Varejo digital: como migrar da loja física para a loja virtual?

O varejo se transformou significativamente nas últimas décadas. Produtos e serviços, que antes só eram encontrados em lojas especializadas, hoje podem ser […]

O varejo se transformou significativamente nas últimas décadas. Produtos e serviços, que antes só eram encontrados em lojas especializadas, hoje podem ser obtidos facilmente em estabelecimentos populares e em lojas virtuais. Com o avanço da internet, muitas lojas e marcas com existência física passaram a migrar para o canal de vendas online com o objetivo de aumentar suas vendas. Mas, com a paralisação dos negócios por causa da pandemia, ainda mais lojas estão migrando para o digital.

No entanto, a facilidade do ambiente virtual é apenas um fator que o seu negócio precisa oferecer. Mais do que isso, é essencial motivar os usuários e construírem uma experiência positiva de compra para não perderem espaço no mercado. Além disso, abrir uma loja virtual requer conhecimento para tornar pertinente cada ação executada e evitar perdas financeiras.

Quer saber como migrar da loja física para a virtual? Acompanhe o nosso artigo e conheça os principais aspectos sobre o varejo digital, os desafios que podem ser enfrentados e a importância de se adaptar a isso. Continue a leitura e confira!

Como a pandemia afetou o varejo no Brasil

A mudança de comportamento dos consumidores, que optam por adquirirem produtos e serviços por meio da internet, mudou totalmente os antigos padrões, fazendo com a transformação digital no varejo, que antes era considerada um diferencial competitivo, fosse uma necessidade do mercado e o centro de uma experiência em constante evolução.

Embora não seja um fenômeno novo, a pandemia pode ter acelerado a transformação digital para muitas empresas, já que as vendas de categorias que, até então, eram pouco exploradas, como saúde, alimentos e bebidas e petshop, contribuíram para o crescimento do mercado. Segundo a Associação de e-Commerce ABComm, surgiram, aproximadamente, 80 mil novas lojas virtuais, o que corresponde a um crescimento de 30% no setor.

Com a maioria das lojas físicas fechadas e com os consumidores dependentes das compras online para terem os produtos que desejam, muitos varejistas estão tentando acelerar o processo de migração para o virtual.

Em geral, as vendas do comércio eletrônico têm aumentado, ano após ano, em todo o mundo. No Brasil, a perspectiva era que, em 2020, o e-commerce tivesse um aumento de mais de 40%. No entanto, devido à pandemia da Covid-19, somente em abril, o comércio eletrônico brasileiro aumentou 81% em relação ao mesmo período do ano passado: cerca de 1 milhão de novos consumidores online desde o começo da pandemia.

Portanto, a consciência da importância de se investir nesse ramo por parte das lojas físicas faz-se necessária em meio a tantas dificuldades de sobrevivência, sobretudo em virtude da alta competitividade pela prevalência dos grandes players.

Qual é a importância de migrar para o varejo digital

As empresas em geral precisam integrar processos e soluções tecnológicos para aumentar sua eficiência operacional, trazer inovações e oferecer uma experiência mais inovadora aos consumidores.

A questão é que o ambiente do varejo precisa evoluir e tornar-se bem mais que um lugar apenas para consumir mercadorias. Isso porque os clientes passaram a demandar mais conveniência, opções de escolha, acesso facilitado, simplificação do contato e, sobretudo, personalização dos serviços.

É por isso que a migração desse setor consiste em repensar processos e criar um espaço conectado, que, ao utilizar a tecnologia de forma eficiente, faz com que o cliente se sinta no centro dos negócios.

O esforço de permanecer no varejo físico não é exclusivo dos pequenos negócios. Devido aos diversos benefícios oferecidos, grandes empreendedores também começaram a migrar seus serviços para o comércio eletrônico. Um bom exemplo é a Magazine Luiza, que investiu no e-commerce e apresentou um aumento significativo no seu faturamento. Atualmente, as vendas online representam mais de 30% do total da loja, e a tendência é aumentar cada vez mais.

Para os clientes, o varejo digital proporciona comodidade, maior acesso às informações sobre o produto, preços mais baixos, facilidades de pagamento e maior disponibilidade das lojas. Para os gestores não é diferente: o e-commerce também apresenta vantagens para quem investe nessa área. Conheça, a seguir, as principais!

Avanço do setor

Como dito, o varejo digital está se expandindo cada vez mais, e a expectativa é que nos próximos anos continue assim. Nesse modelo de comércio, você consegue atrair mais clientes e, com um bom investimento em marketing e divulgação, pode conquistar mercado em diversas localidades do país, o que é um diferencial para o negócio.

Automatização dos processos

Assim que a loja virtual estiver pronta, é possível automatizar diversos serviços, como correção de preços, atendimento ao cliente, canal de suporte, controle de estoque e estratégias de marketing digital. Além disso, no varejo digital, é possível vender em qualquer dia e horário, independentemente do atendimento comercial ou do fuso horário – e isso não demanda colaboradores totalmente disponíveis. No fim das contas, para o empreendedor, isso representa diminuição de custos, aumento de escalabilidade e maior previsibilidade dos retornos financeiros.

Diversidade de estoque

Com as vendas digitais, não é necessário concentrar todo o controle de estoque em um só lugar. Você pode solicitar depois do pedido do cliente, assim os produtos permanecem com os fornecedores e são entregues diretamente ao cliente. Com isso, pode-se oferecer mercadorias variadas e reduzir custos para guardar todos os produtos.

Menor custo operacional

Abrir uma loja física requer inúmeros investimentos, como aluguel, energia, compra de imóveis e de equipamentos e contratação de funcionários. Em contrapartida, a loja dispensa grande parte desses custos, além das ações serem automatizadas, o que reduz ainda mais os custos com setor de pessoal.

Enfim, a escolha pela migração da loja física para a virtual envolve diversas estratégias para atender às necessidades do consumidor. Ainda que as razões sejam diferentes entre os lojistas, a essência da mudança é apenas melhorar a experiência do usuário na hora de comprar, seja com a praticidade ou as facilidades de pagamento da compra online.

Quais são os desafios de migrar para o varejo digital

Embora a migração para a loja virtual seja interessante para propiciar um crescimento da marca a longo prazo, é também um processo que envolve diversos desafios. Por isso, muitos lojistas acabam tropeçando na decisão e adiando esse processo por mais tempo. Aí está o problema! Ainda que a mudança apresente obstáculos, a estratégia precisa ser vista como uma nova possibilidade, especialmente no atual contexto.

Apesar de os gastos com ferramentas tecnológicas teoricamente serem a principal mudança a ser tomada pelas empresas, é a modificação da gestão e dos processos que realmente determina desafios para o novo modelo de negócio. Na maioria das vezes, a empresa se torna refém de práticas e métodos obsoletos, como também seus parceiros e fornecedores.

Para isso, é importante conhecer os desafios da migração e tomar os devidos cuidados para que a mudança seja vantajosa e não influencie negativamente o desempenho do negócio. Veja quais são os principais desafios!

Cultura organizacional

O principal aspecto que dificulta o varejo digital de avançar é a cultura da organização. O grande desafio é transformar os costumes das pessoas e conseguir implementar uma cultura digital. Afinal, muitos lojistas acham que adquirir boas ferramentas é o suficiente, porém, se as pessoas não estiverem preparadas para lidar com a transformação e colocá-la como prioridade no negócio, as tecnologias não farão diferença.

Atendimento multicanal

O atendimento ao cliente deve ser pensado desde o primeiro contato do público-alvo com a loja até o término da compra e imediata fidelização. Isso porque o início do contato dos consumidores normalmente ocorre bem antes da visita à sua loja. Nesse caso, o atendimento online por meio de multicanais pode ser um desafio para a equipe. Por isso, o ideal é treinar os colaboradores.

Necessidade de investimento em tecnologia

O primeiro passo para migrar para o varejo virtual é justamente a transformação digital. Porém, como dito, isso não se trata apenas de automatizar as operações e investir em equipamentos. É necessário mudar o planejamento das ações dentro da sua loja e pensar nos processos. Além disso, muitas empresas falham no processo por não investirem na capacitação dos seus funcionários, fazendo com que eles não se adaptem às novas tecnologias.

Mudança na forma como a empresa se comunica

Manter a proximidade com os clientes é o grande diferencial do varejo. Com base nisso, é possível compreender o comportamento do público e desenvolver soluções que atendem às suas necessidades e preferências. As empresas precisam colocar o cliente no centro do negócio. É fundamental também buscar feedbacks dos colaboradores, com o intuito de entender como as alterações podem trazer melhorias para o negócio. A falta de preocupação com a forma como a empresa se comunica internamente também pode ser um obstáculo para as organizações.

Logística e estoque

O modo como as empresas administram seu estoque é bem diferente no varejo virtual. Planilhas e registros manuais tornam-se ultrapassados, demandando cada vez mais sistemas digitalizados. Nesse caso, o desafio nessa fase é sincronizar as informações do estoque e os sistemas de marketing e varejo, além de proporcionar uma conformidade entre os processos exercidos por equipes distintas. A operação logística, por exemplo, envolve diferentes empresas, como transportadoras, operadoras e plataformas de controle, o que quer dizer que essas transformações podem exigir parcerias importantes.

Marketing digital

Sem dúvida, o marketing digital é um dos fatores importantes da migração do tipo de comércio e da experiência do consumidor, mas que muitos empreendedores não valorizam. O fato é que, na internet, tem sido cada vez mais complicado obter o sucesso desejado, já que a concorrência se tornou intensa. Por isso, é necessário aplicar estratégias de marketing inovadoras para conseguir chegar até o público e gerar o lucro pretendido.

Com o auxílio de redes sociais, blogs, sites e aplicativos, as empresas constroem um banco de dados sobre as preferências dos consumidores e as utilizam para criar produtos, serviços e campanhas segmentadas com maior chance de sucesso. Assim, é possível engajar e fidelizar os usuários por meio dos canais digitais.

Como fazer a migração de uma loja física para a digital

Levando-se em conta toda a dinâmica da economia atualmente, é fácil compreender o aumento no número de lojas online. Afinal, muitas empresas estão buscando no meio online oportunidades para combater o desemprego ou os salários baixos.

Existem várias tecnologias criadas especificamente para agregar valor às empresas por meio da automação de tarefas e operações cotidianas. Softwares de gestão, computação em nuvem, inteligência artificial, realidade aumentada, internet das coisas e big data no varejo são os principais recursos que auxiliam na eficiência operacional e satisfazem as demandas dos clientes, fazendo com que o processo de migração seja simples e favorável.

Para os iniciantes, um bom começo para tentar manter as vendas dos produtos ou serviços é apostar em vendas online por Instagram e por WhatsApp, estratégia importante para aproveitar o período de isolamento social que a pandemia causou.

Antes de transformar a sua loja física em varejo digital, o ideal é seguir algumas etapas para se ajustar ao novo e-commerce. Além disso, é importante contar com o auxílio de um planejamento estratégico e da colaboração da sua equipe e de um parceiro.

Confira, a seguir, alguns pontos que merecem atenção na fase de migração:

  • estude o mercado que corresponde ao seu nicho;
  • analise como a concorrência se comporta;
  • conheça o perfil dos consumidores e as possibilidades de atuação;
  • elabore um plano de negócios;
  • entenda as especificidades da loja virtual;
  • adapte suas estratégias de vendas;
  • escolha uma plataforma para o seu e-commerce;
  • selecione as melhores estratégias de SEO local;
  • otimize a gestão de estoque;
  • escolha bons parceiros de logística;
  • contrate uma empresa especializada em consultoria.

Por fim, seguindo todas essas dicas, a sua migração ocorrerá de forma eficiente, bem estruturada e planejada. Vale ressaltar que, para que essa transição ocorra da melhor maneira, o papel da liderança é essencial para auxiliar as equipes e fazer uma boa parceria. Como você viu, migrar para o varejo digital apresenta ótimas possibilidades de aumentar as vendas e os lucros do seu negócio, além de se adequar à nova realidade do mercado e aos novos recursos disponíveis, oferecendo, assim, uma experiência melhor ao cliente.

Gostou do nosso conteúdo? Então, aproveite para conhecer também o fundamento para começar sua loja virtual. Baixe agora mesmo o nosso e-book e fique por dentro da Introdução ao e-commerce!

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário