Afinal, o que posso fazer para vender na internet?
Passo a passo: montando um e-commerce automotivo de sucesso

Modelos de negócios: saiba quais são e como escolher para o e-commerce

Publicado em: • Última Atualização:

O foco do e-commerce deve estar voltado para atender às necessidades dos cliente, ao mesmo tempo em que se adota estratégias para alavancar as vendas e gerar ainda mais lucro. Para isso, é primordial escolher um modelo de negócios mais adequado para a sua loja virtual.

Quer saber o que isso significa? Então continue acompanhando a leitura, pois, no post de hoje, explicaremos o assunto e daremos algumas dicas que vão te ajudar a fazer a melhor escolha. Confira!

O que é um modelo de negócios?

Um modelo de negócios pode ser definido como a forma que uma empresa utiliza para criar valor para seus clientes e melhorar a experiência de compras deles. Geralmente, ele faz parte do plano de negócios.

Para elaborar o documento, é necessário considerar algumas questões fundamentais como o público-alvo, as preferências e outros pontos relacionados aos produtos e serviços oferecidos — e como eles vão atender às demandas dos seus clientes.

Quais são as principais opções para um e-commerce?

Existem diversas opções de modelo de de negócios para um e-commerce, que variam de acordo com os objetivos da empresa e o tipo de cliente que ela atende. Nos tópicos a seguir, explicaremos as principais. Veja:

Business to Consumer (B2C)

O modelo “empresa para consumidor” é o mais conhecido do público em geral. Como o nome sugere, é uma relação comercial onde empresas vendem diretamente para seus clientes finais.

Os melhores exemplos são a Netshoes e o Submarino. Porém, também tem espaço para pequenos e médios empresários — um dos motivos do e-commerce apresentar um crescimento acelerado.

Business to Business (B2B)

Nesse caso, as empresas vendem para outras empresas (que farão a revenda para os clientes finais). Um bom exemplo disso é uma loja online que compra direto do fabricante e oferece o produto no site, ganhando uma margem de lucro em cima de cada item vendido.

Business to Business to Consumer (B2B2C)

Aqui, o modelo consiste em uma relação comercial de empresa para empresa para consumidor. Nesse caso, funciona da seguinte forma:

  • o primeiro B é o fornecedor;
  • o segundo B é a loja virtual;
  • o C é o cliente final.

Essa operação se inicia quando o cliente efetua a compra e o e-commerce recebe o pedido. No mesmo momento, o fornecedor é acionado e envia os produtos para o centro de distribuição (em um processo de cross docking, por exemplo) ou para o consumidor (em um processo de dropshipping).

Consumer to Consumer (C2C)

Já nessa modalidade, as vendas são feitas de pessoa física para pessoa física. É uma operação bem comum em marketplaces, como o Mercado Livre. Nesses espaços, os produtos são expostos, o consumidores entram em contato direto com o vendedor e negocia os termos da compra.

M-commerce

É uma opção cada vez mais necessária, em virtude do crescimento do consumo feito por meio de smartphones e tablets. Nesse caso, o ambiente da loja virtual é pensado para ser usado  no celular com a mesma qualidade do navegador — sem prejudicar a experiência.

Para isso, é possível contar com duas opções: o desenvolvimento de um site responsivo ou de um aplicativo. O m-commerce não exclui as outras modalidades. Pelo contrário: você pode escolher um dos modelo de negócios citados acima e ainda oferecer o mobile commerce para atrair um público ainda maior.

Quais aspectos devem ser considerados para definir um modelo?

Agora que você já sabe quais são os modelos de negócios disponíveis para um e-commerce, vamos explicar como ele deve ser escolhido e oferecer dicas sobre o que deve ser levado em consideração.

Defina seu público-alvo

Essa é uma das primeiras etapas envolvidas na criação de um e-commerce. É por meio dessa definição que você sabe para quem vai vender e quais são as características dessas pessoas.

Com as informações em mãos, diminui-se o risco de oferecer produtos que não são relevantes para os consumidores que procuram a sua loja online.

Defina quais itens serão vendidos

Com qual produto que você vai trabalhar? Roupas e acessórios? Eletrônicos? Artigos esportivos? Assim que você determina qual tipo de mercadoria vai oferecer, também é preciso identificar as características deles, de acordo com o público-alvo.

Em outras palavras, se seus clientes são pessoas de classe C e D, por exemplo, você terá que trabalhar com produtos mais simples e com preços bem acessíveis.

Faça parcerias com distribuidores

Depois da definição dos produtos a serem ofertados, é o momento de buscar parcerias com distribuidoras. Dessa forma, é possível obter itens de qualidade com preços inferiores — tornando possível aumentar seu lucro ou até mesmo diminuindo o seu preço de venda para atrair mais clientes.

Torne seus processos mais eficientes

Eficiência quer dizer obter os melhores resultados possíveis, gerando apenas o gasto necessário. O planejamento deve ser feito desde a escolha da plataforma e a criação do site até a logística do transporte e entrega para os clientes.

Sendo assim, você deve focar em:

  • oferecer uma interface agradável;
  • otimizar a forma de cadastro dos clientes (permitindo o login por meio do Facebook, por exemplo);
  • oferecer diversas formas de pagamento;
  • negociar fretes justos com as transportadoras (ou os Correios);
  • realizar o monitoramento das entregas;
  • manter os clientes informados a respeito do status dos pedidos;
  • criar uma política de trocas e devoluções;
  • planejar a logística reversa.

Todas as etapas citadas (além de outras envolvidas numa operação de e-commerce) precisam ser bem estruturadas, visando garantir a satisfação dos clientes. No caso dos processos iniciais, a facilidade pode ajudar a diminuir o índice de abandono do carrinho.

No caso dos processos logísticos, a atenção deve ser ainda maior. Como toda a venda é feita em ambiente online, seus clientes não têm contato direto com o vendedor e com os produtos. Sendo assim, podemos dizer que o transporte é o processo que liga diretamente o seu negócio ao consumidor.

Ainda que a atividade seja terceirizada, é preciso pensar na eficiência, já que a imagem da sua loja é prejudicada caso haja algum problema.

Como podemos ver, existem vários modelos de negócios voltados para um e-commerce e você pode escolher a melhor opção de acordo com o tipo de cliente que busca atender. Esse planejamento é essencial para direcionar suas atividades e o relacionamento com o público.

Gostou deste post? Então aproveite para fazer o compartilhamento e deixe que mais pessoas tomem conhecimento dessas questões!

Ficou com alguma dúvida? Faça parte do nosso grupo no Facebook com especialistas em e-commerce e outros lojistas e envie sua pergunta.

Está pensando em criar uma loja virtual? Faça o teste e descubra se você está pronto!

Modelos de negócios: saiba quais são e como escolher para o e-commerce
5 (100%) 1 voto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10% de desconto
50% de desconto
10% de desconto
30% de desconto
20% de desconto
30% desconto
50% de desconto
20% de desconto
30% de desconto
50% desconto
30% de desconto
50% de desconto
Gire e ganhe desconto no ingresso
Digite seu endereço de e-mail e gire a roda. Esta é sua chance de ganhar descontos incríveis!

Escolha a cidade para o desconto!

Regras:
  • Uma chance por email
  • Não acumula para outra cidade
  • Enquanto durarem os ingressos free.