Como e porquê se preparar antecipadamente para a Black Friday

Todos já sabemos que a Black Friday é o maior evento do ano para o e-commerce, e que todos os lojistas esperam […]

Todos já sabemos que a Black Friday é o maior evento do ano para o e-commerce, e que todos os lojistas esperam o dia com muita ansiedade.

Em 2020 não vai ser diferente. O evento acontece na última sexta-feira do mês de novembro, e neste ano será realizado no dia 27.

Com a pandemia da Covid-19, o segmento de lojas virtuais obteve um crescimento surpreendente. Só durante os seis primeiros meses do ano, o e-commerce cresceu quase 50% em relação ao mesmo período do ano passado, se configurando como um dos quatro segmentos que se mantiveram estáveis enquanto as regras sanitárias do isolamento social eram cumpridas pelo país afora.

O estudo foi realizado pelo Itaú Unibanco e foi publicado n’O Estado de S. Paulo. Enquanto a maior parte dos segmentos demonstrou queda vertiginosa na arrecadação, o e-commerce, junto a grandes eixos como a construção civil e indústria alimentícia, continuaram gerando lucros muito próximos ou até maiores do que os períodos anteriores à pandemia.

Como também já imaginávamos, na esteira da pandemia, a Black Friday de 2020 será a mais virtual da história. Nem todas as pessoas se sentem seguras o suficiente para ir até às lojas físicas e alguns lugares ainda possuem medidas de restrição. Como a Black Friday é conhecida pelas aglomerações em lojas físicas, é natural que os consumidores estejam receosos em sair do conforto de suas casas.

Segundo pesquisa encomendada pela Manhattan Associates, uma das líderes em diagnósticos sobre comportamento do consumidor, os compradores percebem as lojas físicas de maneira diferente pré e pós pandemia.

O estudo também alerta que 80% dos compradores decidiram que vão comprar online para retirar no balcão pelos próximos seis meses e 90% deles preferem entrega à domicílio. Um número muito significativo, não é mesmo?

Como a Black Friday se tornou um fenômeno de vendas?

A Black Friday é comemorada no dia seguinte ao famoso Thanksgiving’s Day (Dia de Ação de Graças) nos Estados Unidos e é o dia mais especial no calendário norte-americano.

Aproveitando o clima natalino que se inicia, os comerciantes decidiram idealizar uma data de compras que se antecipasse aos períodos de fim de ano e que acabou sendo uma saída para que as famílias se adiantassem às compras. Neste fatídico dia, os comerciantes colocam os seus produtos em promoções que podem chegar a 70%.

Diferente do que imaginamos, a Black Friday tornou-se de fato uma referência para o mercado nos finais da década de 90; sendo que só em 2001 é que a data tornou-se a maior dia de compras do ano nos Estados Unidos.

Aqui no Brasil, a data comemora 10 anos de existência em 2020 e tem uma ambiciosa missão: bater o recorde de vendas. Mesmo com a crise econômica que afetou o país, desde 2014 o dia vem crescendo substancialmente. No ano passado, 2019, a Black Friday arrecadou pouco mais de 3,2 bilhões de reais.

Sabendo que este ano os números tendem a ser ainda maiores e que a grande maioria das pessoas estarão comprando seus produtos no conforto de sua própria casa, selecionamos algumas dicas de como planejar melhor e consequentemente vender mais durante a sua Black Friday.

1- Gerar LEADS

O ideal aqui é gerar leads com pop-ups no site. É algo bem trivial, e em troca você pode solicitar o e-mail do possível cliente. Com essa informação, você consegue disparar avisos antecipados em relação à Black Friday.

Muitos diagnósticos afirmam que a sexta-feira da Black Friday é o pior dia para enviar e-mails e informar sobre as promoções aos clientes.

Por isso devemos cada vez mais adiantar nossas demandas e estabelecer um cronograma, porque a Black Friday começa muito antes.

2- Personalização do ambiente virtual

É essencial começar a pensar a Black Friday a partir do visual. O seu site precisa chamar atenção, pois sabemos que os possíveis compradores se atêm muito aos detalhes. 

Utilizar banners com seus principais produtos e ofertas é uma dica essencial. Além disso, elas precisam estar posicionadas de uma forma em que elas captem a atenção dos futuros compradores no primeiro momento em que ele tiver interação com o site

3- Aproveitar a Cyber Monday:

A Cyber Monday surgiu em 2005, nos Estados Unidos, e se refere a segunda-feira seguinte ao Thanksgiving’s Day. A data ganhou reconhecimento, principalmente no varejo digital, porque apresentava descontos ainda maiores em relação à própria Black Friday. Mas é claro, tudo dependia dos estoques.

O diferencial da Cyber Monday é que ela é exclusivamente online. Inicialmente, a campanha era voltada ao segmento de eletrônicos e atraia para compras de notebook, celulares e produtos relacionados. Com o tempo, o evento se desmembrou também por outros segmentos.

4- Check out “com mimos”:

Para quem conhece o estilo americano de vender, sabe que eles comumente estruturam excelentes promoções: você sai da loja não só com as compras, mas também cheio de brindes.

Aqui no Brasil ainda não temos uma cultura comercial que esteja fincada nestes princípios. Os descontos são baixos, possuem muitas limitações e não estimulam novas compras.

Você pode mudar esse cenário oferecendo recompensas de checkout mais atrativas, como descontos maiores e progressivos ou brindes, para uma quantidade limitada de clientes — o que mais uma vez ajuda a gerar propaganda espontânea para sua loja on-line.

Essas são algumas dicas para inovar no seu e-commerce e tentar aproveitar o melhor do que a Black Friday tem a oferecer. Se planejarmos com antecedência, podemos estruturar esse dia da melhor forma possível.

Lembre-se: você escolhe o que planta, mas não escolhe o que colhe.

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário