O que é e quais as principais vantagens da logística cross docking?

Quando abrimos um negócio para oferecer algum tipo de produto ou serviço aos consumidores, os desafios são muitos. O mercado atual instável […]

Quando abrimos um negócio para oferecer algum tipo de produto ou serviço aos consumidores, os desafios são muitos. O mercado atual instável e altamente competitivo pede que as empresas atuem constantemente revendo suas etapas de produção. O esforço em prol da otimização dos processos é essencial para prestar um serviço de qualidade, ao mesmo tempo em que se economiza recursos. É nesse sentido que muitas marcas estão aplicando o cross docking na área de logística.

Mas afinal, o que é o cross docking? É uma expressão que traduzida significa algo parecido com “cruzamento de docas”. Trata-se de uma estratégia que está sendo aplicada para trazer eficiência aos armazéns de estoque. A ideia principal é substituir esse sistema onde a empresa mantém um galpão enorme, onde os materiais ficam guardados durante dias aguardando serem enviados para outros lugares. Nesse sistema, a empresa reduz ao máximo o tempo que cada item fica parado nesse entreposto.

Como é aplicado o cross docking?

Na teoria, parece ser uma ótima tática, mas você deve estar se perguntando como o cross docking é feito na prática. Bom, em primeiro lugar você precisa saber que, a princípio, esse sistema tem sido aplicado por empresas com demanda alta e constante por materiais e/ou entregas ao consumidor.

Isso ocorre porque no cross docking você sincroniza o movimento dos caminhões que chegam no entreposto com os que levam os produtos para a próxima etapa. O objetivo é manter os objetos sempre em movimento, reduzindo ao máximo o tempo parado em algum armazém. Por isso, é necessário planejar obsessivamente a triagem do que chega e organizar muito bem a distribuição das cargas inbound com as outbound.

Para ilustrar o funcionamento da estratégia, vamos utilizar o exemplo de uma ONG responsável por distribuir cestas básicas. Em seu galpão, ela recebe os caminhões com fornecimento dos diversos itens, como arroz, feijão, óleo e macarrão. Lá, os voluntários organizam as caixas com um item de cada para, depois, carregar os caminhões que levarão ao destino.

Numa estratégia de cross docking, essa ONG se organizaria para que os fornecedores chegassem simultaneamente e garantiria uma distribuição das cestas básicas cronometrada para ser finalizada assim que chegassem os distribuidores. Parece incrível, certo? E é mesmo! Para saber por que, continue lendo.

Quais as vantagens do cross docking?

Como já foi adiantado acima, o principal objetivo do cross docking é otimizar o processo de distribuição na sua empresa. Para uma empresa com dificuldades de se manter no azul, pode ser o que falta para cortar despesas desnecessárias. Confira agora outras vantagens possíveis.

Agilidade

Quando falamos em otimizar o processo, obviamente estamos nos referindo a um dos grandes agregadores de valor para um produto ou serviço: a agilidade na entrega ao cliente. Os consumidores estão cada vez mais exigentes e apressados, nesse sentido, o cross docking definitivamente ajuda muito.

Imagine, no exemplo da ONG, se ela tivesse que esperar horas de diferença entre a chegada de cada fornecedor antes de sequer começar o processo de separação? Quanto tempo seria perdido apenas por uma falta de planejamento básico? Essa demora impacta diretamente na satisfação final do cliente.

Redução de custos com estoque

Continuando com o cenário hipotético trabalhado, caso o primeiro caminhão contendo toneladas de arroz chegasse antes dos outros, sua equipe teria que descarregar tudo em uma área apropriada. Pense em quanto espaço seria necessário para armazenar esse estoque enquanto aguarda a chegada dos outros itens. Se identificou isso como desperdício de dinheiro, você está com a mentalidade certa.

Outra grande vantagem do cross docking é a possibilidade de economizar no aluguel de espaços que antes seriam usados apenas para objetos aguardarem o envio final. O objetivo é trocar os galpões gigantescos por uma área consideravelmente menor apenas para separação e redistribuição. Dessa forma, além de tempo, você economiza dinheiro com aluguel e manutenção.

Integração entre parceiros

A necessidade de sincronizar os diversos atores envolvidos na etapa do cross docking exige que sua empresa trabalhe uma comunicação transparente e clara com seus parceiros. Falhas humanas são comuns e podem causar enganos e atrasos que causam um efeito cascata péssimo para os negócios.

Para evitar dores de cabeça, o cross docking estimula a integração entre os parceiros e colaboradores, possibilitando uma linha de produção fluida. Nesse caso, inclusive, vale a pena investir na implementação de um sistema de comunicação digital e na automatização de certas etapas para impedir qualquer falha de comunicação.

Controle maior na entrega

Os sistemas que adotam o cross docking geralmente trazem a gerência para dentro dessa etapa, possibilitando maior controle em tempo real. Nos modelos tradicionais de distribuição através de estocagem, por contemplarem prazos mais largos, é necessário delegar o controle do armazém a outras pessoas. Essa estrutura mais distante do local de estoque costuma burocratizar e atrasar o processo decisório e a resolução de problemas inesperados.

O acompanhamento eficiente e ágil do local é causa e consequência dos outros pontos citados, garantindo maior agilidade nas entregas, redução de custos e integração centralizada. Com todos esses objetivos alcançados, você ainda garante a qualidade dos produtos, evitando danos e prazos de validade vencidos na hora da entrega.

Por onde começar o cross docking?

Antes de qualquer decisão, estude todos os processos e atores necessários para que sua empresa entregue o produto ou serviço ao cliente, do início ao fim. Tendo conhecimento total, faça um planejamento prévio de como serão sincronizados os fornecedores e distribuidores, além de treinar a equipe responsável pelo cross docking.

Como já foi adiantado, invista em plataformas digitais que ajudam seu negócio através da geração de dados relevantes a esse processo. Também avalie como é feita a comunicação tanto interna quanto com os colaboradores e parceiros — caso seja necessário, escolha um canal unificado. Por último, escolha o local ideal para o processo que você desenhou e comece. E não se esqueça de que sempre é possível adaptar qualquer mudança que julgue necessária durante a prática.

O cross docking é um sistema cada vez mais difundido em empresas de diversas áreas, desde gigantes como Amazon e Magazine Luiza até startups novatas no mercado. Se você ficou interessado em mais dicas de como implementar, assine a nossa newsletter para receber mais conteúdos!

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário