O que é Clickbait? Veja os motivos para não usar essa estratégia!

“Descubra de uma vez por todas como ganhar dinheiro dormindo” Viu como esse título é sensacionalista? Esta aí um exemplo clássico de clickbait. Traduzindo do inglês, o termo significa “caça cliques” ou “isca de cliques” e tem como intenção, justamente, utilizar esses títulos sensacionalistas e chamativos em conteúdos nas redes sociais para atrair mais pessoas.

Muito provavelmente você já se deparou, algum momento, com algum tipo de conteúdo na internet que possuía um título extremamente chamativo, e com um certo senso de urgência, não é mesmo?

Aposto também, que após abrir, seja o vídeo, texto, ou postagem com tais características, se deparou com um conteúdo bem mais raso e se graça do que o prometido.

Se isso aconteceu com você, saiba que você foi vítima dos chamados clickbaits, sendo um chamariz extremamente comum para os conteúdos virtuais.

Traduzindo do inglês, o termo significa “caça cliques” ou “isca de cliques” e tem como intenção, justamente, utilizar esses títulos sensacionalistas e chamativos em conteúdos nas redes sociais para atrair mais pessoas.

Muita gente entende que essa pode ser uma boa estratégia para melhorar o uso dos algorítimos das redes sociais, e assim alcançar um público maior.

Entretanto, eles acabam ignorando muitos dos problemas que essa abordagem também pode trazer.

Ficou curioso e quer descobrir mais sobre os chamados clickbaits?

Então continue com a gente que nós vamos te explicar tudo que você precisa saber sobre eles!

O que é Clickbait?

O primeiro passo, então, é entendermos de fato o que são os chamados clickbaits, e qual é o intuito de quem os utiliza.

Dessa forma, conseguiremos entender melhor as outras questões que também envolvem esse tema.

O clickbait nada mais é do que uma estratégia que utiliza de títulos chamativos e para atrair mais cliques para os conteúdos online.

Via de regra, aparece como um link, com um título supersensacionalista, e com uma foto bem apelativa, para gerar interesse no usuário e levá-lo a acessar a página.

Em alguns casos, pode ocorrer da pessoa nem abrir o link, mas acreditar no conteúdo do título, e ainda compartilhar a postagem em suas redes sociais.

Vale ressaltar que é possível encontrar esse tipo de conteúdo nas mais diversas redes, desde Instagram e Facebook, até mesmo no Youtube.

Via de regra, depois que a pessoa acessa o portal onde foi realizada a postagem, ela se depara com um conteúdo que não chega nem perto de entregar o que foi prometido.

Não só isso, como muitas vezes a informação ali presente já seria fraca diante de situações normais, e considerando a expectativa criada, pode ser ainda mais frustrante.

Exemplos de clickbait

Nós apresentamos para você o conceito, mas talvez não tenha ficado tão claro como identificar essa estratégia, na prática.

Por isso, decidimos separar alguns exemplos clássicos de clickbait, para que você possa visualizar melhor do que estamos falando.

São eles:

  • “Você não vai acreditar no que fulana fez para alcançar a fama”;
  • “descubra o segredo para ganhar dinheiro rápido”;
  • “veja o que aconteceu com fulano depois da fama”;
  • “descubra de uma vez por todas o que fazer para perder x quilos”
  • “aprenda a ganhar dinheiro na internet em x dias”

Por acaso já se deparou com algum desses no seu dia a dia?

Como começou o clickbait?

Diferentemente do que você possa imaginar, o clickbait ele não surgiu exatamente com o advento da internet.

Eu sei que isso pode parecer contraditório, afinal, o próprio nome da prática leva a palavra clique, mas a questão é que o conceito de utilizar títulos chamativos em matérias já existe a muito mais tempo.

O primeiro registro histórico do chamado clickbait, muito antes dessa prática receber esse nome, data do século XIX, com a chamada “imprensa amarela” nos Estados Unidos.

Olha só que curioso, esse título de “imprensa amarela” era dado para jornais da época, que estavam mais preocupados em utilizar de manchetes sensacionalistas, com pouco ou nenhum compromisso com a realidade para aumentar as suas vendas.

Lembra muito as práticas atuis não é mesmo?

O que aconteceu foi que com o passar do tempo essa estratégia foi se renovando e se adaptando ao meio em que ela existia, passando desdes as correntes de e-mail, até as postagens em redes sociais.

Por que não usar o clickbait?

Após nós falarmos tanto sobre o que é clickbait, você já deve ter percebido os problemas dessa estratégia, é porque não é uma boa ideia utilizá-la.

A questão está totalmente ligada ao desenvolvimento da sua empresa no longo prazo, afinal, por mais que essa abordagem te proporcione alguns cliques agora, ela pode comprometer a taxa de rejeição do seu e-commerce.

Não é difícil perceber que se a sua empresa passa a adotar essa abordagem, com o tempo o público no geral vai entender qual é a sua estratégia, e isso terá consequências.

Aquele sentimento de se sentir enganado, vai fazer com que pouco a pouco as pessoas nem cliquem mais nos links do seu portal, e a sua marca vá perdendo credibilidade.

É importante se lembrar que essa abordagem vai diretamente na contramão de tudo que prega o marketing digital.

Enquanto nesse modelo nosso objetivo é produzir e oferecer conteúdos que sejam relevantes, e que possam ajudar a resolver os problemas que afetam o público dentro do seu cotidiano, o clickbait não demonstra nenhum tipo de consideração quanto a isso.

Se os conteúdos da sua empresa não oferecem nada de útil para o usuário, por que ele deveria passar a confiar nela?

E depois construir qualquer tipo de vínculo e de relacionamento com o seu negócio?

Os resultados do clickbait são justamente o contrário, e farão com que no médio e longo prazo, as vendas da sua empresa despenquem.

Qual o peso dos cliques na estratégia de marketing?

Os cliques que a sua página recebe ao longo de um determinado periodo desempenham um papel fundamental para o seu e-commerce.

Em primeiro lugar, porque quanto maior for a sua taxa de cliques, ou CTR (Click Through Rate) melhor será o desempenho do seu portal dentro das pesquisas nos buscadores online.

Para quem não sabe, a taxa de cliques é uma métrica para avaliar o desempenho de um determinado anúncio ou propaganda.

Essa conta é feita pela divisão do número de cliques recebidos, pelo número de visualizações, e a partir disso é possível determinar a eficácia da sua estratégia.

Será que vale a pena apelar?

A grande questão que todos esses questionamentos nos levam, é se de fato vale a pena apelar para o clickbait, com o intuito de ganhar mais acessos.

Essa estratégia pode ser muito tetadora, por prometer entregar resultados rápidos, e de forma bem menos trabalhosa do que pelos meios convencionais.

E sendo bem honesto, é bem possível que de fato, em um primeiro momento, você observe esses resultados positivos, e se sinta satisfeito com eles.

O problema é que, na prática, você está enganando o seu público, prometendo coisas que você não pode entregar, e no fim das contas, mesmo que aos poucos, eles vão perceber isso.

O problema não se resume apenas nessas primeiras pessoas que vão deixar de acompanhar os seus conteúdos, mas também a imagem que você vai criar da sua marca.

Pouco a pouco as pessoas vão se habituar a nem prestar atenção nas suas postagens, por saberem se tratar de um conteúdo que, na prática, não entrega nada.

Com isso, será apenas questão de tempo para que a situação se torne insustentável.

O que utilizar ao invés do clickbait?

Então, se não podemos recorrer ao clickbait, como fazemos para atrair o público para as nossas postagens?

Quais estratégias nós podemos utilizar para tentar fazer com que as pessoas acessem o nosso conteúdo, e se interessem pela empresa?

Pode ficar tranquilo, pois existem métodos muito mais éticos e moralmente corretos de serem aplicados, e que ainda por cima se provarão mais eficientes.

Mas preste atenção, aqui nós estamos falando de estratégias de verdade, o que vai pedir dedicação e estudo para que sejam aplicadas de forma eficiente.

Está preparado para descobrir quais as alternativas ao uso do clickbait?

Então siga com a gente!

Utilize marketing de atração

Um dos principais recursos que você pode utilizar no lugar do clickbait, é o chamado marketing de atração.

Ele trabalha com uma ideia, que pode ser considerada praticamente oposta ao clickbait, no sentido de que o foco aqui, é realmente oferecer um conteúdo útil para o usuário.

Basicamente, estamos falando em entregar aquilo que nós prometemos ao público, que se interessará pelo conteúdo de forma genuína, justamente por apresentar uma solução para o seu problema.

Ou seja, o foco é produzir conteúdos ricos, que são realmente uteis, e por isso ganharão relevância entre as pessoas.

Dessa forma, o cliente sentirá que aquilo foi útil para ele, e passará a buscar a marca quando tiver um problema que necessita de resolução, justamente por confiar nos resultado.

Invista em credibilidade

Obviamente que toda empresa deseja aumentar o alcance da sua página, ou seja, receber mais visualizações, cliques e compartilhamentos.

De fato isso é importante, e com mais gente conhecendo a sua marca, as chances de vendas serem realizadas aumentam, não é mesmo?

Nesse sentido, o clickbait te promete justamente que mais pessoas conhecerão a sua marca em menos tempo, mas será que isso é positivo?

Se você tem um e-commerce, você deve saber muito bem que por mais acessos que você receba, se a taxa de conversão não for boa, as coisas não irão bem, não é mesmo?

E esse é o grande problema, o clickbait pode até fazer sua marca mais conhecida, mas essa fama é negativa, como o de uma empresa em que ninguém confia.

Por isso, investirem melhorar a credibilidade da sua marca é fundamental, e é o que de fato pode fazer com que as suas vendas e sua taxa de conversão melhorem.

Prepare títulos amigáveis para SEO

Outras das melhores estratégias para substituir o clickbait, e, ao mesmo tempo aumentar a visibilidade da sua marca, é utilizar estratégias de SEO em seus títulos.

A ideia aqui é buscar palavras-chave para serem adicionadas tanto no título quanto ao longo do conteúdo que sejam relevantes para o conteúdo que está sendo produzido por você.

É claro que apenas adicionar qualquer palavra-chave não é o ideal, e você deve buscar aquelas que parecem ser as mais relevantes e que atraem mais pessoas para o seu conteúdo.

Com isso, você verá ser possível aumentar os seus cliques e acessos sem precisar recorrer aos truques sujos do clickbait.

Corresponda as intenções de pesquisa do usuário

Mais uma questão que é importante estar atento, é a adequação do seu conteúdo a intenção de pesquisa do usuário.

Existem 4 tipos de intenções de pesquisa principais, são elas:

 

  • Intenção de navegação: é basicamente quando a pesquisa do usuário indica apenas que ele pretende navegar para um site específico, ou então o seu em torno. Um exemplo disso seria uma busca como “site da Netshoes”, ou seja, o interesse dele está focado naquela marca.
  • Intenção informativa: Nesse cenário, o cliente já está buscando informações sobre um determinado tipo de pesquisa, e isso vai ser representado em sua pesquisa. Um exemplo desse cenário poderia ser “como escolher uma boa chuteira?”.
  • Intenção de investigação comercial: Aqui o cliente está buscando informações para ajuda-lo a tomar a melhor decisão na hora da compra. No caso, ele já está na etapa de realizar comparações entre as marcas para decidir qual delas é melhor, podemos ver esse comportamento no exemplo de pesquisa “Adidas x Nike”.
  • Intensão transacional: Nessa etapa o cliente já decidiu que realizará a compra, e está agora pesquisando a melhor proposta e valor. Podemos ver isso no exemplo de pesquisa “chuteira nike a venda” ou “comprar chuteira da nike”.

O importante aqui, é saber utilizar essas informações para adequar o conteúdo para cada uma das intenções do cliente, garantindo que ele encontre o que procure.

Conheça o emotion-bait

Por fim, o emotion-bait é a grande alternativa da vez, que tem se popularizado bastante nos últimos tempos como uma alternativa ao clickbait.

A ideia, nesse caso, é que não tem problema haver um certo tempero nos títulos, um mistério, ou outros elementos criativos que o tornem mais atrativos para quem os vê.

A grande questão aqui é que o conteúdo deve estar a altura da chamada mais apelativa, então não coloque nela algo que você não conseguirá corresponder.

De resto, sinta-se à vontade em usar os títulos para atiçar a curiosidade ou influenciar o usuário a acessar o site, se entregar o que está prometendo, não haverá nenhum problema.

Enfim, o clickbait não surgiu agora, e nem deve desaparecer tão cedo, mas por mais que ele possa parecer tentador, lembre-se que no fim, não valerá a pena.

Além das questões éticas e morais envolvidas, a estratégia não é eficiente, podendo até aumentar os cliques por um tempo, mas sendo algo que não se sustentará, e apenas acabará com a credibilidade da marca.

Esperamos que o nosso conteúdo tenha sido útil para você, e caso queira aprender mais sobre estratégias de marketing para melhorar as suas vendas acesse o nosso blog para continuar a sua leitura!

Não há comentários ainda. Seja o primeiro a escrever um.

Deixe seu comentário