Termos e Condições para loja virtual: letras miúdas, mas importantes!
Seu sonho é uma loja virtual de acessórios femininos? Veja como começar!

8 dicas de negociação com fornecedores para o gestor de e-commerce

Publicado em: • Última Atualização:

Um gestor que queira ajudar seu comércio a progredir precisa se dedicar a diversas operações logísticas e estratégicas fundamentais. Uma delas diz respeito a saber fazer boa negociação com fornecedores.

Isso porque é importante que os insumos sejam de qualidade para que o produto final atinja as expectativas dos clientes. Ao mesmo tempo, eles não podem ser muito caros, o que poderia deixar a empresa em desvantagem pelo baixo lucro na venda.

Por isso, ao fazer a gestão da loja virtual é necessário buscar acordos favoráveis, já que eles influenciam consideravelmente no sucesso do negócio. Acompanhe o artigo e veja algumas dicas para aplicar no seu e-commerce!

1. Faça um planejamento

Para qualquer tipo de negociação é primordial ter em mente aonde se quer chegar. Sendo assim, avalie o que exatamente sua empresa precisa, quantas unidades etc.

É possível ter uma visão mais analítica das necessidades da loja ao observar e anotar, durante alguns meses, detalhes como:

  • quantidade de itens consumidos para cada tipo de produto;
  • tempo que leva para o estoque desse produto chegar a zero;
  • período que leva para que o fornecedor entregue a mercadoria.

A partir disso, o gestor pode traçar estratégias, encomendando a quantidade adequada de itens com bons descontos, mas sem correr o risco que se deteriorem no estoque.

2. Não se deixe levar pela emoção

Na hora da negociação com fornecedores, tente ter uma postura mais racional, evitando se levar pelo emocional. É importante pensar, primeiro, nos benefícios que tal acordo traria à loja.

Essa dica é importante porque, muitas vezes, o gestor tem uma relação mais íntima com algum tipo de fornecedor, o que dificulta uma conduta mais assertiva. Ainda que pareça clichê, a expressão “amigos, amigos, negócios à parte” resume o que essa dica significa.

Caso perceba que não será possível conseguir aquilo que seja favorável à empresa, talvez essa relação não seja produtiva aqui.

3. Tenha um plano B

É importante contar com um fornecedor de confiança, que tenha produtos bons e consiga entregar a mercadoria no tempo programado. No entanto, imprevistos acontecem e, mesmo que a pessoa seja honesta, pode acontecer de ela não conseguir seguir com o combinado.

Por isso, um gestor precavido deve ter sempre um plano B. Isso quer dizer ter contato com outros fornecedores que também sejam confiáveis para suprir uma demanda inesperada.

Para se organizar quanto a isso, tenha listas. Coloque os bons fornecedores e suas classificações quanto à qualidade da mercadoria e prazo de entrega. Adicione todos os tipos de produtos e o nome de cada um. Isso deixará mais fácil o processo de busca.

4. Construa um relacionamento

Não são só os clientes que têm de ser fidelizados. Construir uma relação assim com os fornecedores confere benefícios mútuos. Quando se tem confiança dos dois lados e quando as demandas são constantes, é possível trabalhar com mais descontos, por exemplo.

O que o lojista tem de buscar é uma relação ganha-ganha. Unir interesses como prazo de entrega e quantidade encomendada é uma maneira de fazer isso.

Mas como conseguir sucesso na relação? Uma boa forma é combinar reuniões periódicas, a fim de aumentar os laços e deixar o outro a par de algumas estratégias. Dar feedbacks pode, ainda, ajudar os fornecedores a desenvolver melhorias e construir mais confiança no relacionamento.

5. Não force acordos

A negociação com fornecedores tem de ser feita com paciência. Caso contrário, o lojista passa uma imagem de que está desesperado para adquirir os insumos e que aceita qualquer condição por eles.

Ainda que a pressa seja realidade, é importante ter cuidado para não cair em acordos que sejam prejudiciais ao desempenho da loja. Seguir a primeira dica dada neste artigo já é um passo para não cair nessa armadilha, já que o gestor consegue mais tempo para se planejar.

Saiba que tão importante quanto vender bem é fazer aquisições eficientes. O lucro final das vendas depende de quão proveitosa foi a compra do insumo.

6. Entenda o mercado

Dependendo do mercado ou nicho no qual o comércio está inserido, é possível que ele esteja passando por dificuldades, como situação econômica, altos impostos ou greve da categoria. Isso tudo impacta na negociação, já que os próprios fornecedores têm dificuldade em repassar as mercadorias. Assim, de acordo com o cenário, o lojista pode conseguir mais ou menos descontos.

Além disso, é importante saber como os concorrentes fazem suas negociações e que tipos de benefícios conseguem com elas. Isso dará maior compreensão de como essas relações funcionam e qual proveito se pode tirar delas.

Ainda dentro desse ponto, é relevante entender que comércios B2B e B2C têm necessidades diferentes e, por isso, os acordos seguem suas peculiaridades.

7. Programe as compras recorrentes e as casadas

Existem alguns produtos que têm bastante liquidez, ou seja, saem com uma frequência grande do e-commerce. Saber quais são eles, é fundamental para se programar e, também, deixar agendada a recompra com os fornecedores. Essa continuidade na aquisição colabora para aumentar a fidelização e os descontos.

Tenha sempre em mente que em urgências o poder de negociação diminui e os riscos aumentam. As compras casadas também são ótimas formas de negociação, já que adquirindo mais de um produto de um mesmo fornecedor facilita o barateamento do custo total.

8. Faça contratos

Outra dica fundamental é fazer contratos escritos. Eles precisam especificar o que foi encomendado, a forma de pagamento, o valor total e as possíveis consequências para os atrasos de entrega e os produtos danificados.

Então, por exemplo, discriminar multas e penalidades que cada parte pode sofrer é uma forma de se proteger contra adversidades e irresponsabilidades. Ter isso bem claro para as duas partes evita confrontos futuros e deixa todos mais seguros, sabendo quais são suas responsabilidades e seus direitos.

Tenha essas dicas em mente na negociação com fornecedores para que você consiga alinhar as estratégias e os objetivos da empresa. Entenda que construir uma boa relação leva tempo e demanda bastante cuidado, mas é vital para que os acordos sejam vantajosos.

Gostou do artigo? Compartilhe-o com os amigos em suas redes sociais para que as informações importantes cheguem a outras pessoas!

Ficou com alguma dúvida? Faça parte do nosso grupo no Facebook com especialistas em e-commerce e outros lojistas e envie sua pergunta.

Está pensando em criar uma loja virtual? Faça o teste e descubra se você está pronto!

8 dicas de negociação com fornecedores para o gestor de e-commerce
Avalie esse artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *