Começar a empreender: 6 perguntas para saber se você está preparado

Uma das perguntas mais simples que todo aspirante a empreendedor pode se fazer é: como começar a empreender? Ironicamente, essa também é […]

Uma das perguntas mais simples que todo aspirante a empreendedor pode se fazer é: como começar a empreender? Ironicamente, essa também é uma das perguntas mais difíceis, pois abrir um negócio depende mais do que a paixão por uma atividade profissional ou um curso de empreendedorismo.

Há muito o que aprender e imprevistos no meio do caminho que também trazem lições que ficam para sempre. A jornada de um empreendedor deve ser encarada como algo único, cada um vai enfrentar suas limitações e saber aproveitar as oportunidades de um jeito.

 

Então, nada melhor do que começar com algumas perguntas simples. Confira, a seguir, 6 dúvidas que merecem sua atenção para começar a empreender.

1. Tenho um propósito? Qual é?

A primeira etapa para começar a empreender exige pouco ou nenhum investimento, pois é o momento de entender exatamente o que você deseja fazer. Encontrar seu propósito vai orientar suas atitudes ao longo da jornada, além a ajudar na decisão sobre possíveis parcerias e novos produtos.

Mas, antes de qualquer coisa, o que significa um propósito? Afinal, existem vários sentidos para a palavra e nem sempre ela ganha um destaque pelas empresas.

Podemos entender o propósito como a razão pela qual a empresa existe no mercado. Gerar lucro não é um, pois todas as empresas possuem essa finalidade. O propósito, por outro lado, tem mais a ver com a identidade do seu negócio, ou seja, o que pode torná-lo único.

É importante começar com perguntas simples. Vamos supor que você queria abrir um aplicativo de transporte particular.

  • O que você vai oferecer? Transporte particular seguro e acessível para o máximo de pessoas em todos os lugares;
  • Como? Pedidos por meio de um aplicativo mobile;
  • Por quê? Desejo de colocar o mundo em movimento de forma mais prática.

A resposta do por quê? é o propósito do seu negócio. No exemplo acima, utilizamos a razão de existir da Uber, cujo lema é We ignite opportunity by setting the world in motion (em português: Nós damos a partida em oportunidades colocando o mundo em movimento).

2. Consigo vender minha ideia?

No filme “Lobo de Wall Street”, o ambicioso corretor de bolsa de valores Jordan Belfort aborda cada integrante da sua plateia com um pedido simples: me venda essa caneta. A frase, que se tornou um clichê do mundo dos negócios, também evidencia algo útil para os novos empreendedores, a importância de saber vender uma ideia.

Quando você começa a empreender, é fácil se apaixonar pela sua ideia de negócio. É bem provável que ela pareça algo único e totalmente capaz de funcionar.

Contudo, quem nunca passou pela desagradável sensação de contar uma história ou uma ideia e, só depois, perceber que ela não é tão boa quanto parecia? Por isso, vale a pena fazer o esforço de colocar sua ideia de negócio em palavras e ver se ainda soa simples e razoável.

Também se pergunte como seria para o cliente entender o que você oferece. Uma solução ligada a uma necessidade imediata não precisa de muito para ser persuasiva. Portanto, entenda qual problema seu negócio quer resolver, para qual necessidade ele atende. Veja se o argumento soa tão simples quanto pode ser vender uma caneta para alguém.

3. Tenho disposição para aprender sobre a área?

Ter um planejamento empresarial vai evitar grandes erros, mas você só vai conseguir montar sua empresa quando colocar as coisas em prática. Muito do que você vai precisar será necessário aprender no caminho da sua jornada.

Por um lado, isso pode ser um alívio, pois você não precisa saber todos os detalhes antes de começar. Por outro, muita coisa não vai acontecer como previa e você precisa ter disposição para aprender.

O “segredo”, no final das contas, é fazer algo que você gosta. Encontre uma área que tenha a ver com sua personalidade. Isso tornar muito mais fácil a tarefa amadurecer a ideia e colocá-la em prática.

Se, nesse processo, você perceber que a ideia vai levar ao fracasso e não ao sucesso, a sensação de gostar do que está fazendo pode ajudar a reinventá-la. Nesse caso, o seu interesse no ramo vai dar para você uma bagagem para propor adaptações, estar aberto a inovações e aproveitar as oportunidades do mercado.

4. Sei quem vai comprar meu produto?

Se um empreendedor não sabe para quem são suas soluções, como vai se comunicar com o público? Entender o perfil de potenciais clientes é entender o problema que a sua empresa pretende solucionar.

O público-alvo possui uma série de necessidades que não sabem como resolver, então, cabe às empresas criarem as soluções necessárias para isso. Esse é um dos passos iniciais para criar produtos com algum valor no mercado.

5. Conheço quem vende produtos similares ao meu?

Até as soluções mais inovadoras encontram empresas que oferecem soluções similares. É por meio de uma pesquisa de mercado que você pode encontrar e avaliar quais são essas empresas.

Isso é importante porque os produtos parecidos podem disputar o mesmo público. Então, caso a sua ideia não tenha novidades, a chance de ela ser mais uma na prateleira é alta.

Por meio de uma pesquisa de mercado, você também consegue avaliar os preços médios praticados em determinado ramo, encontrar fornecedores e conhecer as principais tendências.

6. Tenho capital de giro suficiente?

Chegando ao ponto de ter uma ideia amadurecida, é provável que você já consiga mensurar o custo para manter a empresa operando. A esse valor, atribuímos o nome de capital de giro. Não confunda com o custo do investimento inicial, pois o capital de giro é a soma das despesas fixas e variáveis para manter a empresa “girando”.

Ou seja, quanto você vai precisar ter para pagar fornecedores, conta de energia, máquinas, manutenções, entre outros custos da empresa? É com o capital de giro que ela vai continuar funcionando.

Enfim, não há caminhos mais curtos para começar a empreender e alcançar o sucesso. Como vimos, o empreendedorismo parte da necessidade de não só gerar lucro, mas atender a necessidades de pessoas e colaborar de alguma forma com o mundo. Esperamos que as 6 perguntas ajudem você nessa jornada!

Quer mais? Siga a Escola de E-commerce nas redes sociais para acompanhar nossas dicas. Estamos no Facebook, Instagram, Youtube e Spotify, sempre publicando novidades para facilitar sua jornada empresarial. Até a próxima!

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário