Descubra agora como melhorar o controle financeiro do seu negócio

Fazer o controle financeiro é questão de sobrevivência para qualquer negócio. Afinal, um dos motivos que leva a problemas nas empresas é […]

Fazer o controle financeiro é questão de sobrevivência para qualquer negócio. Afinal, um dos motivos que leva a problemas nas empresas é a falta de capital para pagar as contas. Uma organização, não importa o seu tamanho, tem diversas despesas, como o pagamento do salário de colaboradores, a compra de insumos, tributação e diversos outros. Então, como fazer bem esse controle e garantir a saúde da companhia?

É isso que você verá neste post. Se você é dono ou gerente de um e-commerce, continue lendo até o fim e descubra como melhorar o controle financeiro do seu negócio.

Comece o controle financeiro separando as contas pessoais e da empresa

Caso a empresa ainda seja pequena, é muito comum que as contas pessoais e empresariais sejam a mesma. Na prática, o ideal é separar bem essas informações. Isso ajuda muito a organizar as finanças em ambos os lados, diminuindo a chance de você deixar uma conta passar. Além disso, facilita os próximos passos referentes ao controle das informações.

Trabalhe bem o fluxo de caixa

Com as contas separadas, você pode focar em conhecer como estão as finanças do seu negócio. Para isso, deve saber muito bem o destino de cada centavo que passa pela sua empresa, tanto na entrada quanto na saída. Esse processo é o fluxo de caixa, e com ele em mãos, você pode ir mais a fundo para descobrir diversas outras informações sobre a sua empresa. É importante também que conheça as despesas fixas e variáveis, além da lucratividade do negócio.

Se você não sabe, as despesas variáveis são aquelas que crescem ou diminuem de acordo com a produção. Por exemplo, quanto mais você vende, mais precisa comprar matéria-prima. Já as despesas fixas não mudam, não importa o quanto você venda, como o salário dos colaboradores.

É claro que para fazer o fluxo de caixa é preciso o registro de todas as movimentações, em ambos os sentidos. Dependendo do tamanho da empresa, você pode usar o bom e velho papel e caneta. Porém, eventualmente, as informações serão complexas demais e será preciso uma planilha ou mesmo de um sistema ERP.

Trace metas e objetivos

Agora que você já tem as informações mais básicas, pode pensar em metas e objetivos para otimizar a gestão financeira do negócio. Por exemplo, caso as suas despesas fixas sejam muito grandes, pode ter uma meta de reduzir em X% esses custos nos próximos seis meses. Por outro lado, a meta também pode ser aumentar o faturamento em Y% no próximo ano.

O importante é sempre escolher metas que sejam bem específicas e tenham um prazo claro. Além disso, você precisa pensar nas ações que permitirão alcançar as metas.

Construa o capital de giro e uma reserva de emergência

Uma das suas primeiras metas é ter o capital de giro bem claro. Basicamente, essa é a reserva de dinheiro que a empresa tem para gastar no dia a dia. Ao contrário do que se pensa, boa parte das empresas vão à falência não por deixarem de ser lucrativas, mas por não terem um capital de giro bem construído. Assim, elas não têm dinheiro para pagar as contas e começam a se endividar, criando um processo que leva ao fim do negócio.

Por exemplo, imagine que você compra a mercadoria no dia X e o cliente a compra 3 dias depois. Nesse caso, ele paga no crédito e você receberá apenas daqui a um mês. Porém, o fornecedor precisa ser pago agora. Como fazer? É para isso que serve o capital de giro.

Complementando esse conceito, é interessante ter uma reserva de emergência separada. Por exemplo, imagine que um equipamento caro quebrou. Dependendo do valor, pode ser arriscado tirar esse dinheiro do capital de giro. Então, o fundo de reserva é o recurso que você precisa ter, mas nunca quer usar. A boa notícia é que é possível investir esses fundos para que eles tragam algum retorno.

Corte gastos com cuidado

As informações que você descobrir certamente trarão uma grande tentação de cortar custos, mas é preciso tomar cuidado. Certos cortes podem impactar diretamente a capacidade de produção do negócio, o que afeta o faturamento. É preciso realmente identificar os gastos necessários dos supérfluos. O marketing é um bom exemplo de um gasto tentador de cortar, mas é essencial para o negócio.

Defina orçamentos e projeções futuras

Agora que você já cuidou do presente do seu negócio, é hora de começar a pensar no futuro. Ou seja, você fará projeções de recebimentos e gastos, de modo a ter orçamentos claros e bem próximos da realidade. A vantagem de ter um controle de informações tão preciso é que você projeta com uma boa precisão, comparando com resultados anteriores.

Ter um orçamento é muito positivo, pois ajuda a acompanhar o seu negócio, como veremos no próximo tópico. Também auxilia no melhor controle do capital de giro, na reserva e nos investimentos, já que você tem uma ideia melhor de quanto dinheiro precisa para gastos altos, como a logística.

Acompanhe os resultados com frequência

Por fim, com todas as informações no lugar, é hora de analisar os resultados do negócio. O ideal é que você confira o fluxo de caixa com uma boa frequência — de preferência diariamente. Assim, pode pegar pequenas falhas o mais cedo possível e corrigi-las. Uma auditoria mais geral pode ser feita semanalmente ou mensalmente.

O mais importante, nesse caso, é procurar tendências. Um mês em que os resultados não são o esperado não é motivo para gerar pânico, mas é bom investigar o que aconteceu. Pode ser que tenha ocorrido um erro de projeção ou algum problema externo que afetou o seu nicho. Se a situação se repetir, aí vale uma ação mais drástica. Também é importante acompanhar se o negócio está caminhando para que as metas traçadas acima sejam cumpridas.

Fazer o controle do negócio é simples, porém trabalhoso. Como você percebeu, são muitas informações que precisam ser controladas em pouco tempo. Fazer isso à mão é um esforço desnecessário, além de abrir a possibilidade de cometer erros. Portanto, o ideal é contar com o apoio da tecnologia para automatizar as ações e facilitar o processo.

Gosto do post? Tem alguma dúvida ou uma dica de controle financeiro para compartilhar? Então, preencha o formulário logo abaixo e deixe o seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário