Pagamento: Pix está presente em 50,8% do e-commerce brasileiro

Lançado há um ano, o Pix veio com a proposta de democratizar a modalidade de pagamento eletrônico no Brasil e desde então, […]

Lançado há um ano, o Pix veio com a proposta de democratizar a modalidade de pagamento eletrônico no Brasil e desde então, tem ganhado mais adeptos, inclusive no e-commerce. Confira os detalhes.

 

Um estudo realizado pela GMattos consultoria, afirma que o Pix (meio de pagamento eletrônico instantâneo do Brasil) está presente em mais da metade das grandes varejistas brasileiras.

Ou seja, os maiores e-commerces do Brasil como: Americanas, Magalu, Amazon, Mercado Livre entre outras foram mapeadas no estudo que mostra um aumento significativo do sistema de pagamento nas lojas virtuais ao longo dos meses.

50,8% do e-commerce brasileiro já utiliza o Pix 

O projeto analisou em média 59 lojas e destas, mais da metade já utiliza o novo sistema de pagamento. Portanto, 50,8% das empresas estudadas já oferecem o meio de pagamento instantâneo para seus clientes.

*Descubra como o Pix para e-commerce ajuda a aumentar as vendas online

A instituição tem realizado análises bimestrais

O estudo é realizado de forma bimestral, portanto o dado acima é referente ao mês de setembro. Para se ter uma ideia, em julho apenas 40,7% dos lojistas utilizam o meio de pagamento, ou seja, houve um aumento de 10,1%, neste novo relatório.

Pix na Black Friday

Estudos revelam que o brasileiro gostou da novidade. Dessa forma, a utilização do Pix este ano para a Black Friday, por exemplo, tem gerado grandes expectativas. Com a aproximação da data, em breve poderemos analisar qual foi o real efeito do Pix nas transações realizadas pelo país.

O crescimento do novo sistema de pagamento impressiona

Gastão Mattos, cofundador e CEO da Gmattos, afirma que caso os números continuem em alta, o novo sistema de pagamento deverá chegar até o final do ano com uma proporção similar ao do boleto, que apresenta hoje uma porcentagem de 83%, por exemplo.

O CEO comentou: “Isso revela o seu alto índice de aderência com o comércio eletrônico. Afinal, o Pix foi introduzido no mercado em novembro de 2020, ao passo que o boleto opera no e-commerce desde a sua origem, 27 anos atrás”, acrescentou o executivo.

Banco central anunciou novas regras para o Pix, porém, isso não é preocupante

Ainda segundo Mattos, as novas regras que limitam as transações noturnas não devem afetar o crescimento da modalidade no e-commerce.

“A concentração das compras online é muito forte em dias úteis, entre 8h e 19h, período em que a nova regra não tem influência. Compras de passagens aéreas são mais distribuídas pela noite ou madrugada ou nos finais de semana, mas esse tipo de aquisição, de ticket médio alto, é o menos propenso ao Pix”, ele finaliza.

Então, você também utiliza o Pix para realizar pagamentos? 

Caso ainda tenha dúvidas de quais formas de pagamento oferecer em seu e-commerce, confira nossas 11 dicas para definir as formas de pagamento em lojas virtuais.

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário