Entenda como funciona uma franquia de loja virtual na prática
7 dicas de inbound marketing para aplicar no seu e-commerce

O que é e-commerce? E como ter sucesso nas vendas?

Publicado em: • Última Atualização:

Um e-commerce é o sonho de milhares de empreendedores, que acabam adiando essa decisão por medo dos riscos ou simplesmente por falta de informação. O fato é que muitos empresários não sabem o que é e-commerce e acabam perdendo grandes oportunidades de venda.

Ter uma loja virtual é algo incrivelmente simples, com um público cada vez maior e ideal para quem deseja iniciar um negócio gastando pouco e dedicando apenas algumas horas por dia.

Por isso vamos abordar as principais questões sobre o assunto, para que você não tenha mais nenhuma dúvida na hora de investir em sua loja virtual.

O que é e-commerce?

Se você chegou até este texto, é porque deve estar pensando em abrir o seu e-commerce e não sabe por onde começar, certo? Fique tranquilo. Antes de mais nada, saiba que o mercado de vendas online está vivendo um ótimo momento no Brasil. Eis a melhor hora de tirar suas ideias do papel e ser dono de uma loja virtual.

A expressão e-commerce pode parecer um pouco complicada, mas na prática você certamente já utilizou esse conceito. Presente em todos os lugares e com uma variedade cada vez maior de produtos e serviços, o e-commerce é um dos setores de maior sucesso no mercado empreendedor.

Mas afinal, o que é e-commerce? E-commerce é o mesmo que electronic commerce, ou “comércio eletrônico” e se refere a toda venda feita pela internet, seja por meio de aplicativos ou sites especializados.

Um e-commerce reúne uma série de facilidades que visam suprir as necessidades dos clientes sem que eles tenham que sair de casa para adquirir um produto ou serviço. Podemos dizer que o e-commerce é uma ferramenta criada para resolver o problema do “produto distante”. Ele é uma janela de oportunidades que conecta o empreendedor com um público comprador em qualquer lugar do mundo com o auxílio da internet.

O comércio eletrônico funciona também como uma ferramenta auxiliar para diversas lojas físicas. Por exemplo: uma loja de sapatos pode ter apenas alguns pares em seu estabelecimento físico, mas é possível disponibilizar todo o estoque online. Assim os clientes possuem maior variedade e o empreendedor aumenta suas vendas.

Ele também pode ser um caminho direto para pessoas criativas capazes de desenvolver produtos diferenciados. Uma culinarista que produz uma geleia com sua receita de família, ou quem sabe um artesão que domina uma técnica especial — ambos podem ser exemplos de modelos de negócios virtuais muito originais. O e-commerce é, assim, um local seguro e lucrativo para você mostrar o seu talento ao mundo.

Como funciona um e-commerce?

Olhe ao seu redor. Praticamente tudo o que há em sua casa ou ambiente de trabalho pode ser comprado online. De ração para cachorro a computadores. Das roupas que você está usando até o seu almoço podem ser adquiridos pela internet. Você pode não apenas comprar produtos, mas também contratar uma infinidade de serviços.

O e-commerce é, acima de tudo, uma forma muito democrática de negociação. Permite que um pequeno lojista encontre seu público e utilize a comunicação digital para realizar suas vendas. Dessa forma, haverá sempre espaço para pequenos negócios independentes, o que garantirá o sucesso da empresa será a aceitação do público e o talento do empresário.

Quando falamos em comércio online, pensamos que seja algo muito antigo. Dá para imaginar o mundo sem lojas virtuais? Certamente não, mas, acredite, o e-commerce é algo ainda muito novo e promissor.

Segundo o dicionário Merriam-Webster, um dos mais conceituados do mundo, o termo e-commerce foi usado oficialmente pela primeira vez em 1993. A Amazon, maior empresa de e-commerce do mundo, foi fundada em 1994. O eBay, outro gigante do varejo virtual, iniciou suas atividades em 1995. Ou seja, convivemos com o comércio de coisas pela internet há menos de 30 anos.

Isso tudo quer dizer que o e-commerce está só no começo. Há um universo de oportunidades e um amplo mercado ainda para ser explorado. A cada dia, novos projetos são criados para a resolução dos problemas dos clientes, abrindo formas nunca imaginadas de negociação.

Podemos dizer, sem sombra de dúvidas, que o comércio na internet é o evento mais importante e transformador da história da economia mundial. No futuro, certamente nossos filhos e netos comprarão mais e mais por meio deste padrão de comércio.

É sempre bom lembrar que nem toda transação online é realmente um modelo exato de e-commerce. Para que uma venda seja enquadrada nesse conceito, é importante que ela cumpra alguns preceitos, como:

  • ser uma loja virtual: para vender online, o empreendedor precisa primeiramente oferecer uma vitrine de produtos que seja de fácil compreensão para o seu público-alvo;
  • oferecer pagamento digital: de nada adianta uma loja virtual se você só puder pagar pessoalmente, certo? Um bom e-commerce precisa garantir ao cliente um ambiente amigável e seguro para realizar o pagamento pela mercadoria ou serviço;
  • ser confiável: a compra online é baseada, sobretudo, na confiança. Consumidores de lojas virtuais costumam ser muito exigentes em relação ao modo como as empresas usam seus dados e, ainda, em relação à qualidade dos serviços prestados.
  • disponibilizar envio rápido: a logística para e-commerce é um dos itens mais importantes quando falamos de compras online. A forma como o cliente recebe os produtos influencia diretamente no seu montante de vendas e na fidelização.
  • oferecer pós-venda eficiente: não basta apenas vender o produto, é preciso saber se tudo deu certo durante o processo de envio, recebimento e utilização. No caso do e-commerce, o atendimento ao cliente deve ser ainda mais completo por causa da distância entre o vendedor e o comprador.
  • facilitar o acesso do cliente ao SAC da empresa: lembre-se: quanto mais canais de comunicação houver entre o e-commerce e o consumidor, maior será a confiança estabelecida. E-mails, chat, atendimento via telefone — vale tudo para dar suporte ao seu cliente.

Aprenda mais com o quadro Minuto E-commerce:

Imagine uma loja que se propõe a vender canecas, mas você precisa ligar para a loja física para saber mais detalhes do produto, uma vez que, no site, os dados não estão claros. Isso é uma negociação mediada digitalmente (afinal, o cliente achou as canecas por meio da internet), mas não se trata de um e-commerce propriamente dito.

Em um e-commerce, o cliente precisa ter todas as informações disponíveis para tomar sua decisão de compra com clareza. Ele precisa ter autonomia para descobrir, escolher, cadastrar-se, pagar e receber o produto em casa.

Assim, quando perguntamos “o que é e-commerce”, devemos compreender que a resposta para essa pergunta depende de uma experiência. “O que é a experiência do e-commerce?” seria uma pergunta mais acertada e, para respondê-la, iremos conhecer mais sobre as peculiaridades e as vantagens desse modelo de vendas.

Particularidades do e-commerce

O e-commerce pode ser realizado de diversas maneiras. Pelo menos três modos são mais comuns e importantes para conhecer melhor a prática:

  • B2C: o Business to Consumer, ou “do negócio ao consumidor”, é o modelo mais comum de e-commerce, no qual o comerciante negocia diretamente com o consumidor final. Demanda uma análise apurada de público-alvo e investimento em marketing;
  • B2B: o modelo Business to Business, ou “de negócio para negócio”, representa as vendas de produtos ou serviços entre empresas. Geralmente, trata-se de altos volumes de vendas, com uma necessidade maior de negociação e análise de mercado;
  • C2C: neste caso, temos o Consumer to Consumer, ou “de consumidor para consumidor”, em que pessoas físicas negociam entre si. Algumas redes sociais, como o Facebook, já disponibilizam ambientes de venda entre os usuários, por exemplo.

Nos dois modelos mais comuns, B2C e B2B, a negociação com fornecedores é parte fundamental para o sucesso do e-commerce. Não podemos nos esquecer de que uma das particularidades mais marcantes do comércio eletrônico é o preço. A maioria dos consumidores busca, nas lojas virtuais, comodidade e preços mais baixos.

Empresas físicas têm despesas maiores, como aluguel, contratação de funcionários, mais impostos e outros tributos. Já a loja virtual economiza consideravelmente nessas áreas, o que, por consequência, acaba por baratear o valor final de seus produtos.

Dessa forma, é preciso redobrar a atenção no quesito “precificação”. O produto vendido online costuma ser mais barato que o da loja física, tanto por questões de economia de custo quanto por influência da concorrência. O ideal é que o empreendedor crie um planejamento estratégico levando em consideração as seguintes práticas:

  • negocie estoques flutuantes: muitos fornecedores permitem que o estoque de um e-commerce seja rotativo. É possível investir em produtos consignados ou compra com direito à devolução. Ou seja, não vendeu? Devolva. Isso garante menos capital parado e mais dinamismo para sua loja;
  • aproveite os descontos para compras maiores: por outro lado, quando um produto for sucesso de vendas em seu e-commerce, poderá ser vantajoso investir em mais quantidade para obter um desconto maior na compra com seu fornecedor. Esse desconto poderá ser usado para a fidelização de seus clientes online, com promoções especiais e afins;
  • observe o que seu cliente deseja: ao iniciar um e-commerce, um erro muito comum é desenvolver uma cartela de produtos baseada apenas em nosso gosto pessoal. A loja deverá oferecer o que a clientela quer. Vale observar a famosa regra dos 80/20, que diz que 20% dos produtos são responsáveis por até 80% das vendas;
  • fique atento às datas especiais: Black Friday, Dia das Mães, Dia dos Namorados, Natal e outras datas são a grande chance para atrair novos clientes. É nesses momentos que muitos consumidores acessam um site pela primeira vez. Se a experiência for positiva, eles certamente voltarão a comprar.

Quem pode empreender com e-commerce?

Qualquer empreendedor devidamente regulamentado pode abrir seu e-commerce. Obviamente, quanto mais complexo for o seu produto, maior deverá ser o planejamento da sua loja online.

Um empreendedor que resolva vender peças de arte em vidro pela internet terá que pesquisar a melhor forma de entrega. Nesse caso, o produto depende diretamente de uma logística especial. Em outro exemplo, uma loja virtual que venda livros pode se beneficiar com a entrega especial dos Correios, que cobra valores menores para livros e revistas.

Alimentos ou produtos com prazo de validade limitado também precisam de um planejamento especial para manter os estoques sempre girando, evitando encalhes e perdas. Em outras palavras: suas necessidades como comerciante devem encontrar a melhor estratégia para o seu e-commerce

Ter uma loja virtual é perfeito para quem deseja complementar a renda sem ter a necessidade de dedicação exclusiva. A flexibilidade de horários e a facilidade de operação são pontos positivos para quem tem a vida corrida.

Um e-commerce também é uma ótima pedida para quem deseja experimentar uma nova ideia. Antes de desenvolver projetos caros e complexos, é possível iniciar uma loja virtual e testar a aprovação do público. Se surgirem alguns problemas, a correção é simples e eficaz. Se a ideia emplacar, não se acanhe! Use a internet como trampolim para alcançar o sucesso.

Aprenda mais com o quadro Escola Responde:

 

Vantagens do e-commerce

O Brasil é um dos maiores mercados de e-commerce do mundo. Em julho de 2019, as vendas online cresceram mais de 12%, segundo dados do indicador Mastercard. Estamos falando de um mercado que faturou, só em 2018, mais de 53 bilhões de reais, conforme informa a EbitNielsen.

Um dos grandes motivos do crescimento desse setor é que os consumidores brasileiros estão confiando mais na hora de comprar pela internet. Segundo uma pesquisa realizada pelo NZN Intelligence, 74% dos brasileiros confiam em adquirir produtos online. O mesmo estudo apontou que pelo menos 37% dos entrevistados compram alguma coisa no e-commerce todos os meses. Isso prova que o mercado digital deixou de ser apenas uma tendência e está se convertendo num hábito — como ir ao shopping ou ao supermercado.

O alto faturamento e o mercado aquecido são apenas algumas vantagens. O e-commerce oferece ainda diversas outras conveniências, listadas a seguir.

Baixo custo de manutenção

Ter uma loja virtual é muito mais barato que abrir um negócio convencional. Não é preciso uma grande estrutura, pagar aluguel ou ter diversos funcionários.

Possibilidade de ampliar seu mercado

Ao contrário do comércio físico, o comércio virtual não está preso a um bairro ou região. Sua loja poderá atender a qualquer pessoa com acesso digital, abrindo oportunidade para novos clientes e maior expansão do seu negócio.

Aberto 24 horas

Essa é uma das principais vantagens do e-commerce em relação ao modelo tradicional de vendas. Uma loja virtual funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana. Desse modo, o cliente poderá realizar suas compras quando tiver necessidade.

Dois canais de vendas

Está cada vez mais comum que os comércios físicos combinem estratégias em parceria com as lojas virtuais. Isso se chama omnichannel. Um exemplo é a rede de lojas Magazine Luiza, que permite que seus clientes comprem online e retirem o pedido na filial mais próxima. Também é possível estabelecer parcerias com outros lojistas para facilitar a entrega dos produtos numa região.

Maior controle

No e-commerce, é possível controlar com maior precisão o fluxo do seu negócio. A plataforma de gerenciamento de e-commerce oferece relatórios precisos que facilitam a vida do empreendedor. Você saberá de fato quais produtos vendem mais, qual a melhor margem de lucro e outras informações;

Poder trabalhar em qualquer lugar

Um computador e conexão com a internet: eis o que você precisará para gerir a sua loja virtual. A facilidade de locomoção permite que administrar seu e-commerce sem ter que se prender a rotinas ou abandonar seu emprego atual.

Propaganda potente

Imagine ter milhares de usuários online como propagadores da sua marca. Nesse momento, o marketing para e-commerce é muito mais eficiente e dinâmico que o marketing tradicional. Por meio de estratégias voltadas para o comércio eletrônico, é possível utilizar as redes sociais e outros canais para maior divulgação de sua marca.

Como abrir um e-commerce

Na prática, começar um e-commerce é muito mais simples do que parece. O primeiro passo é decidir o que você vai vender. Determinar o público-alvo fará toda diferença na hora de definir suas estratégias.

É importante conhecer dados como faixa etária, classe sociais, principais interesses pessoais etc. Uma boa maneira de obter mais informações sobre o seu público é nas redes sociais. Facebook e Instagram, por exemplo, oferecem ótimas ferramentas de pesquisa que irão dizer mais sobre seus futuros compradores.

Em seguida, é preciso analisar qual tipo de plataforma de e-commerce se enquadra no estilo do seu comércio. Depois, confirme se a plataforma escolhida oferecerá os recursos necessários para o bom desenvolvimento do seu negócio. Há muitas opções no mercado, mas uma boa plataforma precisa ter:

  • confiabilidade: prefira empresas com tempo de mercado e reconhecida competência. Veja se os clientes estão satisfeitos e se a empresa resolve as demandas;
  • preço compatível: considere sempre a relação custo x benefício da plataforma em questão e busque aquela que se enquadre no seu orçamento e nas suas necessidades;
  • suporte de qualidade: tenha certeza de que a empresa irá lhe oferecer todo o suporte necessário para iniciar e gerir seu e-commerce;
  • interface amigável: a regra número um do e-commerce é facilidade. A loja virtual deve ser fácil de gerir e ter uma interface moderna e atraente para seus futuros clientes;
  • gerenciamento de relatórios: cuidar dos estoques, pedidos, vendas, despesas e investimentos da loja online não pode ser um problema. Observe se o plano em questão oferece relatórios claros para facilitar o seu trabalho como gestor;
  • integração com marketplace: sites como Amazon e Americanas permitem que outros comerciantes vendam dentro de seus domínios, fazendo dessa funcionalidade uma das mais importantes para um e-commerce. No mercado brasileiro, a conexão com os principais marketplaces é garantia de mais vendas e maior lucro.

 

Aprenda mais com o quadro Escola Responde:

 

Como ter sucesso com um e-commerce

Então você abriu sua loja virtual seguindo todas as orientações dadas até aqui. Eis que surge a pergunta: como garantir que o novo negócio caia no gosto do público e se mantenha lucrativo e relevante? Preste atenção às seguintes questões.

Observe a concorrência

O universo do e-commerce é realmente muito competitivo. Fique de olho nas principais tendências e observe de perto o que seus concorrentes estão fazendo. É importante manter a originalidade, mas não se esqueça de fazer uma análise de concorrência periódica do mercado ao seu redor.

Escolha a melhor modalidade de entrega

Na hora de criar o seu e-commerce, escolher entre Correios ou transportadora será crucial. Os Correios contam com maior presença nacional, atendendo a quase todos os municípios brasileiros. Por outro lado, sua logística pode ser um pouco ruim e atrasos são comuns. Já as transportadoras costumam ser mais caras, mas com um itinerário mais pontual.

Tenha uma marca sólida

Outro ponto de interesse é registrar sua marca para e-commerce. Em um ambiente com tantas lojas, ter seu estilo próprio é essencial. Registrar uma marca também é uma questão de segurança legal, para evitar problemas de cópia ou conflitos de interesses. Certifique-se de que o nome de sua loja, assim como o de seus produtos, sejam únicos e fáceis de lembrar pelos clientes.

Embalagem é parte da magia

Uma das marcas registradas da Amazon são suas caixinhas, com a famoso logo escrito “de A a Z”. Lembre-se: embalagens personalizadas são o primeiro passo para que o cliente vivencie o produto adquirido. Abrir um produto novinho, recém-chegado, causa no cliente enorme satisfação e facilita o processo de fidelização.

A revolução da era da internet nos trouxe muitas vantagens. Podemos nos comunicar melhor, usamos serviços mais inteligentes e, acima de tudo, vivemos uma nova experiência de compra. Não precisamos mais estar com um produto em mãos para reconhecer seu valor e nossa necessidade.

Agora que você já sabe o que é um e-commerce, também ficou mais fácil tirar do papel seus sonhos e projetos de empreendedorismo. Não é mais necessário ter uma loja física — com elevados custos de manutenção e gestão complicada — para começar um novo negócio de sucesso.

A era do e-commerce está apenas começando e a revolução digital promete ainda oportunidades maiores. E você? Preparado para fazer parte dessa mudança?

Se gostou das dicas, baixe agora nosso e-book gratuito sobre as melhores estratégias de precificação. Com ele, será mais fácil estabelecer as margens de lucro e criar preços mais competitivos em sua loja virtual.

Ficou com alguma dúvida? Faça parte do nosso grupo no Facebook com especialistas em e-commerce e outros lojistas e envie sua pergunta.

Está pensando em criar uma loja virtual? Faça o teste e descubra se você está pronto!

O que é e-commerce? E como ter sucesso nas vendas?
5 (100%) 1 voto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *