O que determina o código de defesa do consumidor para as compras online?
6 dicas fundamentais para vender mais no dia dos namorados

Google Marketplace: entenda como a plataforma pretende entrar no e-commerce

Publicado em: • Última Atualização:

Google Shopping Actions ou o chamado “Google Marketplace”, que foi mencionado no mês de março de 2018 como um anúncio discreto no blog, dando início a uma “revolução” no comércio eletrônico, porém desde o anúncio não houve maiores menções da funcionalidade.

Nesta terça feira (14), durante o evento anual Marketing Live (Marketing ao vivo), em meio às otimizações anunciadas da plataforma, o Google Marketplace foi novamente mencionado, desta forma o principal buscador do mundo irá ingressar de vez no universo de e-commerce.

Ao realizarem buscas na grande rede publicitária da plataforma, será possível realizar o checkout no próprio site, sem precisar ser direcionado para o player que vende o produto.

Desta forma, será uma versão otimizadas do Google Shopping, visando a concorrência com grandes marketplaces globais. Com as atualizações a plataforma permite navegar por itens no formato tradicional do Shopping e apresentar as opções para compra no próprio site do Google, sendo apresentado em um ícone de carrinho que será adicionado à sacola.

Este anúncio torna oficial que o Google será uma espécie de marketplace, seguindo as tendências das redes sociais.

Como serão tratados os problemas na compra

Os problemas com a compra sempre irão existir, mesmo com o Google tomando a frente nestas situações. Em caso de incidentes, o próprio Google fará a intermediação entre o lojista e o comprador, segundo Heckmann, vice-presidente de Engenharia, Shopping e Viagem do Google.

O Google Marketplace realizará o pagamento via meios cadastrais e com as inovações do checkout transparente, a plataforma utilizará a tecnologia para otimizar ainda mais a experiência.

Com esta inovação, foi retirado da jornada de compra do usuário a metade do caminho entre pesquisar, ir ao site e comprar, visando uma forma simplificada de compra otimizada ao cliente.

Como funcionará o e-commerce

Enquanto o varejista é responsável pela logística e manutenção dos produtos, o Google Marketplace Shopping Actions será o responsável pela usabilidade e meios de pagamento.

Mas não se engane, a plataforma também receberá uma porcentagem da venda, semelhante aos marketplaces tradicionais; porém mesmo com esta cobrança será menor que o valor cobrado pelos player globais, por exemplo.

Além de versatilidade, o Google Shopping Action trará mais agilidade e simplicidade para os usuários. A plataforma trabalhará de forma integrada com os já conhecidos Google Assistant e Google Home.

Desta forma, o usuário terá mais usabilidade nas suas pesquisas por voz, texto e automaticamente inserindo os produtos selecionados dentro do carrinho de compras.

O Google Shopping Actions também promete facilitar a compra e venda de produtos através dos dispositivos. Uma vez que, esta é a tecnologia mais utilizada pelos usuários diariamente nas pesquisas feitas nos sites de buscas.

Principais recursos que serão revolucionários:

  • Uma lista compartilhável;
  • Um carrinho de compras universal;
  • Checkout instantâneo com credenciais de pagamento salvas permitindo que os clientes façam compras com facilidade.

Portanto, seguindo a lógica, o Google irá rastrear cada venda e no final do mês, enviará ao varejista uma nota de comissão detalhada por produto.

Mas vale lembrar que o Google Shopping trabalha com o modelo de custo por clique (CPC) e o Shopping Actions trabalhará com o custo por ação (CPA). Desta forma, se não haver nenhuma venda feita pela plataforma, você não precisará pagar um centavo a eles.

Anúncios no YouTube com vendas instantâneas

Como parte da otimização voltada para vendas em plataforma próprias, o Google irá disponibilizar a opção de compras diretamente de vídeos no YouTube, semelhante as redes sociais.

A companhia também anunciou que a sua nova “galeria” de anúncios vai aparecer nas pesquisas.

Todas as novidades serão colocadas no ar “até o fim do ano”, segundo o Google; porém não foi explicado em quais países as novidades aparecerão primeiro, embora os Estados Unidos seja o primeiro mercado contemplado.

Espaço no mercado

O Google Marketplace Shopping Actions promete ingressar com ênfase nos grandes players do mercado.

O que pode ajudar esta nova plataforma do Google a ganhar espaço, são as altas taxas impostas pelos players às empresas varejistas que anunciam no seu e-commerce.

Pensando nisso, o Shopping Actions virá com uma série de novos recursos para compra e venda de comércio eletrônico, além dos já conhecidos, Google Express, Google Shopping e Local Ads.

Ficou com alguma dúvida? Faça parte do nosso grupo no Facebook com especialistas em e-commerce e outros lojistas e envie sua pergunta.

Está pensando em criar uma loja virtual? Faça o teste e descubra se você está pronto!

Google Marketplace: entenda como a plataforma pretende entrar no e-commerce
4.7 (93.45%) 55 votos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *