Dropshipping vale a pena? Confira como ele funciona e vantagens!

Vender por dropshipping vale a pena, pois, esse formato de venda não precisa de estoque. Essa é a melhor opção para o lojista que está começando, além econômico, todo o encargo logístico fica por conta do fornecedor.

Com a internet a forma como as pessoas se relacionam foi se transformando. Um exemplo disso, são as vendas por dropshipping. Anos atrás, era praticamente impossível vender dessa forma, mas hoje em dia não. Mas, será que dropshipping vale a pena?

Mas calma, você não está familiarizado com o que é dropshipping?

Não precisa se preocupar, esse texto foi feito justamente para você que está curioso sobre esse novo modelo de negócios! Então chega de enrolação e vamos nessa!

O que é dropshipping?

Se você ficou curioso para descobrir mais sobre essa nova modalidade de negócios, o primeiro passo é entender mais sobre o seu conceito.

O dropshipping nada mais é do que um tipo de e-commerce, com a importante ressalva de funcionar de uma forma única, uma vez que age exclusivamente como um intermediador, entre o cliente e o fornecedor.

A ideia aqui, é não ter a necessidade de se manter um estoque, uma vez que a própria empresa não armazenará os produtos.

Sendo assim, a sua única função é servir como uma ponte que vai ligar o cliente, que deseja consumir, ao fornecedor, que pretende vender.

Quem armazena e envia os produtos são os fornecedores, resultando em nenhuma responsabilidade para a empresa, no que diz respeito a esses tópicos.

O lojista deve focar em atrair o maior número possível de clientes para a loja, além de administrar os pedidos, repassando-os para os seus fornecedores.

Via de regra, essa dinâmica costuma ser tão bem-feita, que o cliente costuma nem ao menos notar que está comprando de uma loja com um método.

Entretanto, é importante possuir fornecedores confiáveis, para evitar problemas tanto na entrega, quanto no nível qualidade do produto.

Qual a diferença do dropshipping para os modelos mais tradicionais?

O funcionamento desse modelo de negócios chamado de dropshipping é realmente muito interessante, não é mesmo?

Mas será que você conseguiu entender bem qual a diferença entre esse modelo de administração e as modalidades mais tradicionais?

Não precisa se preocupar, pois é justamente isso que nós iremos te explicar a seguir!

De forma geral, tanto em lojas físicas, quanto nos famigerados e-commerces, os comerciantes costumam possuir estoques com os seus produtos, além de administrarem o processo de entrega.

Apesar disso, algumas exceções podem ser feitas nesse raciocínio, quando pensamos no caso dos marketplaces, por exemplo.

Inclusive, é até mesmo possível traçar um paralelo interessante entre a relação dos marketplaces com os e-commerces e do dropshippers com os fornecedores.

Em ambos os casos, as empresas agem como intermediários entre o comprador e o real vendedor, sem possuir o produto em estoque, com a diferença que os marketplaces ainda se responsabilizam pelo envio, diferente dos dropshippers.

No fim, a grande diferença do dropshipping para uma loja online mais tradicional, é justamente a sua ausência de um estoque, junto da sua atuação, muito mais semelhante à de um intermediário, do que de um comerciante de fato.

Como ele funciona na prática?

Agora que o conceito de dropshipping já ficou um pouco mais claro, talvez a grande dificuldade agora seja entender melhor como ele funciona na prática, não é mesmo?

Afinal, como é feita exatamente a divisão de responsabilidades com os fornecedores? E a relação com os clientes? Ocorre da mesma forma que em um comércio tradicional? É isso que nós veremos a seguir!

Realização do pedido

A primeira etapa de qualquer transação de um comércio, é a realização da compra de um produto ou serviço por parte do cliente.

No nosso caso, a compra ocorre exatamente da mesma forma que por um e-commerce convencional, com o cliente acessando a plataforma da empresa e selecionando os produtos que deseja adquirir e realizando todos os procedimentos de pagamento.

Seguindo os passos de uma compra normal numa loja virtual, o pagamento deve ser aprovado dentro da plataforma da empresa, para que então o lojista receba o pedido, e possamos dar prosseguimento ao processo.

Repasse para o fornecedor

Após receber o pedido do cliente por meio da plataforma, o próximo passo é realizar o repasse desse pedido ao fornecedor, para que ele dê sequência ao procedimento.

Nesse momento, você deverá realizar o pagamento do valor acordado em contrato pelos produtos, e reter também os seus lucros dessa transação.

Vale lembrar, que para o cliente, essa etapa não faz a menor diferença, com muitas vezes ele nem ao menos se dando conta que sua empresa age apenas como um intermediário entre as partes.

Por tanto, muitas vezes, ele pode ter a impressão que quem está providenciando tudo é você, e é importante guardar essa informação para alguns assuntos que serão abordados mais adiante.

Envio do produto

Por fim, passada por todas essas etapas, o fornecedor passa a organizar tudo para a realização do envio.

Estamos falando de separar os produtos em seu estoque, embrulhá-los, e então realizar o envio para o cliente no seu destino combinado.

Entretanto, é muito importante lembrar, que assim como foi comentado no tópico anterior, para o cliente, quem ficou responsável por todo esse procedimento foi o cliente.

Sendo assim, em caso de qualquer imprevisto, necessidade ou dúvida que ele tiver, é bem possível que ele busque por você.

Isso é bem comum nos casos onde o cliente deseja realizar a devolução ou troca do produto, onde no caso, ele deverá ser capaz de fazer a solicitação pela sua plataforma.

Depois você pode fazer o repasse para o fornecedor, que ficará encarregado de toda a logística de devolução.

Quais as vantagens de trabalhar com Dropshipping?

Nós já falamos bastante sobre o que é o tal do dropshipping, não é mesmo? Já falamos até mesmo sobre como funciona e como utilizá-lo.

Entretanto, talvez ainda não tenha ficado claro para você se essa é realmente uma prática que vale a pena, não é mesmo? Será que, no fim das contas, é realmente vantajoso investir nessa modalidade?

Essas dúvidas são extremamente naturais, ainda mais se tratando de uma modalidade nova, com a qual você está tendo o seu primeiro contato.

Sendo assim, nós decidimos separar aqui, algumas das suas principais vantagens, para mostrar pra você, o quão benéfico pode ser investir nessa modalidade!

Ficou curioso? Então, bora com a gente para descobrir mais sobre as principais vantagens do dropshipping!

Relação custo-benefício

Existem muitas vantagens em se aderir ao modelo dropshipping na administração da sua empresa online, e um dos principais é a redução dos custos operacionais.

Com a redução dessas despesas, é possível aumentar o lucro da sua empresa, o que é um grande benefício.

Os custos operacionais são aqueles ligados diretamente à realização das suas atividades cotidianas.

Podemos citar aqui como exemplo a compra de materiais, aluguel de softwares e até mesmo o pagamento de salários para os funcionários.

Em um modelo dropshipping, você consegue reduzir drasticamente essas despesas, uma vez que boa parte dessas atividades passa a ser terceirizada, e responsabilidade do fornecedor.

Pense em todos os custos que você deixará de ter, apenas por não ter que se preocupar com o estoque? Desde o software até a mão de obra e o próprio local onde isso tudo ficava armazenado.

Com a redução dessas despesas, não só a sua margem de lucro aumenta, como até mesmo o capital de giro necessário para manter as atividades da empresa também diminui. Definitivamente são apenas vantagens!

Baixo custo para montar o negócio

Outra grande vantagem do dropshipping também está relacionada ao baixo nível de investimento para iniciar as atividades.

No caso de você estar mais apertado, abrir uma loja, seja ela virtual ou não, seria algo extremamente custoso, e que demandaria um bom investimento, mas esse não é o caso do dropshipping.

Por se tratar de uma loja que age como intermediário, e que não possui os produtos em si, a maior parte dos investimentos convencionais não são necessários.

Na verdade, tendo em vista que estamos falando de um e-commerce que não precisa nem ao menos de um estoque para as mercadorias, é possível montar e gerir tudo da sua própria casa, o que já é bem mais econômico.

Sem falar que não há necessidade de investir nas mercadorias, nem muito menos em locais para armazená-las. Tudo isso faz com que investir nessa modalidade de comércio seja algo extremamente barato e atrativo.

Variedade de produtos

Como em um modelo dropshipping toda a administração de logística e estoque fica terceirizada com os fornecedores, as opções de venda da loja aumentam significativamente.

Justamente pôr o pedido ser feito de forma individual, ou seja, a empresa não compra lotes inteiros de um produto, que ficarão armazenados até que alguém compre.

Sendo assim, o risco para a empresa diminui significativamente, e basicamente, ela pode vender praticamente qualquer coisa que o fornecedor tiver disponível.

Isso sem contar que a mesma loja tem uma vasta gama de fornecedores, o que faz com que ela possa ofertar uma variedade de produtos muito maior do que antes, uma vez que não possui custos para realizar essa ação.

Simplificando, para que uma empresa normal pudesse vender um produto, ela precisaria comprar esse produto do fornecedor, em grande quantidade (para que compensasse), para então ofertá-lo.

Dentro do modelo dropshipping, a lógica se inverte, com a empresa comprando do fornecedor apenas aquilo que for demandado, diminuindo significativamente o seu risco.

Ausência de estoque

Focando ainda na maravilha que é não possuir um estoque, vamos falar sobre mais algumas vantagens que esse ponto pode lhe trazer.

A atividade de gerir um estoque é algo extremamente trabalhoso, e que além de ser caro, também ocupa umas boas horas do seu trabalho.

Como se não bastasse tudo isso, um erro que seja, pode impactar diretamente na experiência do cliente, seja atrasando uma entrega, ou vendendo por engano um produto que já se esgotou.

Ter essa logística terceirizada para os fornecedores permite que você redirecione esse tempo, dinheiro, e esforço para outras atividades, enquanto eles cuidam desses cuidados com o estoque.

Integração com a plataforma

Com toda a gestão de estoque e logística na mão dos fornecedores, toda a administração da sua empresa pode ser feita de forma 100% virtual.

Claro que para isso, possuir uma boa plataforma de e-commerce é fundamental, para que você consiga lidar com todas as suas necessidades da forma mais eficiente possível.

Mas, além disso, algumas plataformas ainda possuem uma integração nativa com algum fornecedor, facilitando ainda mais a vida de quem pretende utilizá-la para dropshipping.

Escalabilidade das vendas por conta do grande número de clientes alcançados

Por fim, mas não menos importante, ao investir em um e-commerce com o modelo dropshipping, a escalabilidade da sua empresa aumenta consideravelmente.

Em primeiro lugar, o fato de você não precisar gastar tempo nem dinheiro cuidando de estoque, permite realocar esses recursos em outros focos, que podem aumentar o alcance e a qualidade do serviço oferecido aos clientes.

Dessa forma, você tende a alcançar um público cada vez maior, o que pode melhorar consideravelmente as suas vendas.

Sendo assim, a tendência é que a empresa cresça, faça novos investimentos, e acabe aumentando seus gastos, visualizando ganhar ainda mais no futuro, certo?

Nos casos tradicionais talvez fosse, mas novamente, com o dropshipping, a lógica muda um pouco.

Como você não possui estoque, os aumentos de investimentos necessários para acompanhar o ritmo de crescimento se tornam bem menores, ou seja, os ganhos crescem de forma bem mais rápida que os seus custos!

Portanto, crescer se torna uma tarefa muito mais fácil do que em condições normais.

Existem pontos fracos?

É óbvio que como absolutamente tudo na vida, o dropshipping também possui alguns pontos fracos.

Sair investindo de forma descuidada, e sem um bom planejamento, não fará com que você obtenha sucesso do dia para noite, e por tanto, é importante ter cuidado.

Foi pensando nisso que decidimos separar aqui alguns dos principais pontos fracos desse modelo de negócio.

A intenção não é desanimar você, mas ser transparente quanto a algumas dificuldades que você pode se deparar, para que seja possível se antecipar a elas e não ser pego de surpresa.

Está preparado? Então continue com a gente!

Falta de controle

Nós já abordamos esse assunto durante o texto, mas agora vamos aprofundar esse tema um pouco mais.

O que acontece, é que, enquanto a terceirização da gestão do estoque é o maior ponto forte desse modelo, ele também pode ser um grande ponto fraco se não for encarado com cuidado.

Como a gestão de todo o estoque, e inclusive da entrega do produto, ficam por responsabilidade do fornecedor, você fica dependente de que eles realizem um bom trabalho.

Afinal, quem está dando as caras com o consumidor é a sua empresa, e em caso de qualquer problema, é você quem o cliente procurará.

Imagine que o fornecedor tenha errado na administração, e, na verdade, o produto estava em falta no estoque, o que acontece?

Ou então a entrega atrase por conta da má escolha de transportadora? Ou se o produto chegar danificado?

Todas essas variáveis estão totalmente fora do seu controle, entretanto, será a reputação da sua marca que sofrerá com esses erros.

É justamente por isso, que é fundamental ser bem criterioso e cuidadoso na hora de escolher com quais fornecedores você trabalhará.

Lembre-se que no fim das contas, quem tende a ficar com má fama entre os consumidores é a sua empresa, no caso de algo dar errado, e nós definitivamente não queremos isso.

Construção de marca

Outro problema que também é gerado por todo esse conforto a mais, é justamente a construção da sua própria marca.

Como todos os seus produtos são terceirizados, você acaba vendendo produtos muito semelhantes aos de diversos outros lojistas, o que dificulta na construção de uma identidade para o cliente.

Como se isso já não dificultasse o bastante, na maioria das vezes, o produto tende a ser enviado com uma identificação da marca do fornecedor.

Não é impossível conseguir negociar para que vá também com a marca da sua loja, mas acaba sendo um caso mais raro, o que também diminui o contato do cliente com a marca.

Todos esses elementos corroboram para fazer sua empresa parecer um tanto quanto genérica, dificultando a criação de um vínculo com o cliente.

Conseguir ser lembrado se torna uma tarefa mais difícil, que exigirá muito mais criatividade da sua parte.

É claro que essas desvantagens não anulam os benefícios desse modelo, mas elas acendem uma luz amarela aos pontos em que você deve prestar atenção e se precaver para evitar problemas.

O dropshipping é um modelo de negócios para e-commerces que possibilita uma boa redução de custos por meio da terceirização da administração dos estoques.

A empresa passa a agir mais como um intermediário entre o fornecedor e o cliente, tornando a sua atividade muito mais barata, mas que ainda requer atenção e cuidado em sua administração para conseguir se desenvolver.

Esperamos que o conteúdo tenha sido útil para você, continue aprendendo com nosso blog, confira também:

Contabilidade para Dropshipping: O que é e como fazer!

Não há comentários ainda. Seja o primeiro a escrever um.

Deixe seu comentário