Como divulgar uma loja no Instagram? O guia para as primeiras vendas
Tray leva para 20° Encontro Locaweb o Tray E-commerce Conf. 2018

Layout responsivo e mobile: entenda a diferença entre eles

Publicado em: • Última Atualização:

Atualmente, antes mesmo de abrir uma loja virtual, o empreendedor deve se informar sobre diversas questões relevantes para o sucesso do negócio, como plataforma, modelo de vendas e características do site. Para fazer uma escolha inicial mais correta, recomenda-se ainda saber que há diferença entre layout responsivo e mobile antes de definir qual vai adotar.

As vendas por dispositivos móveis não param de crescer. Segundo estimativa do Google, o smartphone deve ser usado em 41% das compras online em 2021. O acesso a esses aparelhos também aumentou e, de acordo com o IBGE, 92,1% dos domicílios brasileiros têm acesso à internet utilizando smartphones.

Dada a relevância desse canal nas vendas, empreendedores que almejam criar negócios online devem se preocupar em oferecer uma experiência de compra satisfatória por meio desses dispositivos. E esse é o tema que será abordado a seguir.

Entenda a diferença entre layout responsivo e mobile

Ainda que haja uma preocupação do lojista em proporcionar uma boa experiência, muitos desconhecem que há diferença entre layout responsivo e mobile friendly. Visando esclarecer essas dúvidas, explicamos, a seguir, do que se trata cada uma dessas soluções.

Layout responsivo

O layout responsivo corresponde a um site que teve o código adaptado para que as páginas possam ser exibidas em qualquer formato de tela, sem prejuízo na leitura das informações. Com isso, o usuário pode acessar o site no desktop, tablet ou smartphone, obtendo uma experiência semelhante.

Em todos esses dispositivos, o site acessado é o mesmo, ainda que mudanças no código possam gerar algumas alterações no que é exibido para o usuário. Por exemplo, um banner disponível no desktop pode ser omitido no tablet etc.

O que ocorre, portanto, é um ajuste das informações disponíveis no site original para que os usuários que acessarem por outros dispositivos ainda tenham uma experiência satisfatória. Isso é possível utilizando códigos de programação chamados de media queries.

Mobile friendly

Já quando falamos em mobile friendly, estamos nos referindo a sites que foram planejados originalmente para o mobile, ou seja, eles não são adaptados a partir do site desktop, mas sim criados já com foco na experiência do usuário por dispositivos móveis.

Nesse caso, desenvolve-se um novo site desde o começo, utilizando um novo código de programação e adotando estrutura da informação, imagens, call to action etc. próprios, para maior usabilidade mobile.

Normalmente, por se tratar de outro site, ele é alocado em um subdomínio. Assim, quando o cliente acessa o site por um smartphone, por exemplo, ele é automaticamente redirecionado para o site mobile friendly. É possível observar isso em grandes sites quando há m.urldosite ou mobile.urldosite.

Vantagens e desvantagens de cada solução

Cada opção apresenta benefícios e desafios que fazem com que cada uma seja mais adequada para determinadas situações. A seguir, destacamos algumas dessas características e quando elas são mais vantajosas.

Site responsivo

A primeira vantagem do site responsivo é que, por ser uma adaptação do site, ele exige um investimento menor por parte da empresa. Um pequeno ou médio e-commerce com algumas dezenas de páginas pode se beneficiar dessa alternativa.

Outro aspecto positivo é que um site responsivo já atende as determinações do Google para ranqueamento, não sendo penalizado por não oferecer suporte aos usuários que utilizam os dispositivos móveis.

Entretanto, essa solução tem uma usabilidade inferior no smartphone quando comparada com um site mobile friendly, além de poder ser mais lento o carregamento das páginas.

Site mobile

Já o site mobile friendly tem como principal benefício a ótima experiência de navegação que proporciona ao usuário, limitando as informações exibidas e a estrutura escolhida, de forma que haja mais usabilidade, o que inclui uma navegação mais dinâmica e prática.

Destaca-se ainda a velocidade de carregamento, pois tanto o código usado quanto a menor quantidade de informações permitem que as páginas sejam carregadas mais rapidamente.

Como aspectos negativos, estão o maior investimento necessário e, preferencialmente, a contratação de uma agência especializada. Isso porque o site deve ser criado desde o início e seguindo as boas práticas, para que a usabilidade realmente seja superior.

Essa opção é muito indicada para e-commerces, pois esse modelo exige uma navegação rápida, dinâmica e com foco na experiência do consumidor para ser capaz de fechar vendas pelo mobile e gerar resultados. No entanto, devido aos custos de desenvolvimento, é mais comum entre grandes e médios lojistas.

Por que investir em e-commerce responsivo ou mobile?

Existem diversas razões para que você invista em um site responsivo ou mobile para o seu e-commerce. Além dos dados citados no início deste post que demonstram o crescimento das vendas por dispositivos móveis, também é relevante destacar as punições do Google.

Desde 2015, o Google pune sites que não sejam responsivos, fazendo com que os resultados que não se enquadram não tenham preferência na página de resultado. Com isso, fica mais difícil para que os consumidores encontrem o seu site e façam compras.

Com o objetivo de melhorar a experiência dos usuários, o próprio Google disponibiliza algumas ferramentas. Uma delas é o teste de compatibilidade com dispositivos móveis, que permite a verificação do site e também dá algumas dicas para explorar melhor as oportunidades de melhoria a partir dos resultados obtidos.

A outra é a AMP, de Accelerated Mobile Pages (páginas aceleradas para dispositivos móveis). Um código aberto, disponibilizado pelo Google e parceiros, que permite que as páginas sejam duplicadas e gerem uma versão que carrega mais rapidamente, melhorando a navegação.

Portanto, existem diversos motivos pelos quais o lojista deve considerar adotar uma loja virtual responsiva ou mobile. Resumidamente, destacamos:

  • atender às novas demandas do consumidor, aumentando a relevância da loja e melhorando a experiência de compra;
  • garantir o aumento das vendas pelos dispositivos móveis, devido a uma melhor usabilidade;
  • contemplar as exigências do Google na estratégia do site e garantir um melhor ranqueamento orgânico das páginas.

Para obter esses benefícios, entretanto, é fundamental avaliar adequadamente a plataforma de e-commerce que será contratada. Tanto a opção por uma loja mobile quanto responsiva só são possíveis se a plataforma for compatível com as mudanças desejadas.

Algumas plataformas, por sua vez, já disponibilizam a versão responsiva para os parceiros, permitindo que algumas dessas vantagens já estejam presentes desde o início da loja virtual e sem a necessidade de investimentos adicionais.

Agora que você já conhece a diferença entre layout responsivo e mobile, a importância dessa solução e como a plataforma de e-commerce impacta nas suas possibilidades, é possível fazer uma escolha mais consciente e acertada para o seu negócio.

Quer mais informações sobre como tornar o seu e-commerce responsivo ou mobile? Entre em contato com a nossa equipe!

Ficou com alguma dúvida? Faça parte do nosso grupo no Facebook com especialistas em e-commerce e outros lojistas e envie sua pergunta.

Está pensando em criar uma loja virtual? Faça o teste e descubra se você está pronto!

Layout responsivo e mobile: entenda a diferença entre eles
3.7 (73.33%) 3 votos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10% de desconto
50% de desconto
10% de desconto
30% de desconto
20% de desconto
30% desconto
50% de desconto
20% de desconto
30% de desconto
50% desconto
30% de desconto
50% de desconto
Gire e ganhe desconto no ingresso
Digite seu endereço de e-mail e gire a roda. Esta é sua chance de ganhar descontos incríveis!

Escolha a cidade para o desconto!

Regras:
  • Uma chance por email
  • Não acumula para outra cidade
  • Enquanto durarem os ingressos free.