Veja quais são os 5 principais tipos de marketplace existentes!

Há diversos tipos de marketplace, e anunciar nesse tipo de plataforma atrai cada vez mais lojistas de diversos segmentos. Isso porque divulgar […]

Há diversos tipos de marketplace, e anunciar nesse tipo de plataforma atrai cada vez mais lojistas de diversos segmentos. Isso porque divulgar produtos e serviços lá é uma forma de ter mais visibilidade e aumentar as vendas sem ter que investir em uma loja virtual.

Atualmente, os marketplaces são responsáveis por uma boa parte das vendas online. De acordo com o relatório Webshoppers, divulgado pela Ebit, apenas em 2017, esse tipo de plataforma foi responsável por 18,5% do total de vendas do comércio eletrônico brasileiro.

Neste post, vamos explicar quais são os principais tipos de marketplace, mas primeiro vamos entender do que se trata esse conceito. Vamos lá?

O que é um marketplace?

Um marketplace funciona como um shopping virtual, que disponibiliza espaço para diversos outros lojistas venderem dentro de seu site. Ele reúne diversas marcas e produtos de empresas diferentes em um mesmo ambiente online.

Alguns marketplaces são responsáveis apenas pela divulgação dos produtos e pela integração do site com gateways de pagamento e não vendem seus próprios produtos. Já outros são e-commerces que abriram espaço para outras empresas divulgarem em sua loja.

No entanto, em ambos os modelos, toda a responsabilidade de logística e de soluções para problemas com os clientes são deveres dos lojistas. Para divulgar em um marketplace, o lojista deve atender a alguns critérios. Além disso, os fornecedores pagam à plataforma uma porcentagem sobre cada produto vendido dentro do player.

Qual a diferença entre um marketplace e um e-commerce?

Um e-commerce é uma loja virtual que oferece seus próprios produtos para o consumidor final. Nesse modelo de negócio, a loja precisa cuidar de todo o processo de compra, desde a atração do cliente até o fechamento da venda, estoque e logística.

Já o marketplace é um shopping virtual que tem como função servir de vitrine para que outros lojistas divulguem seus produtos. Nesse caso, não há necessidade de cuidar de estoque ou do processo de logística, pois essas são tarefas do fornecedor que utiliza a plataforma para vender.

Para ter sua própria loja virtual, é necessário fazer um investimento considerável para a criação de uma plataforma. Já para vender no marketplace, não é necessário investimento inicial, pois você só paga para o player uma porcentagem dos produtos vendidos.

Quais são os principais tipos de marketplace existentes no mercado?

O setor de marketplaces está crescendo cada vez mais. Por isso, é comum marcas famosas aderirem a esse modelo de negócio. Mas, ao contrário do que muitos pensam, esse tipo de plataforma não se restringe apenas a sites que vendem produtos, mas serviços também.

Além disso, há players que são voltados para nichos específicos. A seguir, vamos citar os principais tipos de marketplaces. Veja só!

1. Marketplace de produtos físicos

São os tipos de marketplace mais comuns, voltados para vendas de diversos tipos de produtos, como roupas, calçados, livros, eletrônicos, móveis e uma infinidade de mercadorias. Nesse segmento, há players bastante conhecidas como:

  • Amazon;
  • Americanas;
  • Dafiti;
  • Casas Bahia;
  • MadeiraMadeira;
  • Zattini;
  • Carrefour;
  • Extra;
  • Leroy Merlin;
  • entre outros.

Alguns players, como Mercado Livre e Americanas, vendem uma variedade enorme de produtos, enquanto outros como Dafiti e Leroy Merlin apostam em nichos específicos.

Além disso, o Mercado Livre oferece um serviço diferenciado, que é a entrega Full. Nesse caso, os lojistas enviam seus produtos para o depósito do player e o Mercado Livre fica responsável por fazer todo o processo de logística.

2. Marketplace de serviços

Há também os marketplaces que oferecem serviços. Nesse modelo de negócio, pessoas físicas ou jurídicas se cadastram para oferecer seus serviços e em troca, pagam uma comissão para a marca. Podemos citar exemplos como Uber, Cabify e Indriver, que são aplicativos que conectam motoristas a passageiros.

Os motoristas fazem seu cadastro na plataforma para oferecer seus serviços e pagam uma porcentagem das transações para os marketplaces. Outros bons exemplos de negócios desse modelo são os serviços de delivery, como iFood, Rappi e Uber Eats.

3. Marketplace de aluguel

Até há alguns anos, quem queria viajar só tinha a opção de alugar quartos em hotéis ou hostels, mas os marketplaces de aluguel mudaram essa realidade. Estamos falando do famoso Airbnb, que é o maior locador de quartos do mundo, mas não é dono de um único hotel sequer.

A empresa se especializou em oferecer quartos nas casas de pessoas comuns. O player ganha dinheiro cobrando uma porcentagem sobre as diárias dos clientes de seus parceiros.

A negociação de datas e valores é feita no site, diretamente com o proprietário do imóvel que está oferecendo o quarto. Antes mesmo de fazer a reserva, o usuário já consegue saber quanto será cobrado dos dias que ficará hospedado.

4. Marketplace de agendamento

Esse é daqueles tipos de marketplace que atendem a um público específico. Plataformas de agendamento são voltadas para profissionais liberais, como médicos, dentistas e psicólogos, que buscam uma ferramenta simples e prática para que seus pacientes agendem uma consulta.

O Doctoralia é um excelente exemplo de marketplace desse segmento. A plataforma auxilia na divulgação de serviços de médicos, dentistas e outros profissionais de saúde e ainda permite o agendamento de horário.

5. Marketplace de anúncio

Há plataformas que são especialistas apenas em fazer a divulgação do produto. Nesses casos, o usuário faz o cadastro e coloca fotos, descrição, valores e telefone no site para que os interessados entrem em contato. O player não vende os produtos nem disponibiliza meios de pagamento — ele serve apenas como vitrine.

Alguns exemplos bem conhecidos são o Google Shopping, a OLX e o Buscapé, que ganham dinheiro cobrando dos clientes um valor para que seu anúncio fique em destaque e tenha mais chances de conversão.

Esses são os tipos de marketplace existentes no mercado. Se você busca vender seus produtos na internet, o ideal é fazer parceria com empresas sérias e que tenham credibilidade. Isso porque vender dentro de um e-commerce conhecido contribui com o crescimento do negócio, já que os clientes terão mais confiança na hora da compra.

Gostou do post sobre os principais tipos de marketplaces? Que tal agora descobrir bons motivos para abrir seu negócio e começar a vender seus produtos online?

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário