro não — comprarem, ao mesmo tempo, o último item do estoque. Com isso, aquele que optou pela transação online ficará frustrado.

Gera equilíbrio entre compras de matérias-primas e as vendas do produto

Na gestão, é importante apostar no equilíbrio para que não ocorram gastos desnecessários com o alto investimento em matéria-prima que não será usada ou que corra o risco de ser perdida pelo grande tempo sem utilização. Portanto, a quantidade de cada item deve ser programada com o acompanhamento do estoque.

Mostra o giro de estoque e aponta quais os itens com maior liquidez

Isso poderá dar alguns insights para que você saiba o que agrada mais o seu público, o que pode ser usado como estratégia em marketing digital, o que vale a pena colocar em promoção e o que deve ser deixado de lado para evitar prejuízos.

Prevê, pela sazonalidade ou pelo comportamento dos usuários, os produtos que serão demandados

Os produtos nem sempre saem mantendo uma constância. Situações como Dia das Mães, Dia das Crianças e Black Friday, por exemplo, podem levar ao aumento da procura pelos itens. Assim, valerá a pena prever tais comportamentos e se preparar, deixando armazenadas algumas mercadorias mais estratégicas.

Evita imprevistos ao ter um estoque de segurança

O estoque de segurança é uma estratégia usada por alguns comerciantes em ocasiões que não podem ser previstas, como atraso dos fornecedores ou greve dos caminhoneiros, por exemplo. O que ele busca é evitar que o consumidor queira comprar algo que está em falta, resultando em perda de venda para o lojista e chateação para o cliente.

Diminui custos com muitos transportes do fornecedor

Ter um planejamento do que vai ser consumido em um determinado período é importante para economizar com o transporte dos fornecedores que, em vez de precisarem realizar viagens semanais, passam a fazer entregas mensais, por exemplo.

Quais os modelos de estoque de e-commerce?

Podemos dizer que existem muitos tipos de estoque e cada um conta com vantagens e desvantagens. Então, preste atenção nas características que mostraremos a seguir para decidir o que mais é compatível com a sua realidade.

Estoque compartilhado

Esse modelo costuma ser escolhido por quem possui loja física e virtual ao mesmo tempo. Assim, os produtos vendidos em uma são compartilhados com os comercializados em outra.

A vantagem é que ele dá maior centralização, fazendo com que você tenha uma visão mais ampla dos itens que ainda estão disponíveis, simultaneamente, para os dois comércios. Isso pode facilitar a previsão de demanda, a definição do estoque de segurança e a melhor organização dos produtos, além de economizar espaço por não exigir dois depósitos.

Uma desvantagem possível é que, dependendo do tamanho do seu empreendimento, vai ser preciso contar com o auxílio de um sistema de controle informatizado. Isso para evitar situações nas quais haja, em tempos próximos, pedidos do mesmo produto nas duas lojas. Tal software precisa ser integrado e fazer a atualização automática.

Estoque terceirizado

Esse armazenamento é comum para quem opta por trabalhar por produção sob demanda. Ele usa como base o conceito do just in time, o qual determina que a produção, o transporte e a compra devem ser feitos na hora exata. Tal sistema foi usado pela primeira vez pela empresa Toyota. A filosofia do modelo prioriza a economia na armazenagem, chegando quase ao estoque zero. Assim, a matéria-prima pode chegar ao local apenas no momento necessário e a produção tem início somente após o pedido do cliente.

crossdocking deriva desse sistema de produção, uma vez que o seu intuito é não ter um grande armazenamento de itens, os quais poderão ser adquiridos após o processo de compra pelo cliente. O modelo ajuda a eliminar desperdícios com produtos que sejam perecíveis ou que tenham algum risco de ficarem obsoletos de forma rápida, por exemplo. Dessa forma, ele agrada quem precisa ter uma loja virtual sem estoque.

Entre as vantagens, podemos citar a economia de espaço e com a manutenção do estoque, menores riscos de roubos e ociosidade. Contudo, existem também desvantagens. Uma delas pode ser o atraso na entrega ao consumidor, o que foge do controle do proprietário, pois não depende apenas dele.

Outro ponto é o fato da exigência do acompanhamento apurado e do cadastro dos melhores fornecedores para evitar desagrados ao cliente. Podemos citar, ainda, a possibilidade de perda de compradores quando imprevistos acontecerem.

Estoque descentralizado

Essa hipótese é considerável para quem tem lojas mais avançadas, que já dominam parte do território e contam com diversos clientes espalhados pelos bairros, cidades ou estados. Isso porque ela trata de armazenar os produtos em vários lugares, a fim de atender com eficácia cada região.

Sobre as vantagens, podemos citar o fato de que estar mais próximo dos clientes diminui o valor do frete e o prazo de entrega. Ele também é útil quando se trabalha com tipos diferentes de consumidores, podendo personalizar os produtos de acordo com a característica de cada região.

Um exemplo simples para você visualizar melhor essa diferença de produtos em uma mesma empresa é o Supermercado Pão de Açúcar. Ainda que existam unidades em diversos bairros de uma mesma cidade, existem diferenças entre uma e outra. Nos lugares em que o público tem maior poder de compra, há mais investimento em produtos sofisticados. Já em lugares em que as pessoas têm menor poder aquisitivo, as mercadorias, em grande parte, são mais básicas.

Com relação às desvantagens, podemos falar sobre a maior dificuldade de controle dos itens existentes e custos elevados com a armazenagem. O controle de estoque é mais difícil de ser monitorado, principalmente em relação à quantidade de mercadoria necessária para o reabastecimento. Os custos são mais altos porque você vai precisar de mais espaço, devido a maior quantidade dos itens, gerando, consequentemente, aluguéis mais caros.

Estoque consignado

Nesse tipo de estoque, a empresa cede uma quantidade de produtos a um terceiro, o qual apenas terá a função de guardar as mercadorias, mas não terá a propriedade delas. Os produtos saem do armazenamento quando o cliente faz uma compra, podendo ser entregues de volta à empresa ou diretamente ao consumidor, dependendo de como foi estabelecido o contrato.

E-commerces que trabalham com mercadorias duráveis e de baixo giro podem se beneficiar com esse modelo, principalmente por ele não demandar um espaço físico próprio para a armazenagem dos seus itens. O baixo custo operacional e a possibilidade de atender um mercado mais amplo também tendem a ser atrativos por quem opta por ele.

Entre as desvantagens, destaca-se o fato de o comerciante ter de confiar muito na pessoa que está servindo de consignatário, tendo que estabelecer regras e contratos para o caso de acontecer extravios ou danos. O controle também pode ser mais difícil se o acesso ao estoque não for tão simples.

Qual é o nível de estoque ideal para o meu negócio?

Saber o nível e a quantidade ideal de itens a serem mantidos depende de alguns fatores como o giro de estoque, a taxa de cobertura, a capacidade de investimento do comerciante e o tipo de mercadoria. O resultado satisfatório também é influenciado pela administração e pelo controle de todos os materiais.

Giro de estoque

Esse indicador compreende a rotatividade de cada produto e a renovação do estoque em certo período. Em outras palavras, o indicador mede a agilidade da liquidez de determinado item. Podemos dizer que aquela mercadoria que sai com muita frequência e tem muitos pedidos conta com um alto giro. Tais produtos precisarão existir em quantidade maior, de modo a evitar que exista demanda na sua inexistência.

Taxa de cobertura

A taxa de cobertura indica em quanto tempo o estoque de determinado item atinge o nível zero. Ainda que ela possa estar ligada ao giro de estoque, é preciso conhecer qual é o período necessário para ter de volta cada produto. É por meio dela que o comerciante sabe o ponto de pedido, que é quando o produto atinge a quantidade que provoca o seu ressuprimento.

Capacidade de investimento

A capacidade do comerciante de investir em um estoque também influencia na equação. Alguém que possua um e-commerce ainda pequeno e não tenha condições de realizar muitos gastos não poderá armazenar, ainda, grande quantidade do mesmo item no estoque para loja virtual.

Tipo de produto

Com relação ao tipo de mercadoria, é necessário lembrar que determinados produtos tendem a ser considerados ultrapassados com facilidade, como os eletrônicos. Os perecíveis também não podem existir em quantidade exagerada, para não correr o risco de serem perdidos.

Outro detalhe importante é avaliar se o comércio trabalha com tipos de produtos que sejam imprescindíveis para a operação, cuja ausência obrigaria a paralisar o funcionamento de algum processo. Dessa forma, quando o item é considerado com alta criticidade, não podendo ser substituído de forma fácil ou rápida, ele nunca deve faltar.

Tempo de reposição

É importante também colocar na conta o tempo necessário para que você consiga adquirir algum tipo de material do fornecedor. Em casos de período prolongado de espera, você deve agir com prudência e realizar o armazenamento de itens em maior quantidade. Alguns comerciantes gostam de fazer um estoque de segurança a fim de evitar os imprevistos.

Sazonalidade

Datas comerciais importantes pedem itens em maior quantidade. Imagine uma loja virtual de chocolates. Na época da Páscoa, a demanda pelos produtos será bem maior. Assim, o comerciante precisará se antecipar e ter um estoque abastecido de matérias-primas que ele usa para conseguir o seu produto final.

Quais são as ferramentas que podem auxiliar na gestão?

Por trás do triunfo de uma venda existem processos importantes, as quais precisam estar encadeadas para que exista a efetividade. Uma das ações que não podem ser negligenciadas é a gestão do estoque para loja virtual.

É necessário que os produtos estejam disponíveis para quando os clientes realizarem compras, pois isso é um dos fatores que garantirá a satisfação deles. Por outro lado, o estoque congelado significa dinheiro parado. Qualquer descompasso em um desses lados pode levar a uma desvantagem competitiva, de modo que o grande objetivo da administração nessa área é conseguir o equilíbrio.

Felizmente, nesse universo da gestão existem ferramentas de grande valia que podem nos auxiliar. Confira algumas delas na sequência!

Google Analytics

Essa ferramenta do Google conta com muitos recursos que auxiliam as áreas de marketing e vendas, com análises de métricas e outros indicadores importantes para o negócio. Dentro dela existe o plugin Enhanced E-commerce, o qual possibilita um exame completo sobre o processo de compras e o comportamento do consumidor.

Tal recurso dá detalhes do que acontece durante a jornada do usuário, como a adição de produtos nos carrinhos, itens mais visualizados ou rejeitados. Todas as informações poderão dar insights do que pode ser estocado em maiores quantidades.

ERP — Enterprise Resource Planning

Esse é um software que ajuda no controle de todos os processos de uma empresa. Por ser um sistema informatizado, ele pode organizar todas as informações, atualizar os dados, automaticamente, a cada compra, dar uma visão do fluxo de vendas das mercadorias e também do prazo de entrega por fornecedor. Para o comerciante que tem loja física e virtual, ele faz uma integração com todos os sistemas, mostrando o estoque real dos produtos.

Tudo isso traz grandes vantagens:

  • ajuda na administração e planejamento, ao trazer compreensão das atividades;
  • diminui os riscos de insatisfação do cliente e de perdas financeiras, pois mostra a quantia exata dos itens disponíveis e indica ao comerciante o que está sem movimentação;
  • ao reunir dados de cada fornecedor, dos prazos de entrega, do próximo ressuprimento e sinalizar os itens de maior liquidez, auxilia na organização e no controle.

Os softwares são imprescindíveis para lojas de grande porte e que estão presentes em várias regiões, uma vez que aumenta a sinergia e agrega todos os processos, elevando o controle de estoque no marketplace.

Google Ads (AdWords)

Com a possibilidade de fazer anúncios atrativos direcionados às pessoas certas, essa ferramenta ajuda no aumento do giro do estoque. O comerciante pode escolher aqueles produtos que estão parados há um tempo e dar a eles um novo fim, para que a loja não perca recursos materiais e financeiros.

Outra funcionalidade é mostrar as palavras-chave que mais funcionam ao colocar os produtos em exposição no e-commerce. Isso gera maior conversão ao explorar a funcionalidade de determinados itens serem encontrados em uma pesquisa realizada pelo usuário no Google, levando-o a acessar a loja.

Curva ABC

Esse é um método de classificação e organização dos estoques, o qual consiste em classificar os produtos em três classes. Essa sistematização ajuda a definir prioridades de venda, identificar itens com grande giro e lucratividade, reconhecer a necessidade de armazenagem e estabelecer o montante de recursos financeiros a serem investidos na aquisição de mais itens. Ele é também chamado de método Pareto e defende a ideia de que 80% do lucro da empresa vêm de apenas 20% dos produtos.

Os itens da classe “A” representam aqueles de maior importância e valor financeiro. Eles existem em menor quantidade, aproximadamente 20%, e nem todos os tipos de clientes podem comprá-lo. Contudo, a sua venda provoca enorme retorno financeiro.

Os itens da classe “B” representam uma importância intermediária. Existem em quantidade pouco maior que a classe anterior, aproximadamente 30%, mas, por outro lado, são menos caros, dando um resultado monetário menor.

Os itens da classe “C” representam aqueles de menor importância, por serem os de valores mais baixos. Todavia, existem numa quantidade maior que os outros, em torno de 50%. Por não serem muito caros aos consumidores, eles costumam ter maior liquidez que os restantes. Para darem o mesmo retorno financeiro que os da primeira classe, precisam ser vendidos numa proporção muito maior.

A utilidade dessa classificação é otimizar os recursos, dando feedbacks aos gestores sobre informações referentes à necessidade de estocagem, tempo de reposição, quantidade de mercadorias e perfil do público comprador.

Sistema Kanban

Usado por quem utiliza a filosofia do just in time, ele indica, por meio de cartões visuais: o que, quanto e quando pedir. O exemplo mais comum, para facilitar o entendimento dele, é se lembrar dos pedidos feitos no McDonald’s. A rede, apesar de já ter alguns sanduíches prontos no momento do pedido do cliente, trabalha com um estoque mínimo. Ela não pode armazenar uma quantidade exagerada, pois os lanches precisam estar frescos quando o consumidor faz o pedido.

Talvez você já tenha reparado aquelas plaquinhas com números atrás de cada hambúrguer. Elas são um código para que os atendentes saibam qual sanduíche foi feito há mais tempo e, por isso, deve ser vendido primeiro.

Essa organização pode ser válida para quem tem um e-commerce que trabalhe com recursos perecíveis, prevenindo que exista perda por alguma desatenção. Vale lembrar que ele existe também em forma de software, facilitando a utilização em comércios que precisam ter um controle mais apurado do estoque.

Por fim, concluímos que um estoque para loja virtual é imprescindível para que ela atenda às necessidades dos consumidores, concretizando a etapa de venda com efetividade. A gestão desse espaço é, sem dúvidas, essencial para que haja economia de recursos, aumento da conversão, investimento nos produtos certos, satisfação do comprador e crescimento do lucro.

Agora que você sabe por que deve ter um estoque eficiente, que tal compartilhar este artigo nas redes sociais e ajudar a propagar essas informações tão enriquecedoras sobre o estoque para loja virtual?

Ficou com alguma dúvida? Faça parte do nosso grupo no Facebook com especialistas em e-commerce e outros lojistas e envie sua pergunta.

Está pensando em criar uma loja virtual? Faça o teste e descubra se você está pronto!

Tudo o que você precisa saber sobre estoque para loja virtual
5 (100%) 1 voto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10% de desconto
50% de desconto
10% de desconto
30% de desconto
20% de desconto
30% desconto
50% de desconto
20% de desconto
30% de desconto
50% desconto
30% de desconto
50% de desconto
Gire e ganhe desconto no ingresso
Digite seu endereço de e-mail e gire a roda. Esta é sua chance de ganhar descontos incríveis!

Escolha a cidade para o desconto!

Regras:
  • Uma chance por email
  • Não acumula para outra cidade
  • Enquanto durarem os ingressos free.