Quer revender suplementos online? Confira 7 dicas para começar

Se tem algo com que boa parte dos brasileiros sempre se preocupou, foi com a saúde. E isso pode ser confirmado com o fato de sermos o segundo país com maior número de academias e até com o sucesso do nosso mercado de suplementos nutricionais.

Só para se ter uma ideia: a venda de produtos como vitaminas, bebidas isotônicas e barras de proteína já movimenta quase R$ 2 bilhões no Brasil, o que faz a ideia de revender suplementos online ser ainda mais atraente.

Mas o que é preciso saber antes de apostar as fichas nesse tipo de comércio eletrônico? É o que vamos mostrar aqui no post. Confira!

1. Planeje bem o seu modelo de negócio

De acordo com o suíço Alex Osterwalder, autor de “Business Model Generation”, um dos livros indispensáveis para os empreendedores, um modelo de negócios é um documento que descreve a lógica de criação, entrega e captura de valor por parte da empresa.

Para Osterwalder, existem 9 itens indispensáveis para um modelo de negócio, incluindo a escolha de um segmento de clientes, que podemos definir como optar entre um comércio B2C e B2B.

O formato B2C, ou Business to Consumer, seria aquele em que a sua empresa vende direto para o consumidor. Já o B2B, ou Business to Business, é o que acontece quando o e-commerce vende para outras empresas.

Esse último modelo é onde entrariam, por exemplo, as vendas por atacado — bastante procuradas no setor de suplementos alimentares.

2. Defina qual será a sua plataforma

Definido o modelo de negócio e qual sua atuação, fica bem mais fácil escolher qual será a plataforma utilizada para as vendas online. E aqui temos duas grandes opções: loja virtual e marketplace.

As principais diferenças entre loja virtual e marketplace são basicamente as seguintes:

  • loja virtual: você pode criar seu próprio layout, existem mais chances de ganhar resultados orgânicos no Google, toda a operação técnica da loja fica por conta do empreendedor.
  • marketplace: como os marketplaces já têm um bom fluxo de visitantes, o importante é chamar a atenção deles para os seus produtos, e para isso pode ser preciso separar uma verba para destacar alguns itens — outra diferença do marketplace para a loja virtual é que aqui a parte técnica da operação não fica com a sua empresa.

3. Procure apenas por produtos autorizados pela ANVISA

Outra dica bastante importante (e direcionada para esse tipo de negócio) é investir apenas em suplementos que são autorizados pela ANVISA e pelo Ministério da Saúde.

O que acontece é o seguinte: como no Brasil não há uma legislação unificada para os suplementos, dependendo de sua característica e indicações de uso ele pode ser enquadrado como alimento ou medicamento. Por isso também é importante ter cuidado com a venda de produtos que podem ser comercializados em outros países, mas que não têm a mesma liberdade por aqui.

4. Estreite suas parcerias

Ter um bom número de parcerias pode ser extremamente importante para fazer a sua empresa crescer.

No caso de quem planeja revender suplementos online, as principais podem ser com academias — que tem a chance não apenas de comprar seus produtos como também indicar clientes —, empresas de entrega, distribuidores e outros revendedores de suplementos de dentro e fora do Brasil.

Nesse último caso, os revendedores podem tanto trazer produtos para a sua loja quanto serem compradores daquilo que você vende.

5. Escolha a melhor rede social para atuar

Quem deseja trabalhar com algum tipo de e-commerce precisa saber como atuar nas redes sociais. E não é à toa: de acordo com a pesquisa Digital Future in Focus, feita pela ComScore, nós, brasileiros, passamos cerca de 36% do nosso tempo online de olho nas redes sociais. E dentre as mais acessadas temos:

  1. WhatsApp;
  2. Facebook;
  3. Instagram;
  4. Messenger;
  5. Twitter.

Gostando do conteúdo?

Nosso robô inteligente pode recomendar conteúdos especificos para você.
Clique aqui e aprenda como dar o próximo passo no e-commerce!

No entanto, é bom ter em mente que cada uma delas tem uma utilidade diferente da outra — além de públicos também distintos.

WhatsApp e Messenger, por exemplo, são mais usados para troca de mensagens e por isso podem ser utilizados pelas lojas virtuais como uma espécie de SAC 2.0. Já o Twitter, por ser mais rápido, é mais indicado para eventos ao vivo.

Já Instagram, por lidar com imagens, tem a ver com estilo de vida e fitness, o que pode ser bastante útil para o segmento de suplementos alimentares.

Por fim, o Facebook continua sendo a maior rede social no mundo e é aquela que atrai os públicos mais distintos, então por isso ainda é relevante marcar presença por ali.

6. Amplie seu leque de ofertas

Outra dica interessante é apostar em um leque bastante amplo de produtos relevantes dentro do e-commerce.

Tenha em mente que os compradores de suplemento alimentar têm boas chances de frequentar alguma academia, praticar algum esporte ou estar adotando algum tipo de dieta, e por isso precisam de alguns itens específicos em seu dia a dia.

Por exemplo: é possível ofertar roupas para prática de esportes na loja, assim como equipamentos e aparelhos para malhação. Assim, o cliente encontra mais coisas que precisa e acaba ficando mais tempo em sua loja.

7. Realize testes

Por fim, mas não menos importante, temos como dica a realização de testes em sua loja.

Realize testes de conversão em busca da melhor versão de textos e imagens para as suas páginas. Faça tentes também com os produtos oferecidos, experimentando até mesmo nichos pouco explorados do mercado. Invista em estratégias de e-mail marketing e teste diferentes versões para cada público.

Veja qual tipo de anúncio funciona melhor com qual rede social e não tenha medo de testar públicos diferentes e artes diferentes em cada uma delas. Tenha em mente que todos esses testes podem trazer resultados que apontem para soluções práticas e ainda não trabalhadas pelos seus concorrentes.

Uma dica, porém, é realizar um teste de cada vez — assim, você consegue acompanhar o maior ou menor fluxo em seu site e identifica exatamente o que funciona e deve ser implementado e o que não está indo tão bem.

Pronto. Agora você já sabe as principais dicas para começar a revender suplementos online e faturar com esse mercado tão lucrativo. Portanto, que tal começar a colocar tudo isso em prática no seu negócio?

Gostou do nosso artigo? Então aproveite para compartilhar em suas redes sociais!

Curtiu? Compartilhe!

Faça um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked

x

Olá, posso recomendar conteúdos selecionados para você que te ajudaram a progredir mais rápido no e-commerce!

3
Recomendador