Metaverso no e-commerce? Saiba como essa tecnologia deve impactar esse mercado!

O metaverso surgiu como uma ideia inovadora, que promete ser um ambiente virtual hiper-realista. As pessoas poderão conviver dentro desse “novo mundo” através do uso de avatares customizados em 3D. Muitos dizem que essa será a nova internet, portanto, irá revolucionar tudo que conhecemos hoje!

A tecnologia avançou tanto nos últimos tempos a ponto de mudar até mesmo as experiências virtuais para deixá-las cada vez mais semelhantes às físicas, criando um novo conceito: o metaverso.

Se você tem uma loja virtual, já se perguntou como será o metaverso no e-commerce?

Esse termo ficou bastante difundido após outubro de 2021, quando Mark Zuckerberg mudou o nome da empresa Facebook para Meta, em alusão a esse conceito.

A partir daí, surgiu uma nova realidade futurística para a internet, mas que precisa ser estudada desde já para sua implementação posteriormente.

E, quem já está na web, poderá aproveitar ainda mais essa tendência.

Para entender mais sobre o assunto, quais são suas vantagens e desvantagens, além de como o conceito de metaverso no e-commerce pode ser usado, continue a leitura.

Pois, separamos todas essas informações a seguir!

Metaverso no e-commerce

O que é metaverso?

Basicamente, o termo pode ser definido como um espaço online onde os usuários compartilham as mesmas ideias em uma realidade virtual e aumentada fazendo com que haja interação em tempo real.

Em outras palavras, é um mundo híbrido, virtual-físico ou “figital“, totalmente conectado por meio dos equipamentos certos.

Alguns deles já foram desenvolvidos, como realidade aumentada e virtual, pontos neurais etc.

Enquanto outros precisam ser criados de forma otimizada e gradualmente.

Embora tenha ganhado popularidade recentemente, a ideia de metaverso não é algo novo, visto que apareceu em 1992 no livro “Snow Crash”, do autor Neal Stephenson, como um avanço tecnológico.

Aos poucos, algumas empresas já vêm colocando o conceito em prática, como TIM Brasil, Banco do Brasil, Nike, McDonald’s, Balenciaga e muitas outras.

A proposta dessa tecnologia é promover a comunicação entre o ambiente online e a realidade como a conhecemos, o chamado mundo físico.

Por exemplo, você pode estar em casa e participar de uma reunião de trabalho por meio do seu avatar.

Ou, ainda, estar presente em um show nos Estados Unidos sem sair do Brasil, por meio de um holograma.

Como será o metaverso no e-commerce?

Diversas empresas serão impactadas e poderão aproveitar o metaverso para crescer no mercado.

Isto porque será possível, oferecer uma nova experiência de compra aos clientes e esse é um dos ativos mais importantes a partir de agora.

Um segmento que tem muito a ganhar, com certeza, é o e-commerce.

Pois ele tem o poder de revolucionar a forma como os produtos serão vendidos pela internet.

Ao contrário do que muitos empreendedores pensam, essa não é uma tecnologia que vem para dificultar o comércio eletrônico.

Em outras palavras, essa tecnologia veio para agregar valor à marca por meio da diferenciação.

Uma das únicas questões que não será transformada com a chegada deste novo conceito é a logística.

Mas a forma de aquisição de clientes, fidelização e pagamento dos itens sofrerão grandes mudanças com essas novidades.

A seguir, você confere como!

Formas de compra

Imagine dois indivíduos conversando pessoalmente.

Um deles fala sobre uma peça de roupa que gostaria de experimentar e, enquanto descreve o item, o outro visualiza as melhores lojas e ofertas para comprá-la por meio de um óculos de realidade mista.

O foco da tecnologia oferecida pelo metaverso para o e-commerce é permitir que o cliente tenha acesso, em tempo real, aos produtos que deseja adquirir.

E claro, consiga concluir sua compra de maneira completamente virtual.

Aquisição

Nesse cenário, o uso de blockchain e criptomoedas seria necessário para a aquisição.

Por meio dessa concepção, será possível vender versões virtuais e, em troca, receber dinheiro real para sobreviver no mercado.

Nesse universo, cada avatar possui uma conta e ninguém pode tirá-la.

É possível usar esses bens digitais para fazer negócios, possibilitando a realização de diversos tipos de negociação.

Omnichannel

Outro conceito importante do metaverso no e-commerce é o omnichannel,

O conceito integra vários canais de venda — sejam eles físicos e/ou virtuais.

Tudo indica que a loja física será um espaço para o cliente imergir nas lojas digitais, mas de forma tridimensional.

Por exemplo, a TIM Brasil abriu recentemente uma loja no Rio de Janeiro em que os clientes se deslocam até lá e visualizam os produtos por meio do metaverso.

Porém, para adquirir algo, eles são direcionados para o site oficial da operadora telefônica.

Omnichannel: o que é e como aplicar essa estratégia de diferentes canais em seu negócio!

Promoções

As promoções seguirão, mas mudarão a forma como são feitas.

Será comum as marcas oferecerem pontos de fidelidade por meio de jogos baseados em suas soluções, proporcionando uma experiência imersiva e interativa durante a jornada de compra.

Esse será um dos benefícios de entrar nesse ambiente, estimulando que cada vez mais pessoas façam parte e compartilhem o mesmo espaço.

Por meio disso, as chances de criar uma economia digital são altas.

Quais são as vantagens e desvantagens do metaverso?

Como toda nova ideia inovadora e tecnológica, essa tendência também tem suas vantagens e desvantagens que precisam ser consideradas antes de o metaverso no e-commerce ser aplicado na sua empresa.

Conheça quais são as principais abaixo!

Vantagens

O metaverso pretende oferecer um ambiente customizável.

Isto é os empreendedores poderão interagir melhor com seus consumidores e dar assistência de maneira mais simples.

Como resultado, as vendas seriam muito mais eficientes.

Sem mencionar que o atendimento pode ser muito mais humanizado e em tempo real, por meio de avatares de realidade virtual.

Ou seja, os clientes seriam atendidos com mais rapidez e teriam suas necessidades solucionadas.

Além disso, as ações poderiam acontecer mesmo a distância, sem sair de casa.

O e-commerce em si já traz essa praticidade, mas a tecnologia permitiria que isso fosse feito de forma mais real, mantendo o distanciamento social ainda encorajado em razão da pandemia.

Mas sem perder o contato com o mundo de certa forma.

Por último, podemos citar o trabalho home office.

Os funcionários poderiam atuar dentro de suas residências, transformando esse modelo de trabalho em uma modalidade muito além do que vivemos hoje, uma nova realidade.

Desvantagens

Infelizmente, a infraestrutura tecnológica necessária para o metaverso ainda é muito cara.

Dessa forma, apenas um pequeno público se beneficiaria desse universo.

Nesse caso, faz sentido que apenas as grandes marcas tenham adotado e implementado essa nova realidade híbrida.

O óculos virtual, que tem grandes chances de se tornar um dos propulsores da tendência, precisa estar mais acessível à boa parte da população, o que não acontecerá tão cedo.

Por fim, ainda é necessário esperar a disponibilidade do 5G no país para comportar todos os usuários online, simultaneamente.

Sendo assim, por enquanto, seria inviável e distante para a maior parte dos brasileiros.

Como o metaverso no e-commerce poderá ser aplicado?

Há várias maneiras de aplicar a tecnologia em um e-commerce, tanto de maneira virtual como oferecendo uma experiência diferenciada e que remeta ao metaverso.

Dentre elas, podemos citar as principais a seguir!

Provadores virtuais

A princípio, o usuário poderá ter muito mais detalhes sobre uma mercadoria, podendo sentir e experimentar antes de finalizar a compra diretamente no espaço do metaverso.

Por isso, provadores virtuais serão cada vez mais comuns.

A Lancôme já tem o seu Virtual Makeup, com uma proposta que permite ao público testar virtualmente os produtos por meio da realidade aumentada.

Com uma câmera do celular ou uma foto do rosto, é possível ver como a maquiagem ficaria antes de adquiri-la.

Provador Virtual: o que é, como funciona e como aplicar no seu e-commerce! Guia completo.

Recursos em 3D

Outra possibilidade é usar recursos 3D. Imagine acessar uma loja virtual, andar pelos corredores e visitar as prateleiras dos produtos como se estivesse no espaço físico.

Durante esse momento, também é possível receber convites para jogar e ainda ganhar cupons de desconto.

Esse é um exemplo real da loja interativa da Lacta, com uma simulação 360º da loja física — que possibilita comprar chocolates e ainda participar de diversas atividades de gamificação para divertir o consumidor.

Itens digitais

Além dos produtos físicos que os clientes poderão receber em casa, o metaverso abrirá portas para os produtos digitais.

Ou seja, os que serão vendidos para usar em cada avatar.

Isto já vem acontecendo com a Nike por exemplo, que comprou a RTFKT, para criar skins que serão usadas por personagens e avatares em plataformas como Roblox e GTA.

Basicamente, os produtos poderão ser 100% digitais.

Ou seja, uma pessoa pode estar mal vestida pessoalmente, mas, quando vista por meio dos óculos adequados, os outros poderão conferir seu avatar usando belas roupas de marca.

Eventos

É muito comum os pontos de vendas (PDV) fazerem eventos presenciais para os clientes e ainda oferecer experimentações para estimular a compra.

No e-commerce isso não é possível, mas graças ao metaverso essa realidade mudará.

Será possível criar um evento online em que os visitantes poderão estar presentes em hologramas e, dependendo dos equipamentos usados, poderão até usar o produto gratuitamente antes de comprá-lo.

Isso ajuda muito no marketing da empresa e pode ser o futuro das divulgações.

Por que considerar o comércio imersivo no metaverso?

Os consumidores modernos não estão mais confortáveis com o atual ambiente do varejo, nem físico, nem virtual.

As experiências de marca não são mais suficientes e o metaverso no e-commerce vem para melhorar essa interação e aproximação tão procuradas durante a jornada de compra.

Essa situação acontece mais online, pois não há contato entre as pessoas, sendo tudo feito de modo automático.

Até mesmo o suporte é feito, a princípio, por automações no chat, o que pode não satisfazer o usuário.

Como os atendimentos humanizados e a conexão criada entre marca e cliente aumentam as taxas de conversão, é necessário considerar a imersão do seu comércio eletrônico nesse novo universo.

Embora Zuckerberg tenha dado a partida para o conceito ser conhecido em todo o mundo, o metaverso no e-commerce também acontecerá.

Os empreendedores, sejam pequenos ou grandes, precisam ficar de olho nessa tendência, mesmo que não faça parte da realidade hoje.

Gostou do nosso artigo? Comente suas dúvidas ou o que achou da transformação que vem por aí.

Não há comentários ainda. Seja o primeiro a escrever um.

Deixe seu comentário