Como deixar o e-commerce mais seguro? Entenda aqui

As compras online já não são novidades, e cada vez mais pessoas escolhem comprar pela internet. Isso porque as lojas oferecem segurança […]

As compras online já não são novidades, e cada vez mais pessoas escolhem comprar pela internet. Isso porque as lojas oferecem segurança aos clientes, mas o risco de fraudes ainda existe. Por isso, ter um e-commerce seguro é essencial para ter a confiança do consumidor, já que o pagamento via cartão de crédito é bastante comum nesse tipo de transação.

Então, para que o cliente tenha confiança para informar seus dados, ele precisa ter certeza de que aquele site é seguro e suas informações estão protegidas contra ataques de pessoas mal-intencionadas.

Neste post, vamos falar da importância de ter um e-commerce seguro e das ameaças a que esse tipo de negócio está sujeito, além de outras informações sobre o assunto. Acompanhe!

Qual é a importância de investir na segurança do e-commerce?

Quando um varejista tem uma loja física e o estabelecimento é assaltado, são levados dinheiro e, muitas vezes, produtos. Em um e-commerce, trabalha-se com informações de clientes, o que é bem mais valioso do que dinheiro e mercadorias.

Tratando-se de um e-commerce, o roubo de informações é muito grave, pois, nesses casos, são furtados dados dos clientes: número de cartão de crédito, CPF e outras informações. Estas informações podem ser usadas indevidamente, trazendo transtornos para os clientes.

Esse fator deixa o setor bastante visado pelos cibercriminosos, que atuam com clonagem de cartões de crédito e outros crimes que usam dados de terceiros. Além disso, a nova Lei de Proteção de Dados prevê que as empresas devem zelar pela segurança dos dados de clientes. Caso contrário, receberão multa entre 2% do faturamento até R$ 50 milhões, para empresas maiores.

Quais são as possíveis ameaças à segurança do e-commerce?

Um e-commerce está sujeito a diversos tipos de ameaças. O mais comum é tornar o sistema inacessível para os clientes da loja. Nesses casos, quando o e-commerce fica indisponível por muito tempo, a loja perde a credibilidade junto aos seus consumidores.

Fazer com que o usuário execute um código e depois manuseie scripts maliciosos no e-commerce é outra ameaça. Além disso, é comum que hackers roubem senhas, CPF e dados de cartão de crédito. Outro ataque bastante comum é o sequestro de servidores. Nesses casos, os criminosos pedem resgate em dinheiro.

Como aumentar a segurança do e-commerce?

O primeiro passo é observar a plataforma de e-commerce que ele vai contratar. Para que uma loja virtual fique disponível na internet, o empreendedor pode utilizar uma plataforma gratuita ou desenvolver seu próprio site com ferramentas como o WordPress.

No entanto, o mais indicado é uma plataforma que permita a comercialização de todos os produtos da loja e que ela mesma faça o gerenciamento de toda sua infraestrutura. Esse tipo de ferramenta cobra um valor mensal do lojista e oferece todas as opções de segurança.

Uma plataforma de loja virtual pronta e que ofereça uma infraestrutura certificada madura, com credibilidade no mercado, já é um grande ponto para ter um e-commerce seguro. Uma plataforma confiável tem as seguintes características.

Certificado SSL

Esse certificado pode ser comprado, mas, no caso de uma plataforma pronta, ele já vem instalado. É representado por um cadeado, que aparece na barra de endereço do site e se trata de uma criptografia digital. Então, quando o cliente digita seus dados, o SSL criptografa essas informações e envia com mais segurança para o servidor da loja.

Quando a loja não tem esse certificado, o Google bloqueia o site. Em alguns aplicativos de celular, sites sem o SSL não carregam, o que já denuncia que o e-commerce não é seguro.

Selos de segurança

Os selos servem como uma tecnologia para monitorar e cuidar da loja, tornando o e-commerce seguro. Eles reduzem o risco de perda e roubo de dados. Os selos mais famosos são o Site Blindado e Loja Protegida, que são encontrados em diversas lojas virtuais.

As plataformas prontas já têm parceria com esses sites, mas, caso você crie seu próprio site, basta entrar em contato para saber como implantar o código em sua loja.

Senhas mais difíceis

Para um e-commerce seguro, o cliente também deve fazer sua parte. Então, na hora de cadastrar para fazer suas compras, o consumidor precisa ficar atento ao tipo de usuário e à senha que serão criados. Nessa etapa, o lojista não tem muito controle, mas pode tomar algumas medidas.

Uma delas é exigir que o cliente crie senhas fortes na hora de fazer o cadastro. Dessa forma, a ação dos hackers fica mais difícil, pois, muitas vezes, o ataque não ocorre na plataforma em si, mas no cadastro do cliente, que facilita o acesso de criminosos ao escolher uma senha muito óbvia.

Armazenamento de dados sensíveis

O lojista pode considerar o armazenamento de dados sensíveis, ou seja, as informações que são realmente necessárias para efetuar as transações em sua loja virtual. Quando se fala em armazenar dados de clientes, o ideal é ser mais enxuto e prático possível.

Esses são os pontos essenciais para ter um e-commerce seguro e passar credibilidade para seus clientes.

Como verificar se as proteções estão ativas em seu e-commerce?

Uma plataforma pronta gera relatórios que o gestor deve observar sempre. Além disso, ele pode navegar pelas páginas para verificar se o cadeado de segurança está ativo.

Outro ponto importante é analisar as muitas compras que são realizadas de uma única vez pelo mesmo CPF. Compras de alto valor ou repetidas devem ser monitoradas, pois isso pode ser sinal de fraude. Em casos de cartão clonado, os prejuízos podem ser grandes, caso a loja não tenha um intermediador de pagamento eficiente.

Quais são as consequências de não investir na segurança do e-commerce?

Se você não investe em segurança da sua loja virtual, perderá a confiança do consumidor, além de, consequentemente, vendas e dinheiro. Também, seu e-commerce fica vulnerável a ataques de hackers, o que pode gerar sérios prejuízos financeiros, além de ações na justiça de clientes que tiveram dados roubados.

Lembre-se, também, de que criminoso que atuam com a venda de cartões clonados, geralmente, conseguem dados por sites na internet. Nesses casos, o cliente que teve os dados roubados sofre bastante transtorno, pois, até ele descobrir que seu nome foi usado por terceiros, o CPF já pode ter sido inserido em serviços de proteção ao crédito.

Então, ter um e-commerce seguro é a única forma de se manter competitivo no mercado, ter credibilidade de seus clientes, realizar um bom volume de vendas e ter um faturamento alto.

Garanta segurança para seus clientes e para seu negócio. Escolha uma plataforma que proporcione essa segurança!

Para saber mais sobre os certificados de segurança, confira!

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário