Boleto no e-commerce: você sabe como receber por esse método?
Google lançará o Google Shopping Actions para concorrer com marketplaces

Guia completo para você montar uma loja virtual de bijuterias

Publicado em: • Última Atualização:

Ao longo do tempo, o comportamento do consumidor tem mudado. Novas tecnologias estão cada vez mais fazendo parte do nosso mundo. Esse fato facilita nossas escolhas diárias e influencia, inclusive, no processo de compras. Assim, à medida que o universo evolui, as necessidades das pessoas se modificam.

As vendas online crescem a cada momento: em 2017, atingiu um nível de 12%. A projeção para 2018 era de 15%. Isso nos mostra que investir em qualquer tipo de empreendedorismo digital tende a dar bons resultados. Dessa forma, ter uma loja virtual de bijuterias é apenas uma das várias boas escolhas de nicho que um comerciante pode fazer.

Quer uma visão apurada de como estruturar um e-commerce de bijuterias, saber estratégias para boas vendas e dicas para se dar bem nesse ramo? Siga conosco na leitura!

O mercado de loja virtual

Criar uma loja virtual tem sido um investimento rentável para muitos comerciantes. De tempos em tempos nos deparamos com notícias de empreendimentos físicos que precisaram ser fechados. Os custos para manutenção são altos: é necessário pagar aluguel, escolher um ambiente bem visado (que, na maioria das vezes, quanto melhor mais caro é), estar em dia com os tributos, pagar os funcionários (lembre-se ainda das férias e 13º). Além disso, devido à expansão da concorrência online, a movimentação nas lojas físicas tem diminuído.

Não sabemos ainda, exatamente, como será o futuro da existência de comércios presenciais. Porém, o que prevemos, atualmente, é que para a maioria dos empresários isso se tornará insustentável. Pelo menos em relação àquelas mercadorias que podem ser adquiridas de uma forma mais confortável, pelos consumidores, não exigindo sua presença.

Na ação de empreender, é fundamental analisar todos os cenários possíveis que o negócio poderá ter de lidar. Antecipar-se quanto às mudanças e às demandas da sociedade é a atitude mais prudente que um lojista deve ter, pois é por meio dessa prevenção que riscos e falhas poderão ser evitados.

Além disso, a possibilidade de atender pessoas de qualquer parte do país, em qualquer horário, sem a obrigação da presença de vendedores, costuma ser um dos maiores atrativos para quem decide investir no ramo virtual.

O mercado de bijuterias

O varejo de bijuterias é, então, apenas um dos tantos nichos de e-commerce que um gerente pode investir. Para mostrar números com relação aos ganhos que esse ramo pode ter, vamos aos seguintes dados.

O segmento de moda e beleza, segundo relatório Webshoppers, da Ebit, é o mais movimentado de todos, e as bijuterias estão entre esse grupo. Já segundo o FECOMERCIO/CE, o comércio de bijuterias obteve, no Natal de 2017, a segunda maior alta de crescimento, atingindo um nível de 9,7%. A expectativa é a de um crescimento ainda maior nos próximos 5 anos, com a entrada, agora, de consumidores das classes C e D nas compras.

Existem nesse mercado muitos estabelecimentos que têm obtido sucesso ao longo do tempo. A loja Mil Bijus, por exemplo, desde 2007, quando inaugurou, já conseguiu abrir 11 representações físicas e conta com uma virtual. O resultado dela tem sido bastante positivo: crescimento nas vendas em 16%, no ano de 2017, de acordo com o sócio-diretor, Pedro Perez.

É fato que o costume de usar enfeites e adornos sempre existiu, desde as civilizações mais antigas. A própria rainha do Egito, Cleópatra, era fascinada por artigos que contribuíssem para ressaltar sua beleza. Em suas imagens e história, ela sempre foi retratada com coroas, colares, brincos e pulseiras.

O que tem mudado ao longo de todos esses anos é o modo de fabricação desses enfeites, como as bijuterias. Além de tendências, que variam de acordo com os gostos da época, os modos de consumo têm passado para o virtual com os e-commerces.

Sendo assim, podemos acreditar que consumidores de produtos de beleza sempre vão existir. O que difere o êxito entre um comerciante e outro são as ações, os passos e as estratégias que ele toma para que seu negócio se expanda.

Como montar uma loja virtual de bijuterias

Abrir um e-commerce é apenas o primeiro passo dessa caminhada, que exigirá diversas atitudes estratégias e proativas de um empreendedor. Assim como abrir uma empresa física, aqui existirão alguns processos burocráticos também. Contudo, a gestão do negócio costuma ser simplificada e com menos gastos.

Saiba os processos burocráticos

Aqui, o empresário também precisará cumprir algumas exigências, como: contrato social, alvará de funcionamento, registro na junta comercial, criação de CNPJ, inscrição estadual (que será necessária para pagar o ICMS), cadastro da Previdência Social e licenças mais específicas.

Quanto a essas últimas licenças, é recomendado verificar na prefeitura se existem outras imposições, que poderão ser diferentes, dependendo do Estado, do ramo e do tamanho do negócio.

Decida o nome da loja

Antes, é preciso fazer uma verificação se já há algum comércio com o mesmo nome para loja virtual que você pensou, pois, se sim, será preciso escolher outro. Além disso, é importante, nesse momento, pesquisar se existe domínio livre, na internet, para o nome escolhido.

Esse domínio será o endereço pelo qual os consumidores poderão acessar a loja, por isso a importância de associá-los.

Escolha uma plataforma

As plataformas são tecnologias que possibilitam a interação do usuário com a loja e podem ser integradas a outros sistemas importantes para que um e-commerce funcione bem, como sistemas de pagamento e de segurança.

Nas soluções mais completas, o contratante paga uma mensalidade para utilizar o software, que pode vir com diversas facilidades, simplificando todas as ações que o comerciante precisa ter. O custo de uma loja virtual pode variar bastante, mas, ao fazer a escolha, é fundamental pensar em todas as vantagens que cada tipo de plataforma traz.

Pense na segurança

Oferecer meios a fim de que os dados pessoais e bancários dos consumidores estejam protegidos é fundamental para estabelecer a relação de confiança que o meio virtual exige. Além disso, o e-commerce precisa estar livre de ações fraudulentas das pessoas mal intencionadas, para que não arque com grandes prejuízos. Um item para verificar na escolha da plataforma é se ela oferece essa segurança.

Escolha os meios de pagamento

É preciso pensar nas possibilidades de pagamento para os clientes. Entre as mais escolhidas em boas lojas virtuais estão: boleto bancário, transferência entre contas, cartão de crédito, intermediadores e gateways de pagamento. Quanto mais opções o usuário tiver, maiores as chances de a loja conseguir alcançar mais vendas.

Decida as formas de entrega e frete

Outro fator importante e que costuma ser uma das primeiras questões avaliadas na decisão de compra é o tipo e valor do frete. Correios e transportadoras estão entre as opções para a loja. Em algumas ocasiões, é possível fazer boas parcerias para que o valor destas seja mais em conta que os daqueles.

Cadastre os produtos

Organize as mercadorias de acordo com as categorias. Além disso, existem outras ações recomendadas, como investir em fotos de qualidade e convidativas, fazer descrições completas dos itens e inserir títulos com as palavras-chave corretas. Caso não tenha noção de SEO, vale a pena pesquisar sobre isso, pois a otimização é muito importante para que os produtos sejam encontrados na internet.

Informe-se com a legislação

Existem algumas regras diferentes quando se trata de compras online, como o direito do arrependimento, que dá ao consumidor a possibilidade de devolver a mercadoria em até 7 dias após o seu recebimento. O motivo dessa proteção é o fato de compras à distância não darem a segurança que a pessoa teria na forma presencial.

Pense na divulgação

Outro momento primordial é o da divulgação da loja, que pode ser feita por estratégias diferentes de marketing digital, como banners promocionais, abertura de página nas redes sociais, remarketing, anúncios no Facebook e Google ou até influencers digitais. As opções são muitas, basta analisar o que mais cabe à realidade do empreendedor.

Sites para compras de bijuterias

Se for possível, você pode trabalhar com pessoas que fabriquem os próprios acessórios que serão vendidos na loja, comprando apenas as matérias-primas. Porém, na maioria das vezes, contar com fornecedores de semijoias e bijuterias pode ser bastante recompensador se você conseguir encontrar os que sejam confiáveis.  Alguns possíveis sites para comprar bijuteria são os seguintes.

Mil bijus

Na Mil Bijus é possível encontrar diversos produtos, como anéis, gargantilhas, brincos e pulseiras. A loja trabalha com descontos para atacado, que chegam a 60%, mas existem algumas regras para isso, como uma primeira compra no valor de R$399 e as próximas a partir de R$199.

Rei do Brinco

No e-commerce Rei do Brinco, existem muitas opções de acessórios, inclusive pingentes, chaveiros, acessórios de cabelo e maquiagem. É específica para a venda em atacado e ainda conta com alguns produtos hipoalergênicos.

Mauadi

Na Mauadi, há também muitas possibilidades de bijus. O valor mínimo da compra fica por R$50 e ainda há viabilidade de conseguir descontos para a compra atacado. Além disso, a loja oferece promoções para quem se tornar cliente.

Belas Biju

Na Belas Biju, as peças são de aço inox, o que pode agradar aqueles clientes que costumam ter alergias a outros materiais. Existem produtos por valores bem baixos e a compra mínima é de apenas R$25. Em aquisições com valor mais alto, é possível conseguir descontos.

Existem várias outras opções de lojas, claro. Nas suas escolhas, busque sempre referências com outros compradores, antes de optar pela parceria.

10 estratégias para ter boas vendas

Ser um estrategista assegura que os resultados tenham mais sucesso. Sendo assim, acompanhe algumas dicas para a venda de bijuteria.

1. Faça parcerias com outros comércios

Uma loja virtual de bijuterias pode fazer parcerias com qualquer outra do ramo de beleza. As opções são muitas: comércio de roupas, de sapatos, de maquiagem, de cosméticos. A vantagem é abrir um leque maior de possibilidades de ser visto e conhecido, principalmente na fase inicial da caminhada.

2. Invista em pacotes e combos

Uma forma de incentivar o aumento do ticket médio da loja é realizar promoções com combos. Por exemplo, comprar um brinco, uma gargantilha e 1 anel juntos dará um desconto maior que se os comprasse de forma separada. Ou, ainda, formar um belo conjunto de anéis que combinem entre si.  Essas ofertas costumam ser irresistíveis, principalmente para quem está em dúvida do que escolher.

3. Tenha mais opções, além de bijuterias

Investir em produtos, como semijoias pode dar bons retornos também. A diferença entre os dois é que as bijuterias são mercadorias mais simples e produzidas com material de qualidade um pouco inferior. Costumam, por isso, ter um prazo de usabilidade menor.

Já as semijoias não chegam a ser tão caras quanto as joias, mas têm mais qualidade que as bijuterias. Podem ser produzidas com latão, estanho ou bronze e utilizar pedras semipreciosas, como ônix, cristais, quartzo e ametista. Se houver conservação adequada, chegam a durar anos.

Outros produtos também podem fazer parte da loja, como tintas de cabelo, adornos de cabeça, bolsas, enfeites de mesa etc.

4. Conheça bem o público

É fundamental saber bem quem são os consumidores, os gostos e as necessidades para que o comerciante consiga investir nos produtos certos. Adolescentes, por exemplo, terão preferências diferentes de uma pessoa de 40 anos. Além disso, mesmo dentro de um grupo com mesma faixa etária, os interesses podem ser diferentes. Alguns preferem bijuterias mais coloridas, outros as menos chamativas, há os grupos dos nerds e dos românticos.

É possível tentar agrupar mais de um público diferente, mas é importante conseguir dar atenção a todos.

5. Tenha um e-commerce organizado

Quando um usuário acessa a loja virtual, ele deseja encontrar o que quer de forma simples. Sendo assim, organize o menu por meio de categorias temáticas (geeks, unicórnios, clássicas, românticas, góticas, animais, filmes, livros, infantis etc.) e de preços.

Outra sugestão é ter uma barra de buscas, para que as pessoas digitem o item que estejam procurando e o encontrem mais facilmente.

6. Esteja ligado nas tendências

Filmes, livros, seriados e bandas musicais podem ditar a moda do momento. Dessa forma, é crucial atentar-se ao que está acontecendo na época, quais são os tipos de postagens que as pessoas andam curtindo, o que está nos trending topics do Twitter, quais os tipos de fotos que postam no Instagram. As mídias sociais podem ser um bom laboratório para essa pesquisa.

7. Tenha layout responsivo ou mobile

O layout responsivo se refere à viabilidade de o mesmo site ser aberto em dispositivos distintos, como PC, celulares e tablets, oferecendo o mesmo tipo de experiência e facilidade no acesso. Já o mobile friendly corresponde a sites que foram planejados especificamente para os dispositivos móveis. No final, o objetivo é o mesmo: oferecer usabilidade na navegação.

8. Pense no certificado de qualidade

Para atrair a confiança dos compradores na sua loja virtual de bijuterias e/ou semijoias, elabore certificados de qualidade para as peças. Um cartão pequeno impresso, com algumas instruções de uso, como: evitar molhar, não usar durante esportes e evitar contato com hidratantes e perfumes é simples de fazer e dá um ar mais profissional à venda.

9. Invista em planos de fidelização

Incentive as compras constantes por meio de planos de fidelidade, que podem ser por pontuação cumulativa, por exemplo. Nessa situação, o cliente ganha certa quantidade de pontos em cada compra. A partir de um somatório, ele tem direito a descontos ou uma peça grátis. Outra ideia é dar descontos especiais apenas àqueles que estejam inseridos nesses programas.

10. Elabore estratégia de gamificação

Nesse tipo de estratégia, o objetivo é induzir o usuário a interagir bastante com a loja e a realizar compras. O nome vem, realmente, de jogo, o que torna o engajamento mais divertido. Por exemplo, ao ter um perfil no Facebook, o e-commerce pode promover desafios a fim de aumentar a conversão, como compartilhar os posts, e o usuário que conseguir mais curtidas nele ganha um produto à escolha. Ou, ainda, oferecer pequenas premiações ao longo da acumulação de pontos nas compras, como frete grátis, desconto, brindes diversos.

6 dicas para se dar bem no ramo

Além das estratégias, existem algumas ações que precisam ser colocadas em prática, a fim de continuar conquistando mais vendas para o e-commerce. Algumas vezes, elas parecem não ter uma relação direta com a compra do cliente, mas influenciam na emoção para comprar, o que, consequentemente, ajuda no aumento do consumo.

1. Tenha conta em redes sociais

Redes sociais, como o Facebook e o Instagram, são ótimas formas de estreitar a relação com os consumidores e gerar mais empatia para a marca. No Instagram, por exemplo, a loja cria um perfil dela e pode postar atualizações de novos produtos comprados, dicas para usar as bijuterias e boas práticas para conservá-las. Uma tática para o relacionamento é postar fotos de clientes usando as mercadorias que compraram. A clientela mais jovem gosta de se sentir reconhecida dessa forma.

Além disso, os recursos do stories e do IGTV, na própria plataforma permitem aproximação com o público, quando o comerciante posta rotinas diárias e entrega conteúdos úteis, por exemplo.

2. Faça vídeos

O YouTube é outra plataforma interessante. Ela permite a criação de vídeos, nos quais alguém pode, da mesma forma que o Instagram, elaborar conteúdos com temática pertinente a bijuterias e moda. A vantagem aqui é a facilidade de compartilhamento no Facebook e a possibilidade de ser encontrado no Google. Para otimização dos vídeos, é importante saber regras de SEO e as melhores palavras-chave para cada tema.

3. Tenha boas fotos

As imagens serão um dos atrativos mais importantes nas vendas online. A exposição dos itens na plataforma equivale às vitrines das lojas físicas. Quanto mais chamativa e harmoniosa, mais temos vontade de parar para admirar, concorda?

Sabendo disso, cuide bem das fotografias que serão expostas. Existem muitas dicas e segredos, pela internet de como tirar boas fotos, mas, caso sinta dificuldade nessa parte, considere ter ajuda de alguém mais experiente nessa área.

4. Dê atenção ao cliente

Na sua loja virtual de bijuterias, procure atender todas as solicitações dos consumidores. Uma ideia interessante é ter chatbots ou chat online, que são caixas de diálogo no site, em que os visitantes podem fazer uma pergunta ou pedir informações.

A diferença entre os dois modelos é que o primeiro é programado para ser respondido por robôs. No entanto, há viabilidade de planejar respostas mais empáticas, com um linguajar apropriado ao tipo de público. O segundo modelo é operado por pessoas reais. A desvantagem é a necessidade de ter alguém ali sempre disponível. A vantagem é dar uma atenção mais humanizada e responder, de maneira mais eficiente, alguma dúvida pontual.

5. Insira campo para depoimentos

Feedbacks deixados de outros clientes podem ser gatilhos mentais para que o consumidor se decida pela compra. Por meio de relatos positivos, a pessoa verifica que a mercadoria satisfez outra pessoa e, dessa maneira, provavelmente vai agradá-la também.

As primeiras compras dos novos usuários costumam ser as mais desafiantes, justamente pela insegurança em saber se é possível confiar na loja e nos produtos.

6. Não deixe o marketing digital de lado

O marketing não deve ficar apenas com o objetivo de fazer a marca se tornar conhecida. Mesmo depois de ter conquistado alguns fãs, é importante pensar na manutenção deles. Uma forma de fazer isso é por meio de marketing de conteúdo, que é uma espécie do marketing digital.

Nele, a pessoa desenvolve materiais de fácil consumo, que podem ser escritos e postados em um blog do e-commerce. Existem muitas opções do que poderão ser abordadas e há estratégias por trás de cada postagem. Elas são baseadas na jornada de compras do consumidor e podem, no nicho de bijuterias, abordar:

  • conteúdos mais superficiais, que não citem a marca, mas que estejam, de certa forma, relacionados à moda;
  • ou aqueles mais persuasivos, falando das vantagens de adquirir da empresa.

Para qualquer empreendimento, é fundamental ter planejamentos e estratégias a fim de que as ações deem resultados satisfatórios. Além disso, é importante conhecer bem sobre o tipo de varejo com o qual se trabalha, para conseguir fazer escolhas mais efetivas.

As boas práticas precisam ser postas em execução durante todo o caminho que o e-commerce percorre, dessa forma será possível não apenas conquistar, mas manter a lealdade e o engajamento dos consumidores.

Uma loja virtual de bijuterias pode trazer sucesso se o comerciante buscar sempre estudar as melhores ações e se atualizar com relação ao que o mercado e as necessidades dos clientes requerem.

Assine nossa newsletter e receba, diretamente no seu e-mail, outros conteúdos importantes que ajudarão seu e-commerce a alavancar vendas!

Ficou com alguma dúvida? Faça parte do nosso grupo no Facebook com especialistas em e-commerce e outros lojistas e envie sua pergunta.

Está pensando em criar uma loja virtual? Faça o teste e descubra se você está pronto!

Guia completo para você montar uma loja virtual de bijuterias
Avalie esse artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *