O que é o Google Ads? Aprenda tudo sobre essa ferramenta agora!
O e-commerce rompendo barreiras

Qual a melhor plataforma de e-commerce? O que levar em consideração?

Publicado em: • Última Atualização:

Escolher uma entre as diversas plataformas de e-commerce disponíveis no mercado é um grande e importante passo para dar início a um negócio na internet. Essa decisão deve ser tomada com base em muitas pesquisas e testes, já que terá muito impacto no futuro do seu empreendimento.

Uma escolha ineficaz pode, por exemplo, culminar na migração de plataforma e no retrabalho em adaptar o layout e integrar sistemas. Então, por que não apostar na melhor opção o quanto antes, não é mesmo?

Para isso, é preciso considerar não só os benefícios e a qualidade oferecida pela plataforma, mas também o seu objetivo de negócio e o montante disponível para investir.

Se você ainda não sabe qual é a melhor plataforma de e-commerce e o que levar em consideração para não errar nessa escolha, esse post pode ajudar muito. Continue lendo e descubra mais!

Qual a melhor plataforma de e-commerce?

Para começar, é importante saber que não existe, de fato, uma melhor plataforma para todos os tipos de negócio. Boa parte dessa escolha dependerá de alguns fatores, como:

  • o tamanho do seu negócio;
  • seus objetivos de crescimento a curto prazo e se a plataforma tem capacidade para suportá-los;
  • a complexidade das operações — ter também uma loja física influencia nessa decisão;
  • o montante disponível para investir;
  • sua necessidade de customização;
  • seus conhecimentos em programação.

O que considerar ao escolher plataformas de e-commerce?

Agora que você já sabe que a melhor plataforma é aquela que atende às necessidades do seu negócio, é o momento de testar uma quantidade delas para alinhá-las às suas expectativas. Confira a seguir quais recursos são fundamentais para estruturar suas vendas.

Suporte

O suporte é a parte essencial das plataformas de e-commerce e precisa ter uma frequência de resposta que seja satisfatória para você. É provável que em um período de teste você não consiga descobrir muitas coisas sobre esse serviço, por isso, o ideal é buscar essa informação com outros clientes da plataforma ou pesquisar no Reclame Aqui.

Integrações

As integrações são o que tornam a operação da loja online escalável e permitem que o negócio cresça. Nesse sentido, a plataforma de e-commerce deve oferecer maneiras de integrar-se com transportadoras, marketplaces, serviços de marketing, sistemas de gestão logística, meios de pagamento, modelos de negócio dropshipping, entre outros.

Conforme o comércio eletrônico se expande, novas integrações surgirão. É importante observar o quanto as plataformas são capazes de se manter atualizadas e oferecer esse tipo de solução.

Uptime

Em tradução literal do inglês, o uptime é o tempo de atividade de um computador ou sistema operacional de forma ininterrupta. Mas o que isso tem a ver com plataformas de e-commerce? Bem, esse indicador está relacionado à estabilidade da sua loja.

Uma tecnologia de e-commerce com percentual de uptime baixo significa dores de cabeça e perda de vendas no futuro. É imprescindível considerar esse fator para evitar decepções em grandes datas do varejo, como a Black Friday e o Natal.

SEO

A otimização para os mecanismos de busca, também conhecida como SEO, é outro ponto fundamental para considerar durante a escolha da plataforma. Como essa estratégia é uma das que obtêm melhor retorno sobre investimento no e-commerce, o cadastro de produtos deve conter campos específicos para SEO.

Modelo

Você sabia que existem plataformas de e-commerce SaaS e outras de código aberto? Para fazer a melhor escolha, é preciso entender as diferenças entre os dois modelos e adaptá-las à realidade do seu negócio, principalmente das suas finanças.

Qual o melhor modelo de plataforma de e-commerce?

Para descobrir o melhor tipo de plataforma para o seu negócio, primeiramente é preciso entender quais são as características de cada um. Veja a seguir!

Plataformas SaaS — Software como Serviço

O modelo SaaS é muito conhecido por englobar as plataformas de e-commerce “prontas” — ou seja, um software é alugado como um serviço. Esse é o tipo mais utilizado por PMEs e está apto a atender diversas necessidades com custo inicial baixo.

Na prática, funciona assim: ao optar por uma plataforma SaaS, você garante uma infraestrutura completa de hospedagem, servidores, conectividade e segurança. Você não terá preocupações com programação ou códigos complexos e as integrações oferecidas geralmente cumprem bem o papel de oferecer funcionalidades extras.

Os maiores diferenciais do modelo SaaS são:

  • implantação mais rápida;
  • facilidade de usar;
  • suporte para diversos níveis de usuário;
  • financeiramente viável para pequenas e médias empresas.

Além disso, esse modelo de serviço é ideal para quem está começando no universo do e-commerce ou tem pouca experiência na criação de loja virtual. Assim, é possível deixar a parte difícil com quem entende do assunto e focar em cadastro de produtos, estratégias de marketing e em um ótimo atendimento ao cliente. ​

É importante lembrar que, mesmo dentro do nicho de plataformas SaaS, é preciso testar e pesquisar muito! Nem todas as opções disponíveis no mercado oferecem customizações e integrações de qualidade.

Se você, por exemplo, pensa em integrar sua loja virtual com um marketplace, pesquise primeiro como a plataforma escolhida funciona em relação a esse objetivo.

Plataformas Open Source — Código Aberto

As plataformas de código aberto não são restritas a um fornecedor e funcionam de forma colaborativa. Em uma plataforma Open Source, você é capaz de criar funcionalidades e recursos para a loja virtual de acordo com suas necessidades, o que não acontece em um modelo SaaS.

Os grandes diferenciais de plataformas de código livre são:

  • total liberdade de personalização;
  • possibilidade de criar funcionalidades;
  • fácil integração com plugins e serviços;
  • pouco ou nenhum custo com a tecnologia em si.

Apesar da liberdade oferecida pelo código aberto, não é tão simples criar um site para vendas competitivo e de alto nível. Isso porque esse modelo exige sólidos conhecimentos em programação e não há um suporte exclusivo para auxiliar na implantação.

Ou seja, será preciso contratar uma agência ou um desenvolvedor para montar a loja, o que pode afetar sua margem de lucro ou demorar mais do que o previsto.

Você deve ter notado, portanto, que a escolha da plataforma de e-commerce envolve diversos fatores. Para tomar a melhor decisão, o grande segredo é pesquisar! Não deixe que a ansiedade de vender apresse a etapa mais importante dos primeiros passos do seu negócio na internet.

Para garantir que você encontre várias opções de plataforma e bons feedbacks, participe de grupos de lojistas, faça buscas no Reclame Aqui e crie uma versão teste da sua loja para checar sua adaptação à interface da plataforma. Ela é realmente intuitiva? Quais dificuldades poderão surgir e como contorná-las?

E aí, gostou do nosso post sobre plataforma de e-commerce? Então compartilhe este texto nas suas redes sociais e ajude seus amigos a ficarem por dentro do assunto!

Ficou com alguma dúvida? Faça parte do nosso grupo no Facebook com especialistas em e-commerce e outros lojistas e envie sua pergunta.

Está pensando em criar uma loja virtual? Faça o teste e descubra se você está pronto!

Qual a melhor plataforma de e-commerce? O que levar em consideração?
5 (100%) 1 voto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *