O que é picking? Descubra seus benefícios e como aplicar no e-commerce

Picking ou order picking, é o nome do processo de separação e preparação de pedidos em um armazém, e acontece principalmente para que as encomendas cheguem corretamente até o consumidor final.

O setor de logística tem se tornado uma posição estratégica dentro das empresas, sobretudo devido à sua importância na criação de um diferencial competitivo.

Afinal, é preciso oferecer entregas mais rápidas, dados atualizados acerca do transporte, segurança das cargas, entre outros aspectos.

No e-commerce, esse critério é ainda mais relevante, já que a logística é a única etapa capaz de conectar a loja diretamente aos consumidores.

Por esse motivo, o departamento adota estratégias mais planejadas para manter os estoques organizados, as entregas mais eficientes e dentro do prazo — e o picking é uma delas.

Trata-se de um processo responsável por otimizar a gestão de estoque e manter a separação dos pedidos.

Os principais objetivos da estratégia são agilizar o envio de um pedido ao cliente e reduzir ao máximo qualquer tipo de falha dentro do processo.

Neste artigo, explicamos com mais detalhes o que é picking e como ele funciona, destacando como aplicá-lo no e-commerce. Acompanhe a leitura e saiba mais sobre o assunto!

O que é picking?

Também conhecido como order picking, o picking é o processo de separação e preparação dos pedidos dos clientes, de modo que eles cheguem adequadamente até o consumidor.

Ou seja, é quando uma venda é feita pela loja e os itens são rastreados no estoque e separados para o carregamento.

É a partir dele que os profissionais recolhem os produtos dentro do estoque e enviam para o local onde será expedido, por meio de um passo a passo predefinido.

Por exemplo, no e-commerce, essa técnica é iniciada no momento em que o pedido é finalizado na loja virtual e recebido no espaço de estoque, onde será retirado e selecionado para o envio.

Embora pareça simples, todo esse processo de separação da mercadoria pode ficar complexo à medida que o volume de vendas aumenta.

Logo, sem uma estratégia para atender a essa demanda, o prazo de entrega será maior e as chances de irregularidades no envio aumentarão significativamente.

Dessa forma, o processo de picking é, de modo geral, um dos mais relevantes dentro do centro de distribuição, já que consiste em um fator de decisão de compra e, especialmente, de fidelização do cliente.

Soluções de logística para seu e-commerce: quais estratégias utilizar?

Como o picking funciona?

Basicamente, o processo de picking envolve tarefas indispensáveis na logística, tais como:

  • encontrar o produto;
  • movimentar-se até ele;
  • trazê-lo para o veículo;
  • dar baixa nos documentos necessários.

Todo esse processamento pode ocorrer de quatro maneiras: por onda, por lote, por zona e discreto.

A escolha do modelo ideal vai depender de alguns critérios, como o número de colaboradores envolvidos, a quantidade de produtos que pode ser separada por coleta e os períodos apropriados para realização deste procedimento.

É importante ressaltar que, quando ocorre falhas em alguma das etapas citadas, a perda de eficiência operacional é traduzida em perda efetiva de dinheiro.

Por isso, com um bom processo de picking, as operações fluem da melhor forma e os retrabalhos são evitados.

A seguir, entenda como funciona cada um dos modelos citados.

Picking discreto

No picking discreto, apenas um colaborador começa e finaliza a separação dos pedidos.

Esse modelo reduz a chance de erros, já que apenas uma pessoa fica responsável por um único pedido por vez.

No entanto, por outro lado, o processo se torna mais lento por demandar mais deslocamentos.

Picking por onda

Nesse caso, o processo é semelhante ao picking discreto, em que cada operador fica responsável pela separação de um pedido por vez, no qual é acumulado e processado de acordo com um agendamento antecipado.

A diferença é que, no picking por onda, o recolhimento é realizado em determinados períodos do turno, o que garante maior eficiência operacional.

Picking por lote

Neste modelo, o operador espera o acúmulo de diversos pedidos para que só depois a separação dos itens e a coleta deem início.

Ao recolher cada produto, ele retira a quantidade necessária para suprir todos os pedidos, fazendo a distribuição em seguida.

Como vários procedimentos são concluídos ao mesmo tempo, a operação é chamada de separação por lote.

Picking por zona

O picking por zona é realizado quando o espaço do armazém se divide em categorias e tipos de produtos, fazendo com que cada operador fique responsável por determinada área.

Assim, quando um pedido chega ao estoque, o colaborador separa os itens necessários de cada zona, até que o pedido esteja completo.

Essa técnica pode reduzir o tempo de deslocamento dos colaboradores no centro de distribuição, porém demanda uma boa organização interna para não sobrecarregar algumas zonas.

Qual é a diferença entre o picking e o packing?

Em algum momento, você já deve ter confundido esses dois termos ou até achado que esses processos são a mesma coisa.

Por isso, explicaremos de forma simples e definitiva a diferença entre os dois termos.

Na maioria das vezes, o processo de picking é acompanhado pelo de packing — que se trata do empacotamento ou da montagem do produto, antes de ser enviado ao cliente.

Essa etapa é mais frequente no envio de mercadorias fracionadas, porque as pequenas acabam demandando uma adaptação apropriada para serem transportadas com segurança.

Nesse caso, as funcionalidades mais importantes do packing são unificar os pedidos, criar uma embalagem resistente para manter a qualidade do produto e prevenir roubos e danos por meio de alguma alteração da embalagem original.

Basicamente, os dois processos funcionam da seguinte maneira: o picking separa todos os produtos que serão enviados, e o packing embala os pedidos individualmente por cliente.

Como enviar encomenda pelos Correios: 5 passos práticos e dicas para não errar no processo!

Quais são os benefícios de aplicar essa estratégia logística?

Podemos dizer que uma atividade bem planejada, organizada e executada ajuda a otimizar o processo de separação, a liberação das mercadorias e a reduzir o lead time dos pedidos.

Isso proporciona o aumento da produtividade e a diminuição dos custos com armazenagem e dos prazos fornecidos para os clientes, conquistando, dessa forma, a sua satisfação.

Todos esses detalhes podem ser um diferencial para a fidelização do cliente, sobretudo no e-commerce.

Afinal, um setor logístico mal administrado pode tornar-se um empecilho na lucratividade dos negócios.

Nesse cenário, saber o que é picking e utilizá-lo de forma adequada torna-se um diferencial competitivo para a empresa.

É importante destacar que, com um picking aprimorado, é possível separar as ocupações dos produtos de maneira mais vantajosa dentro do depósito, atender aos pedidos por ordem de urgência e mobilizar os recursos humanos de acordo com cada demanda.

Confira outros benefícios de aplicar o picking na logística:

  • otimização do tempo nas movimentações de operadores e produtos;
  • agilidade do processo de entrega;
  • redução nos atrasos;
  • aumento da produtividade da equipe;
  • processamento mais rápido dos pedidos;
  • melhoria do nível de serviço prestado aos clientes;
  • diminuição de falhas durante a retirada e a embalagem.

Como implementar o picking no e-commerce?

Com o crescimento do comércio eletrônico, a separação dos pedidos tornou-se uma etapa complexa, por causa da maior quantidade de pedidos.

Por esse motivo, muitas empresas buscam alternativas de aperfeiçoar essa atividade e deixá-la mais eficiente e produtiva.

Desse modo, para implementar o picking, é necessário tomar alguns cuidados básicos.

Sem eles, de nada adianta escolher o melhor modelo e trabalhar com base apenas em demandas.

Além disso, entenda que cada negócio tem uma realidade, então não existe um modelo único para adotar a técnica.

Mesmo assim, separamos algumas dicas valiosas de como melhorar e executar o picking para obter sucesso nos negócios. Confira!

Organize as rotinas do estoque

Antes de qualquer coisa, o estoque deve ser organizado, limpo, ter poucas distrações e bem sinalizado.

As operações precisam de sincronia para ocorrer com um padrão satisfatório.

Por isso, o ideal é que o layout seja pensado para isso, de forma objetiva para todos os envolvidos, com documentos e relatórios simples de monitorar.

Classifique cada área do picking por tipo de produto, marca, modelo ou cor.

Dê preferência sempre por prateleiras separadas em categorias bem estabelecidas, pois isso diminui o tempo e os custos da operação, a longo prazo.

Padronize o processo de recebimento

É extremamente importante que os colaboradores tenham uma atenção redobrada no processo de recebimento, na conferência do produto e no registro para diminuir a margem de erros.

Quando for inserir o código de barras e as quantidades, os profissionais precisam colocar os itens no lugar correto e ter um documento para que eles possam ser facilmente mapeados e encontrados.

Esse procedimento agiliza o encontro e a separação desses materiais.

Além disso, para evitar gerar um excesso de estoque com embalagens vazias, vale analisar e unir as referências conforme o tamanho e as características dos produtos.

Assim, é possível definir um parâmetro que possa ser adaptável.

Priorize os itens com giro maior

Outra dica importante é priorizar os itens de acordo com alguns diferenciais, como maior número de vendas, para que os operadores tenham mais agilidade.

A ideia é bastante simples: produtos de maior saída precisam estar em locais mais próximos, visíveis e de fácil acesso.

Por outro lado, os itens de menor giro podem ficar nas prateleiras do final do armazém, na parte alta.

Monitore a operação

Para que tudo aconteça da melhor forma possível, acompanhe o funcionamento do picking.

Lembre-se que o monitoramento da operação permite identificar se as atividades estão sendo cumpridas e as possíveis falhas existentes no processo, além de aumentar a confiança da empresa no mercado.

De modo geral, essa dica é imprescindível para potencializar a capacidade produtiva da cadeia.

Invista em tecnologia

Quem apresenta um centro de distribuição repleto de produtos de diferentes segmentos precisa desenvolver metodologias de picking ainda mais eficientes.

Uma forma de facilitar esse trabalho é investindo em tecnologia para manter a organização do estoque e a confiança no processo.

Com sistemas de gestão focados em logística, por exemplo, o empreendedor automatiza as estratégias de separação dos pedidos, obtém métricas para avaliar a performance da equipe.

Além de integrar as operações do setor, permitindo a visualização dos dados de forma automática, o que facilita o controle de mercadorias.

Vale destacar o Sistema de Gerenciamento de Armazém (WMS), que organiza o lugar que cada produto ocupa conforme os padrões logísticos determinados pela empresa.

Além de diminuir os erros, esses sistemas possibilitam a análise de relatórios e a visualização de possíveis gargalos e falhas no processo.

Conte com uma empresa especializada

Para escolher a metodologia que mais se adequa à realidade da sua empresa e aplicá-la de forma eficiente, nada melhor que contar com a ajuda de uma empresa especializada para realizar a operação.

Afinal, o processo de separação de pedidos pode ser uma etapa complicada, que exige certo conhecimento e experiência.

Por isso, é essencial adotar algumas estratégias específicas, a fim de que os produtos cheguem ao local de forma correta.

Como otimizar o picking em sua gestão de estoque?

Agora que você já sabe o que é o picking, seus diferentes tipos e como implementá-lo, é importante conhecer todo o processo do seu negócio e treinar corretamente os preparadores de pedidos para otimizar toda a operação.

Assim como qualquer outro processo logístico, as estratégias de picking demandam avaliações, estudos e decisões por parte dos empresários.

Sendo assim, ao invés de estabelecer uma solução pronta e pré-definida, busque medidas inteligentes e dinâmicas, de acordo com as necessidades do seu negócio.

Vale lembrar que o processo do picking não se resume apenas a receber os pedidos, separar os itens e seguir para a entrega.

Na maioria das vezes, é necessário levar em conta as metodologias estabelecidas na gestão de estoque, as especificidades do produto, o tipo de operação, entre outros aspectos.

São exatamente essas razões que agregam uma complexidade ao processo na logística de muitas empresas e precisam ser otimizadas.

Como você pôde ver neste artigo sobre o que é picking, trata-se de uma técnica indispensável na logística, que abre espaço para redução de custos e otimização de processos.

Por meio dele, é possível ter uma rotina mais produtiva no depósito, com menos esforços e mais agilidade, o que aumenta a satisfação dos clientes e a lucratividade.

Que tal conhecer agora sobre a Logística reversa dos Correios: o que é, quais os tipos e como escolher a melhor para o seu negócio!

Não há comentários ainda. Seja o primeiro a escrever um.

Deixe seu comentário