Contabilidade para Dropshipping: Entenda o que é e como fazer?

A contabilidade de dropshipping, funciona da seguinte forma: o dropshipper é quem faz a intermediação entre o cliente e o fornecedor, e dessa forma, o imposto cobrado desse dropshipping será calculado sobre o valor da comissão recebida.

A contabilidade desempenha um papel vital na administração de um negócio. Em empresas que trabalham com o modelo Dropshipping (sem estoque), não é diferente.

Rastrear receitas e despesas, garantir a conformidade legal e fornecer aos investidores, à administração e ao governo informações financeiras que podem ser usadas na tomada de decisões são algumas das ações envolvidas na contabilidade para Dropshipping.

A maneira de lidar com as questões financeiras, tributárias e fiscais da empresa também deve considerar as particularidades legislativas do Dropshipping no Brasil.

Nosso foco aqui é justamente explicar como você pode colocar isso em prática. Confira!

O que é Dropshipping?

Dropshipping é um modelo de negócio que não demanda um estoque para armazenar produtos.

Em vez disso, a sua empresa realiza o atendimento ao cliente e repassa o pedido para uma fornecedora terceirizada que, então, envia o pedido ao cliente em seu nome.

Digamos que você tenha uma loja online que vende artigos esportivos.

Como um dropshipper, você não precisa comprar centenas de equipamentos e vestuários antecipadamente e armazená-los em um estoque alugado (ou na garagem) até fazer as vendas.

Em vez disso, você deve encontrar um fornecedor de Dropshipping que tenha espaço no depósito para estocar os seus itens.

Uma vez que o cliente realiza o pedido no e-commerce, o seu fornecedor (ou fornecedores, pode haver muitos deles) envia o produto diretamente para o cliente em nome da sua loja.

Você nunca vai precisar lidar com logística. A sua tarefa como vendedor é levar os clientes à loja online e oferecer uma experiência satisfatória durante e após a compra.

Confira também: 5 vantagens de optar pelo dropshipping em uma loja online.

Como funciona a contabilidade para Dropshipping?

Como em qualquer outro modelo de negócio, a contabilidade assume um papel muito importante na regularização das atividades de Dropshipping.

A importância da contabilidade talvez seja ainda maior do que nos outros modelos, dado que as questões fiscais e tributárias do Dropshipping ainda não estão claras no Brasil.

Quando falamos de contabilidade para e-commerces que trabalham com Dropshipping e demais empresas, estamos nos referindo a principalmente a estas atividades:

  • abrir e enquadrar a empresa;
  • escolher o regime tributário;
  • organizar as atividades fiscais da empresa com fornecedores e clientes.

Tudo que está envolvido em garantir a transparência financeira e a prestação de contas da empresa perante o governo diz respeito à contabilidade.

Se desejar, você como dropshipper pode contar com a ajuda de um contador ou escritório de contabilidade para resolver as questões fiscais, tributárias e financeiras do seu negócio.

Qual lei regula a contabilidade para uma empresa Dropshipping?

O Dropshipping é considerado um modelo de negócio não regulamentado no Brasil — o que é bem diferente de um modelo ilegal.

Isso significa que ainda não existe uma legislação para tratar das atividades do Dropshipping — inclusive as questões fiscais e tributárias.

É algo natural em qualquer modelo de negócio inovador.

Enquanto não há uma lei específica para o Dropshipping, o que podemos fazer é interpretar a legislação que existe para encontrar atividades (CNAEs) com características semelhantes para que uma empresa consiga abrir o seu CNPJ e se manter dentro da lei.

Como regularizar minha empresa Dropshipping?

A primeira tarefa para uma contabilidade para Dropshipping é regularizar a empresa com a abertura de um CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica).

A formalização como PJ é o que permitirá ao seu negócio ser reconhecido como uma empresa perante o governo e instituições bancárias.

No entanto, o dropshipper não pode abrir um CNPJ como MEI (Microempreendedor Individual), que é a forma mais simples de abrir uma empresa no Brasil.

O problema é que o limite de faturamento anual do MEI é muito baixo (R$ 81 mil) em relação ao faturamento que você pode obter como dropshipper.

Além disso, só pode se formalizar como MEI quem se encaixa dentro das atividades regulamentadas pela categoria.

O ideal para um dropshipper é abrir o CNPJ como ME (Microempresa), cujo limite de faturamento anual é igual ou inferior a R$ 360 mil.

Na maioria dos Estados brasileiros, é possível abrir um CNPJ para microempresa pela internet, sem que seja preciso sair de casa.

Se necessário, você pode contar com a ajuda de um contador para realizar esse processo.

Ao se formalizar como ME, um contador também pode ajudar você na escolha do CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas).

Trata-se de um código referente à atividade econômica que a sua empresa exerce.

Esse código determina quais são os impostos a pagar e quais são as obrigações tributárias da empresa.

Quais são os regimes tributários para Dropshipping?

Outra tarefa importante da contabilidade para o modelo Dropshipping é a escolha do melhor regime tributário para enquadrar a empresa.

Na prática, existem três opções:

  • Simples Nacional;
  • Lucro Presumido;
  • Lucro Real.

Ao se formalizar como Microempresa (ME), o seu negócio estará automaticamente enquadrado no regime do Simples Nacional.

O enquadramento automático também acontece com outras duas categorias: Microempreendedor Individual (MEI) e EPP (Empresas de Pequeno Porte).

Se ultrapassar o limite de faturamento anual do ME (R$ 360 mil), seu negócio poderá ser enquadrado no Lucro Presumido ou Lucro Real.

O Lucro Presumido pode ser utilizado por empresas com faturamento anual de até R$ 78 milhões por ano.

No Lucro Real, a adesão é obrigatória para empresas com faturamento anual superior a R$ 78 milhões.

Quais impostos vou precisar pagar?

O que determina os impostos a serem pagos é o faturamento da empresa, o regime tributário em que está enquadrado o seu CNPJ e a tributação do município.

No geral, os seguintes impostos devem ser pagos ao abrir um CNPJ:

  • Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS);
  • PIS/PASEP (Contribuição);
  • Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins);
  • Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ);
  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI);
  • Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL);
  • Contribuição Patronal Previdenciária (CPP);
  • Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS).

Mas a frequência da cobrança e a soma dos impostos são diferentes em cada regime tributário (Simples Nacional, Lucro Presumido e Lucro Real).

É isso, chegamos ao final do nosso manual de contabilidade para Dropshipping.

Esperamos que as informações acima ajudem você a dar os primeiros passos com seu empreendimento sem estoque.

Para aprender mais sobre esse modelo de negócio inovador, confira o nosso guia:

E-book como vender sem estoque

Não há comentários ainda. Seja o primeiro a escrever um.

Deixe seu comentário