Tendências para o e-commerce brasileiro em 2019
Saiba tudo o que precisa para vender online em poucos passos

4 tipos de plataforma para loja virtual e o papel estratégico delas

Publicado em: • Última Atualização:

O papel de um gestor de loja virtual envolve diversas atividades, principalmente de planejar os vários aspectos ligados a ela, para que se alcance bons desempenhos. Nesse sentido, podemos citar a importância de conhecer os tipos de plataforma para loja virtual e como escolher o modelo mais adequado.

Pensando nisso, elaboramos este artigo para explicar qual é a importância dessa plataforma, mostrar os principais tipos existentes e o papel estratégico de cada um deles. Continue com a leitura para saber mais sobre o assunto!

O papel de uma plataforma na loja virtual

A plataforma de e-commerce pode ser definida como o sistema responsável pela criação e gestão de uma loja online. Isso quer dizer que ela permite realizar rotinas como o cadastro de produtos, o controle de estoque, a definição de preços, a realização de promoções, entre outros processos ligados a um e-commerce.

Trata-se de uma das primeiras escolhas que o gestor da loja virtual precisa fazer, e também é uma decisão crucial para o futuro do negócio. Entre alguns requisitos que ela precisa apresentar, estão:

  • proteger as informações pessoais dos clientes;
  • oferecer relatórios;
  • conter ferramentas que viabilizam a integração com outras tarefas (como o cálculo do frete).

Os 4 tipos de plataforma de e-commerce

Agora que você já conhece a importância delas, vamos apresentar alguns tipos de plataforma para loja virtual.

1. Plataforma proprietária

Para colocar a loja virtual no ar com uma plataforma proprietária, é preciso adquirir uma licença para o uso do código fonte de um ambiente desenvolvido por terceiros. A renovação dessa licença garante que as atualizações serão realizadas quando necessário.

Geralmente, ela é adquirida por meio de um pagamento inicial e, a partir daí, são feitas renovações anuais.

Devido ao fato de o desenvolvimento ser feito pelo proprietário do e-commerce, esse modelo proporciona flexibilidade na atuação. Porém, por outro lado, a responsabilidade pelo acompanhamento e as alterações necessárias ficam por conta da equipe de TI, o que pode gerar um custo mais alto com infraestrutura e manutenção.

2. Plataforma open source

Já as plataformas open source são bastante utilizadas por e-commerces em início de operação. Um dos principais motivos pelos quais elas se tornaram populares é o fato de serem baseadas em códigos abertos e gratuitos.

Isso significa que o lojista não terá que arcar com o custo de aquisição. Entretanto, isso não é sinônimo de ausência de gastos durante a implantação, já que é necessário contar com a ajuda de uma equipe de desenvolvimento que vai personalizar a plataforma com base nas necessidades da loja virtual. Além disso, a empresa também arca com a hospedagem do sistema.

Logo, apesar de parecer atrativa e mais barata, as despesas com implementação e manutenção podem acabar tornando-a mais cara do que o esperado. Ainda, existem dois contras que devem balancear a decisão:

  • risco de invasão e comprometimento da segurança, visto que os códigos são disponibilizados para o público;
  • ausência de suporte, uma vez que os desenvolvedores não assumem a responsabilidade por problemas que podem ocorrer e nem por oferecer atualizações para correção de falhas. Tudo isso é de responsabilidade da equipe de TI do e-commerce.

3. Plataforma licenciada

A plataforma licenciada diz respeito à aquisição de uma licença para que se possa utilizar o código fonte que é desenvolvido por terceiros. Nesse caso, é preciso contar com uma equipe própria de TI, especializada na criação e manutenção do e-commerce.

Em outras palavras, adquire-se o direito de usar uma licença da plataforma pronta para poder ter sua loja virtual. É um modelo muito utilizado por grandes empresas.

4. Plataforma SaaS

Esse é um dos tipos de plataforma de e-commerce mais utilizados. Nele, o sistema fica disponibilizado na nuvem, e o gestor pode acessá-lo de qualquer lugar, a qualquer momento (desde que utilize um dispositivo conectado à internet).

Nesse caso, desenvolve-se uma ferramenta personalizável, que é comercializada com base no pagamento de uma mensalidade. Em alguns casos, também existe a cobrança de uma taxa de participação sobre as vendas.

Entre os benefícios que ela proporciona, podemos destacar:

  • alta performance;
  • diversas possibilidades de customização e integração;
  • atualizações periódicas;
  • menor custo;
  • menor tempo de implantação.

A plataforma SaaS permite que a responsabilidade sobre questões técnicas fique na mão dos desenvolvedores, que oferece uma equipe para suporte e solução de problemas. Em suma, ao contratar esse tipo de solução, você permite que a tecnologia fique na mão de pessoas que pensam sempre em melhorias.

Ainda assim, alguns processos podem ser realizados com maior autonomia. Se existe a necessidade de cadastrar um produto ou mudar um layout, por exemplo, isso é feito de forma simples e direta — sem a necessidade de passar por um desenvolvedor.

Também vale destacar que a qualidade oferecida pela plataforma SaaS não é apenas em curto prazo, mas a médio e longo prazo também. Ao escolher uma plataforma, é importante entender se ela atenderá às suas expectativas não só no momento de início, mas quando crescer e precisar de novas coisas.

Como escolher a melhor plataforma para o seu negócio

Com tantas opções disponíveis no mercado, é natural que se tenha um pouco de dificuldade na hora de tomar a decisão. A seguir, fizemos uma lista com os principais aspectos que precisam ser avaliados ao fazer a escolha. Veja só:

  • custos totais;
  • possibilidade de realizar integrações (com e-mail marketing, ferramentas de gestão, relacionamento com o cliente, entre outras);
  • segurança;
  • capacidade do servidor (essencial para suportar picos de acesso, como em datas comemorativas);
  • suporte;
  • responsividade e site mobile frendly;
  • escalabilidade.

Conhecer os tipos de plataforma para loja virtual e essencial para ter maior embasamento na hora de escolher a melhor opção para o seu negócio. Devido ao fato de várias rotinas do e-commerce se basearem nesse recurso, é preciso tomar cuidado para optar por uma ferramenta que ajude sua loja a alcançar bons resultados e a crescer ao longo do tempo.

O que achou deste artigo? Ainda tem dúvidas sobre como escolher o melhor modelo? Então, baixe o nosso e-book e aprenda a escolher a melhor plataforma de e-commerce. Não deixe de conferir!

Ficou com alguma dúvida? Faça parte do nosso grupo no Facebook com especialistas em e-commerce e outros lojistas e envie sua pergunta.

Está pensando em criar uma loja virtual? Faça o teste e descubra se você está pronto!

4 tipos de plataforma para loja virtual e o papel estratégico delas
Avalie esse artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *