Precificação de produtos online: entenda como calcular seu preço
Passo a passo: aprenda como abrir uma franquia e conquiste o sucesso

Monte a sua loja de decoração online em 7 passos simples

Publicado em: • Última Atualização:

As expectativas para o comércio eletrônico em 2018 são bastante otimistas. Segundo a E-bit, o e-commerce brasileiro deve crescer 12% neste ano, o que representa um faturamento de mais de R$ 53 bilhões. Além do setor de eletrônicos e eletrodomésticos, muitas categorias vem somando ao crescente aumento da rentabilidade desse mercado.

No ano passado, o segmento de Casa e Decoração foi um dos grandes destaques em termos de faturamento. A previsão é que o setor acompanhe a expansão esperada para o e-commerce em 2018.

Se você pretende investir em uma loja de decoração online, este post veio para ajudar você com as principais etapas de estruturação do seu futuro projeto. Continue lendo!

1. Montando um plano de negócios

Quais são os seus objetivos em longo e curto prazo? Como fará para atingir as metas propostas? O planejamento é a primeira etapa e o seu maior guia para construir um empreendimento de sucesso. Você talvez não tenha percebido, mas já começou a montar um plano de negócios quando definiu um nicho para focar os seus esforços.

É preciso buscar o máximo de informações sobre o mercado em que seus produtos se encaixam. Não se engane, pois o foco de suas ações não será em vender produtos e sim em compreender os anseios do público-alvo. O sucesso da sua futura loja de decoração online está nas necessidades dos clientes que ainda não foram atendidas pelos concorrentes.

Entender em quais canais sua loja atuará e o quanto será gasto em processos para colocá-la no ar faz parte do seu plano de negócios. Para não se perder em meio aos gastos, determine um montante anual e divida-o igualmente entre os meses. Não se esqueça de contabilizar gastos com automações e definir um orçamento para marketing!

2. Escolhendo a plataforma de e-commerce

A plataforma será a principal ferramenta que definirá todo o desempenho do seu futuro projeto. Por isso, atenção redobrada nessa escolha!

Para decidir a melhor plataforma para vender online, verifique qual delas oferece recursos adequados à escalabilidade do seu negócio. Você não quer, em pouco tempo, migrar de plataforma e ter o trabalho de recomeçar quase tudo, certo? Seu sistema de e-commerce deve oferecer recursos como:

Adaptação para dispositivos móveis

Cada vez mais transações são realizadas pelo celular e, por isso, sua loja deve se adaptar aos diversos formatos de tela, com um layout responsivo ou exclusivamente mobile.

Interatividade com o produto

Sua plataforma deve permitir a implementação de diversas estratégias de comunicação visual, como zoom nas imagens e vídeos de produto. É fundamental que uma loja de decoração online venda personalidade além de simples objetos. A apresentação dos produtos deve ser o mais interativa possível, com uma vitrine gerenciável de acordo com sua tática de venda.

SEO amigável

Ser facilmente encontrado pelos mecanismos de busca é uma das estratégias mais importantes para gerar tráfego orgânico para sua loja e economizar com anúncios pagos. Sua plataforma deve ter a melhor performance em SEO e oferecer facilidade de gestão.

Integração com marketplaces

Um e-commerce de respeito proporciona ao lojista a chance de vender de forma multicanal. Por isso, seu sistema de loja virtual deve oferecer integração com marketplaces para que você consiga vender em grandes players do mercado varejista.

Velocidade no carregamento

Entregar a maior velocidade é muito importante para manter e aumentar a taxa de conversão. Segundo o Google, apenas um segundo de lentidão no carregamento já influencia em 20% nas conversões. Assustador, não é mesmo?

De maneira geral, sua loja deve facilitar o suficiente para que você possa se despreocupar e manter o foco no cliente.

3. Definindo meios de pagamento

Você já deve conhecer os meios de pagamento mais comuns e ter alguma ideia de quais deles oferecer. Tendo em vista que o maior volume de compras na internet é realizado com cartões de crédito, oferecer o diferencial de pagamento com dois cartões pode ser uma ótima ferramenta para elevar o ticket médio. Para gerir essas transações, existem três maneiras: os intermediadores, os gateways e as integrações diretas com operadoras de cartão de crédito.

Intermediadores

São os mais recomendados para lojistas de primeira viagem. Eles garantem a segurança da transação e costumam receber pagamentos conforme as necessidades do seu cliente — cartão de crédito, boleto bancário, saldo, dentre outros. O intermediador funciona sob cobrança de uma taxa fixa por transação e uma porcentagem sobre o valor da venda. Nessa categoria, o PayPal é um dos mais reconhecidos.

Gateways de pagamento

Funcionam como uma máquina de cartão de crédito. O contrato é realizado diretamente com um banco ou bandeira de cartão e, quando o cliente efetua o pagamento, o dinheiro cai diretamente na conta do lojista. Para garantir a segurança de ambas as partes, é necessária a contratação de um sistema antifraude.

Integrações diretas

Operadoras de cartão de crédito como a Cielo funcionam de uma forma mais complexa e que demanda um time de programadores para realizar a comunicação com a empresa de cartão de crédito.

4. Garantindo a segurança do site

A grande preocupação em relação às transações comerciais realizadas pela internet é a segurança das informações. Para não perder nenhuma venda por conta dessa questão, é fundamental investir em deixar os usuários confortáveis mostrando que existe uma preocupação real em proteger dados pessoais e financeiros.

O SSL é um recurso obrigatório em lojas virtuais e funciona protegendo dados informados em formulários de cadastro e checkout.

5. Montando estratégias de marketing

Em um mercado cada vez mais competitivo, é um grande desafio trabalhar com marketing digital. Ao iniciar uma loja do zero, você precisa captar, fidelizar e reter o maior número de clientes possível.

Identidade visual

Uma loja de decoração online deve ter a identidade visual como ponto chave. Mais uma vez, a plataforma pode ser um diferencial, oferecendo liberdade de customização de layout, temas prontos e toda a estrutura necessária para a loja ter a “cara” do seu público-alvo. Lembre-se: você vende estilo, conforto e personalidade!

Redes Sociais

Enquanto você não tem certeza de quais são os canais favoritos do seu público, trabalhe com os comuns: Facebook e Instagram. Além do Instagram, que é um ótimo caminho para trabalhar com imagens bem produzidas, o Pinterest pode ser útil para gerar reconhecimento junto aos fãs de decoração de interiores.

E-mail marketing

Uma loja virtual de sucesso tem o e-mail marketing como sua principal ferramenta! Ele é fundamental para desenvolver relacionamentos com o cliente, obter feedbacks e agitar sua base em expansão.

Anúncios pagos

Talvez você esteja se perguntando se deve ou não investir em publicidade paga. Se houver possibilidade, é um ótimo jeito de conseguir as primeiras vendas rapidamente! Faça testes seguros com aproximadamente 5% do seu faturamento.

6. Entendendo a logística

A logística é uma das grandes preocupações de um gerente de loja virtual. É importante ter um planejamento de prazos e planos de contingência para eventualidades. Além disso, o consumidor precisa ser informado sobre cada passo dado pela mercadoria até o recebimento.

Os meios de entrega mais utilizados no e-commerce são os Correios, as transportadoras privadas e a retirada na loja física, quando existe a possibilidade. A decisão logística depende também do volume da mercadoria, já que os Correios trabalham com limite de peso e tamanho.

7. Conhecendo a legislação

Estar por dentro das legislações que regem o comércio eletrônico é fundamental para evitar prejuízos e conhecer direitos — o seu e o do consumidor.

MEI

Boa parte dos lojistas, pequenos ou médios, atuam como Microempreendedor Individual. Atualmente, ter uma empresa legalizada é fundamental para que você consiga inclusive despachar encomendas nos Correios.

Lei do E-commerce

O comércio eletrônico têm regras específicas para a exibição de dados da empresa, preços e custos adicionais com frete, por exemplo. O Decreto Federal nº 7.962/2013 é o que regulamenta a defesa do consumidor no comércio eletrônico.

Direito de Arrependimento

A devolução de mercadorias também funciona de maneira diferente comparado às lojas físicas. No e-commerce, o consumidor é resguardado com um prazo de 7 dias corridos para devolver a mercadoria e solicitar a devolução integral dos valores pagos.

Com as dicas acima, você estará mais orientado e munido de informações para dar os primeiros passos rumo à sua loja de decoração online. Tenha em mente a importância da plataforma de e-commerce e das redes sociais de fotografia para colaborar com a imagem que você construirá para seu e-commerce.

Quer ingressar para o universo do comércio eletrônico, mas precisa solucionar mais dúvidas? Entre em contato com a gente!

Está pensando em criar uma loja virtual? Faça o teste e descubra se você está pronto!

Monte a sua loja de decoração online em 7 passos simples
Avalie esse artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *