Fim do E-Sedex: Entenda o que muda para as lojas virtuais
Empreendedorismo online: saiba como se preparar

Produtos para revenda – Onde comprar produtos para revender

Publicado em: • Última Atualização:

Ao invés de ler, que tal ouvir o artigo?

Já imaginou ser seu próprio chefe e trabalhar sem sair de casa definindo seus horários? Parece bom demais para ser verdade, não é? Pois saiba que essa pode ser a sua vida! Graças à internet isso é possível e, em busca desse sonho, muitas pessoas apostam em produtos para revenda no e-commerce.

Quem trabalha com revenda de produtos pode escolher entre dois modelos bem diferentes de negócio. O modelo mais tradicional é aquele no qual você encontra um fornecedor de produtos no Brasil (normalmente uma fábrica ou distribuidora), compra os produtos e revende. O outro modelo, que ficou mais popular nos últimos anos, consiste na compra de produtos do exterior (normalmente da China) e revenda no Brasil.

Neste artigo, você vai encontrar informações essenciais para começar a comprar produtos para revenda, montar sua loja virtual e também conhecer as principais diferenças entre os dois modelos mencionados. Continue conosco!

Produtos para revenda comprados no Brasil

Nesse modelo, você deve encontrar um fornecedor local, normalmente alguma fábrica ou distribuidora de produtos. Essa é a maneira mais tradicional de comprar produtos para revenda, e traz muitas possibilidades.

O grande limitador desse modelo, no entanto, é o tamanho do seu negócio, já que para comprar da fábrica você precisará de um CNPJ. Além disso, pode ser necessário fazer um investimento alto para atingir o valor mínimo do pedido requerido pelo fabricante do produto.

Caso você esteja começando e ainda precise adquirir um CNPJ, poderá fazer seu cadastro para tornar-se um MEI gastando bem pouco. Uma dica: se os seus recursos financeiros são limitados, foque nas distribuidoras para fazer parcerias.

Caso queira manter seu negócio totalmente online, existem ainda as fábricas e distribuidoras que vendem os produtos em atacado pela internet. Algumas delas são:

 

Como mencionamos, ainda existe a opção de importar produtos para revenda. Nesse caso, deve-se avaliar o nicho que será trabalhado para definir fornecedores de confiança. Confira as particularidades desse segundo modelo de negócio.

Produtos importados para revenda

Comprar produtos de sites chineses para revender no Brasil ainda é uma boa opção: com preços extremamente atrativos e muitas vezes com frete grátis, não é difícil ter uma boa margem de lucro.

O grande desafio para quem segue esse caminho está na escala, já que, conforme o negócio cresce e você precisa importar mais produtos de uma vez, a burocracia aumenta significativamente. Quem aposta na importação costuma seguir dois caminhos: especializar-se na venda de um produto específico ou em um nicho de mercado.

Apostando em um produto específico

Nessa estratégia, você vai procurar somente um produto para revender. Uma vez que ele tenha sido definido, pode começar a vendê-lo do jeito tradicional. Ou, pode usar seus conhecimentos em marketing para criar um site, blog e até mesmo páginas em redes sociais para promover os benefícios do uso do item comercializado.

Caso essa estratégia seja adotada, você pode vender o produto por um preço mais alto que o de seus concorrentes, já que você está criando uma marca que acrescenta valor na venda final.

Apostando em um nicho

A ideia aqui é simples, você escolhe um nicho de mercado para atuar, compra os produtos na China, por exemplo, e revende no Brasil.

Apostando em um nicho, você tem mais produtos — o que aumenta o volume de vendas. Além disso, negociando mais itens, você tem mais chances de encontrar algum produto que venda muito bem ou que tenha uma margem de lucro maior que o normal. Dessa forma, é possível ampliar seus lucros, dando prioridade para a venda dessa mercadoria.

Para quem não tem experiência com marketing digital, essa provavelmente é a melhor aposta.

Se você optar por esse tipo de revenda, pode acessar os seguintes sites para adquirir produtos variados da China:

Caso decida comprar no Alibaba ou AliExpress, preste bastante atenção nas avaliações do vendedor. O ideal é que você nunca compre um produto sem antes fazer contato com o fornecedor para checar a disponibilidade do item e as opções de envio para o Brasil. Afinal, nesses sites você compra diretamente de outras pessoas da China e não de empresas.

A grande desvantagem de utilizar essa estratégia é que, se você não fizer uma pesquisa de mercado cuidadosa, corre o risco de escolher um produto pelo qual as pessoas não se interessam no Brasil.

Escolha dos produtos

A escolha dos produtos certos para vender é fundamental para o processo de criação da sua loja virtual. Então, para ter sucesso nessa tarefa, você precisa ter atenção com alguns elementos. Veja abaixo.

Evite produtos de difícil transporte

Mercadorias muito grandes ou frágeis podem ser especialmente difíceis de transportar e entregar, pois exigem um manuseio especial. Enfrentar esse desafio é desnecessário para quem está começando no mundo do e-commerce.

Pense com uma lógica de volume x preço

Produtos que vendem pouco e têm preço baixo (menor margem de lucro) são uma aposta ruim, e com pouco volume de vendas você não conseguirá manter o negócio funcionando.

Já produtos que vendem pouco mas têm um custo mais alto podem ser uma boa opção, pois apresentam uma margem de lucro interessante, o que já torna a sua loja viável.

Por fim, há produtos que vendem bem e têm uma margem de lucro alta (entre R$ 100 e R$ 300). Esses podem alavancar o seu negócio.

Estude a concorrência

Pesquise sobre os produtos que seus concorrentes vendem para, a partir daí, escolher quais são os melhores para revenda na sua loja online.

Para saber um pouco mais sobre o mercado em que você está entrando, leia nosso artigo sobre os produtos mais vendidos da internet e confira a página de tendências do Mercado Livre. Com essas dicas, você já pode ter uma boa ideia de quais produtos estão sendo mais vendidos nesse momento.

Torne-se um expert

Por fim, não importa o produto que você decidir vender, torne-se um expert na área para ter uma vantagem em relação aos grandes varejistas.

Além da escolha do mix de produtos do e-commerce e de qual modelo de negócio você adotará, é essencial atentar a quais fornecedores são mais confiáveis e oferecem melhores condições para uma parceria com a empresa.

Fornecedores ideais para o seu negócio

Destacamos a seguir algumas dicas que vão ajudar na escolha de um fornecedor mais adequado para o seu e-commerce. Com esses critérios, fica mais fácil definir um parceiro de confiança e que agregue ao negócio, tornando-o mais competitivo. Confira!

Preze pela transparência

A transparência é muito importante para que sua loja virtual tenha fornecedores confiáveis e com os quais você pode contar. Por isso, é essencial garantir a definição de um contrato e a emissão de nota fiscal. Também é preciso manter as informações cadastrais sempre atualizadas.

Isso garante que as compras serão entregues em dia e, assim, você saberá que pode contar com a empresa para realizar pedidos recorrentes.

Um grande problema em lojas virtuais com fornecedores sem procedência refere-se à dificuldade de repor o estoque quanto determinado produto acaba. Esse seria um problema de adquirir mercadorias da China pela internet.

Também podem acontecer situações prejudiciais, como atrasos na entrega, incompatibilidade de informações, entre outras. Portanto, verifique tudo antes de fazer uma solicitação.

Tenha processos alinhados com a empresa

Um fornecedor regular deve ter processos claros e solidificados, para que os compradores passem sempre pelas mesmas etapas e, assim, comprem de forma recorrente os produtos para revenda. Esses processos devem ser alinhados com o e-commerce para garantir que a parceria funcione.

É possível que cada fornecedor tenha processos de compra específicos. Por isso, é importante que você os conheça para fazer seus pedidos com facilidade e rapidez.

Quando não há processos preestabelecidos podem ocorrer problemas como: prazos de pagamento alterados sem o devido aviso, etapas modificadas frequentemente, entre outros obstáculos desnecessários que prejudicam a compra.

Verifique a qualidade dos produtos

Um dos principais critérios para escolha dos fornecedores do e-commerce refere-se à qualidade dos produtos comercializados. Afinal, uma loja virtual só conquistará a confiança dos clientes se as mercadorias forem de qualidade.

Para isso, você deve analisar se o produto cumpre as expectativas geradas, se o material utilizado é de qualidade, qual a procedência da matéria-prima, se os componentes são seguros e também se a embalagem especifica corretamente o que o consumidor vai encontrar.

Após essa criteriosa avaliação, você terá a garantia de que está oferecendo produtos de qualidade para seus clientes. E isso contribui para a construção de um bom relacionamento com o consumidor.

Pesquise outros clientes do fornecedor

É fundamental saber se a empresa que vai fornecer seus produtos para revenda é de confiança e se tem atuado com responsabilidade junto aos demais clientes e consumidor final.

Para isso, verifique se o fornecedor tem CNPJ e se está em dia com as responsabilidades legais. Analise também se ele conta com os alvarás de funcionamento necessários para a venda do produto.

Alguns nichos são mais criteriosos que outros, como para venda de cosméticos ou alimentos online. Busque outros clientes da marca e converse com eles sobre os produtos e serviços prestados. Assim, você não terá surpresas desagradáveis depois de firmada a parceria.

Caso a compra seja feita em sites estrangeiros, verifique a avaliação do vendedor e veja se é possível entrar em contato com outros clientes. Essa etapa aumenta a segurança da compra e sucesso do seu negócio.

Confira as garantias

Avaliar quais as garantias oferecidas pelo fornecedor é um bom termômetro sobre a confiabilidade do negócio. Considere tanto questões financeiras — como prazo e formas de pagamento — quanto detalhes relacionados aos produtos.

Por exemplo, vender eletrônicos na internet sem nenhum tipo de garantia do fabricante certamente fará com que os clientes não confiem no negócio. Sendo assim, verifique qual a cobertura oferecida pela empresa.

A compra em sites da China pode significar mais barreiras nesse sentido, portanto, escolha produtos com menos chances de apresentar esse tipo de problema.

Compare os preços

Infelizmente, nem sempre a comparação de preços é realizada corretamente. Por exemplo, uma empresa pode oferecer uma determinada mercadoria por um valor mais barato que o da concorrência, mas exigir um pagamento à vista ou não dar garantia.

É importante avaliar, de acordo com o perfil do público do e-commerce, qual a faixa de preço que será trabalhada. Uma loja virtual que vende camisetas, por exemplo, pode ter produtos desde R$ 10 até R$ 500 ou mais. A questão é qual desses dois extremos — ou qual valor intermediário — vai atender o seu público.

Assim, em alguns casos, optar pelo produto mais barato pode ser uma estratégia errada, pois ela precisa estar de acordo com outras questões do negócio, como público-alvo, mix de produtos, formas de pagamento etc.

Avalie a qualidade do serviço

Para escolher o fornecedor ideal para o e-commerce, é essencial que, além da análise dos produtos, seja feita uma avaliação da qualidade do serviço prestado, o que inclui:

  • atendimento ao revendedor;
  • formas de pagamento disponíveis;
  • cumprimento dos prazos para entrega de mercadoria;
  • relacionamento com a marca;
  • integridade dos produtos entregues;
  • capacidade de resolução de problemas — como para casos de entregas erradas;
  • canais de atendimento disponibilizados e sua eficiência.

Assim, além de se certificar de que os produtos sejam de qualidade, o lojista também garante que não passará por apuros quando precisar fazer qualquer tipo de pedido, ajuste ou reclamação junto ao fornecedor.

Atente à escalabilidade

Escalabilidade é a capacidade de continuar oferecendo um produto ou serviço quando há aumento de demanda sem perda de qualidade. Esse é um critério pouco considerado por e-commerces iniciantes e é o potencial de escalabilidade do fornecedor.

Por exemplo, um negócio pequeno pode fazer uma compra de 100 itens por mês, mas, conforme o crescimento, ele pode chegar a demandar 1.000 produtos mensais. Caso o fornecedor não consiga entregar esse volume, o e-commerce pode se prejudicar com a falta de estoque de um item carro-chefe.

No caso de produtos comprados da China, esse critério é complicado de ser considerado, pois o aumento dos pedidos gera mais burocracia para importação. Assim, avalie se a margem de lucro é suficiente para manter o negócio com um volume menor de vendas.

Além dos critérios para escolha dos fornecedores, lembre-se de analisar estrategicamente qual modelo de negócio pretende adotar. Ou seja, se vai comprar produtos para revenda no Brasil ou importar, e ainda qual nicho de atuação é mais lucrativo para você.

Gostou dessas dicas e quer começar sua loja virtual com sucesso? Então veja como fazer um planejamento estratégico para e-commerce!

Está pensando em criar uma loja virtual? Faça o teste e descubra se você está pronto!

Produtos para revenda – Onde comprar produtos para revender
5 (100%) 5 votos

22 Comentários em: Produtos para revenda – Onde comprar produtos para revender


  1. Gostaria de saber de como enviar o produto pelos correios para clientes de outras cidades ja que esses produtos sao importados…ou seja nao sei se vem cm notas…

  2. Andre, tudo bem? Estou pensando seriamente num é commerce para rodas fitness ou arranjos de flores artificiais no conceito de ikebana. Estou fora do mercado há 2 anos e preciso trabalhar. Gostaria de sua sugestão é orientação de como posso atuar no mercado digital sendo referência de melhor no que eu me decidir fazer.

  3. Bom dia, estou pesquisando para abrir uma loja virtual,com serviços e produtos de áudio profissional, minha duvida é o que preciso para comprar de uma distribuidora especifica (que documentação é preciso para ter acesso aos produtos?


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *