Confira 5 plugins essenciais para o blog do seu e-commerce
Varejo digital: como migrar da loja física para a loja virtual?

Como montar uma loja virtual plus size?

Publicado em: • Última Atualização:

Antes de mais nada, a palavra para um lojista que deseja trabalhar com moda plus size é: responsabilidade

A moda plus size vem crescendo e ganhando mercado de algum tempo para cá. Há alguns anos, as roupas plus size só eram encontradas na seção de roupas para “senhoras”. Entretanto, algumas marcas enxergaram a falta de representatividade deste público e decidiram investir no ramo. 

Trabalhar com o público plus size é extremamente delicado, pois estamos falando de um público segmentado e que tem medo de comprar online por conta da numeração

Em entrevista para a Escola de E-commerce, a Blogueira Fernanda Medeiros do blog Plus da Fernanda, relatou que ainda prefere comprar em loja física do que em loja online. “Muitas vezes a loja anuncia numeração até 60 e quando você entra para comprar só tem 44 e 46, é frustrante!”, relatou. 

Além disso, outro empecilho relatado por Fernanda é o medo da peça não servir. “Por mais que tenha meu número, muitas lojas não disponibilizam a tabela de medidas. Assim sinto medo de comprar e não me servir, porque cada corpo é um corpo.” completou.

Foto: Instagram @plusdafernanda. 

Pense em sua cliente plus size 

O primeiro passo é pensar em sua cliente plus size. 

Imagine que ela não quer encontrar roupas de “senhora”, ela deseja encontrar lindos vestidos, macacões, bodys, saias… Tudo que está verdadeiramente na moda, mas no tamanho dela e que valorize seu corpo. 

Entenda que uma loja não deve vender roupa plus size só para mostrar ao mercado que “vende roupa plus size”. Os lojistas precisam se preocupar verdadeiramente com o público, proporcionar roupas de boa qualidade, resistentes ao tempo e que valorizem cada corpo. 

E o mais importante: numeração disponível para todas

Este público existe e precisa ser atendido por quem entende do assunto. Se houver alguma dificuldade, vale a pena conversar com algumas mulheres que representem esse público. 

Cuidado com as modelos curvy 

Outro ponto importantíssimo levantando por Fernanda Medeiros durante a entrevista, são as modelos curvy. 

Muitas marcas utilizam modelos que não representam verdadeiramente o corpo plus size. O plus size vai até o número 60!

“Nos banners das lojas e em muitas fotos de produtos, as mulheres gordas não conseguem se sentir representadas! Pois, as marcas utilizam modelos que vestem 46 e com cintura fina para as fotos. Isto é uma modelo curvy e não uma modelo plus size.” Destacou Fernanda. 

Busque representatividade 

Diretamente ligado ao tópico anterior, um lojista de moda plus size deve saber representar cada mulher. 

Ou seja, muito cuidado na hora de retratar essas mulheres. Invista em modelos com diferentes tipos de corpos, para que aí sim, o público-alvo se sinta representado. 

Pois, uma mulher que veste 44 ou 46, embora um pouco mais difícil, consegue encontrar peças do seu tamanho em qualquer outra loja. 

Foque no seu público! 

Experiência do cliente na loja virtual

Este tópico vale para todas as lojas virtuais e de qualquer nicho.  

Entretanto, muitos lojistas não levam isso em consideração. 

Sabe qual o truque de vender cada vez mais sem precisar investir mais (e mais) em mídia paga? Garantir uma boa experiência de compra para seu cliente. Desta forma, além de voltar a sua loja e realizar recompra, esse cliente indicará sua loja para pessoas próximas. 

E na moda plus size isso não é diferente e até podemos dizer que, é ainda mais importante. Pois, se uma mulher plus encontra uma loja com peças lindíssimas, que tenha sua numeração disponível e o mais importante: a peça lhe serviu e caiu bem. Onde você acha que essa mulher voltará para comprar? Qual loja ela vai indicar para suas amigas que também são plus size? 

Sendo assim, garanta uma boa experiência de compra para essa cliente. Invista em modelos que a represente, disponibilize variedade de numeração, deixe claro a tabela de medidas de cada número, envie o produto de forma personalizada, envie um brinde ou um cupom de desconto para uma próxima compra. O que for necessário para que essa experiência seja muito especial! 

Selecione bem as peças e tenha em mente todo o custo 

É importante destacar um detalhe: as peças plus size possuem um custo mais alto

Agora você deve estar pensando que é por conta da quantidade de tecido utilizado em cada peça, mas não é só isso. 

Além de serem usados em maior quantidade, há muita perda de tecido que são incluídos na precificação final do produto. Ademais, podemos ressaltar o valor de mão de obra especializada. Fator essencial para que as peças sejam bem-feitas e apropriadas para o público plus size. 

Sendo assim, sua precificação final será acima da média de roupas do mercado e não há problema nisso, contanto que você eduque seu público e mostre porque as peças possuem valor mais elevado. 

Mas calma, não vá colocar na descrição do produto: Essa peça é cara porque tivemos perda de tecido. Além de que, foram produzidas por estilistas e costureiras especializadas em moda plus size. 

Não faça isso! Uma maneira de educar o mercado e seu público, é criar um blog, criar conteúdos em vídeos e até convidar blogueiras. De forma sútil, você conseguirá explicar muito sobre este mundo para quem não tem este conhecimento. 

As peças serão próprias ou encomendadas? 

Agora que você já sabe do custo das peças, elas serão de fabricação própria ou haverá fornecedores? 

Claramente, é muito mais fácil comprar peças prontas e vender. Porém, tome muito cuidado com a seleção das peças, qualidade do produto e comprometimento do fornecedor. Além disso, jamais fique dependente de apenas um fornecedor, pois tudo que acontece na operação dele, impactará na sua. 

Caso decida ter fabricação própria, o custo será mais alto. Porém, você iniciará a construção de uma marca que pode ser muito mais relevante no mercado. Logo, se esse for o caso, invista em uma estilista especializada em moda plus size e costureiras que consigam reproduzir bem as peças. 

Outro ponto importante: tenha uma tabela de medida realista. Nada de marcar como 50 uma peça que veste 48. 

Fotos

Aqui falaremos novamente de representatividade

Se as fotos do fornecedor só usa modelos curvy, invista em suas próprias fotos. E se sua produção for própria, melhor ainda. Use a abuse da representatividade na hora de fotografar as peças no corpo. Ainda assim, é possível utilizar mais de uma modelo vestido a mesma peça!

Neste caso, também vale a pena escolher um fotógrafo que saiba valorizar o corpo da plus size. Assim, a mulher conseguirá se sentir muito melhor ao visualizar as peças. 

Lembrando que, as fotos com diferentes tipos de corpos não devem ser usadas apenas na página de produto, mas também em banners, fotos para as redes sociais, mídia paga etc. 

“Todos os corpos são diferentes e todos precisam ser representados”, destacou Fernanda Medeiros, durante sua entrevista para a Escola de E-commerce. 

Foto: Instagram @plusdafernanda. 

Homens não são plus size? 

Com certeza! 

Homens também podem procurar modelos maiores de roupas. A demanda é menordo que com as mulheres, mas também existem. E todas as dicas dadas anteriormente para fornecer uma boa experiência de compra para as mulheres, também vale para os homens. 

Quem sabe não vale a pena fazer um teste com modelos plus size masculinos e ver se tem aderência ao mercado? 

Agora vamos para a parte técnica!

 

Escolha sua plataforma 

Agora chegou o momento de colocar a casa em ordem. 

Você já sabe como será sua loja virtual plus size e o que ela terá de especial. Então vamos para as partes técnicas. 

A primeira coisa é a escolha da plataforma de e-commerce. Já podemos adiantar que você não encontrará a “melhor plataforma do mundo” e sim a melhor plataforma que se encaixa em seu negócio

Não vale a pena contratar plataformas extremamente superficiais se seu negócio tem potencial para crescer absurdamente (se seguir essas dicas, com certeza terá). Então, opte por uma plataforma profissional e que te dê a oportunidade de crescimento sem precisar de migração. 

Por outro lado, não adianta contratar uma plataforma que pode fazer de tudo com um valor muito alto, sendo que você não precisará de tudo isso. Avalie o custo-benefício de cada uma, considere os recursos nativos que você utilizará e a possibilidade de personalização. 

Tema pronto ou loja personalizada

Utilizar um tema pronto ou construir um layout do zero, e agora? 

Tema pronto 

Com o tema pronto, sua loja irá para o ar em um estalar de dedos.

Porém, é possível que existam outras lojas virtuais muito parecidas com a sua e que seu público-alvo não crie tanta identificação. 

Mas algumas plataformas possuem temas muito legais, que podem não perder em nada para uma loja personalizada. 

Loja personalizada 

Optar por uma loja personaliza trará muito mais a identidade da marca para a loja.

Entretanto, esta loja pode levar meses para ir ao ar. Contando o tempo de criação e aprovação do layout, além do período de implantação da loja. 

Afinal, qual é o melhor? 

Depende do seu orçamento e em quanto tempo deseja ter sua loja no ar. 

Nada impede de começar com um tema pronto e, posteriormente, evoluir para uma loja personalizada. 

Método de envio 

Como enviar os produtos para quem comprou? 

Aqui você também terá diversas opções. Pode utilizar o tradicional Correios ou procurar transportadoras alternativas

A verdade é que você precisará dar mais de uma opção de frete para quem vai comprar, principalmente se sua ideia é vender para todo o Brasil ou até para o exterior. 

Desta forma, se for utilizar transportadoras, opte por aquelas de fácil negociação e, claro, integrem com sua plataforma de e-commerce. 

Meio de pagamento

Você também precisará de meios de pagamento e principalmente, seu intermediador de pagamento. 

O intermediador de pagamento será um dos principais responsáveis por aumentar a taxa de aprovação de pagamento de sua loja, além de protegê-la contra fraudes que, inevitavelmente, podem acontecer. 

Então, para se prevenir, escolha um bom intermediador de pagamento para o recebimento em seu e-commerce. 

 

Canais de vendas utilizados: 

Instagram: 

O Instagram será sua mina de ouro. 

Além de ser uma verdadeira vitrine para seus seguidores, você pode impactar com mídia paga pessoas que já demonstraram interesse no seu tipo de produto. 

Dissemos que o Instagram será sua mina de ouro, porque no caso da moda plus size, este público mais engajado, desconstruído e jovem, está lá!

E o melhor, o Instagram conta com o recurso Instagram Shopping, onde é possível marcar os links dos produtos diretamente na foto exibida. Podendo incluir até 5 itens. Ou seja, você exibe a foto com várias peças e direciona o cliente para as devidas páginas. 

Desta forma, se houver interesse, ele não precisará ficar procurando o produto na loja e há menos perda de vendas

 

Facebook: 

Embora não esteja mais tão em alta como o Instagram, o Facebook é um ótimo canal de venda. 

Além da possibilidade de remarketing, é possível associar seus produtos em um catálogo dentro do próprio Facebook. Ou seja, o Facebook acaba sendo uma extensão de sua loja virtual. 

Que assim como no Instagram, quando o cliente se interessa pelo produto, é direcionado para a página do mesmo. 

WhatsApp: 

O WhatsApp é uma mídia mais próxima. 

Neste caso o primeiro contato precisa ser do cliente, seja uma mensagem ou através de uma compra realizada em sua loja. 

Porém, o importante é que através dele é possível enviar o status do pedido realizado e enviar seu catálogo dos produtos disponíveis. 

Lembre-se de utilizar o WhatsApp Business para aproveitar melhor essas funções!

Google Shopping:

O Google Shopping requer investimento assim como as demais mídias. 

Entretanto, ele garante seus anúncios em um lugar privilegiado na página de busca do Google. Não é garantia que você estará entre os primeiros resultados daquela palavra-chave, mas aparecerá com foto e preço logo de cara. 

Os consumidores adoram o Google Shopping pela facilidade, é possível ver foto e preço do produto sem entrar na página da loja. 

E, para garantir as primeiras posições da palavra-chave em questão, você precisará investir tempo em SEO. Descubra neste conteúdo como SEO impactará em toda a sua loja

Marketplace: 

Agora chegamos ao queridinho dos lojistas: o Marketplace

É essencial estar presente no Marketplace quando se inicia sua loja virtual. Porém, para a cliente plus size, o marketplace não será o principal canal de compra. 

Como dito no início deste artigo, o público plus size ainda tem muito medo de comprar online. Assim é necessário que a cliente sinta-se segura e tenha compatibilidade com a marca. Isso não acontecerá com frequência no marketplace. 

Logo, é importante integrar sua loja com os marketplaces, porém, invista tempo nutrindo clientes em outros canais de vendas que sejam mais próximos. 

É importante lembrar de um detalhe: procure uma plataforma que já possui integração nativa com marketplace. Desta forma, você não terá um gasto na contratação de um hub de integração. 

Se você deseja abrir sua loja virtual, não deixe de saber mais sobre E-commerce na Prática

Até a próxima!

Ficou com alguma dúvida? Faça parte do nosso grupo no Facebook com especialistas em e-commerce e outros lojistas e envie sua pergunta.

Está pensando em criar uma loja virtual? Faça o teste e descubra se você está pronto!

Como montar uma loja virtual plus size?
5 (100%) 1 voto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *