Principais marketplaces do Brasil: onde vender para ganhar mais dinheiro

Os marketplaces são a principal porta de entrada para novos lojistas iniciarem suas vendas.  Logo, é importante para vendedores, saberem quais são […]

Os marketplaces são a principal porta de entrada para novos lojistas iniciarem suas vendas. 

Logo, é importante para vendedores, saberem quais são os principais marketplaces do Brasil e detalhes para vender nesses grandes players. 

O que é marketplace? 

Para começar, o que é um marketplace? 

O marketplace é uma grande loja virtual, com nome conhecido no mercado online — e muitas vezes, offline também. Esses grandes “players”, emprestam sua audiência para lojistas de pequeno, médio e grande porte, venderem. 

Assim, é possível que lojas se cadastrem e passem a vender através desses marketplaces. Dessa forma, os produtos conseguem ter maior exposição do que teriam se ficassem apenas disponíveis em suas lojas nativas. 

Contrapartida, o dono da audiência, o marketplace, cobra uma taxa para intermediar as transações. Geralmente, essa taxa é cobrada por venda realizada — uma porcentagem de comissão para cada produto vendido.

De fato, essa é uma prática onde todos os envolvidos saem ganhando

Por que vender nos principais marketplaces do Brasil? 

Alguns lojistas não aprovam vender em marketplaces, pois acreditam que as taxas sejam muito altas. 

Entretanto, as vantagens de vender nos principais marketplaces do Brasil são muito grandes

Além de um público infinitamente maior para ser atingido, o marketplace possui uma característica que uma loja nova não possui: a confiança do consumidor. 

O brasileiro ainda realiza compras online com muita insegurança, ou até deixa de comprar na internet e vai até uma loja física realizar a compra, simplesmente por medo de comprar algo, pagar e não receber o produto. 

De fato, esse comportamento mudou bastante durante o isolamento social em 2020. Entretanto, os marketplaces foram os que mais cresceram nesse período. 

Assim, por ter um nome conhecido no mercado, o marketplace conta com maior confiança do consumidor. Muitas vezes, quem realiza a compra de um vendedor integrado com o marketplace, nem imagina que aquela venda não foi feita direta pelo player. 

Quanto mais comprar online vira um hábito, mais os consumidores passam a ter conhecimento do processo total da compra. Embora saiba que está comprando de uma outra loja, o cliente sabe que o marketplace estará presente para resolver um eventual problema. 

Ou seja, compras feitas na base da confiança. 

Ademais, não são só pequenos lojistas que usam os marketplaces para impulsionar as vendas. Um bom exemplo disso é loja de artigos esportivos Futfanatics. Mesmo sendo uma loja nacionalmente conhecida, segue vendendo em marketplaces, especialmente na Netshoes. 

Logo, além de proporcionar maior confiança, os marketplaces potencializam, e muito, as vendas. Uma vez que, alguns consumidores usam o próprio marketplace para pesquisar os produtos e ao invés Google, o que seria um comportamento mais comum. 

Por exemplo, ao identificar a necessidade de comprar um produto, ao invés do cliente pesquisar no Google, ele entra diretamente no Mercado Livre e ali realiza sua pesquisa. 

Sem falar que, se as lojas virtuais souberem usar a estratégia de vender no marketplace, é possível trazer o cliente de volta para comprar na própria, sem intermediadores. 

Quanto o lojista paga para vender no marketplace?

Tudo vai depender do marketplace! 

Algumas lojas cobram porcentagem e outras um valor fixo (dependendo do valor do produto vendido). De fato, todas as taxas podem ter variação. 

Em média, para grande parte dos marketplaces do país, essa taxa comissionária fica em torno de 16% e 20%

Certamente, é uma taxa que o lojista sente no bolso. Por outro lado, existem muitas vantagens por trás, como as citadas no tópico anterior. 

Confira os principais marketplaces do Brasil: 

Mercado Livre: 

Sem dúvida, o Mercado Livre vem se consolidando como um dos principais marketplaces do Brasil. O país, por sua vez, representou em 2020 55% da receita total do markeplace. 

Além disso, o Mercado Livre é o maior marketplace da América Latina, 44 milhões de compradores e mais de 1 milhão de produtos vendidos por dia, segundo informações do mesmo. 

Ideal para todos os segmentos e com suas entregas full, o ML tem muito a crescer e os lojistas devem acompanhar esse crescimento. 

O Mercado Livre conta com diferentes tipos de anúncios, clássico e premium. Cada um deles possui suas próprias regras de venda. Além disso, os tipos de produtos também impactam no valor da tarifa a ser descontada.

Contudo, é importante ressaltar que o Mercado Livre oferece frete grátis para compras acima de R$ 99. 

Extra: 

Além de ser conhecido também por suas lojas físicas, o Extra faz parte do grupo Via Varejo Marketplace. 

Segundo o próprio, são mais de 26 milhões de visitantes mensais e segurança total para os lojistas. Sem riscos de fraude, estorno ou taxas de cartões. Sobretudo, após a confirmação do recebimento do produto, o lojista recebe seu dinheiro à vista em até 10 dias.

Com informações da Via Varejo, as taxas também são proporcionais as categorias dos produtos. Ou seja, há variação dependendo do que for comercializado. 

Mesmo assim, o Extra possui grande potencial para aumentar suas vendas. Sendo um marketplace extremamente flexível para vender diversos tipos de produtos. Com forte em eletrodomésticos e eletrônicos. 

Amazon: 

A Amazon é um marketplace que chegou no país a pouco tempo e já conquistou o coração dos brasileiros. Com resolução de problemas de forma efetiva, o marketplace também abre suas portas para novos lojistas. 

Com, em média, 128 milhões de visitas ao mês (dados SimilarWeb), diferente dos marketplaces citados anteriormente, a Amazon cobra uma pequena mensalidade. O plano profissional está no valor de R$ 19,00 por mês + comissão e o plano individual — ideal para lojistas que pretendem iniciar vendendo menos de 10 produtos ao mês, R$ 2,00 por item + comissão.

Já o valor das taxas, variam de acordo com a categoria do produto ofertado. 

De fato, a Amazon é um marketplace onde se encontra e se vende de tudo. Além disso, seu potencial de vendas é surpreendente. Se fizer sentido para seu público-alvo, vale a pena!

Ponto Frio: 

O Ponto Frio também faz parte do grupo Via Varejo. Sendo assim, suas taxas também variam de acordo com a categoria do produto. 

Por também ser forte em suas lojas físicas, o Ponto Frio conta com grande confiança por parte do consumidor e até 36 milhões de visitas ao mês (dados SimilarWeb). 

Assim como outros marketplaces Via Varejo, após a confirmação do recebimento do produto, o lojista recebe seu dinheiro à vista em até 10 dias. 

Especialmente forte para a venda de eletrodomésticos, eletrônicos, itens para a casa e som. 

Dafiti: 

Dafiti é o principal marketplace do Dafiti Group. 

Loja especializada em vendas de roupas, acessórios e sapatos. Sem dúvida, mais forte no para o público feminino, porém, vem se fortalecendo também em produtos para o público masculino. 

Livre de tarifas, a Dafiti cobra comissão a partir de cada venda realizada. 

Desta forma, segundo as próprias informações da Dafiti, cerca de 30% dos brasileiros acessam a Dafiti por mês  — com até 32 milhões de acessos por mês

Portanto, a Dafiti é um dos principais marketplaces do Brasil para quem vende roupas, acessórios, calçados e itens de beleza. 

Mobly: 

Mobly é um marketplace especializado em no nicho de móveis: sofás, armários, cadeiras de escritório, painéis, sofás-camas e cadeiras de jantar. 

Sobretudo, vender no Mobly é extremamente vantajoso, uma vez que, o marketplace tem ganhado espaço no mercado online no Brasil. Atingindo até 8 milhões de acessos por mês (segundo dados do SimilarWeb). 

Lembrando que, o Mobly é um ambiente totalmente segmentado. Sem distrações, o cliente que está no Mobly é para comprar móveis. 

Americanas.com: 

Todavia, a Americanas.com é um dos principais marketplaces do Brasil. 

Americanas.com faz parte do grupo B2W, um dos maiores grupos de marketplace do país. Conta com 2,3 bilhões de visitas e 15 milhões de clientes ativos, segundo o próprio marketplace. 

Logo, a comissão é cobrada a partir do valor do pedido. Segundo informações da Americanas, a comissão fica em 16%. 

Em relação à segmentação, o marketplace é muito aberto. De fato, com maior força em eletrônicos, eletrodomésticos, informática, móveis e eletroportáteis. 

Netshoes:

A Netshoes é um marketplace de artigos esportivos. 

Desde itens masculinos, femininos, infantis a suplementos. São produtos para a prática de esportes e também de times de futebol. Sem dúvida, é um dos marketplaces melhor posicionado e consolidado no mercado. 

Segundo a própria Netshoes, são mais de 54 milhões de visitantes únicos por mês e a loja número 1 em fãs na América Latina: 9,4 milhões no Facebook. 

Para lojas do segmento de esporte e suplementos, a Netshoes é um excelente player para realizar venda. 

Tricae: 

A Tricae é um marketplace do Dafiti Group. 

Desta vez, destacamos um marketplace direcionado totalmente para a venda de produtos infantis: brinquedos, itens para o quarto, itens escolares, calçados e, especialmente, vestuário feminino e masculino. 

Com tráfego mensal de até 3,5 milhões, a Tricae não possui um volume exorbitante de acessos à primeira vista. Entretanto, por ser um marketplace com alta segmentação de mercado, é extremamente relevante. 

Cissa Magazine:

Cissa Magazine é um dos maiores sites de eletrônicos do Brasil. 

Contudo, uma de suas maiores vantagens é o fato do cliente realizar o pagamento parcelado e a sua loja recebe à vista, sem custos adicionais.

Conta com até 2,5 milhões de acessos mensais e vem se consolidando cada vez mais no comércio eletrônico. 

Carrefour: 

Para vender no Carrefour, é necessário ter um CNPJ, assim como na maioria dos marketplaces. 

Com boa reputação de mercado e maior confiança por ter lojas físicas, o Carrefour pode ser uma boa opção para lojistas que estão entrando no mercado, uma vez que, atua em diversos nichos de mercado. 

As comissões do player variam por categoria, entretanto, são determinadas a partir de 10%. 

Além disso, o recebimento é antecipado. O lojista pode realizar vendas a prazo e receber até 2x ao mês. 

Submarino: 

Antes de mais nada, é importante ressaltar que o Submarino é um dos principais marketplaces do Brasil e altamente procurado. 

Por ser uma das primeiras lojas virtuais a conquistar e fidelizar seu público, o marketplace cresceu de forma surpreendente e se consolidou no mercado. Além disso, o Submarino investe muito em marketing digital. Assim como todos do grupo B2W (Americanas, Submarino e Shoptime).

Com comissão de 16%, o marketplace se declara referência em tecnologia, tendências, moda, cultura pop, esportes e inovação. Ideal para quem vende para um público mais jovem e antenado. 

Magalu: 

Além de ter história com lojas físicas, o Magalu vem fazendo história com as vendas online. 

Ainda mais após abrir espaço para novos lojistas. Hoje o Magalu é referência em qualidade de vendas e marketing! Conta com até 123 milhões de acessos mensais.

Além disso, Magalu também está lançando um programa de envios. Em breve, deve ser disponibilizado para todo o país. 

Por ser bastante flexível, é ideal para diversos nichos de produtos. 

MadeiraMadeira: 

Loja de produtos para casa 100% online. 

MadeiraMadeira já é conhecida no mercado e vender nesse marketplace, agrega muito valor ao produto. 

Segundo informações do próprio MadeiraMadeira, são mais de 12 milhões de acessos por mês e alto investimento em marketing digital. 

Perfeito para integrar com lojas que vendem móveis, cadeiras, estantes, painéis e diversos itens para casa/escritório. 

Casas Bahia: 

Outro marketplace que de destaca tanto com suas lojas físicas, como com sua loja online.

O markeplace Casas Bahia está cada vez mais presente no comércio eletrônico, com até 20 milhões de acessos ao mês, segundo o próprio.

Similarmente, também pratica a estratégia onde o lojista pode vender parcelado e receber o valor à vista. 

Assim, as Casas Bahia é uma excelente opção para anunciar móveis, itens de informática, eletrônicos e eletrodomésticos. 

Shoptime: 

Além de fazer parte do Grupo B2W, o Shoptime faz sucesso com vendas online e possui um canal de TV exclusivo. 

Segundo informações do próprio Shoptime, são 103 milhões de pageviews por mês, mais de 300 mil usuários usando o aplicativo e alcance de 326 mil pessoas por dia na TV.

Seu principal ramo de atuação é com eletrodomésticos, smartphones, informática, TV, eletroportáteis e utilidades domésticas. 

Kanui: 

Último marketplace que também faz parte do Dafiti Group. 

A Kanui fez o caminho contrário da Dafiti. Se estabilizou no mercado pela venda de vestuário masculino. Entretanto, com o tempo, se estendeu para calçados, moda feminina e esportes. 

Kanui conta com até 6 milhões visitas por mês, segundo dados do SimilarWeb. De fato, é importante ressaltar que se trata de um público segmentado e conhecedor da marca. 

Leroy Merlin: 

A Leroy Merlin é um marketplace que nasceu de diversas lojas físicas.

Forte para vender produtos no segmento de materiais de construção, madeiras, produtos de categoria elétrica, ferramentas, tapetes, cerâmica, sanitários, encanamentos, jardinagem, ferragens, organização, pintura, decoração, iluminação e itens de cozinha.

Conta com até 20 milhões de visitas por mês

Zattini: 

Um dos grandes marketplaces de moda do país. 

A Zattini está presente no mobile, desktop e aplicativo. No total, segundo o próprio marketplace, são 5 milhões de visitantes por mês. 

Com força em roupas femininas, a Zattini também trabalha com a venda de vestuário masculino, infantil e acessórios. 

Seja líder de vendas nos marketplaces

Para finalizar, confia uma dica incrível para ser um líder de vendas nos marketplaces.

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário