Capital de giro: O que é, como calcular e por que é importante?

Capital de giro é o valor mínimo que uma empresa precisa ter em caixa para conseguir funcionar regularmente, pagando todos seus custos operacionais sem precisar interromper suas operações.

O capital de giro é indispensável para que o negócio consiga se manter ativo de forma saudável. Afinal, diz respeito a todos os recursos financeiros fundamentais para manter as operações de qualquer empresa.

O capital de giro é o responsável por manter algumas das obrigações fundamentais da empresa em dia, como o pagamento de despesas fixas, conquista de investimentos e muito mais.

Além disso, o capital de giro influencia diretamente no controle e avaliação financeira do CNPJ.

Ainda assim, muitas dúvidas permeiam esse assunto, sendo preciso esclarecer o que é esse importante indicativo de saúde financeira para as empresas e empreendedores.

Muitos conceitos permeiam o capital de giro, bem como o correto cálculo para chegar no resultado final.

Pensando nisso, preparamos este artigo completo para que você saiba o que é, como calcular e qual é a importância do capital de giro para o e-commerce.

No final, ainda separamos 5 dicas para que você mantenha o seu resultado sempre positivo. Não deixe de conferir!

O que é capital de giro?

O capital de giro é o total de recursos, ou de reserva financeira, que uma empresa precisa ter disponível para manter as operações ativas e arcar com os custos de funcionamento do negócio.

É, a parte do investimento inicial destinada ao pagamento de custos e despesas que a empresa terá reservada durante um período determinado.

Como, na maioria dos casos, a empresa só passa a gerar receita após um período de funcionamento, é preciso garantir que haverá recursos disponíveis para as despesas de operação.

Do contrário, o empreendimento vai à falência já nos primeiros momentos de operação.

Mas, não estamos falando apenas de dinheiro, o capital de giro pode ser medido pelos ativos de alta liquidez, que são os bens e direitos que podem ser revertidos m dinheiro de forma rápida.

Ele é muito importante, porque já no começo das operações, ainda sem gerar receita, o negócio terá que arcar com despesas fixas e variáveis, como o pagamento de salários, fornecedores, impostos, água, aluguel e muito mais.

Como calcular capital de giro?

O cálculo do capital de giro é bem simplificado, antes é preciso entender o que são ativos circulantes e passivos circulantes.

Isso, porque o cálculo é feito por meio da subtração do ativo circulante pelo passivo circulante. Entenda cada um deles agora.

Ativo circulante

O ativo circulante é o conjunto de ativo, ou bens, que um negócio têm e que podem ser rapidamente convertidos em dinheiro para suprir uma demanda empresarial, caso seja necessário.

Alguns exemplos de ativos circulantes, são:

  • dinheiro disponível;
  • inventário;
  • contas a receber;
  • títulos comercializáveis;
  • despesas pré-pagas;
  • demais ativos líquidos.

Passivo circulante

Já os passivos circulantes, são justamente o oposto. São as obrigações financeiras que e-commerce deve arcara e que são não forem cumpridas, comprometem o desenvolvimento do negócio.

Esse passivo circulante costuma ser medido por um ciclo operacional ou pelo período de um ano.

Para arcar com o passivo circulante é preciso ter ativos ou fazendo novos passivos circulares. Exemplos de passivos circulantes, são:

  • contas a pagar;
  • notas a pagar;
  • parcela atual de dívida a longo prazo;
  • passivos acumulados;
  • receitas não obtidas.

Com isso em mente, é hora de compreender a fórmula que chega ao resultado exato do capital de giro de uma empresa. A fórmula, é a seguinte:

Capital de Giro Líquido (CGL) = Ativo Circulante (AC) – Passivo Circulante (PC).

Por que é importante entender o capital de giro de uma empresa?

O primeiro motivo que justifica saber exatamente qual é o capital de giro de um negócio, é manter um bom controle das finanças da empresa, o que é fator determinante para a saúde financeira de qualquer empreendimento.

Contudo, mesmo que seja fundamental, cada empresa conta com especificidades que fazem com que o capital de giro seja diferente das demais empresas.

Mas, caso não haja uma análise completa ou se o empreendimento desconhecer o capital de giro, pode ser que o proprietário seja obrigado a recorrerem a recursos adicionais, o que poderia colocar a empresa em uma posição muito complicada.

Quando a empresa mantêm um bom controle financeiro e sabe como estão as finanças do negócio, bem como o capital de giro necessário para manter as operações ativas, ela pode contar com muitas vantagens. Veja algumas delas a baixo!

Controle das finanças

O capital de gira possibilita que seja feito o correto controle financeiro do negócio, já que ele mostra as contas a pagar e a receber.

Como já mostramos, o capita de giro é o que garante que a empresa conseguirá se manter ativa, por um certo período, mesmo que a receita gerada não seja suficiente para cobrir os custos, despesas e gastos do negócio.

Caso contrário, a falta de pagamento desses custos comprometeria completamente o funcionamento da empresa e poderia até fazer com que o negócio vá à falência.

Avaliação de rentabilidade

O capital de giro também pode funcionar como fator de avaliação da empresa para que a saúde financeira do negócio seja reestabelecida e fazer uma avaliação da rentabilidade.

Caso a empresa tenha um estoque parado, por exemplo por falta de gestão de estoque, esse fator faz com que a receita não seja gerada, sendo preciso solucionar o problema com o estoque para otimizar o fluxo de caixa e conquistar um capital de giro significante.

Sinalizar os riscos

Quem entende a situação financeira da empresa e conseguir gerir o negócio com conhecimento sobre o capita de giro, pode prever, com muita mais facilidade e eficiência os riscos que a empresa está ou estará enfrentando.

Com um bom conhecimento sobre o capital de giro, os gestores conseguem antecipar os riscos, identificar as oportunidades e criar estratégias que contornem os cenários negativos e otimizem os positivos.

Confere maior segurança

Com a possibilidade de assegurar as atividades da empresa, os problemas futuros podem ser controlados com mais segurança.

Para a empresa que já controla e conta com um bom capital de giro, os imprevistos deixam de ser uma preocupação, já que a empresa contara com ativos para contorná-los sem que grandes prejuízos sejam gerados.

Fazer investimentos

A possibilidade de investimentos é totalmente dependente do capital de giro, que mostra que a empresa faz um gerenciamento financeiro eficiente.

Logo, para que a empresa consiga um investimento interessante, ela precisará do capital de giro, tanto para retirar um valor para aplicação quanto para manter as operações em dia.

Como um exemplo de investimento, é aumentar o estoque a compra de fornecedores para os momentos de comemorações e festividades, como a época de vendas do natal.

Isso, porque para momentos como esse, é preciso de um planejamento extra com publicidade, investimento em estoque, logística de entrega e muito mais.

Sem um gerenciamento de capital de giro, essa ação seria impossível, ou poderia trazer sérios prejuízos para o empreendimento.

Pagamento de fornecedores em dia

Um bom capital de giro garante melhores parcerias, que são fundamentais para o bom desenvolvimento dos negócios.

Como a empresa consegue horar seus compromissos em dia, os fornecedores são pagos dentro do prazo combinado e, por isso, conseguem manter uma relação mais duradoura e de confiança.

Quando isso ocorre, as chances de melhores negociações com os fornecedores são muito grandes, já que a confiança e o compromisso com os pagamentos permeiam as negociações e conferem melhores condições para ambas as partes.

Identificar o momento de investir

O capital de giro também funciona como um importante termômetro para o empreendedor saber exatamente quando controlar ou cortar gastos e para identificar o melhor momento para fazer investimentos.

Ele também é garantia de que a empresa poderá aproveitar as boas oportunidades para fazer investimentos mais certeiros e em momentos mais propícios.

Como já mencionamos, em datas comemorativas, o empreendimento pode investir em estoque e ainda negociar preços e formas de pagamentos que sejam mais vantajosas.

Estimular a economia consciente

Quem faz o gerenciamento das finanças, como o capital de giro, passa a ter uma relação mais responsável com o dinheiro em todos os aspectos da vida pessoa e profissional.

Portanto, além de manter a saúde da empresa, ainda permite um gerenciamento financeiro para outros aspectos necessários.

Quais são os tipos de Capital de giro?

Existem 4 tipos principais de capital de giro que todo empreendedor deve conhecer e entender. É sobre isso que falaremos neste tópico. Acompanhe!

Capital de giro líquido

O capital de giro líquido é referente ao valor resultante da subtração do ativo circulante com o passivo circulante.

Caso o resultado seja positivo, significa que a empresa está em boa situação e que a receita foi suficiente para cumprir com os pagamentos das despesas fixas e ainda restou uma sobra no caixa.

A nomenclatura, capital de giro líquido, se dá justamente pela rapidez com que pode ser convertido em dinheiro, em um curto espaço de tempo.

Capital de giro próprio

O capital de giro próprio está diretamente associado a um fluxo de caixa equilibrado e saudável, já que indica que a viabilidade de uma reserva financeira que consiga garantir a continuidade dos processos da empresa, e até mesmo a possibilidade de investimentos.

O capital de giro próprio é um importante indicativo de que a empresa mantêm uma boa saúde financeira.

Afinal, a empresa conta com recursos suficientes, por meio de seu faturamento, e não depende de recursos externos, como empréstimos ou financiamento.

Capital de giro associado a investimentos

Essa categoria, chamada de capital de giro associado a investimentos, é bem específica.

Ela é uma reserva financeira necessária, para cumprir com o pagamento de investimentos realizados pela empresa, que foram planejados.

Como um negócio precisa de investimento para crescer, como a compra de maquinários novos e mais modernos, ou a ampliação de uma frota, com a aquisição de novos veículos, por exemplo, é preciso investir e garantir o pagamento desse investimento, nos casos de parcelamentos.

Esse é outro bom indicativo de saúde financeira que as empresas precisam ter. O capital de giro associado a investimentos demonstra autossuficiência para conseguir financiar etapas importantes para a expansão da empresa.

Capital de giro negativo

Esse, é um indicador negativo de saúde financeira para qualquer empreendimento.

Quando uma empresa tem o capital de giro negativo, demonstra insuficiência de ativos circulantes para cobrir as despesas necessárias para o funcionamento do negócio.

Além disso, o capita de giro negativo mostra que o empreendimento não consegue cumprir com os pagamentos e cobranças, e não têm condições de se manter ativa por muito tempo.

Apesar de muito negativo, esse indicador é um sinal para que o empresário tome ações que convertam a situação antes que o quadro se torne mais caótico.

Caso não se resolva, as chances de falência são muito grandes.

Diferença entre Capital Social e Capital de Giro

Já vimos o que é o capital de giro de uma empresa, mas muitas pessoas ainda se confundem na hora de diferenciar o capital de giro do capital social da empresa.

O capital social, é o valor inicial necessário para realizar o investimento, onde cada sócio faz um investimento inicial para que o projeto saia do papel e possa ser realizado.

Como capital social, podemos incluir: dinheiro, imóveis, ferramentas, veículos, equipamentos e muito mais. Tudo o que puder ser considerado como investimento, deve ser contabilizado como capital social do negócio.

O importante, quando falamos de capital social, é que cada parte da empresa se dará pelo montante investido.

Ou seja, se um empreendimento tiver apenas um dono, ele terá 100% do capital social do negócio.

Logo, o capital social diz respeito o valor inicial investido em uma determinada empresa.

Portanto, o capital de giro se relaciona com o capital social, mas é referente ao montante necessário para que o negócio continue funcionando sem comprometer os recursos futuros do empreendimento.

Como fazer a gestão do capital de giro

Como já é possível perceber até o momento, é preciso ter muito planejamento e organização para manter um bom capital de giro da empresa.

Isso, porque o gerenciamento dos gastos do negócio é fundamental para manter as operações ativas e com um faturamento que consiga suprir as necessidades e demandas da empresa.

Para auxiliar nessa etapa, separamos 5 dicas para você fazer a correta gestão do capital de giro. Não deixe de conferir. Vamos lá!

1.Identifique e corte os gastos desnecessários

Economia é uma palavra-chave para o crescimento de empresas de todos os nichos.

Uma das maneiras mais eficientes de economizar, é fazendo o corte de gastos e de despesas excessivas.

Independente da situação financeira de um negócio, sempre é possível identificar pontos onde custos podem ser cortados.

Quando custos são cortados, a empresa consegue se manter ativa com mais eficiência e ainda restam recursos para aqueles investimentos de expansão tão necessários.

Para fazer o corte de despesas com eficiência, existem algumas técnicas. Confira!

Listar as principais despesas

Para acabar com gastos desnecessários, o primeiro passo é identificá-los.

Para tanto, o ideal é catalogar todas as despesas em um certo período, como um mês.

Nesse momento, todas as despesas devem ser incluídas, mesmo as de pequenos custos.

Com todas as despesas catalogadas, fica mais fácil começar a entender o que pode ser reduzido, e até mesmo o que é possível cortar.

Identificar o que é indispensável

Com as despesas catalogadas, é o momento de identificar quais são as indispensáveis, ou seja, aquelas que se forem reduzidas podem comprometer o funcionamento do negócio.

Em contrapartida, será possível visualizar aquelas despesas que não são necessárias e pode ser retiradas das contas da empresa.

2.Faça um planejamento estratégico

Quando o planejamento é feito de forma estratégica, o gestor do negócio consegue manter um capital de giro suficiente para não comprometer o andamento das operações e ainda consegue investir no crescimento do negócio.

Quando o planejamento faz parte da mentalidade do negócio, as contas são pagas em dia, as demandas dos clientes são compreendidas e atendidas e os investimentos acontecem de forma eficiente e no momento em que são necessários. Um bom planejamento conta, com:

  • gastos futuros administrados;
  • demandas de entrada e saída registradas;
  • custos reduzidos ou cortados, quando possível.

Para que as ações acima apresentadas sejam cumpridas, é fundamental que o negócio tenha objetivos claros de curto, médio e longo prazo.

Dessa forma, fica muito mais fácil entender qual é o capital de giro necessário para cumprir com cada objetivo estipulado.

3.Negocie com fornecedores

Independente do tamanho da empresa, saber negociar com fornecedores é uma atividade fundamental.

Isso, porque o empreendedor consegue os materiais que precisa por um preço competitivo, o que possibilita oferecer os seus produtos com mais eficiência para os consumidores.

Algumas práticas fundamentais para negociar com os fornecedores, você verá abaixo.

Tenha mais de um fornecedor

Um princípio básico, é contar com mais de um fornecedor.

Ter um plano B é sempre a melhor alternativa para os negócios.

Quando um empreendimento só conta com um fornecedor, ele é obrigado a aceitar as condições que forem apresentadas, como preço cobrado, prazo de entrega, condições de pagamento e muito mais.

Conheça os limites da sua empresa

Conhecer a limitações da empresa também é importante, já que é preciso saber quanto você pode pagar, quais formas de pagamento você consegue honrar e muito mais.

Somente conhecendo os limites da empresa, será possível negociar com os fornecedores munido de informações que possibilitem boas condições.

Mantenha um bom relacionamento

Um bom relacionamento com o fornecedor também é muito importante para manter um bom capital de giro.

Como já falado, os fornecedores podem se sentir mais inclinados a negociar com uma empresa que paga em dia e que honra seus compromissos.

Dessa forma, caso a empresa precise de alguma condição especial, como em um momento de crise, os fornecedores estarão muito mais dispostos a flexibilizar as negociações, mesmo que por um certo período.

4.Antecipe os pagamentos a receber

Muitas empresas contam com contas a receber oriundas de negociações com outras empresas ou condições de pagamentos para clientes.

Independente do caso, antecipar os recebíveis pode ser uma das melhores formas de melhorar o capital de giro e até mesmo de salvar a empresa.

Existem instituições financeiras que estão prontas para oferecer a antecipação de recebíveis para casos onde a empresa esteja com o capital de giro negativo, por exemplo.

Mas, é preciso ter cuidado para que essa não seja uma ação que comprometa o andamento do negócio no futuro. Muitas vezes, a instituição financeira pode cobrar juros que comprometerão os recursos da empresa.

5.Faça uma boa gestão de estoque

Para garantir um capital de giro saudável é preciso controlar muito bem as entradas e saídas de produtos do negócio. Isso corre, por meio da gestão de estoque.

Assim, fica mais fácil otimizar os custos operacionais e prever o faturamento da empresa.

Existem algumas técnicas que devem ser seguidas para o gerenciamento do estoque. Confira!

Tenha um registro de entradas e saídas

Não gerenciar as entradas e saídas, corretamente, dos produtos do estoque é um grande erro para os negócios.

Sem esse controle, a empresa pode solicitar produtos que não são necessários, não sabe o que está disponível e não consegue prever o faturamento mensal do negócio.

Acompanhe o giro dos produtos

Saber exatamente o tempo que um produto costuma permanecer no estoque, até que tenha uma saída, possibilita reconhecer aqueles produtos que tem alto giro.

Quando a empresa precisa de capital de giro, investir em produtos de alto giro, ou seja, que são comprados constantemente, pode ser a solução mais eficiente para garantir receita e estabilizar o capital de giro.

Conte com soluções tecnológicas

Uma rotina de gerenciamento de estoque, dependendo do tamanho do negócio, pode oferecer milhares de informações relevantes.

Com um sistema de gestão de estoque, a empresa consegue aumentar a sua eficiência, reduz custos e proporciona os dados para previsão de faturamento e corte de gastos.

O capital de giro é a quantidade de recursos necessários para manter um negócio em plena atividade.

Portanto, é crucial que os empreendedores entendam e mantenham essa métrica positiva.

O seu cálculo é simplificado, como mostramos, mas demanda por conhecimentos internos da empresa.

Existem muitos tipos e os negócios devem se manter atentos para que o capital de giro negativo não comprometa as operações da empresa.

Com as 5 dicas que demos neste artigo, ficará mais fácil de fazer o correto controle do capital de giro e manter a empresa financeiramente saudável.

Entenda agora o que é preciso para tornar o seu e-commerce ainda mais competitivo com nosso e-book.

Não há comentários ainda. Seja o primeiro a escrever um.

Deixe seu comentário