Como criar um Site de Vendas: 14 passos para você tirar o seu projeto do papel!

Para criar um site de vendas você precisa: escolher o produto ou serviço que irá vender, entender qual será seu público-alvo, definir o tipo de site que precisa, separar um orçamento inicial, registrar um domínio e escolher a melhor plataforma de e-commerce para começar a vender online.

Saber como criar um site de vendas é uma das principais formas de fazer um bom negócio online. O processo pode parecer extremamente complexo, mas nosso objetivo é simplificá-lo para você conseguir, sozinho, colocar o seu site no ar.                                                                                                                             

Sem precisar codificar e sem precisar contratar um desenvolvedor caro.

Você só precisa seguir alguns passos para colocar seu site de vendas em funcionamento.

Depois disso você estará pronto para vender bastante com o seu site, entrar no mercado de e-commerce e fazer sucesso com a sua marca na internet.

Sem mais delongas, vamos ao guia de como criar um site de vendas.

Ao todo, são 14 passos que distanciam você do seu site pronto.

1. Escolha o produto que vai vender

Antes de começar a pensar no design do site, na experiência do usuário ou até no nome da sua empresa, você precisa decidir quais produtos vender pela internet.

Afinal, você está pensando em promover uma pizzaria, um estúdio de fotógrafo ou livraria?

Qualquer tipo de negócio pode se beneficiar de um site.

Então, você pode escolher qualquer coisa para vender.

No geral, você tem a opção de vender bens ou serviços essenciais — de alta demanda ou populares — ou bens e serviços de um nicho específico.

Produtos que todo mundo quer ou precisa normalmente compõem a maioria das vendas online.

Pense, por exemplo, em qualquer coisa que você compre na Amazon que tenha uma grande marca por trás: comida, pasta de dente, roupas, brinquedos etc.

Por se tratar de itens comuns, a concorrência entre os vendedores é alta e a possiblidade de fidelizar um cliente é mais remota.

Já os produtos de nicho geralmente atendem a um público menor, com maior chance de fidelização.

Eles geralmente são feitos em pequenos lotes ou sob demanda.

Por exemplo, o seu site de vendas pode se especializar em vender artigos esportivos, atraindo o público que busca produtos dessa categoria nos mecanismos de busca.

Porém, os lojistas também podem vender uma combinação de produtos populares e produtos de nicho.

É uma estratégia interessante para aumentar sua margem de lucro, porque o seu site poderá focar em atrair um público específico, ao mesmo tempo em que vende produtos de altíssima demanda no catálogo.

Não sabe ainda o que vender?

Confira nossa lista com: o que vender para ganhar dinheiro na internet!

2. Entenda quem é o seu público

Um bom produto é fundamental para um negócio de sucesso, mas existem vários outras coisas indispensáveis para administrar que não devem ser negligenciadas.

Um erro comum cometido por muitos lojistas ao planejar um novo site de vendas é se concentrar apenas em seus próprios desejos e necessidades, sem considerar as compras da perspectiva de seus clientes.

Entender o seu público e, principalmente, criar personas é um exercício indispensável que ajudará você a ver as coisas pelos olhos dos clientes e garantir que o site atenda às necessidades deles da melhor maneira possível.

Identifique o cliente ideal do seu negócio, estabeleça quais são suas frustrações e o que eles precisam de um potencial parceiro quando acessam uma loja virtual.

Esclarecer essas informações ajudará a estabelecer requisitos que o seu site precisa atender em termos de layout, design e jornada de compra.

3. Defina o tipo de site de vendas

Quando se trata de vender produtos ou serviços pela Internet, um dos primeiros passos que vem à mente é abrir uma loja virtual. Mas essa não é a única opção.

Muitas marcas e vendedores recorrem ao modelo de marketplace, aqueles grandes sites que reúnem milhares de vendedores e produtos.

Quer entender melhor como funciona os dois tipos de site? Confira!

Loja virtual

A loja virtual tradicional é um site que vende produtos para vários clientes.

O site pertence ao vendedor, portanto, há apenas duas partes na negociação: o vendedor e o comprador.

Se os seus produtos são populares ou se você tem um número grande de vendas, é sempre recomendável ter uma loja virtual para centralizar as operações.

A maior preocupação do lojista é garantir que o site esteja sempre seguro e funcionando.

O que não é muito difícil hoje em dia, dado que as plataformas de criação de lojas virtuais não exigem qualquer conhecimentos de programação.

Marketplace

Um marketplace é um site que vende produtos de vários vendedores.

O site pode ser um marketplace de nicho, com vendedores de apenas um segmento, ou um marketplace geral, que atende a uma diversidade de segmentos diferentes.

A Shopee, Amazon, Mercado Livre, Americanas e Maganize Luiza são os maiores marketplaces do Brasil.

Esses sites investem tempo e dinheiro para atrair clientes protencionais e oferecer uma experiência de compra segura.

Quando o cliente finalizar a venda dentro de um marketplace, os produtos são armazenados e enviados pelo vendedor.

As principais preocupações de quem mantém o marketplace é com a manutenção e o desempenho do site. Os marketplaces cobram uma comissão aos vendedores.

Alguns cobram uma taxa de adesão fixa ou oferecem uma combinação de comissões com valores fixos e por produto vendido.

4. Busque referências

Confira sites de vendas semelhantes ao site que você quer fazer para o seu negócio.

Busque três ou quatro referências para saber o que elas têm em comum e se conseguem promover uma boa experiência de venda.

Tente observar como o site funcione e anote as seguintes informações:

  • quais páginas o site tem?
  • qual é o estilo geral?
  • é fácil navegar e encontrar coisas?

Busque essas e outras informações que despertem seu interesse.

Talvez você crie o desejo de incoporar algum detalhe ou recurso que viu em outro lugar no seu novo site.

5. Defina o seu orçamento para a criação do site

Depois de saber qual é o produto que você vai vender, conhecer o seu público e escolher o tipo de site de vendas, é hora de verificar seu orçamento.

Muitos projetos de sites falham porque gastam demais e excedem o orçamento planejado.

É por isso que é importante manter os custos o mais baixo possível no início.

É claro que o custo total da criação de um site de uma loja virtual depende de muitos fatores.

Mesmo assim, podemos definir os custos gerais que você terá ao começar a vender com um site.

Aqui estão os itens que você terá que pagar:

  • taxas da plataforma de e-commerce;
  • nome do domínio.
  • Hospedagem do site;
  • certificado SSL — além de autenticar a identidade de um site, os mecanismos de busca usam um selo de segurança como fator de ranqueamento. Além disso, algumas soluções de hospedagem oferecem o certificado como parte de sua taxa;
  • custos de processamento de pagamentos.
  • complementos e extensões.

Gastar demais ao criar um site é muito fácil e pode levar à queda do seu projeto, mesmo antes de começar.

É por isso que é importante estabelecer um orçamento sabendo quais são os custos que você terá no processo.

6. Escolha um domínio para o site

Escolher e registrar o domínio é uma das decisões mais importantes neste passo a passo, porque essa é a forma como as pessoas vão se lembrar do site.

O domínio nada mais é do que o endereço do site que aparece na parte superior da tela.

Você precisa ter seu próprio nome de domínio, em vez de ter um domínio gratuito que pertence à própria plataforma de criação do site: por exemplo, nomedasuaempresa.meu-site-livre.com.

Ao escolher seu nome de domínio, há algumas regras que você deve ter em mente.

Por exemplo, se você estiver configurando uma loja virtual, o nome de domínio deve corresponder ao nome da sua empresa (suaempresa.com.br).

Já se você planeja criar um site pessoal para você, o seu próprio nome pode ser uma ótima opção (seunome.com.br).

Em todos os casos, mantenha o domínio fácil de dizer e soletrar.

Os clientes em potencial devem ser capazes de dizer o nome do seu domínio em voz alta para alguém, sem que eles precisem perguntar duas vezes como soletrar ou dizer.

Recomendamos não mais que 14 caracteres.

Você não quer um domínio muito longo que seja difícil de lembrar e dizer.

Não se esqueça de verificar se o nome está disponível na internet ou se um site já possui o domínio escolhido.

Você pode fazer essa consulta no site https://registro.br/.

7. Encontre uma hospedagem

Depois de registrar um nome de domínio, é hora de encontrar uma hospedagem.

As melhores plataforma de e-commerce do mercado são hospedadas na nuvem e oferecem ao vendedor hospedagem na web como parte da assinatura.

Isso significa que você não precisará procurar hospedagem de terceiros ou lidar com os desafios de gerenciá-la.

De toda forma, existem alguns tipos de hospedagem para você escolher, sendo elas:

  • Hospedagem Gratuita;
  • Hospedagem Compartilhada;
  • Hospedagem Cloud;
  • Hospedagem VPS;
  • Colocation;
  • Servidor Dedicado;

Com tantas opções no mercado, para hospedar um conteúdo é preciso avaliar as opções existentes no mercado com calma, e entender qual delas realmente atenderá suas necessidades.

Lembre-se de levar em consideração todas as opções e não escolher só pelo preço do serviço.

Seja ele abaixo do marcado, pensando ser mais vantajoso ou optar pelo mais caro acreditando ser a melhor opção do momento.

Para fazer a escolha de forma mais adequada busque ajuda de empresas consolidadas no mercado, e que possam te dar o suporte necessário nessa nova jornada repleta de desafios.

8. Escolha a plataforma para criação do site

Construir um site de vendas não precisa ser uma experiência dolorosa. Com a plataforma de e-commerce certa, você poderá tornar essa experiência ágil e até prazerosa.

Cada uma das plataformas conta com suas particularidades, funcionalidades e preços.

O ideal é optar por uma com um conjunto amigável de funcionalidades e que o ajude a criar o seu site sem nenhum conhecimento de codificação.

No entanto, encontrar a melhor plataforma nem sempre é fácil, porque existem muitas opções no mercado.

Então, como saber qual é a solução certa para você? Vamos comparar algumas plataformas aqui embaixo.

Veja quais são as funcionalidades, diferenciais e vantagens de cada uma.

Tray

A plataforma Tray Commerce é reconhecida como uma das maiores plataformas de e-commerces tanto para pequenas quanto médias e grandes empresas.

É possível contratar planos mais básicos e acessíveis ou planos mais completos para ter acesso a mais funcionalidades e resultados da plataforma.

Mas o grande destaque principal da Tray é a possibilidade de integração da sua loja com diversos marketplaces.

Ao criar uma loja nessa plataforma, você pode integrar produtos da loja aos marketplaces, além de acompanhar e controlar todas as vendas em um mesmo canal.

A integração é uma funcionalidade disponível em todos os planos que podem ser adquiridos.

Sendo uma plataforma é de código aberto, você tem total possibilidade de personalizar a sua loja virtual com recursos criados do zero, embora você também possa aproveitar os modelos de layouts prontos.

Banner: vender em marketplace com taxa zero

Dooca

A Dooca Commerce faz parte do grupo Locaweb, e oferece a opção de configurar uma loja virtual de forma rápida.

Dentre os serviços oferecidos, a empresa oferece suporte humanizado, materiais educativos e base de conhecimento.

Bagy

A plataforma Bagy, promete ser a melhor plataforma para clientes de pequeno e médio porte.

Ela já apresenta uma proposta diferente das outras, sendo um aplicativo onde o lojista tem o controle de sua operação na palma de sua mão.

Dentre suas vantagens estão: Gerenciamento de uma loja via aplicativo, suporte para sacolinha do Instagram e site com layout personalizável.

Vtex

A Vtex é outra famosa plataforma de e-commerce no Brasil.

Ela oferece a possibilidade de unificar todo o processo administrativo da sua loja virtual em um só lugar.

Isso significa que você pode gerenciar todos os detalhes dos pedidos na mesma ferramenta, como configurações de entrega e pagamentos.

A Vtex também disponibiliza a criação de vários catálogos, uso de moedas estrangeiras, diversas línguas e a possibilidade de criar promoções em vários canais ao mesmo tempo.

Shopify

As marcas que estão começando no comércio virtual também podem optar por começar com uma uma loja construída na Shopify.

Empresas maiores e marcas que desejam crescer e que possuem necessidades complexas geralmente escolhem outras plataformas.

O Shopify foi criado para satisfazer as necessidades de pequenas empresas que desejam uma maneira fácil de criar uma loja virtual.

Ao aderir à plataforma, você terá acesso a u design intuitivo e recursos de arrastar e soltar, o que facilita as tarefas de quem nunca trabalhou com códigos.

No Shopify, você pode colocar um site simples em funcionamento de forma rápida, embora encontrará algumas limitações se quiser usar recursos mais avançados na loja.

9. Construa as páginas do site

Um bom site de vendas possui várias páginas dedicadas a diferentes aspectos do negócio.

Além da página inicial, o visite pode encontrar, por exemplo, um catálogo detalhado de seus produtos ou serviços e uma seção de blog.

O número de páginas depende do seu negócio.

Se você tem uma pequena empresa local que está segmentando a área local, provavelmente precisará apenas de 5 a 10 páginas.

Se você estiver configurando uma loja online que venderá um catálogo extenso de produtos para todas as regiões do país, precisará de mais.

Contanto que você priorize a experiência do usuário com informações escaneáveis e atualizadas, poderá obter resultados positivos.

Um bom ponto de partida é estruturar um site com as seguintes páginas:

  • Home/Página Inicial;
  • Sobre/Quem somos nós;
  • Produtos/Serviços;
  • Carrinho de compras;
  • Depoimentos/Comentários;
  • Perguntas frequentes/FAQ;
  • Contato;
  • Blog/Notícias;
  • Localização/Mapa;
  • Termos e Condições (incluindo política de privacidade).

Menos é mais, principalmente quando se trata do número de páginas.

Muitos caminhos dentro do site podem tirar o foco do visitante para o que realmente importa — no caso de um site de vendas, os produtos ou serviços que você tem a oferecer.

10. Crie o layout do site

layout envolve toda a organização dos elementos gráficos que dão forma às páginas do site.

São os cuidados com o layout que garantem a perfeita ordenação de textos, imagens, vídeos e outros recursos visuais.

É claro que a configuração do layout dependerá da plataforma de e-commerce que você escolheu para criar o site de vendas.

Dependendo da opção, você pode contar com a consulta de especialistas para garantir a perfeita organização do layout.

Mas existem algumas estratégias mais gerais que valem para todos os casos.

Por exemplo, é importante notar que o objeto do layout de um site de vendas é permitir que o visitante passe pelas etapas da jornada de compra rapidamente, sem dificuldades.

Então,personalize o seu tema de acordo com a identidade da marca da sua loja e lembre-se sempre de pensar na sua persona.

Os recursos visuais devem funcionar como um guia para que o cliente encontre as informações que precisa e finalize a compra.

11. Integre várias formas de pagamento

A diversidade nas formas de pagamentos no site é especialmente importante para o cliente, que está sempre em busca de agilidade nas compras online e deseja realizar pagamentos seguros sem revelar muitas informações confidenciais.

Além disso, se uma das formas disponíveis apresentar problemas, ter mais opções disponíveis é uma boa maneira de manter as conversões e evitar uma queda no número de clientes.

As opções disponíveis e a maneira de integrar os meios de pagamento no site podem variar de acordo com a plataforma de e-commerce.

Na Tray, por exemplo, a integração acontece de forma intuitiva e você encontra diversas intermediadoras de pagamento conhecidas no mercado, como a PagSeguro, MercadoPago, PayPal e Cielo.

12. Invista em técnicas de SEO

Ranquear o seu site na primeira página do Google e de outros mecanismos de busca ajudará a direcionar leads em potencial para o seu negócio.

Para isso, você precisa conhecer e aplicar as principais técnicas de SEO para lojas virtuais. Aqui vão algumas delas:

Escolha as palavras-chave certas

Selecione palavras-chave relevantes para sua empresa e que seus clientes em potencial estão pesquisando.

Coloque links internos e externos no site

Links internos são os links nas páginas do site que levam a outras páginas do mesmo site, enquanto os links externos são os links para outros sites populares e de alta autoridade.

Coloque esses links estrategicamente em todo o seu site.

Certifique-se de que eles façam sentido, se ajustem ao contexto e agreguem valor ao leitor.

Otimize imagens

Compacte imagens para que elas não diminuam o tempo de carregamento do seu site.

Adote a mesma abordagem com o vídeo, certificando-se de que todos os clipes sejam carregados rapidamente e não diminuam a velocidade geral do seu site.

Os metadados das imagens, como tags e legendas, também são uma oportunidade de trabalhar suas palavras-chave e informar aos mecanismos de pesquisa sobre o que são as imagens.

Maximize a velocidade do seu site

As páginas devem carregar o mais rápido possível; em poucos segundos é o ideal.

Você pode usar verificadores de velocidade de site gratuitos, como o PageSpeed ​​Insights do Google, para ver se seu site está funcionando de maneira ideal.

13. Escolha e instale plugins úteis

Você está quase pronto para lançar o seu site de vendas, mas sabe aquela sensação de que algo está faltando?

Depoimentos de clientes antigos ou talvez um formulári para que as pessoas se inscrevam em uma newsletter?

Se você não pensou nesses recursos quando estava criando o site, não se preocupe!

Você pode facilmente adicionar novas funções extras como essas na sua loja online instalando plugins.

Os plug-ins são parecidos com aplicativos, fornecendo recursos e elementos extras para você adicionar ao seu site.

Eles perfeitos para personalizar ainda mais o seu site de vendas ou preencher quaisquer lacunas na funcionalidade.

14. Teste antes de começar a vender pelo site

Antes de anunciar nas redes sociais que seu site está ativo, verifique se ele funciona nos principais navegadores, como Internet Explorer, Microsoft Edge, Firefox e Chrome.

Clique em cada página e em cada recurso do site em todos os navegadores para garantir que as imagens apareçam, os links estejam corretos e o formato está certo.

Além disso, certifique-se de que seu site seja exibido com o formato correto nos dispositivos móveis, como em smartphones e tablets.

O Google e outros mecanismos de busca migraram para a indexação mobile-first, que prioriza o desempenho do site na versão móvel.

Isso significa que a versão móvel contribui para o ranqueamento das suas páginas nos resultados de busca do Google.

Tudo isso poderá levar algumas horas, mas economizará reclamações futuras de visitantes que não estão conseguindo usar os recursos do sue site.

E aí, agora está tudo pronto?

Chegamos ao final do nosso guia de como criar um site de vendas e esperamos que as dicas sejam úteis para você.

Agora, o mais importante é começar definindo os seus produtos, público e o tipo de site que você quer criar.

Aproveite para ganhar ainda mais confiança para criar negócio online: baixe aqui nosso guia completo para vender pela internet do zero!

Não há comentários ainda. Seja o primeiro a escrever um.

Deixe seu comentário