Produto frágil: 7 dicas para enviar sua encomenda com segurança

Produto frágil é todo aquele que possui em sua composição algum material delicado, como vidros ou porcelanas, por exemplo. Indo um pouco além, também entram nesta categoria produtos de origem vegetal ou animal como frutas, legumes e verduras que necessitam de cuidados especiais em seus transportes.

O envio de produto frágil é um desafio que muitos empreendedores do  e-commerce enfrentam.

Isso porque a quantidade de vendas desses produtos no varejo digital é muito grande e qualquer dano pode gerar prejuízos para a empresa e os demais envolvidos.

Logo, é preciso ter bastante cuidado para que o produto chegue intacto ao consumidor final.

Um dos fatores mais determinantes para alcançar esse objetivo é o momento de escolher o material para embalar o produto e a forma como a embalagem é feita.

A sinalização de “frágil”, já tão conhecida, é necessária, mas não deve ser o único cuidado com os produtos vulneráveis.

A boa notícia é que existem boas práticas que conferem maior segurança no envio desses produtos.

Neste artigo, vamos apresentar 7 dicas de como embalar e garantir mais segurança no envio de produtos frágeis.

Se é sobre isso que você quer saber, basta continuar a leitura. Vamos lá!

O que é um produto frágil?

Os produtos frágeis são aqueles que tendem a contar com menos resistência e que podem sofrer avarias em diversos momentos, como na hora de transportar uma encomenda até o consumidor.

Como podem se quebrar com facilidade, é preciso saber como manuseá-los para garantir uma embalagem que faça com que os produtos sejam recebidos intactos.

Alguns dos produtos que se enquadram como frágeis são:

  • objetos de vidro;
  • cerâmica e louças;
  • objetos de porcelana;
  • objetos de decoração, em sua maioria;
  • esculturas de arte e quadros;
  • produtos de beleza e maquiagens;
  • garrafas e bebidas, como vinhos e espumantes.

Esses são alguns dos produtos de menor porte considerados frágeis.

Como são muito comuns de serem comprados online, como nos clubes de vinhos e marketplaces por exemplo, é preciso manter um cuidado especial com essas peças.

Ainda assim, existem muitos outros tipos de produtos de pequeno porte que são considerados frágeis.

Como seria impossível incluir todos neste artigo, o ideal é tomar esses principais objetos citados acima como base e utilizá-los como referência para produtos similares.

Existem também outros produtos de maior porte ou menos suscetíveis à quebra, problema que pode ocorrer com uma louça ou peça de vidro.

No entanto, esses produtos não são tão frágeis a ponto de “quebrarem e se despedaçarem”, mas podem sofrer avarias que comprometam o seu funcionamento, como:

  • televisões;
  • computadores;
  • smartphones;
  • micro-ondas;
  • demais eletroeletrônicos.

Quais são as regras das transportadoras?

Como esses produtos são suscetíveis a danos ou perdas, é fundamental entender bem quais são as regras impostas pelas transportadoras e pelos Correios para o seu envio.

Cada transportadora pode seguir seus próprios padrões de acondicionamento para garantir maior segurança aos produtos.

Contudo, existem algumas similaridades que podem ser vistas como uma padronização.

Do contrário, seria muito difícil para o consumidor escolher e se adequar a diferentes formatos e padrões de acondicionamento.

Os Correios, por exemplo, informam que a obrigação e os cuidados com o acondicionamento são de responsabilidade do consumidor, que deve garantir que o objeto seja acondicionado em embalagem que seja resistente ao peso, à forma e à natureza do objeto enviado.

Com isso, a empresa faz recomendações de acordo com a fragilidade da encomenda enviada.

Por exemplo, os objetos de vidro devem ser embalados com plástico-bolha, jornal ou papelão corrugado.

Após essa primeira embalagem, será preciso colocar o objeto dentro de uma caixa de papelão ou outro material resistente.

Ainda é recomendado que os espaços vazios dentro da caixa sejam preenchidos com isopor, papel ou similares.

As transportadoras também seguem a mesma linha de raciocínio e colocam o ônus do cuidado com o acondicionamento dos produtos enviados nas mãos dos consumidores.

Logo, o que se pode concluir é que é preciso saber como conferir maior garantia contra danos aos produtos enviados.

Para isso, existem algumas boas técnicas que podem ser seguidas. Veja abaixo.

Forma ideal de embalar os produtos

Como existem muitos produtos de diferentes materiais e níveis de fragilidade, é importante providenciar um processo de embalagem que consiste em etapas.

Essas etapas precisam proteger o produto diretamente e servem como uma segunda e terceira camada de proteção, confira como funciona logo abaixo:

Proteção primária

A proteção primária é a camada inicial de proteção do objeto enviado.

Essa etapa é feita de maneira individual e é realizada de acordo com o tipo de material do produto.

Nesse momento, plástico-bolha, folhas de jornal e caixa de leite longa vida são bastante recomendados.

Proteção secundária

Essa é uma embalagem para o agrupamento de produtos, onde o contato com os itens tende a ser menor, como a caixa de papelão, de madeira e similares.

O objetivo é envolver o material com proteção primária e garantir maior zelo aos materiais frágeis.

Proteção terciária

A proteção terciária diz respeito a uma camada de proteção, como a caixas de transporte e containers.

Essa embalagem garante que a maior quantidade possível de produtos sejam agrupados, com segurança e zelo.

Além de oferecer um bom agrupamento, essa proteção deve ser pensada de acordo com o peso e o tamanho da estrutura, já que o manuseio deverá ser feito em diferentes momentos do processo de transporte das mercadorias.

7 dicas para o produto frágil chegar intacto ao consumidor

Como é possível imaginar, a frustração de um produto recebido com danos ou avarias no envio é muito grande para os consumidores.

No entanto, os lojistas e e-commerces também sofrem muito quando algo assim acontece.

Isso porque, por mais que a responsabilidade de garantir maior segurança e integridade dos objetos enviados seja dos consumidores, estes certamente vão fazer avaliações negativas e prestar um feedback nada vantajoso a respeito do serviço dos lojistas.

Por isso, é possível levar em consideração algumas boas práticas para que os riscos de isso acontecer sejam muito menores. Veja a seguir!

1. Escolha a embalagem ideal

Existem muitos tipos de embalagens recomendadas para os mais diferentes tipos de produtos.

Logo, é importante fazer uma boa análise de cada embalagem e como ela confere maior segurança aos produtos enviados.

Caixa de papelão

As caixas de papelão já são bem conhecidas dos e-commerces e compradores digitais e são as opções mais populares no mundo das compras online.

Isso porque são de fácil acesso e garantem certa segurança aos produtos.

Ainda assim, quando falamos de objetos mais frágeis, como porcelanas e vidros, esse invólucro não deve ser o único material para proteger o envio.

É recomendado que o objeto seja, antes, embrulhado em um plástico-bolha, folha de jornal ou algum papel resistente.

Após acomodado dentro da caixa de papelão, é importante preencher os espaços vazios com algum material de proteção.

Produto frágil: como embalar produtos com segurança

Caixa de madeira

As caixas de madeira também já são bem conhecidas, mas o seu uso é mais comum para materiais de vidro, espelhos e similares.

Outra importante característica dessa embalagem é que, dependendo do objeto, elas costumam ser produzidas sob medida para que o material no interior não fique se mexendo dentro da caixa e sofra algum dano.

É claro, isso nos casos de o consumidor não encontrar uma caixa ideal.

Produto frágil: como embalar produtos com segurança

Cilindros

Os cilindros, ou tubo-correios, são muito eficientes para o transporte de objetos pontiagudos, de formato cilíndrico, compridos e que sejam frágeis.

Ainda que fiquem bem acondicionados, os espaços vazios dentro do cilindro também devem ser preenchidos com algum material para garantir que a encomenda fique fixa e bem protegida.

Produto frágil: como embalar produtos com segurança

Plástico-bolha

Os plásticos bolha são muito recomendados e utilizados para o envio de produtos menores, mas igualmente frágeis.

Além de serem de fácil acesso e com preços acessíveis, esse material comporta muitos tipos de objetos e podem ser acomodados em diferentes tamanhos.

Para os objetos menores, é possível envolvê-los no plástico-bolha para que sejam enviados dentro de um envelope, caixa de papelão e muito mais.

Produto frágil: como embalar produtos com segurança

2. Embale cada item individualmente

Ainda que mais de um produto seja acomodado dentro de uma mesma caixa grande de papelão, por exemplo, o ideal é que cada item seja embalado de forma individual, como uma primeira embalagem para cada item.

Dessa maneira, cada objeto é envolvido com um plástico-bolha, espuma de EPP e similares.

Posteriormente, os itens embalados individualmente podem compartilhar um outro material, como as caixas de papelão ou de madeira.

É fundamental entender que as transportadoras, no geral, não se responsabilizam pelas condições climáticas e de umidade dentro do transporte.

Portanto, produtos dessas categorias devem contar com mais restrições e cuidados adicionais.

Sinalize as caixas com itens frágeis

Em todas as modalidades de transportes, a sinalização de itens frágeis é indispensável.

Existem muitas maneiras de realizar essa sinalização, por mais que sejam de responsabilidade do consumidor que está enviando o produto.

Etiquetas e fitas adesivas, que são facilmente encontradas, cumprem muito bem essa função.

A boa prática é colocar essa sinalização em locais bem visíveis para que os transportadores possam identificá-las com facilidade.

Nos casos de materiais em branco, é importante escrever com letras grandes e com uma tinta que suporte grandes locomoções.

4. Máximo de cuidado ao empilhar as caixas com esses itens

O empilhamento das caixas também deve ser pensado de maneira planejada, já que embalagens pesadas podem danificar os produtos que estão abaixo delas.

Portanto, uma recomendação é adotar o empilhamento colunar.

Isso porque alguns materiais, como a caixa de papelão, costumam contar com uma resistência maior nas arestas e nos cantos.

Nesse tipo de empilhamento, é feita uma acomodação de maneira que as arestas e cantos fiquem corretamente alinhados e colocados um em cima do outro com o máximo de precisão.

Dessa maneira, as colunas, ou arestas, ficam devidamente sobrepostas.

É fundamental lembrar que, para o empilhamento colunar funcionar, é preciso que as caixas tenham o mesmo tamanho e largura.

5. Fique de olho na forma como a transportadora trata essas mercadorias

A forma como as transportadoras realizam o empilhamento e tratam as mercadorias também deve ser analisada com muita atenção.

É importante conferir se elas seguem um padrão de empilhamento colunar ou alguma estratégia de logística para essa etapa.

Afinal, quando materiais são colocados de qualquer jeito, como uma caixa de papelão sobre outras duas, as chances de danos se tornam muito maiores.

Logo, certifique-se de que existe uma logística para o empilhamento e o tratamento de materiais frágeis.

Confira também: Passo a passo para seu contrato com os Correios!

6. Prenda as caixas para não ocorrer acidentes

Quando devidamente acomodadas dentro do transporte, como um caminhão, as caixas não devem ficar soltas, muito pelo contrário.

O ideal é que estejam bem protegidas e fixadas.

Dessa maneira, é evitado o choque entre as mercadorias ou que quedas aconteçam.

Portanto, é preciso aprender bem e garantir que imprevistos possam acontecer.

7. Pense na praticidade do cliente ao desembalar

Ainda que o cuidado no transporte da mercadoria deva ser prioridade para os e-commerces, também é preciso pensar no momento de desembalar o recebido.

Com isso, a logística deve ser pensada para facilitar a vida do consumidor ao receber o produto, e também na segurança e integridade do material.

Pois, nada mais desagradável que receber um produto e não conseguir tirar sua embalagem.

Ainda mais que existe aquela ansiedade de ver aquele produto, muitas vezes, adquirido há alguns dias, por exemplo.

Por isso, pense na experiência do cliente sempre!

Dessa forma, os produtos frágeis necessitam de uma logística de distribuição mais precisa e planejada.

Afinal, para todos os envolvidos: consumidores, transportadores e lojistas, a integridade do produto é indispensável.

Lembre-se: se o cliente receber um produto danificado, a perda financeira é fator decisivo para novas compras.

Já para as transportadoras, o índice de dano nos produtos enviados pode prejudicar a imagem da marca.

Logo, é preciso conhecer as boas práticas para o transporte de produto frágil.

De maneira que todos os itens que necessitem de cuidados especiais possam continuar sendo comercializados online sem danos.

Com as 7 dicas apresentadas neste artigo, fica muito mais fácil realizar um planejamento para as etapas primárias, secundárias e terciárias de embalagem e garantir o envio seguro das suas mercadorias.

Dessa maneira, será possível garantir o envio seguro dos produtos e contar com um índice maior de satisfação dos consumidores da marca.

Como é o envio dos produtos da sua loja? Nos contes nos comentários.

Se essas dicas foram relevantes, encaminhe este artigo para um amigo que precise saber dessas informações!

Aproveite e leia também: Declaração de conteúdo dos correios: o que é e como preenchê-la?

Não há comentários ainda. Seja o primeiro a escrever um.

Deixe seu comentário