Como a sua empresa pode sobreviver a períodos de crise econômica?

Saber como sobreviver à crise econômica é um desafio pelo qual muitas empresas podem passar ao longo dos anos. Com as dificuldades […]

Saber como sobreviver à crise econômica é um desafio pelo qual muitas empresas podem passar ao longo dos anos. Com as dificuldades para aquisição de materiais, manter colaboradores e ainda incentivar os consumidores a continuar comprando não são tarefas fáceis. Contudo, é possível tomar certas ações que façam com que esse momento cause menos danos ao negócio.

Em tempos de crise, como uma pandemia, os consumidores podem ficar impedidos de se locomover ou se depararem com as incertezas financeiras da retração do mercado de trabalho. Quer saber como sobreviver à crise econômica e manter a saúde financeira do seu negócio? Então continue a leitura!

9 dicas para sobreviver à crise econômica

Para as empresas que desejam se preparar e conseguir sobreviver a momentos de crise econômica, separamos algumas dicas práticas que podem deixar esse momento turbulento muito menos penoso. Confira!

1. Controlar os custos

Os custos de uma empresa costumam ser mais notáveis em momentos de crise. Portanto, nada de desperdícios. As equipes devem se reunir para descobrir maneiras eficientes de cortar custos desnecessários. A má utilização de recursos pode ser percebida quando é realizada uma boa análise de todos os processos da empresa — os internos e os externos.

Esse é o momento de cuidar bastante do fluxo de caixa do negócio. Todo o dinheiro que entra e sai deve ser monitorado para que as contas sejam normalizadas e não haja a necessidade de fechamento ou recorrer a empréstimos com juros altos.

2. Focar na produtividade

Quando os processos da empresa são analisados, estão sendo feitos da maneira mais produtiva o possível. As boas práticas de gestão devem ser priorizadas e todos os colaboradores devem trabalhar de maneira mais produtiva. A empresa deve saber comunicar a situação aos membros da equipe para que todos compartilhem o mesmo objetivo.

Se existirem maneiras mais produtivas de executar os processos da empresa — sem que isso comprometa a eficiência e a qualidade do negócio — essas medidas devem ser tomadas em comum acordo com os membros da gestão.

3. Identificar novas oportunidades

A inovação deve ser palavra-chave nos momentos de crise. Olhar para fora da empresa e buscar por novas soluções é fundamental. Conhecer os clientes, o mercado e os funcionários é uma boa maneira de buscar por novas soluções.

Empresas que podem reduzir o número de fornecedores devem aproveitar os preços mais competitivos com o aumento da escala de pedidos. Conhecendo os clientes, é possível entregar serviços e produtos que estejam alinhados ao momento atual dos consumidores, tanto os novos quanto os já existentes.

4. Invista na imagem do negócio

Nos momentos de crise, tentar empurrar produtos e serviços a preços mais competitivos ou desesperados pode ser um erro. A ideia é mostrar as ações que o empreendimento está realizando para minimizar os danos e instruir os consumidores a tomarem atitudes corretas e eficientes.

A imagem do negócio durante os períodos mais difíceis ficará na lembrança dos consumidores quando os momentos mais afortunados chegarem. A comunicação entre empresa e cliente também deve ser priorizada. É importante ouvir os clientes e ajudá-los com as suas necessidades nos momentos difíceis. Se a sua empresa está realizando boas práticas e incentivando boas ações, mostre isso para a sua base de clientes.

5. Priorize a saúde

Nesse momento, é fundamental seguir as recomendações impostas pelos órgãos de vigilância e de saúde. O bem-estar e a segurança dos seus colaboradores devem ser priorizados, isso garantirá um ambiente de trabalho adequado para todos e ainda mostrará para os seus clientes que a sua marca está preocupada com o time dentro e fora do ambiente de trabalho.

5. Adapte a sua marca à realidade do cliente

Os produtos que podem ser enviados e não necessitam da presença do consumidor tendem a ter uma maior aceitação. Ainda assim, buscar por alternativas que tragam inovação e segurança para os clientes é de extrema importância. Avalie o que pode ser feito sem a necessidade de contato físico e priorize os serviços e produtos que não coloquem em risco a vida dos clientes e dos colaboradores.

6. Ofereça possibilidades de pagamento

Algumas empresas ainda não aderiram a formas de pagamento que vêm inovando o mundo dos negócios. Portanto, é preciso conhecê-las e se programar para dar maiores opções de compra aos clientes interessados nos seus produtos ou serviços.

As alternativas de pagamento com maiores vantagens e sem juros altos são excelentes opções para os clientes que, nesses momentos de crise, estão sem o poder aquisitivo que teriam em outros tempos. Parcelamentos são eficientes para estimular o consumidor a continuar comprando sem sobrecarregar seu bolso.

7. Invista em resultados de curto prazo

Nos momentos de crise econômica, investir em grandes ações ou expansões de qualquer tamanho pode ser um negócio arriscado. Mesmo que os resultados a longo prazo pareçam promissores, o momento pode pedir cautela e uma freada nos investimentos. Contudo, também não é o momento de estagnar os negócios e esperar que tempos melhores surjam.

Logo, o ideal é realizar pequenas adaptações ou inovações nos produtos existentes para que eles fiquem mais atrativos e acessíveis ao público consumidor. Outra alternativa é realizar adaptações necessárias para conquistar uma parcela de clientes que ainda não consumia os seus produtos ou serviços.

8. Diversifique o canal de vendas

Por mais que as vendas estivessem boas nos momentos menos difíceis, é sempre importante buscar novos meios de realizar negócios. Em tempos de crise, essa diversificação se torna ainda mais necessária. As vendas online são excelentes canais para concretizar negócios.

Por meio do e-commerce é possível comercializar produtos para qualquer região, contando com custos baixos e sem a necessidade de um estoque. As redes sociais também podem funcionar muito bem para atrair novos clientes e ainda realizar vendas para um público mais instruído sobre as suas soluções e com um desejo de compras ativado. O marketplace é outro fenômeno que pode impulsionar muito as vendas e trazer resultados financeiros expressivos para os empreendedores.

9. Invista em canais de comunicação

Como já falamos, a comunicação é fundamental para sobreviver à crise econômica. Utilizando redes sociais, blogs e sites, é possível atrair novos clientes e alimentar os atuais com conteúdos relevantes e interessantes. Mesmo que as vendas não tenham um aumento significativo nos primeiros momentos, estar na cabeça dos consumidores é uma boa opção para quando o cenário econômico se normalizar.

Com as medidas apresentadas anteriormente, é bem possível que a sua empresa sobreviva à crise econômica e consiga recuperar os resultados perdidos. Controlar custos, focar na produtividade e identificar novas oportunidades são passos fundamentais para esse retorno. Também é muito importante contar com uma equipe treinada e capacitada para ajudar a empresa a passar por momentos de turbulência.

Para não perder mais artigos como este, siga nossa página do Facebook e não perca mais informações.

Não há comentários ainda. Seja o primeiro a escrever um.

Deixe seu comentário