Anúncios no Status do WhatsApp serão exibidos em breve
Aprenda agora como vender mais na Black Friday com essas 10 dicas!

O guia completo para lidar com fornecedores para loja virtual!

Publicado em: • Última Atualização:

Escolher e gerenciar bons fornecedores para loja virtual é sinônimo de alcançar uma parceria de sucesso, que pode render bons frutos para o seu negócio. Porém, essa tarefa não é tão simples quanto parece, visto que está ligada a diversos fatores que precisam ser levados em consideração.

São eles que, quando bem planejados e executados, proporcionam rapidez nas entregas, melhoria no controle do fluxo de caixa, entre outros benefícios essenciais para uma empresa.

Elaboramos este artigo completo para abordar todos os fatores que envolvem a seleção e a gestão desses fornecedores e que podem trazer como resultado a satisfação dos clientes e um bom desempenho financeiro do seu e-commerce. Confira!

Escolhendo seus fornecedores

A escolha dos fornecedores de e-commerce deve ser feita com base em muito planejamento e análise. Nos tópicos a seguir, explicaremos quais pontos não podem ser negligenciados nesse processo de seleção.

A qualidade do produto

A qualidade do produto que o fornecedor oferece reflete diretamente na imagem que a sua loja virtual projeta no mercado. Em outras palavras, vender um item com qualidade abaixo do esperado pode gerar uma experiência de compra ruim e a perda do cliente para o concorrente.

Para evitar esse tipo de problema, vale a pena solicitar amostras para realizar testes e, sobretudo, comparar se o concorrente oferece algo melhor — o que leva o foco para o custo-benefício da negociação.

Preço e formas de pagamento

O preço é um dos fatores determinantes em qualquer negociação, apesar de a qualidade também ter grande relevância. Assim, não adianta encontrar bons produtos, se o seu negócio não consegue arcar, além de as formas de pagamento inadequadas.

Além do custo do produto, é necessário considerar os que vêm embutidos e vão encarecer o preço repassado para o consumidor. Entre eles:

  • frete;
  • impostos;
  • taxas de serviços para pagamento.

Dessa forma, se o preço final for muito alto, será necessário mostrar para o cliente algum diferencial que agregue valor e justifique a diferença para os seus concorrentes, por exemplo.

Portanto, mais uma vez vale ressaltar: mantenha o foco no custo-benefício. Além de negociar flexibilidade no pagamento, possibilidade de realizar o pagamento a prazo, descontos por antecipação, entre outras coisas.

Distância

Avaliar esse fator é uma tarefa indispensável na hora de escolher fornecedores para loja virtual. Quanto mais perto os seus parceiros estiverem, menores serão as chances de atraso e o frete pago sobre as entregas.

Isso também tem muita influência sobre a capacidade e agilidade no retorno sobre quaisquer problemas que possam surgir, na eficiência com a solução de problemas e na eficiência da comunicação.

Capacidade de fornecimento e escalabilidade

É preciso avaliar a capacidade de fornecimento do seu parceiro de negócios, a fim de garantir que ele vai honrar com as entregas sem prejudicar suas vendas. Por outro lado, a escalabilidade é a capacidade de absorver um aumento na demanda sem ter a eficiência afetada.

Isso quer dizer que a empresa é capaz de suprir as necessidades do seu negócio mesmo quando houver um aumento repentino na procura — o que acontece bastante quando se realiza uma promoção, por exemplo.

Prazo para a entrega dos produtos

A pontualidade é uma das principais características de bons fornecedores, independentemente da oscilação na demanda dos contratantes. Atentar aos prazos oferecidos (e se eles são cumpridos) é o que pode determinar o seu sucesso nas vendas.

Se esse processo entre fazer um pedido e receber os produtos for ineficiente, existe um grande risco de faltar itens no estoque e, consequentemente, deixar de atender à sua demanda — o que fortalece o seu concorrente.

Pós-venda

Contar com um atendimento de qualidade e um bom suporte técnico para auxiliar na solução de problemas também é outro ponto essencial para estabelecer uma parceria bem-sucedida.

Observe como é a comunicação ainda na fase de negociação. Se há demora em responder e-mails e ligações e as dúvidas não são bem esclarecidas, por exemplo, é um sinal de que a relação pode ser conturbada depois da assinatura do contrato.

11 dicas para uma boa negociação com fornecedores

Uma negociação favorável proporciona vantagens que podem tornar o seu negócio mais lucrativo e competitivo. Veja, a seguir, nossas dicas para garantir um bom contrato.

1. Conheça seus objetivos e limites

O planejamento é uma etapa crucial para que qualquer atividade dê certo e traga os resultados esperados. Antes de mais nada, é preciso conhecer os seus objetivos, necessidades, condições e, principalmente, até onde pode ir — em termos de custos e pagamentos.

Dessa forma, você chega a um fornecedor com todas as questões definidas e deixa claro quais as suas condições, além de entender quando não dá para fazer concessões.

2. Conheça bem o seu estoque

Você vai trabalhar com o dropshipping ou fará a gestão do seu estoque próprio? No primeiro caso, é o fornecedor quem cuida do controle e do envio dos produtos para os seus clientes — portanto, você só terá que se preocupar em acompanhar os processos e certificar que está tudo dentro do programado.

Já no caso de fazer a própria gestão, é preciso levar em consideração o espaço disponível para o armazenamento. É natural que no começo de uma loja virtual pequena não seja possível contar com um estoque muito volumoso. Entretanto, é imprescindível cuidar para não ficar sem estoque.

Ainda não podemos deixar de citar a operação de crossdocking, na qual você recebe os produtos dos fornecedores e já os prepara para enviar para o cliente. Isso quer dizer que você não trabalha com um estoque próprio e toda mercadoria que chega fica por pouco tempo parada antes de ser despachada.

A influência que essa prática tem na negociação está ligada principalmente à frequência de compras e à possibilidade de negociar descontos segundo a quantidade comprada em determinado período.

3. Faça uma lista com as opções disponíveis

Nessa fase, é hora de fazer pesquisas e procurar por indicações. Com base nos produtos que você vai vender, verifique quais fornecedores estão mais perto de você, os que estão espalhados pelo Brasil e, só então, os que ficam no exterior — lembre-se da importância da proximidade.

Feito isso, liste todas as empresas que se encaixam no que você precisa e entre em contato com elas para começar o processo de cotação. Nessa outra fase, é preciso levantar informações como:

  • capacidade de atendimento;
  • preços;
  • prazos;
  • condições de pagamento.

Depois que isso for feito, é muito provável que a sua lista ficará mais refinada, com apenas as opções que se encaixam dentro das suas necessidades, objetivos e capacidade financeira.

Se for o caso de realmente precisar trabalhar com importação, verifique se antes as empresas contam com escritórios ou representantes no Brasil. Caso positivo, isso facilita bastante as negociações e a comunicação.

4. Pesquise bastante

A internet pode ser a sua melhor aliada nesse processo. Procure saber quem são as empresas, o que as pessoas falam delas em sites e nas redes sociais, qual é a avaliação média dos produtos e dos serviços prestados, entre outras coisas.

Uma ótima dica para fazer esse tipo de análise é fazer pesquisas em sites como o Reclame Aqui, que ajudam a entender quais são as principais ineficiências das empresas e como é a tratativa delas para oferecer uma solução para os clientes.

5. Realize cotações com 3 (ou mais) opções

Depois que a lista diminuiu, ainda é recomendado negociar com, pelo menos, três empresas diferentes. Isso ajuda a entender melhor as propostas disponíveis no mercado e aumentar o seu poder de barganha — tentando conseguir com uma o que as outras não oferecem.

Durante a cotação, você precisa levantar o máximo de informações possíveis, pois são elas que vão ajudar a embasar melhor a sua decisão. Entre elas, estão:

  • métodos e prazos de entrega;
  • responsabilidade sobre o frete;
  • as garantias fornecidas;
  • os preços (unitários e por quantidades).

Vale a pena criar uma planilha — ou mesmo fazer anotações em um caderno — sobre todos os dados que foram levantados com cada fornecedor. Isso vai servir depois para realizar um comparativo.

6. Avalie as condições

Faça comparações nos preços finais dos produtos com base nas informações passadas pelas empresas. Esse valor inclui os impostos, o frete, o gasto com a liberação dos itens (no caso de importação), entre outras coisas.

Assim, fica mais fácil avaliar qual deles apresenta o melhor custo-benefício. Depois, faça o mesmo com as outras características levantadas. Para ficar mais fácil, você pode usar um sistema de pontuação, dando um ponto para o fornecedor que ganhar a disputa em cada aspecto.

No final dessa análise, você saberá qual deles tem a melhor oferta. Com base nisso, pegue o que os outros ofereceram de melhor e tente levar para a negociação, tentando conseguir as melhores condições na hora do fechamento do contrato.

7. Tenha cuidado com ofertas de desconto

Muitos fornecedores adotam a ideia de oferecer descontos por volume, nessa negociação, ambos saem ganhando — ele por vender mais e a sua loja por pagar menos.

Porém, essa estratégia deve ser muito bem pensada e planejada, visto que você pode não ter estrutura para receber e armazenar todos os produtos que serão enviados. Além do mais, é sempre bom lembrar que estoque representa dinheiro parado e pode até mesmo prejudicar o seu fluxo de caixa a curto prazo.

Logo, por mais que a proposta seja muito atraente, não aceite sem antes avaliar as condições atuais da sua empresa.

8. Feche contratos de longo prazo sempre que possível

Essa e uma medida que ajuda a oferecer mais segurança tanto para o seu parceiro de negócios quanto para a sua loja.

Ao ter a garantia de que a relação comercial será duradoura, a oscilação de preços diminui drasticamente e as condições do contrato passam ser melhores — em termos de flexibilidade para pagamentos, preços dos produtos, entre outras.

9. Lembre-se sempre das opções

Se por um lado uma relação de longo prazo pode ser muito benéfica, por outro vale a pena lembrar que a exclusividade não tem que ser uma obrigação. Se for difícil chegar em um acordo que seja bom para as duas partes, procure outra empresa mais flexível nas negociações.

Além disso, se o seu fornecedor atual não consegue atender amplamente, com todos os produtos que você precisa, procure outro que tenha outros itens do seu interesse e amplie as suas possibilidades de ter um bom mix de produtos.

10. Negocie o pagamento de acordo com o seu fluxo de caixa

Se você tem um bom fluxo de caixa e consegue juntar capital suficiente para realizar os pagamentos à vista, certamente essa é a melhor estratégia para conseguir bons descontos.

Entretanto, principalmente quando se trata de empresas no início, nem sempre ela é a mais viável — a menos que se trate de itens que tenham venda garantida e que o giro do estoque seja alto (saída rápida dos produtos).

Se não for possível realizar os pagamentos à vista, a solução é negociar prazos com o fornecedor, mesmo que isso implique em pagar juros. Com essa alternativa, é possível proteger o seu capital de giro e honrar os compromissos baseado nas vendas que vão sendo realizadas.

11. Priorize uma relação de ganha-ganha

Por mais que você esteja na posição de cliente e acredite que pode fazer um pouco mais de exigências, nem sempre esse pensamento funciona, principalmente se sua loja estiver no início e o fornecedor for uma empresa grande e consolidada no mercado.

Por isso, o recomendado é que as negociações sempre sejam benéficas para ambas as partes. Tenha em mente que fazer concessões é uma forma de receber vantagens em troca.

A gestão de fornecedores para loja virtual

Depois que a seleção é finalizada e se inicia a parceria comercial, é preciso pensar na gestão de fornecedores, pois é ela que vai manter o relacionamento satisfatório. Entenda mais sobre esse assunto a seguir!

O que é gestão de fornecedores?

A gestão de fornecedores consiste basicamente em controlar a aquisição dos produtos e gerenciar o relacionamento com os parceiros, de forma que se garanta tudo que é necessário para o bom funcionamento do seu negócio.

Isso quer dizer que essa prática trata da análise e administração de todas as atividades que envolvem o relacionamento entre a sua loja e os seus provedores. Um bom planejamento e uma boa execução, nesse sentido, podem gerar ganhos significativos em eficiência.

Se antes as compras eram vistas apenas como uma atividade de suporte, hoje já podemos dizer que todo o processo — desde a negociação até a aquisição, de fato — tem um papel mais estratégico.

Qual a importância dela para o negócio?

Uma boa gestão de fornecedores para loja virtual influencia em vários aspectos do negócio. Entre os principais, podemos citar:

  • o fornecimento adequado de produtos, de acordo com a demanda;
  • o controle de estoque eficiente, com maior visibilidade das falhas;
  • a redução de compras em excesso;
  • o preço final dos produtos;
  • a garantia de qualidade para o cliente;
  • a imagem que se projeta no mercado;
  • as boas condições de pagamento;
  • a preservação da saúde financeira.

Entretanto, para que tudo isso seja possível, é necessário fundamentar a relação na base da confiança e parceria com os seus provedores.

Quais os benefícios de uma gestão de fornecedores?

O gerenciamento adequado dos fluxos de trabalho que envolvem a sua cadeia de suprimentos é capaz de proporcionar diversos benefícios para a empresa. Conheça os principais deles nos próximos tópicos.

Redução dos custos e dos riscos

A redução dos custos vem por meio de diversos fatores, entre eles a:

  • negociação dos melhores preços e condições;
  • garantia de produtividade;
  • redução dos riscos financeiros.

Além disso, ainda vale citar a redução dos riscos operacionais, visto que há uma minimização das chances de atrasos e, como consequência, a perda de venda por falta de disponibilidade de estoque.

Maior controle de gastos

A gestão eficiente dos fornecedores inclui o trabalho de negociar e realizar pesquisas de preços. Dessa forma, ao economizar, é possível aprimorar os gastos operacionais — essa vantagem é ainda mais perceptível quando se trata de parceiros próximos, visto que o custo do frete diminui.

Garantia de qualidade

Antes de fechar negócio, você estabelece diversos critérios que servem para analisar e validar um fornecedor para a sua loja virtual. A qualidade dos produtos e dos serviços oferecidos é um deles.

Depois que o contrato foi firmado, é papel da gestão acompanhar se o que foi prometido na fase de negociação está sendo entregue. Dessa maneira, é uma garantia a mais de que o nível de qualidade está dentro das expectativas e supre as necessidades da sua loja virtual.

Cumprimento dos prazos combinados

Assim como a qualidade, o cumprimento dos prazos de entrega também têm um papel fundamental para uma boa relação. O acompanhamento dos fluxos de trabalho mais de perto ajuda a garantir que os itens serão enviados dentro do prazo e que o tempo estipulado para o cliente receber o pedido será respeitado.

Aumento do poder de barganha

Conhecer os processos envolvidos na sua cadeia de suprimentos é uma forma de melhorar o relacionamento e negociar condições cada vez melhores para ambas as partes — o que ajuda a fortalecer a confiança.

Além disso, o monitoramento do desempenho dos seus provedores ajuda a entender quando um processo está abaixo do esperado e precisa de ajustes. Nesses casos, fica mais fácil saber quando é o momento de trocar de fornecedor e ter um conhecimento maior para negociar com os novos parceiros.

Sem contar que tudo isso também contribui para que você amplie seu poder de negociação e consiga fechar novos contratos de maneiras mais satisfatórias para o seu e-commerce.

7 fornecedores brasileiros para loja virtual

Agora que você já sabe como selecionar e gerir os seus parceiros, vamos a uma lista com 7 opções de fornecedores para loja virtual, que atendem a vários ramos e atuam com várias formas de trabalho — incluindo o modelo de dropshipping.

Assim, fica ainda mais fácil começar a procurar boas empresas para iniciar uma relação comercial e colocar a sua loja virtual para funcionar.

1. Megafort Atacadista e Distribuidora

A empresa é considerada uma das maiores distribuidoras do país, contando com mais de 5 mil produtos entre diversos ramos — como papelaria, bebidas e higiene pessoal. Com a preocupação de atender aos clientes com o máximo de eficiência possível, a Megafort tem centros de distribuição no Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo e Goiás.

2. Paraná Distribuidora

A Paraná Distribuidora atua em diversos ramos como decoração, informática, brinquedos e material de escritório. Atende a empresas situadas nas regiões Norte e Centro-Oeste do país. É possível obter informações e realizar o cadastro pelo próprio site da empresa.

3. Macro Distribuidora

Atendendo às regiões Centro-Oeste e Norte, a Macro é considerada uma das maiores distribuidoras de produtos com venda no atacado. Trabalha com venda de mais de 30 segmentos, entre os quais:

  • telefonia;
  • cama, mesa e banho;
  • informática;
  • instrumentos musicais;
  • brinquedos.

4. Bim Distribuidora

Bim Distribuidora trabalha com cosméticos, com uma lista de diversos itens disponíveis, como:

  • maquiagens;
  • perfumes;
  • produtos para cabelos.

Além do mais, trabalha também com produtos importados, o que representa um nicho bem interessante para quem deseja trabalhar com esses produtos.

5. K3 Distribuidora

A K3 Distribuidora trabalha com dropshipping nacional. Ela realiza envios para diversos lugares no Brasil e atua com itens do segmento eletrônico, de informática, jogos e segurança. Pelo site é possível obter maiores informações sobre o serviço e os produtos.

6. Empório Bags

A empresa trabalha com revenda de bolsas e acessórios. Está localizada em São Paulo, mas realiza envios para todo o Brasil — com vendas realizadas tanto no atacado quanto no varejo.

7. Imagem Folheados

Imagem Folheados trabalha com uma gama de produtos, sendo eles bijuterias folheadas a ouro e prata. Entre eles, estão:

  • brincos;
  • alianças;
  • pingentes;
  • anéis;
  • pulseiras;
  • tornozeleiras;
  • conjuntos.

Pelo site é possível obter mais informações sobre os produtos e como se tornar um revendedor.

Encontrar e lidar com fornecedores para loja virtual não é uma tarefa simples, como você pôde ver. Porém, ela pode ser muito bem executada quando se realiza um planejamento que guia toda a tomada de decisão — de acordo com os objetivos e as necessidades do seu negócio.

Gostou do artigo? Quer continuar acompanhando nossos conteúdos com vários temas ligados à gestão de uma loja virtual? Então, assine a nossa newsletter e receba as novidades em seu e-mail em primeira mão!

Ficou com alguma dúvida? Faça parte do nosso grupo no Facebook com especialistas em e-commerce e outros lojistas e envie sua pergunta.

Está pensando em criar uma loja virtual? Faça o teste e descubra se você está pronto!

O guia completo para lidar com fornecedores para loja virtual!
5 (100%) 1 voto

One thought on “O guia completo para lidar com fornecedores para loja virtual!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *