Anunciar no Google Shopping: Como funciona e quanto custa?
Case de Sucesso Kit Led – Produtos que deixam sua vida mais iluminada

Passo a passo: veja como montar uma loja de eletrônicos online

Publicado em: • Última Atualização:

O sucesso de uma loja de artigos eletrônicos depende de algumas questões burocráticas e estratégicas. Elas vão fazer a diferença antes e depois de colocar o negócio para funcionar na prática.

Se você quer aprender a montar uma loja de eletrônicos online, continue a leitura deste artigo! Aqui, vamos abordar os aspectos envolvidos no planejamento e o que precisa ser feito para garantir bons resultados no seu empreendimento. Confira!

Cuide de toda a parte burocrática da abertura da empresa

A primeira coisa sobre a qual você deve pensar ao abrir um negócio é na burocracia necessária para legalizar o empreendimento. A seguir, apresentamos os principais pontos que devem ser providenciados.

Escolha do nome da empresa

É necessário pensar em um Nome Comercial (aquele que é registrado no CNPJ) e em um Nome Fantasia (pelo qual os clientes vão conhecer seu negócio no mercado, ou seja, a sua marca).

Essa decisão vai além da criação: também deve ser feita uma pesquisa na Junta Comercial para analisar a viabilidade do nome — se já existir um igual, deve-se escolher outro.

Definição de qual será o espaço físico utilizado

Ao falar de e-commerce, por mais que seja possível trabalhar de casa, é muito importante consultar o endereço de residência na Administração Regional. Isso quer dizer que o lugar deve ter permissão para realizar a atividade econômica em questão.

Contratação de um contador de confiança

Até aqui você já deve ter percebido como o processo de abertura da empresa é complexo e envolve muitas questões. Contratar um bom contador para ter auxílio nesses momentos é a melhor forma de agir corretamente e garantir o enquadramento ideal.

Verifique a possibilidade de se registrar como um Microempreendedor Individual (MEI), que tem uma carga tributária menor e exige menos burocracia ao abrir e gerir o negócio.

Elaboração de um contrato social e obtenção de registro na Junta Comercial

Aqui, é essencial contar com um advogado. Ele vai ajudar você na elaboração do contrato, que precisa ter informações como:

  • objetivo do negócio;
  • ramo de atuação;
  • questões societárias;
  • participação no capital social.

Depois que isso estiver pronto, é hora de realizar o arquivamento do ato constitutivo. Para isso, deve-se ter em posse os seguintes documentos:

  • 3 vias do contrato social (ou do requerimento de empresário individual);
  • 1 via do requerimento (padrão de capa da Junta Comercial);
  • 1 via da Ficha de Cadastro Nacional (FCN), modelos 1 e 2;
  • comprovante de pagamento das taxas (por meio das DARFs).

Obtenção do CNPJ

Depois de entregar todos os documentos citados acima, será gerado o Número de Identificação de Registro de Empresa (NIRE). É com ele que o CNPJ vai ser emitido para que seu negócio seja formalizado e se torne contribuinte. Essa fase pode ser feita pelo site da Receita Federal.

Obtenção do alvará de funcionamento

Com o CNPJ criado, deve-se procurar a Prefeitura da cidade para obter o alvará de funcionamento. A lista de documentos necessários inclui:

  • formulário fornecido pela Prefeitura;
  • consulta prévia de endereço aprovada;
  • cópia do contrato social;
  • cópia do CNPJ;
  • laudo de vistoria dos órgãos competentes (se for o caso).

Emissão da Inscrição Estadual

É por meio dessa inscrição que se consegue o registro no ICMS. Para obtê-la, é necessário providenciar:

  • cópia autenticada do RG e CPF dos sócios;
  • cópia autenticada do comprovante de endereço dos sócios;
  • cópia autenticada do contrato de locação ou da escritura do imóvel;
  • cópia do CNPJ;
  • cópia do ato constitutivo;
  • cópia do alvará de funcionamento;
  • número do cadastro fiscal do contador contratado;
  • 3 vias do Documento Único de Cadastro (DUC);
  • 1 via do Documento Complementar de Cadastro (DCC).​

Obtenção do registro na Previdência Social

Depois que a Inscrição Estadual é gerada, você deve comparecer a uma agência da Previdência Social e solicitar o registro da sua empresa.

Mesmo que ainda não tenha contratado nenhum funcionário, isso precisa ser feito para fins de recolhimento dos tributos devidos. Vale ressaltar que o prazo é de 30 dias após as atividades serem iniciadas.

Obtenção da autorização para emitir notas fiscais

Essa autorização pode ser adquirida na Secretaria Estadual da Fazenda (SEFAZ) da cidade onde a empresa está alocada.

Escolha um nicho de mercado a ser trabalhado

Quando toda a burocracia já estiver resolvida, o próximo passo é analisar os detalhes a respeito do nicho de mercado que será trabalhado. Você pode oferecer um mix de produtos mais amplo (com diversos tipos de itens) ou disponibilizar algo mais específico (como somente celulares, tablets e acessórios).

Uma questão que deve ser avaliada ao optar pela diversificação é a viabilidade dessa estratégia na prática e como isso vai impactar na qualidade do atendimento ao cliente.

Para escolher o seu nicho, você deve tomar alguns cuidados, como:

  • entender o seu público-alvo;
  • conhecer bem a área de atuação;
  • ficar atento às tendências;
  • acompanhar as mudanças de mercado.

A escolha do nicho está diretamente ligada à estratégia de divulgação, à linguagem usada na comunicação e à forma de se relacionar com os clientes, por exemplo. É isso que a torna tão importante.

Tenha clareza sobre as demandas de seu público

De modo geral, podemos dizer que o público que gosta de eletrônicos é formado por pessoas que buscam novidades tecnológicas. São jovens que estão constantemente antenados ao que o mercado tem para oferecer em termos de inovação.

Porém, as características de idade, renda, classe social, sexo, entre outras podem sofrer grandes variações. Por isso, por mais que você acredite conhecer seus clientes e saber suas preferências, é recomendável fazer uma segmentação de mercado.

Quando você classifica os compradores, passa a saber se algum grupo exige produtos ou um relacionamento diferenciado dos demais, por exemplo. A partir dessas informações, torna-se possível criar planos de ação que sejam coerentes com as particularidades de cada pessoa. Assim, você passa a entender melhor quem é o seu consumidor e o que ele deseja.

Lembre-se sempre: o seu público-alvo e as necessidades dele devem ir ao encontro do que você oferece na sua loja — o nicho que foi escolhido. Assim, você alinha a sua oferta ao que os compradores estão buscando, potencializando os resultados das vendas.

Se você não sabe por onde começar, faça uma daquelas pesquisas de mercado, nas quais compradores e clientes em potencial são entrevistados com perguntas sobre suas preferências e hábitos de consumo, por exemplo.

Entendas os diferenciais do mercado de eletrônicos online

O mercado de eletrônicos é uma excelente oportunidade para quem deseja colocar em prática o sonho de ter um negócio próprio. Entretanto, existe um aspecto muito importante que precisa ser considerado: a diferenciação.

Quando você consegue criar algum valor para os clientes, se destaca dos concorrentes e as chances de sucesso se tornam maiores. A seguir, apresentamos algumas opções que podem ser aplicadas.

Diversas formas de pagamento

Se o consumidor não encontra a forma de pagamento preferida no seu site, há grandes chances de o carrinho ser abandonado. Sendo assim, é importante oferecer opções como:

  • parcelamento das compras;
  • várias bandeiras de cartão de crédito;
  • boleto bancário;
  • débito online;
  • intermediadores (PagSeguro e PayPal).

Só esteja atento às taxas que são cobradas por esses serviços, visto que elas vão comprometer parte — ainda que pequena — do seu lucro nas vendas.

Preços competitivos

Ao fazer uma compra online, o cliente tem tempo para pesquisar diversos sites, sem a pressão de um vendedor para fechar logo a compra. E um dos fatores que mais pesam na sua decisão é o preço.

Sendo assim, é preciso desenvolver estratégias (como a negociação com fornecedores e a redução dos custos) que vão ajudar a tornar os seus preços mais competitivos. Se você consegue se diferenciar da concorrência dessa forma, sua marca se tornará reconhecida no mercado e mais pessoas buscarão sua loja virtual.

Só tenha cuidado para não abaixar demais o valor, pois isso pode despertar desconfiança a respeito da qualidade e procedência dos itens. Faça uma pesquisa da média praticada no mercado e elabore seu planejamento com base nisso.

Frete grátis

Muitos e-commerces oferecem frete grátis como forma de atrair os clientes e aumentar as vendas — e a estratégia realmente funciona. Porém, deve-se considerar que alguém precisa pagar a conta. Nesse sentido, seu negócio tem a capacidade de absorver esse custo sem gerar prejuízo? Ou o valor será embutido no preço dos produtos e repassado para os compradores?

Antes de oferecer esse benefício, faça um planejamento financeiro e analise a viabilidade de adotar essa prática. Você pode oferecer frete grátis por:

  • região;
  • valor mínimo em compras;
  • pontuação em programas de fidelidade.

Política de pós-venda

Sabemos que o relacionamento com o cliente não se encerra no momento em que a venda é concluída. Se desejamos que o consumidor volte mais vezes, é preciso investir na comunicação, em um suporte de qualidade e outras soluções que caracterizam um bom pós-venda.

Se um comprador tem uma dúvida a respeito do funcionamento de um produto, por exemplo, e você disponibiliza um canal voltado para o esclarecimento dessas questões, ele se sentirá mais seguro e confiante para comprar mais vezes na sua loja — e seu negócio ainda pode se posicionar como autoridade no assunto.

Escolha a plataforma ideal para colocar a loja no ar

Escolher a plataforma certa para a sua loja virtual é um fator que pode contribuir para o sucesso do seu negócio. Avaliar com calma os aspectos necessários ajuda a tornar o trabalho mais eficiente, simplificar as rotinas, otimizar o atendimento aos clientes etc. Veja abaixo as principais particularidades que devem ser consideradas.

Layout

Uma pesquisa do Google apontou que mais de 50% das buscas são feitas por meio de dispositivos móveis e que cerca de 80% dos usuários abandonam a página imediatamente se o site não for adaptado para esse tipo de aparelho.

Além da importância de manter o cliente navegando na loja virtual, o Google também passou a ranquear melhor os sites que têm um layout responsivo — e as plataformas de e-commerce estão incluídas nessa lista. Sendo assim, invista em um layout personalizado, mas que também seja bem planejado para proporcionar boas experiências para os consumidores.

SEO

O Search Engine Optimization — mais conhecido como SEO — é um conjunto de técnicas que visa melhorar o posicionamento das páginas nos resultados orgânicos em sites de busca (como o Google). Portanto, priorize uma plataforma que considere essa estratégia.

Integração com redes sociais

Ter presença nas redes sociais é fundamental para se manter próximo do seu público, principalmente em decorrência de muitos clientes já estarem conectados nessas mídias. O Facebook, por exemplo, já atingiu a marca de 2 bilhões de usuários ativos. O Brasil está no 2º lugar no ranking.

Escolher uma plataforma que permite a integração com as redes sociais ajuda a melhorar a divulgação da empresa e dos produtos.

Diversidade nas formas de pagamento

Outro ponto que deve ser considerado na escolha de uma plataforma de e-commerce é a integração com as principais formas de pagamento — como as que citamos anteriormente: boleto, cartão de crédito, débito automático e intermediadores.

Conversão de vendas

Pensar em um site com design voltado para a conversão é fundamental para o sucesso nas vendas. Nesse sentido, questões simples como o alinhamento do texto, paleta de cores e a posição da imagem podem fazer a diferença na experiência do seu cliente.

Segurança

A segurança dos dados dos seus clientes no ambiente online deve ser prioridade. Escolha uma plataforma que invista nesse aspecto e evite problemas graves, como o roubo de dados — que mancharia totalmente a sua imagem no mercado e comprometeria a longevidade do negócio.

Escalabilidade

Muitos empreendedores sonham em ver seus negócios crescerem no futuro. Entretanto, não é possível determinar em qual velocidade isso vai ocorrer. Ainda assim, procure plataformas que consigam se ajustar ao desenvolvimento do seu empreendimento, sem que a qualidade seja comprometida.

Ao iniciar sua busca pela plataforma ideal, considere o custo-benefício, pesquise sobre a reputação e a tradição da empresa desenvolvedora e guie sua busca com os critérios listados acima.

Isso vai ajudar você a fazer a escolha adequada, garantindo que ela traga mais eficiência para os seus processos.

Leve em consideração a parte visual da loja online

Você já visitou um site e desistiu de procurar a informação que queria pelo fato de ele ser feio, usar cores que prejudicam a leitura ou qualquer outro empecilho? Isso também pode ocorrer com os seus clientes, o que torna crucial o cuidado com a parte visual. A seguir, listamos algumas questões que devem ser pensadas.

Organização da vitrine

Assim como na loja física, em um e-commerce é preciso planejar a apresentação dos produtos, organizá-los, garantir o acesso facilitado, entre outras questões. Por isso, pense em separar os produtos em categorias e facilite a busca dos seus clientes.

Aparência do site

O visual da página é uma das primeiras coisas que os clientes notam. Aqui, é preciso ter cuidado com as imagens, a qualidade dos vídeos, a combinação das cores e até mesmo a tipografia. Esses aspectos devem estar relacionados ao perfil do seu e-commerce.

Outra questão que vale a pena é adaptar o layout de acordo com as datas comemorativas.

Simplicidade

Não adianta muito investir em um design bonito, se o site é complicado e o processo de compras tem muitas etapas. Isso quer dizer que, pensando na experiência dos usuários, o ideal é garantir uma navegação com poucos cliques — já que a demora em finalizar a solicitação pode gerar abandono de carrinho.

Elabore um plano de negócios que vise o sucesso

Um plano de negócios é um documento usado para organizar, registrar e apresentar as ideias de uma empresa. Ele é importante para:

  • guiar empreendedores e gestores sobre as ações necessárias para alcance dos objetivos;
  • apresentar a empresa de forma descritiva e organizada;
  • analisar a viabilidade do negócio e a necessidade de mudanças.

Para formalizar o seu plano, é fundamental listar algumas informações básicas, como:

  • a ideia da empresa;
  • qual público ela vai atender;
  • quais produtos serão oferecidos e vendidos;
  • recursos necessários;
  • estratégia de atuação;
  • política de preços e divulgação;
  • resultados esperados (em curto, médio e longo prazo).

Sendo assim, ao montar o seu documento, inclua as informações abaixo.

Identificação do negócio

Nessa etapa inicial, deve-se detalhar informações sobre a empresa. São elas: nome, endereço, ramo de atuação e objetivos.

Dados dos sócios

Enquanto na primeira parte é feita a descrição da empresa, agora é o momento de registrar as informações dos sócios. É aqui que se detalha questões como nome, dados das documentações, endereço, formação e participação no capital.

Finalidade do plano de negócios

Aqui, é necessário esclarecer se o documento está sendo criado (ou atualizado) e qual é o seu objetivo: implantação, expansão ou modernização, por exemplo.

Ideia do negócio

É nessa fase que você precisa relatar qual é o propósito do seu empreendimento, ou seja, a razão do negócio ter sido iniciado.

Análise do cenário

Nesse passo, é importante fazer uma avaliação de mercado, além de identificar pontos fortes e fracos (ambiente interno) e ameaças e oportunidades (ambiente externo) que podem impactar nos resultados da empresa.

Estratégia de atuação

Nessa fase, é feito um esboço das atividades da empresa. Aqui é importante definir o público-alvo, os produtos e serviços que serão oferecidos (e seus diferenciais), a abrangência do atendimento, os processos, as formas de divulgação etc.

Perfil dos clientes

É preciso fazer um levantamento das características dos consumidores, considerando:

  • localização;
  • idade;
  • renda;
  • formação acadêmica;
  • interesses;
  • hobbies.

Outras informações que podem ajudar a traçar um perfil mais completo também devem ser analisadas. O importante é reunir informações que auxiliem na criação de um relacionamento mais próximo.

Relação de fornecedores

Trata-se das relações comerciais. É preciso definir quem serão os parceiros de negócio, considerando tipos de produtos e serviços que oferecem, onde estão localizados, vantagens oferecidas etc.

Estudo da concorrência

Essa análise é necessária para conhecer quem trabalha no mercado com uma ideia semelhante à sua. Deve ser feito um detalhamento das características, pontos fortes e fracos, melhores práticas e diferenciais competitivos.

​Estratégia de marketing

Aqui é o momento de determinar a forma como a sua empresa vai ser projetada no mercado. Essa fase envolve a descrição das atividades voltadas para divulgação dos produtos e serviços, definição das mídias que serão utilizadas e investimento necessário, por exemplo.

Plano logístico

O plano logístico detalha todos os processos relacionados a estoques e transportes. É preciso decidir as seguintes questões:

Plano estratégico

Já o plano estratégico está relacionado às decisões que serão tomadas futuramente. Faça a definição do propósito do negócio e as estratégias de atuação para alcance dos objetivos definidos.

​Plano financeiro

É o momento de estabelecer todos os pontos relacionados ao capital e resultados esperados. O plano precisa descrever o valor dos investimentos, custos e despesas (fixos e variáveis), aquisição de máquinas e equipamentos, capital de giro disponível, impostos, estimativas de resultados, entre outros.

​​Foque no marketing de relacionamento com o cliente

O marketing de relacionamento pode ser definido, de maneira resumida, como um conjunto de ações adotadas com o objetivo de criar e manter uma relação favorável com os clientes. Assim, a empresa oferece benefícios que estimulam a fidelização, ao mesmo tempo em que os consumidores se tornam fãs da sua marca.

Para dar início à implementação de um plano eficaz, é necessário adotar uma cultura de fidelização, visto que a relação já começa desde o momento em que a pessoa faz o primeiro contato. Sendo assim, oferecer um atendimento que conquiste os consumidores é primordial para criar um vínculo que vai até a venda e a retenção.

Você saberá que o seu plano de marketing de relacionamento foi bem-sucedido quando os clientes estiverem falando bem dos seus produtos e serviços para outras pessoas — tornando-se os principais divulgadores e vendedores da sua loja.

Portanto, considere algumas questões como:

  • mantenha o foco no cliente, fazendo com que ele se sinta importante;
  • utilize todos os meios possíveis para manter uma boa conexão (redes sociais, blogs, entre outros).

No que diz respeito ao público interessado em produtos eletrônicos, eles têm um perfil atento ao que o mercado da tecnologia oferece em relação a inovações e novidades. Portanto, uma das alternativas para se aproximar dessas pessoas é criar um blog para publicar informações sobre as tendências, curiosidades e notícias sobre lançamentos, por exemplo.

Além disso, a presença nas redes sociais permite um contato mais próximo, e elas também podem ser usadas como meio de divulgar os produtos, fazer link com os posts no blog e esclarecer dúvidas.

Assim, você disponibiliza mais um canal de atendimento, se posiciona como autoridade no assunto e ainda consegue alcançar um público maior.

Montar uma loja de eletrônicos online não é algo tão simples como muita gente imagina. Todos os aspectos, desde a burocracia da abertura até a relação com os clientes, devem ser muito bem planejados, garantindo os resultados esperados. Tomando todos os cuidados que listamos neste post, as chances de gerir um negócio bem-sucedido são ainda maiores. Portanto, foque no planejamento e só depois parta para a execução!

O post de hoje foi esclarecedor? Compartilhe-o em suas redes sociais e deixe que ele alcance mais pessoas, para que elas saibam o que é necessário para iniciar no ramo de venda online de eletrônicos!

Ficou com alguma dúvida? Faça parte do nosso grupo no Facebook com especialistas em e-commerce e outros lojistas e envie sua pergunta.

Está pensando em criar uma loja virtual? Faça o teste e descubra se você está pronto!

Passo a passo: veja como montar uma loja de eletrônicos online
Avalie esse artigo!

2 Comentários em: Passo a passo: veja como montar uma loja de eletrônicos online


    1. A loja virtual na Tray é configurável conforme a necessidade do cliente, a sua preocupação inicial é com a indexação dos seus produtos na plataforma, existem vários layout predefinidos que você pode escolher para sua loja!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *