Isolamento social acelera aderência do e-commerce para idosos

O isolamento social mudou diversos comportamentos de compra e não foi diferente com os idosos — grupo de maior risco ao sofrer […]

O isolamento social mudou diversos comportamentos de compra e não foi diferente com os idosos — grupo de maior risco ao sofrer exposição. 

A inclusão digital, de fato, não é uma novidade. Entretanto, é nítido o impacto do isolamento para a entrada de idosos no e-commerce. 

Dados disponibilizados pela Abcomm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico) apontaram que 6% do faturamento total do e-commerce em 2020 foi representado pelos consumidores com 61 anos ou mais, gerando uma receita de R$ 7,7 bilhões

Quando voltamos o olhar para 2019, o faturamento total deste grupo é bem menor, contando R$ 4,6 bilhões para o e-commerce brasileiro.

O grupo mais conhecido como baby boomers (pessoas com idade entre 55 a 73 anos), está fazendo mais compras online desde o mundo precisou se adaptar à situação em 2020. 48% dos entrevistados preferem o delivery ou encomendar a refeição para retirada no local. Em seguida, temos outro dado importante: 44% optam pela entrega das compras de mercado em casa ao invés se descolocar até o estabelecimento.

“À medida que essas pessoas passam a viver situações diferentes, que antes se recusavam ou até desconheciam, o varejo acaba ganhando alguma vantagem”, declarou Claudio Felisoni de Angelo, presidente do Ibevar (Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo & Mercado de Consumo). 

Contudo, os idosos faziam parte de um público que não era alvo das empresas que vendem online. Agora o jogo virou. As empresas estão cada vez mais focadas apresentar soluções para esse público, de acordo com suas necessidades.

“Diversos obstáculos tiveram que ser superados. Pessoas mais velhas têm resistência maior a adotar novos padrões de modo geral”, relatou o presidente do Ibevar.

E qual o papel de 2020 nesta mudança de comportamento? Segundo pesquisa realizada pela Kanta Ibope Media, 62% dos maiores de 55 anos declararam que a COVID-19 colaborou para a melhor aderência da tecnologia.

Por qual dispositivo os idosos acessam a internet e compram online? 

Sem dúvida, o comportamento geral também reflete na preferência dos idosos. O celular é o dispositivo mais usado por eles. Em seguida notamos a preferência pelo computador ou notebook, por último, tablets. Dados apontados pela pesquisa Kantar Ibope Media.

O isolamento social acelerou o processo, mas será que existe a possibilidade de haver o movimento reverso quando tudo se normalizar? É improvável! O consumidor mudou e as empresas devem se adaptar a esse novo cenário.

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário