Saiba como anunciar na Dafiti e Kanui de maneira eficiente
Buy box: entenda o que é e como pode aumentar suas vendas

Loja virtual, loja física e marketplace: entenda as diferenças

Publicado em: • Última Atualização:

Quem quer abrir um negócio pode ter dúvidas sobre abrir uma loja virtual, uma loja física ou anunciar seus produtos em um marketplace. Essa dúvida é comum, pois cada escolha demanda um tipo de investimento. Então, antes de escolher qual tipo de negócio você deseja abrir, precisa avaliar as vantagens e as desvantagens que cada opção apresenta.

Para abrir uma loja física, é preciso um investimento mais alto com infraestrutura, o que não é necessário para começar um e-commerce. No entanto, uma loja virtual tem custos com a contratação de plataforma e envio de produtos.

Mas as diferenças não param por aí e, para ajudar você a decidir qual dessas 3 opções é a melhor para iniciar seu negócio, preparamos este post. Nele, vamos mostrar o que avaliar sobre abrir uma loja virtual, uma loja física e vender em marketplaces. Confira!

O que avaliar sobre abrir uma loja física?

Uma loja física ainda é o tipo mais comum de comercialização de negócio. A loja pode ser montada tanto em um grande centro quanto em um pequeno bairro de periferia e, em ambos os casos, o empreendedor pode ter bons resultados, desde que saiba fazer uma boa gestão do negócio.

Mas, antes de optar por esse modelo de negócio, é preciso avaliar alguns pontos. Veja quais são eles.

Aprenda mais com o quadro Escola Responde:

Custos

Abrir uma loja física envolve diversos custos, como aluguel e reforma de imóvel, além de investimento em infraestrutura. Dependendo do tamanho do negócio, você ainda deve contratar funcionários. No mais, há despesas com alvará da prefeitura e questões relacionadas à segurança do estabelecimento.

Despesas fixas com aluguel, água, luz e telefone são outras questões que devem ser analisadas — lembrando que, para abrir uma loja em um local de grande movimento, como um shopping center ou uma área central, os valores do aluguel serão altos.

Tráfego de pessoas

O número de pessoas que vão entrar em sua loja vai depender de onde ela será aberta. Em locais de pouca circulação, como bairros de periferia, o movimento inicial pode ser pequeno até as pessoas conhecerem o negócio. Em locais como shoppings, por causa da visibilidade, o movimento já pode ser bem maior.

Marketing

As estratégias de marketing podem ser feitas em diversos canais — online e offline. No início, será necessário um investimento maior, já que o negócio ainda não é conhecido pelo público-alvo.

Lucratividade

Os lucros do negócio dependem de como o gestor administra a loja e das estratégias criadas para atração e fidelização de clientes. Em períodos sazonais — Dia dos Pais, Natal e outras datas comemorativas —, os ganhos são maiores. O tipo de público-alvo da empresa e o segmento de atuação também influenciam na lucratividade do negócio.

O que avaliar sobre abrir uma loja virtual?

O comércio eletrônico vem crescendo bastante nos últimos anos, pois o consumidor atual se sente seguro para efetuar compras na internet. Além disso, as pessoas querem mais comodidade e não há nada mais confortável do que fazer suas compras de casa e receber no endereço desejado.

Como uma loja física, abrir uma loja virtual tem vantagens e desvantagens. Vamos ver o que deve ser avaliado antes de escolher essa opção.

Aprenda mais com o quadro Escola Responde:

 

Custos

Abrir um e-commerce também gera custos para o empreendedor e, se ele não pesquisar bastante, pode gastar até mais para começar uma loja virtual do que uma loja física. Primeiro, é preciso escolher uma plataforma para vender seus produtos na internet.

Ainda é preciso investir em um espaço para a armazenagem dos produtos, que pode ser um imóvel alugado ou um local dentro de sua casa — depende do tamanho do negócio. Além disso, é preciso avaliar os custos envolvidos para o envio dos produtos. Nesse caso é importante cotar o que será melhor para o negócio: contratar uma transportadora ou os serviços dos Correios.

Tráfego

Não é porque você abriu um negócio na internet que, automaticamente, ele terá visibilidade. Então, o tráfego de seu site vai depender das estratégias criadas para atingir o público-alvo.

Marketing

Por ser um negócio virtual, as melhores estratégias de marketing são aquelas criadas neste mesmo ambiente. Portanto, gestores de e-commerce devem investir em ações nas redes sociais, marketing de conteúdo e publicidades pagas no Facebook, Instagram e Google.

Lucratividade

Um e-commerce pode gerar bons lucros, principalmente pelo fato de poder funcionar com um número pequeno de funcionários. No início das atividades, você pode até mesmo cuidar da operação sozinho, desde que consiga atender aos clientes com qualidade.

O que avaliar sobre anunciar seus produtos em um marketplace?

Marketplaces funcionam como shoppings virtuais, onde diversos lojistas e pessoas físicas anunciam seus produtos. Podemos citar como exemplo Mercado Livre, Americanas e Amazon, que são grandes players desse mercado.

Veja o que avaliar antes de anunciar seus produtos em um marketplace.

Aprenda mais com o quadro Escola Responde:

Custos

Os custos iniciais para vender em um marketplace são relativamente baixos, pois o empreendedor não precisa investir em plataforma ou sistemas de gestão. Além disso, quem está começando seu negócio, em alguns casos, pode vender em marketplaces como pessoa física (cada player tem suas próprias regras), o que reduz custos com a abertura de uma empresa.

Tráfego

A visibilidade dos marketplaces é imensa, principalmente em grandes players como Mercado Livre, Amazon, Submarino, Magazine Luiza, Kanui, Casas Bahia, Ponto Frio,  Americanas e outros, que têm milhares de acessos todos os dias. Dessa forma, seus produtos ficarão bem expostos e podem atrair um grande número de consumidores interessados.

Marketing

Ao escolher um marketplace, você não precisa se preocupar com campanhas de marketing ou divulgar sua loja de forma incessante, pois isso já é função da empresa parceira. Claro que você deve ajudar criando campanhas em redes sociais e em publicidades pagas, mas seu principal papel é acompanhar e enviar os pedidos para os clientes.

Lucratividade

Esse é um ponto negativo dos marketplaces, pois, apesar de não ter necessidade de um investimento inicial, o empreendedor deve pagar uma porcentagem para cada venda efetivada no site. A comissão varia de acordo com o marketplace escolhido e o pacote de serviços contratados. Esse fator pode limitar ou diminuir sua lucratividade.

Essas são as diferenças entre abrir uma loja virtual, uma loja física e anunciar em marketplaces. Então, você precisa avaliar quais são os prós e os contras de cada opção, levando em conta o valor que você tem para investir em seu negócio. Uma boa opção seria de integrar todos esses canais de venda, pois, dessa forma, você terá melhores oportunidades de negócio.

Gostou do artigo e quer saber como ter sucesso em uma loja física e em um e-commerce? Confira o e-book que criamos especialmente sobre o assunto!

 

Aprenda mais com o quadro Minuto E-commerce:

 

Ficou com alguma dúvida? Faça parte do nosso grupo no Facebook com especialistas em e-commerce e outros lojistas e envie sua pergunta.

Está pensando em criar uma loja virtual? Faça o teste e descubra se você está pronto!

Loja virtual, loja física e marketplace: entenda as diferenças
5 (100%) 1 voto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *