Como se preparar para a Black Friday? 13 dicas para você começar agora!

Para se preparar para a Black Friday você precisa: Se preparar antecipadamente, ter um site seguro e otimizado, ter promoções reais, oferecer várias formas de pagamento, divulgar sua campanha em canais estratégicos e ter um ótimo serviço de logística.

A Black Friday é uma data muito esperada pelo público consumidor, e também pelas empresas, que aproveitam esse período para faturar mais e captar novos clientes. Mas a pergunta que fica é? Como se preparar para a Black Friday?

Estamos quase chegando na data de 2022 e todo ano há incertezas sobre como será o evento. Este ano, ela está marcado para 25 de novembro.

Com a inflação alta e o aumento do dólar, o cenário para a Black Friday não parecia muito promissora para o varejo, porém há um engano nisso.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Globo, 50% dos consumidores do país têm intenção de comprar durante o período.

Um aumento de 3% em comparação com o mesmo período em 2021.

Como a Copa do Mundo também vai acontecer em 2022, 56% dos consumidores querem produtos associados ao assunto, sendo que 72% pretendem fazer essas aquisições durante as promoções de Black Friday.

Então, é importante se organizar para a data. Neste conteúdo, você vai encontra um checklist completo com as melhores dicas para você se preparar para a Black Friday. Vamos lá?

Como se preparar para a Black Friday?

Sem muita enrolação, preparamos aqui as melhores dica de como se preparar para a Black Friday. Nosso guia possui 13 dicas que vão ajudar você a alavancar as vendas no período.

Veja como se preparar para a Black Friday e, mesmo diante dos problemas, conseguir se destacar no mercado:

1. Prepare-se antecipadamente

Preparar-se é o passo inicial.

É necessário planejar os itens que participarão da oferta, como serão os descontos e quanto tempo pretende manter a promoção.

Afinal, é comum que as lojas antecipem a data em alguns dias ou semanas.

Fique atento à precificação para não ter prejuízos e, ao mesmo tempo, agradar o cliente.

Ninguém gosta de falsas promoções. O consumidor hoje está muito esclarecido e sabe identificar uma boa oferta de uma oferta “de fachada”.

E certamente ele não fará cerimônias: vai comprar na loja que realmente está oferecendo vantagens para ele.

Preparar-se evita as confusões de última hora, que podem gerar compras desnecessárias, perdas e prejuízos.

O consumidor também pode ficar insatisfeito com o resultado de ações precipitadas, que não atendem às suas expectativas.

2. Tenha um site seguro e otimizado

Outra dica, que vale para qualquer época, é manter o site da loja otimizado e seguro.

Segurança é fundamental para que a confiança do cliente aumente.

Muitos consumidores podem deixar de comprar em determinado e-commerce quando acontece algum problema relativo à segurança.

Durante o Black Friday, todas as empresas querem vender mais, porém, a ação de pessoas mal intencionadas é um risco —elas podem, inclusive, usar o nome da loja e links falsos para praticar fraudes.

Principalmente no momento do pagamento, é importante que o site ofereça toda a segurança necessária para que os dados do cliente (CPF, número do cartão, telefone, endereço) estejam bem protegidos.

Além disso, a navegação deve ocorrer de forma fluida e intuitiva, de forma a facilitar a pesquisa e a seleção de itens, bem como a finalização da compra.

Se a navegação é complexa, o interesse e a motivação do consumidor diminuem.

Na verdade, uma boa navegação corresponde a um bom atendimento.

Considere que, quando o consumidor chega a uma loja física, e os funcionários demoram demais para atender, ele pode se sentir insatisfeito e ir embora.

De forma similar, ocorre durante uma navegação difícil em uma loja virtual.

3. Ofereça várias formas de pagamento e checkout transparente

Outra dica valiosa de como se preparar para a Black Friday é investir em diferentes formas de pagamento.

Afinal, se não são oferecidas opções satisfatórias de pagamento, o consumidor pode ficar limitado e abandonar o carrinho.

Pagamento por meio de boleto, via transferência ou depósito bancário (incluindo PIX), parcelado no cartão de crédito ou de débito são algumas das alternativas.

Algumas lojas conseguem dividir sem juros uma determinada quantidade de parcelas, como seis vezes sem juros, por exemplo. Há também a possibilidade de dividir no boleto.

Convém ainda investir em checkout transparente, um conceito que se tornou relevante para o comércio eletrônico.

Ele substitui o conceito de checkout online, o qual é, em geral, um processo menos acessível, que pode levar o usuário a abandonar o carrinho.

Ele não se sente muito confiante e seguro nesse modelo e, assim, muitas vezes, não efetiva a compra.

O checkout transparente é usado para simplificar o processo de compra, centralizando as principais informações a respeito do negócio em somente uma página.

O consumidor, desse modo, não perde tempo.

Outra característica do checkout transparente é a inexistência de janelas pop-up, que acabam por deixar o usuário nervoso e irritado, facilitando a desistência da compra.

O checkout ajudou o varejo online a aumentar as vendas, já que o consumidor tende a fechar as compras em um tempo menor, gastando poucos cliques para isso.

4. Crie promoções reais

Como já mencionamos na primeira dica, não adianta oferecer promoções aparentes, que não representam efetivas vantagens para o público.

O consumidor, nesses casos, sente-se até lesado e pode deixar de comprar na loja e até se tornar um propagador contra a sua reputação.

Por exemplo, evite cobrar preços muito altos em determinado item em um período curto antes da Black Friday somente para baixar os valores durante a data, dizendo que está fazendo uma boa promoção.

Os consumidores perceberão a tática: o lojista está, na verdade, cobrando o preço certo do produto, sem desconto algum, ou pode mesmo estar cobrando um valor acima do mercado.

O consumidor consciente compara os preços e identifica quando alguma coisa “está errada”.

Naturalmente, ele não vai comprar esse item em sua empresa, vai procurar o mesmo produto em outra loja, em uma que realmente esteja oferecendo a mercadoria com algum desconto.

Por isso, ressaltamos a importância do planejamento. Não se pode simplesmente baixar preços sem critério nenhum, pois assim a loja terá prejuízos.

Mas não é recomendado criar promoções desvantajosas para o público.

É possível, por exemplo, investir em combos, em kits de produtos que se complementam, em queimas de estoques.

Você pode usar estratégias em que o preço baixo de um item possa ser compensado pelo preço de outro.

Ainda é possível apostar no lucro em cima de muitas vendas, ou seja, baixando o preço de um produto, a empresa consegue vender mais unidades e gerar lucros para o negócio.

Enfim, é necessário criar ofertas equilibradas, que despertem o interesse do público e, simultaneamente, não gerem prejuízos para a empresa.

Como fazer promoção: 11 dicas para chamar a atenção do seu cliente e ainda ter lucro!

5. Ofereça frete grátis

Outra ação que pode ser feita é oferecer frete grátis em algumas compras. Um exemplo é o marketplace Shopee, que costuma oferecer cupons de fretes grátis nas compras acima de R$ 29,00, desde que o frete não ultrapasse R$ 20,00.

Mas, caso ultrapasse, é descontado o valor de R$ 20,00 do total do frete.

Nesse caso, se um produto custar R$ 30,00 e o frete for R$ 15,00. Com o cupom, o consumidor tem frete grátis.

Digamos, por outro lado, que o frete seja R$ 30,00. Nesse caso, o consumidor pagará um frete de R$ 10,00 (30 – 20).

É essencial considerar as possibilidades que seu negócio pode oferecer.

Muitas vezes, empresas têm contratos com os Correios que permitem certas vantagens.

Assim, a empresa poderá oferecer aos seus clientes opções de fretes grátis a partir de certo valor, estimulando um consumo mais alto.

Fretes grátis, vale lembrar, são um grande atrativo para o comprador de e-commerce.

O valor dos fretes pode ser um empecilho para a concretização da compra. Quanto mais distante o destinatário, o valor tende a ser maior.

Pode ser mesmo duas, três ou mais vezes o preço da mercadoria.

6. Veja o que seus concorrentes estão fazendo

Outra dica de como se preparar para a Black Friday é ficar atento à concorrência.

Os concorrentes podem ser uma fonte de insights, podem dar boas ideias para você aplicar na sua campanha.

Não significa imitar as ideias, não significa copiá-las, mas analisá-las e ajustá-las às suas necessidades, ao perfil de seu negócio.

Podemos aprender muitas coisas com os concorrentes, inclusive identificar pontos falhos e fortes das estratégias deles.

Como se diz na guerra, é importante respeitar o adversário se queremos estar à altura dele.

Na verdade, desconsiderar o que as outras empresas fazem, como elas se preparam para as semanas e eventos de destaque, pode ser uma atitude arriscada, que apenas empresas que se superestimam ou subestimam seus concorrentes costumam tomar.

Como se preparar para a Black Friday: Análise de concorrente

7. Faça a divulgação de sua campanha em canais estratégicos

Também é relevante anunciar em canais estratégicos. E, quando falamos em canais estratégicos, estamos falando principalmente de canais digitais.

As redes sociais se tornaram um espaço especial para os negócios. Elas permitem a divulgação da marca, de produtos e serviços, de promoções, de eventos e de épocas especiais para um público abrangente.

Facebook, Instagram, LinkedIn e Youtube se destacam nesse cenário.

Os recursos oferecidos por cada uma, se forem bem explorados, permitem chamar a atenção do público, engajando-o.

Porém, não adiantar ir jogando informação em toda rede social, sem critério.

Você deve identificar quais são os canais mais acessados pela persona e, a partir daí, programar o marketing, colocando postagens regulares nos principais canais.

8. Tenha um estoque organizado

Manter a gestão controlada do estoque é uma medida fundamental. Avalie quais são os itens que já estão fora de linha, aqueles que podem ser ofertados com descontos, aqueles que já se encontram em liquidação.

O empreendedor precisa ser cuidadoso para que as vendas não fujam ao controle durante o período da Black Friday.

Nessa época, é preferível que o estoque tenha sobras a não ter itens para pronta entrega.

Datas após a Black Friday, como Cyber Monday e Natal, são mais excelentes oportunidades para liberar o estoque de itens que não foram vendidos.

9. Ofereça um ótimo serviço de logística

O serviço de logística são muito importantes em datas especiais. Já falamos sobre a necessidade de deixar de cuidar do estoque para que não faltem produtos para pronta entrega.

É bem significativo cuidar muito bem da entrega, garantindo que as mercadorias cheguem ao seu destino dentro do prazo.

A logística é um setor que envolve diferentes atividades, envolvendo toda a cadeia de suprimentos.

Em todas etapas, desenvolva um serviço de boa qualidade, que garanta o correto armazenamento dos produtos, bem como o envio dos produtos pedidos em boas condições, seguindo a melhor rota.

Durante o transporte, é necessário gerenciar os riscos de os itens virem a sofrer alguma avaria.

10. Cumpra seus prazos de entrega

Não se esqueça de respeitar os prazos de entrega. O período que ficou acordado com o cliente deve ser respeitado para evitar insatisfação.

As pessoas gostam de receber suas mercadorias no tempo certo ou com antecedência. Uma espera demorada leva muitas delas a não comprar mais na loja da próxima vez.

Por outro lado, convém não acordar prazos muito curtos, que não podem ser respeitados.

Eles podem ser tentadores para o cliente, mas quando a espera se estende muito acima do esperado, ele se sente lesado e insatisfeito.

Uma das piores sensações para o consumidor é achar que foi enganado.

Depois que isso acontece, fica difícil recobrar a confiança na empresa. A tendência é se afastar, seja temporária, seja definitivamente.

Para cumprir os prazos de entrega, a loja deve se organizar, escolhendo a melhor forma de entrega.

Os Correios são uma opção muito procurada, mas não são a única, principalmente se as compras forem de porte maior.

Nesses casos, é necessário recorrer a uma transportadora terceirizada ou a transporte próprio, o que for mais viável para o negócio.

Em qualquer caso, é importante estimar a data de entrega da forma mais precisa possível. Uma ação recomendada é oferecer o numero de rastreamento, pois assim o cliente pode acompanhar as principais etapas na jornada de entrega.

Caso algum imprevisto ocorra, é recomendado que a empresa entre em contato com o cliente, dando explicações sobre o atraso.

Essa atenção representa um diferencial para o público.

Durante a Black Friday, diante de muita movimentação, podem ocorrer transtornos no envio e na entrega.

Por isso, é indispensável se preparar para eventualidades e manter o cliente sempre bem informado sobre como andam as entregas.

11. Tenha um ótimo atendimento ao cliente

O atendimento é algo fundamental em qualquer empresa. Assim, em uma loja virtual, o cliente deve ter à sua disposição diferentes canais de contato com a loja.

O atendimento nesses canais deve ser de boa qualidade, com um prazo mínimo de resposta que deve ser cumprido.

É oportuno que os canais se mantenham integrados, de forma a otimizar o atendimento.

Dessa forma, quando uma resposta não puder ser dada por determinado canal, outro canal poderá ser usado para suprir a dúvida do cliente.

É uma recomendação relevante para a Black Friday, considerando que pode haver “congestionamento” de informações.

12. Acompanhe suas vendas

Faça o acompanhamento das vendas. Na medida em que confirmar os pagamentos, separe os pedidos e organize as etiquetas. Desse modo, você evita acúmulo para os próximos dias.

13. Fique atento e pronto para solucionar possíveis problemas durante o evento

Para finalizar, se atente para eventuais transtornos, como falta de itens no momento do pedido, atrasos na entrega, devoluções e trocas, cancelamentos, reclamações dos clientes e outras coisas.

Como lidar com a pós-venda da Black Friday? 5 dicas para passar pelo período de trocas

E como agir depois da Black Friday? Também é importante considerar esse período para solucionar problemas de troca e devolução. Veja algumas dicas:

1. Entenda os direitos do consumidor

Para começar, é necessário entender quais são os direitos do consumidor em relação a trocas e a devoluções.

A Lei nº 8.078/1990 (Código de Defesa do Consumidor) define, no artigo 49, o direito de arrependimento, que dispõe que o cliente conta com um período de sete dias depois que recebe a mercadoria para pedir a devolução à empresa.

O valor pago pelo cliente deve ser devolvido na íntegra, e a loja é que arca com as despesas de transporte.

Não há necessidade de o cliente dar uma razão específica para solicitar a devolução.

Caso o produto apresente algum defeito, os artigos 18 e 26 do CDC dispõem que o consumidor tem um prazo de 30 dias para solicitar a troca de bens não duráveis (alimentos, bebidas) e 90 dias para a troca de bens duráveis (roupas, calçados, eletrodomésticos, móveis).

2. Tenha uma ótima política de trocas e devoluções em sua loja

De acordo com a Lei nº 7. 962/2013, é obrigatório que todas as lojas virtuais tenham uma política de troca e devolução objetiva e que esteja acessível para o público.

Nesse sentido, ela deve ficar, de preferência, no rodapé ou no cabeçalho da página.

Ela deve esmiuçar normas, condições e prazos para troca e devolução, explicando todas as etapas que o cliente deve cumprir.

A linguagem usada deve ser simples, para que todos entendam, evitando ambiguidades e oferecendo respostas para as dúvidas dos consumidores.

Quanto mais simplificada for a solução oferecida pela loja, melhor para o cliente.

Essa simplificação na política de trocas e devoluções é um diferencial para o cliente, que tem seu problema resolvido em pouco tempo, sem envolver muitos custos nem trabalho.

3. Ofereça um ótimo serviço de logística reversa

Conforme pesquisa da Ebit, 44% das pessoas já desistiram de comprar em comércio eletrônico julgando que haveria complexidade no processo de entrega.

A coleta pode ser feita de maneiras diferentes. Uma solução é a própria empresa coletar o produto no endereço do cliente. É vantajoso para o consumidor, mas sai mais caro para a empresa.

Existe ainda a possibilidade de oferecer muitos pontos de entrega para o consumidor levar o produto, sendo as agências dos Correios um desses pontos.

Para agilizar a logística reversa, o consumidor pode reutilizar a mesma embalagem do item, se for possível.

A etiqueta com código de autorização para devolução pode ser enviada juntamente com o produto, no processo de entrega.

Caso exista algum ponto físico da loja, o consumidor pode devolver o produto de forma presencial, se assim preferir. Avalie as melhores soluções para otimizar a logística reversa.

4. Use o atendimento ao cliente ao seu favor

Manter um atendimento rápido e humanizado no pós-venda é fundamental para garantir que o cliente permaneça comprando na loja.

Por isso, prestar um bom atendimento em trocas e devoluções pode ser decisivo para que o cliente continue fazendo compras na loja, ou seja, seu nível de satisfação não fique comprometido.

5. Fidelize esse cliente no pós-venda

Mantenha o cliente informado sobre o passo a passo da logística reversa, enviando e-mails ou mensagens pelo WhatsApp. Isso vai aumentar a confiança dele na marca.

O pós-venda é uma etapa que pode ser decisiva para fidelizar o cliente, seja resolvendo rapidamente problemas de trocas e devoluções, seja mantendo contato com mensagens de agradecimento, felicitações pelo aniversário ou de outra maneira.

Sanar uma simples dúvida do consumidor em relação ao produto comprado já será importante para deixar o cliente feliz com a empresa.

Mostramos, ao longo do texto, como se preparar para a Black Friday 2022 aplicando diferentes estratégias. É fundamental ajustar as técnicas ao perfil de seu negócio, aproveitando a tecnologia e a criatividade.

Gostou de nosso post? Se sim compartilhe com seus amigos nas redes sociais. Aproveite para conferir também: 13 erros na Black Friday que você precisa evitar neste ano!

Não há comentários ainda. Seja o primeiro a escrever um.

Deixe seu comentário