Empreendedorismo on-line: 8 dicas para começar seu negócio
Segmentação de público-alvo: saiba como fazer em 9 passos

Como conseguir novas ideias para negócios digitais?

Publicado em: • Última Atualização:

Você pensa em abrir um negócio online? Ótimo! A internet é mesmo um excelente meio para empreender, oferecendo diversas ferramentas e materiais feitos justamente para ajudar nesse processo. Sim, nós vamos falar sobre essas possibilidades no post de hoje!

Mas é preciso dar um passo essencial antes de colocar a mão na massa: ter uma ideia. Como sabemos que essa fase pode ser um pouco difícil, resolvemos reunir neste guia 13 dicas para você conseguir novas ideias para possíveis negócios digitais. Confira agora mesmo!

Por que trabalhar com negócios digitais?

Antes de mais nada, saiba: o mercado de e-commerce segue em expansão no Brasil. Em 2016, o setor faturou mais de 44 bilhões de reais só no Brasil, sendo que a expectativa de crescimento para 2017 é bater 12%. Só esses dados já são ótimos incentivos para quem deseja começar a empreender, não concorda? Mas existem ainda outras vantagens em apostar no mercado digital. Continue acompanhando para entender!

Investimento baixo

Vamos ser diretos: começar um novo negócio não costuma ser nada barato. Afinal, é preciso levantar recursos para cobrir despesas que vão desde a montagem de uma boa infraestrutura, passando pela compra de equipamentos, matéria-prima e insumos, até a contratação de pessoal, o estabelecimento de consultorias (fiscais e jurídicas) e, claro, o pagamento de impostos.

A boa notícia é que existem sim excelentes alternativas para empreendedores de primeira viagem! Estamos falando, por exemplo, das franquias, modelo em que o franqueado conta com o know-how e o suporte do franqueador, além do próprio peso da marca. De toda forma, mesmo nesse caso, os investimentos iniciais podem facilmente ultrapassar os 100 mil reais.

Franquias virtuais, por outro lado, normalmente são mais acessíveis, com valores a partir dos 5 mil reais. Afinal, não é preciso alugar imóveis ou mesmo lidar com muito da burocracia exigida pelos negócios convencionais — como alvará de funcionamento e autorização dos bombeiros. Na prática, você só precisará de um computador e uma boa plataforma de e-commerce, além de lidar com os custos diretos do negócio — como a contratação de um serviço de entregas ou a montagem de um estoque, se for o caso.

Liberdade profissional

Montar o próprio horário e escolher onde quer trabalhar: há até pouco tempo, esses pareciam ser benefícios que só profissionais liberais ou freelancers podiam ter. Graças ao e-commerce, porém, hoje em dia é sim possível ser dono do próprio negócio sem perder a flexibilidade.

Isso é especialmente importante para quem conjuga um trabalho regular com o empreendedorismo, permitindo que o profissional aproveite os momentos de folga para cuidar da loja, mantendo o contato com o dia a dia do negócio. Afinal, um e-commerce pode ser monitorado via programas e aplicativos acessíveis tanto em computadores quanto em dispositivos móveis, como celulares e tablets.

O resultado é visto em forma de melhoria do conforto geral, bem como da possibilidade de agregar a renda do empreendimento com a de um outro trabalho. Consequentemente, o lojista digital ganha uma significativa melhora na sua qualidade de vida.

Disponibilidade integral

Se, por um lado, o lojista consegue trabalhar apenas nos horários escolhidos, por outro, os compradores têm à disposição uma loja aberta 24 horas. Afinal, um e-commerce fica online ininterruptamente durante os 7 dias da semana, permitindo visitas e compras a qualquer momento.

A comodidade oferecida ao público viabiliza um fluxo constante de caixa, já que as transações não têm hora para acontecer. Já as lojas físicas costumam estar com as portas abertas apenas em horário comercial, durante dias úteis. E ainda que abram nos turnos noturnos, em feriados, sábados e domingos, essa flexibilidade exige custos extras que vão desde o aumento da conta de luz ao pagamento de horas extras aos funcionários.

Divulgação facilitada

Você por acaso consegue se lembrar da última compra que fez (em especial de produtos mais caros, como gadgets) sem antes pesquisar na internet? A verdade é que os consumidores modernos não abrem mão de fazer uma busca no Google ou de consultar amigos nas redes sociais antes de fechar qualquer negócio. E essa mudança nos hábitos de consumo beneficiam diretamente o e-commerce.

Nesse cenário, ao fazer uma pesquisa sobre determinado produto na rede, o consumidor pode acabar encontrando sua loja — especialmente se sua página contar com uma boa estratégia de SEO. Além disso, o e-commerce pode ser facilmente integrado a outras ferramentas, como as redes sociais. Dessa forma, é possível planejar e monitorar a eficiência de ações de marketing em pontos estratégicos, como Facebook e Instagram.

Vale lembrar que o marketing digital é muito mais barato que o tradicional, aquele baseado na compra de espaços para propagandas — como outdoors, redes de TV ou rádio. Fora que ainda permite o controle de resultados tendo como base métricas confiáveis, o que traz precisão para a tomada de decisões.

Por fim, devemos lembrar também que a divulgação boca a boca pode ser muito mais eficiente em um ambiente online, já que os próprios clientes conseguem compartilhar sua experiência (seja ela boa ou ruim) com produtos e serviços em suas redes sociais.

Ferramentas gerenciais

Pode acreditar: gerir uma empresa digital é muito mais simples do que você provavelmente imagina. Isso porque são vários os serviços pensados justamente para ajudar a criar um novo negócio nesse meio, bem como para controlar todos os seus aspectos contábeis, fiscais, logísticos e de marketing. E o melhor exemplo vem das plataformas de e-commerce.

Esse tipo de recurso permite que o lojista crie um site agradável e funcional, que funcione não apenas como uma vitrine, mas também permita a gestão correta do estoque, a integração com as redes sociais e o uso de técnicas de SEO, essenciais para dar visibilidade a seu comércio em buscadores.

As plataformas de e-commerce ainda viabilizam a integração com meios de pagamento e serviços simplesmente imprescindíveis para negócios online, como gateways ou intermediadores para o recebimento de transferências via cartões de crédito e débito, boleto bancário e muito mais.

Por fim, vale lembrar que as plataformas garantem escalabilidade aos negócios, que podem ser aprimorados na medida do próprio crescimento, recebendo mais recursos ou poder de processamento. Tudo isso sem ter que aumentar os custos proporcionalmente à elevação da lucratividade! Dessa forma, a rentabilidade do e-commerce cresce em um ritmo muito mais acelerado que os gastos em infraestrutura digital.

Como conseguir novas ideias para negócios digitais?

A essa altura, você já sabe que apostar em e-commerce significa buscar uma boa fonte de renda sem perder qualidade de vida, certo? Mas isso não basta. Para alcançar o sucesso, é essencial escolher o negócio certo! A seguir, mostraremos exatamente o que deve ser levado em conta antes de você abrir sua empresa online. Confira!

Foque em se conhecer

Antes de decidir com o que quer empreender, é fundamental que saiba do que realmente gosta e onde quer estar no futuro. Que estilo de vida deseja alcançar? Quais são seus sonhos? Por quais temas você é apaixonado? Com o que gostaria de trabalhar?

Responder a essas perguntas é importante, pois impedirá que você se deixe levar por propostas que a princípio parecem boas, mas que, na verdade, não têm relação alguma com as coisas pelas quais realmente se interessa. É simples: como trabalhar com o que se gosta é muito mais fácil, tende a ser também bem mais produtivo.

Estude mais

Para o bom empreendedor, a busca por conhecimento técnico deve ser prioridade. Livros de empreendedorismo normalmente indicam diversas ferramentas e contam histórias que ajudam na busca por uma nova ideia ou mesmo na sua implementação. Blogs e cursos de capacitação também costumam ajudar bastante.

Se seu interesse apontar para o e-commerce, por exemplo, procure por um guia passo a passo sobre o assunto! O segredo está em dividir o tempo entre teoria e prática, não deixando nenhum dos 2 de lado.

Reconheça tendências

Tendências nada mais são que inclinações do mercado para um futuro próximo. Como fazemos parte de um país emergente, saiba: há muitas tendências que já estouraram no exterior, mas ainda nem sequer chegaram ao Brasil. Assim, principalmente se você domina o inglês, uma boa pedida é procurar por fontes gringas para saber o que rola lá fora.

Um site interessante é o americano Trendwatching. Lá você encontra tendências mundiais, assim como relatórios específicos sobre a América do Sul, incluindo algumas histórias de marcas brasileiras. Além dele, o TED posta palestras sobre as últimas inovações em diversos temas que podem servir de inspiração.

Procure por nichos promissores

Estar atento às tendências também é essencial para direcionar o olhar rumo a negócios que aparentam ser realmente promissores. Nesse sentido, ainda é possível avaliar modelos de negócio e nichos de mercado que já são realidade no presente e se mostram lucrativos. Confira as opções que separamos!

Pets

O mercado envolvendo o cuidado com animais de estimação continua em alta. Afinal, sabia que o Brasil possui a maior população pet do mundo, estimada em 50 milhões de cães e mais de 20 milhões de gatos? Isso justifica a proliferação de petshops e clínicas veterinárias por todo o país, que vêm oferecendo atendimentos em domicílio para consultas, banho e tosa como diferencial.

Para quem trabalha com e-commerce, vale a pena apostar na comercialização de acessórios para pets, como coleiras, roupinhas e brinquedos, assim como em itens de alimentação, como rações e petiscos. Outra boa pedida é investir em uma novidade que só tem a crescer: a alimentação saudável para bichinhos.

Moda

Um nicho em alta já há bastante tempo é a venda de acessórios de moda via internet. São joias, semijoias e bijuterias que podem ser importadas e revendidas para o país afora, bem como itens produzidos de forma artesanal e personalizada. Como a exclusividade é o grande diferencial desse segmento, é preciso oferecer itens de qualidade, mas que estejam fora da carteira de produtos de grandes varejistas.

Também vale a pena prestar atenção ao mercado de brechós e bazares virtuais. Quando bem apresentados, os produtos de segunda mão têm encontrado boa saída, principalmente por serem exclusivos e estarem alinhados com ideias de sustentabilidade — conceito cada vez mais valorizado pelo consumidor do século XXI.

Acessórios automotivos

Você certamente já ouviu dizer que o povo brasileiro é apaixonado por carros, não é mesmo? A boa notícia é que essa paixão não é aproveitada apenas por montadoras e concessionárias! Pequenos e médios empreendedores também vêm conseguindo ótimos resultados com a comercialização de acessórios e equipamentos automotivos via internet.

As oportunidades desse nicho vão desde a venda de equipamentos básicos, como pneus e lanternas, passando por itens de personalização, como estofados originais ou outros produtos decorativos, até chegar a acessórios tecnológicos, como equipamentos de som e vídeo. Nesse mercado, também vale destacar serviços online ligados ao aluguel de carros e mesmo consórcios e financiamentos que podem ser contratados quase integralmente por meio de sites.

Alimentação

Não são apenas os pets que estão consumindo mais alimentos saudáveis, viu? As pessoas também vêm se alimentando cada vez melhor! Para empreendedores, isso significa oportunidade de produção e venda de produtos orgânicos, alimentos voltados para pessoas com necessidades específicas (como intolerantes à lactose ou a glúten) e mesmo a comercialização de refeições vegetarianas ou veganas.

E acredite: os consumidores de hoje também se preocupam com a cadeia de produção dos alimentos que chegam à mesa de suas casas. Assim, empresas que trabalham com pequenos produtores rurais (associados ou não) acabam automaticamente oferecendo um diferencial competitivo.

Existem hoje desde restaurantes que usam o e-commerce para vender refeições completas até lojas especializadas em nichos bem reduzidos de mercado, como aquelas que fornecem insumos para atletas. De toda forma, mesmo para quem está no mercado tradicional, vale a pena investir em lojas virtuais ou na presença em marketplaces para aumentar sua área de atuação.

Bebidas

Até mesmo as pequenas distribuidoras de bebida estão conseguindo aumentar seus lucros com o apoio de ferramentas digitais. Lojas virtuais, aplicativos dedicados e até a abertura de canais de comunicação via mensageiros (como o WhatsApp) aumentam o alcance dessas empresas junto ao consumidor final.

Mas não são só os empreendedores de bebidas tradicionais que vêm desbravando esse nicho! Produtores de bebidas artesanais, como cervejas e cachaças, já conseguem conquistar visibilidade com menos dificuldade por venderem suas mercadorias com o apoio da internet.

Serviços de assinatura do segmento também têm crescido! Nesse caso, pagando uma mensalidade, o cliente recebe periodicamente itens diferentes em casa. Assim, pode ter acesso a vinhos, licores ou cervejas diferenciados por um preço fixo, com a comodidade da entrega em domicílio e a certeza de que os produtos passaram por uma boa curadoria.

Cursos e infoprodutos

O conhecimento também pode ser bastante lucrativo no mundo do e-commerce. Pela internet, é possível oferecer aulas particulares que vão do ensino de línguas, passando por cursos técnicos e profissionalizantes até alcançar a consultoria corporativa. Tudo pode ser feito por meio de salas virtuais, com o uso de videoconferência, por exemplo.

Também é possível oferecer materiais ricos, conhecidos como infoprodutos. Estamos falando de e-books, planilhas, modelos de negócio e até softwares para organização pessoal ou empresarial, que podem ser vendidos de forma independente ou servir como um catálogo de apoio a seu curso ou aula online.

Brindes e brinquedos

Chaveiros, camisetas, pen drives: o mercado de brindes é tão variado quanto procurado por empresas que desejam agradar clientes, parceiros ou mesmo a equipe interna. Em geral, esse segmento exige uma boa logística de importação e venda ou o estabelecimento de uma fábrica própria, ainda que seja uma planta industrial pequena.

Da mesma forma, o mercado de brinquedos também está em alta. Nesse caso, quem não quer (ou não pode) importar ou fabricar seus produtos de forma industrial pode optar por investir em brinquedos artesanais, como carrinhos de madeira ou bonecas de pano. Esse mercado vintage está em crescimento e atrai clientes que desejam ter produtos personalizados, exclusivos e com uma boa dose de nostalgia.

Identifique possíveis incômodos

Uma empresa lucrativa oferece soluções para problemas difíceis, certo? Por isso, pergunte-se: que problema meu negócio poderia resolver? No dia a dia, tente perceber grandes incômodos que tanto você como as pessoas mais próximas possuem e que poderiam ser resolvidos.

Atente para falhas em serviços que usa e em produtos que consome, ao mesmo tempo em que tenta encontrar soluções para promover melhorias. Dessa forma, você aguça seu faro em dar resposta a perguntas, resolvendo problemas reais. Com essa prática, você eventualmente terá bons insights, podendo alinhá-los ao que pretende com negócios digitais.

Considere um copycat

O copycat é a adaptação de um modelo de negócio estrangeiro para seu país. Daí vem o termo copy, de cópia. Entenda: nada impede que você copie algo que funciona em outro lugar, trazendo a ideia para o cenário nacional, desde que adaptando os pontos necessários a essa nova realidade.

Para descobrir novos negócios, você pode pesquisar em sites estrangeiros ou até mesmo viajar para ver in loco. Nesse caso, entretanto, é preciso tomar alguns cuidados envolvendo legislação. Aliás, há empresas no exterior que não funcionariam no Brasil justamente por esbarrarem em questões legais.

Pesquise o mercado

Conhecer bem o mercado é essencial para montar qualquer negócio. Afinal, não basta apenas ter uma ideia boa se não tiver ninguém disposto a pagar por ela! Fazer uma boa pesquisa de mercado fornece material para embasar suas decisões de gestão, adaptar-se ou conhecer novas lacunas. Melhor prevenir que remediar, não é mesmo?

Então faça pesquisas de campo, falando com pessoas e comerciantes, além de realizar uma boa pesquisa online. Diversas empresas produzem e publicam documentos riquíssimos sobre a situação do mercado nos mais diversos setores — um bom exemplo é a Ebit, que gera um relatório semestral sobre o e-commerce no Brasil.

Leia cases de negócios digitais

Com a internet, ficou muito difícil inventar algo do zero. Teve uma ideia que parece inovadora e viável? Então se certifique de que ninguém pensou em algo parecido antes! Para isso, leia cases de empresas semelhantes. E se, na verdade, sua ideia foi descartada por algum empreendedor?

Ler histórias de sucesso oferece um novo leque de possibilidades. Você pode, por exemplo, pegar diversas concepções já existentes em diferentes cases, misturá-las e criar algo único! Além disso, será possível ver como aqueles projetos foram colocados em prática e seguir certos caminhos já experimentados por outros empreendedores.

Converse com outras pessoas

Pergunte a amigos ou pessoas que entendem ao menos um pouco de empreendedorismo sobre possíveis ideias para negócios digitais. Conte a elas o que você já pensou e escute atentamente os feedbacks recebidos.

Além de conversas com colegas próximos, procure também por um mentor ou alguém experiente em empreendedorismo, marketing e administração para conversar sobre esses assuntos. Não tenha medo de expor dúvidas ou sonhos, pois eles certamente serão mais bem trabalhados quando você falar a respeito.

Compareça a eventos

Procure por eventos em áreas afins a negócios digitais. Eventos de empreendedorismo, comunicação e administração, por exemplo, fornecem mais material para o desenvolvimento de novos projetos.

Procure também por eventos na área em que você deseja trabalhar. Se quiser se envolver com artesanato, por exemplo, visite feiras sobre o tema. Comparecer a esses espaços também facilita o engajamento em conversas com pessoas experientes no ramo, que podem acabar ajudando bastante.

Anote tudo

Ande com um caderninho de anotações ou um bloco de notas simples para registrar tudo o que vier à sua cabeça relacionado à abertura do negócio. Você também pode usar aplicativos de notas, como Evernote ou Google Keep.

Mesmo que algumas ideias pareçam absurdas, registrá-las ajuda a criar novas conexões com outros tópicos no futuro. Anote referências e ideias interessantes que encontrar na internet, em livros ou eventos. Esses registros poderão ser acessados posteriormente, facilitando assim o processo de criação.

Saia da inércia

Neil Patel é um empreendedor bem-sucedido e influente no meio dos negócios digitais. Já ouviu falar? Segundo ele, em artigo para a revista Forbes, fazer qualquer coisa é o melhor caminho para ter a ideia perfeita de negócio. E como sair da inércia pode ser o passo mais difícil, criar algo, mesmo que não seja perfeito, é extremamente válido.

Não espere ter o melhor empreendimento logo de primeira. Várias tentativas podem ser necessárias para chegar ao pote de ouro. Você pode ter medo de falhar, mas falhar é justamente o que forma empreendedores de sucesso. É por isso que fail fast, succeed faster é um tema comum entre startups — traduzindo livremente: falhe rápido e se torne um sucesso mais rápido ainda.

Relaxe

Já reparou como algumas das melhores ideias vêm durante um banho quente ou uma caminhada tranquila? Pois isso não é coincidência! Enquanto estamos relaxados, a mente trabalha em soluções para problemas complexos, mesmo que não percebamos.

A lógica é a seguinte: o cérebro cria novas conexões neurais enquanto descansamos. Tudo fez sentido agora, não é verdade? Por isso, se estiver com dificuldades em progredir com soluções, simplesmente relaxe!

Por fim, se gostou das nossas dicas, que tal compartilhá-las com amigos e colegas nas suas redes sociais?

Ficou com alguma dúvida? Faça parte do nosso grupo no Facebook com especialistas em e-commerce e outros lojistas e envie sua pergunta.

Está pensando em criar uma loja virtual? Faça o teste e descubra se você está pronto!

Como conseguir novas ideias para negócios digitais?
Avalie esse artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *