Árvore de categoria: um guia para fazer a categorização do seu e-commerce!

A árvore de categoria é a estrutura responsável pela distribuição e organização das informações no menu de uma loja virtual. O nome faz alusão a uma árvore, onde os galhos maiores são as categorias principais de um e-commerce e os menores as subcategorias. A árvore de categoria visa setorizar os produtos para que o usuário encontre-os com mais facilidade. Impactando diretamente nas vendas.

Dia após dia, o empreendedorismo digital ganha mais corpo e se torna mais relevante, tanto para quem está abrindo seu primeiro comércio, quanto para quem já possui uma loja física.

Os chamados e-commerces se popularizaram, tanto entre os empreendedores, que enxergam neles uma grande oportunidade, quanto nos consumidores, que podem aproveitar o conforto das compras online.

Porém, quem já está nesse ramo a algum tempo sabe muito bem que não basta apenas criar um site bonitinho e esperar as vendas acontecerem e o dinheiro entrar na conta.

Muito pelo contrário, o cliente online está a dois ou três cliques de realizar aquela compra em qualquer outro lugar. Por isso é tão importante ter uma estratégia para garantir a conversão desse comprador.

Nessa direção, uma das coisas mais importantes, que ajudam tanto na conversão do seu cliente quanto em outros pontos, como tornar o seu site mais amigável, são as árvores de categoria.

Elas permitem tornar a sua loja online muito mais prática e funcional, melhorando muito a experiência dos usuários, auxiliando com as suas vendas.

Ficou curioso? Então fica tranquilo que nós vamos explicar tudo que você precisa saber sobre as tais árvores de categorias. Siga com a gente!

O que é uma árvore de categorias?

O nosso primeiro passo para compreender a utilidade e os impactos que uma árvore de categorias bem estruturada tem no seu e-commerce é compreender o que ela é.

Para começo de conversa, essa estrutura possui esse nome justamente por lembrar os galhos e as ramificações de uma árvore.

A árvore de categorias é, na verdade, toda a estrutura responsável pela distribuição e organização das informações no menu de uma loja virtual.

Ou seja, é ela que faz a separação dos diversos itens em categorias e subcategorias mais específicas, de forma a se assemelhar aos galhos de uma árvore.

Certo, mas talvez isso tenha ficado um pouco confuso. Mas fique calmo, pois daremos alguns exemplos para facilitar o entendimento.

Imaginemos que você acesse algum portal de vendas online como o de uma loja de brinquedos.

Você já tem em mente o jogo ou brinquedo que deseja comprar para a criança, mas como você fará para encontrar justamente o que procura nessa página?

É aí que entra a árvore de categorias.

Todos os itens da loja estarão catalogados e separados em categorias e subcategorias que ficarão disponíveis para você no menu do site.

Tudo que você terá que fazer é procurar pela categoria que enquadra o produto que você está buscando e, assim, será direcionado para uma página com todos os produtos que seguem essa linha.

O que eu preciso ter claro antes de criar uma árvore de categorias?

As árvores de categorias exercem uma função importantíssima dentro do funcionamento dos sites de venda, tendo um enorme impacto na sua funcionalidade.

Apesar de parecer algo simples quando olhado de fora, o seu processo de criação precisa ter alguns cuidados, para que ela de fato consiga ser eficiente e cumprir a função desejada.

É preciso ter claro em sua mente uma série de fatores, antes de começar a fazer a divisão ou separação dos itens em categorias, para evitar que essa divisão fique confusa para o consumidor.

Afinal, se a árvore de categorias é uma ferramenta que tem como intuito principal fazer com que o usuário encontre com facilidade o que ele está procurando, não faz sentido que ele fique perdido até mesmo com as divisões.

Por isso, separamos 4 pontos que você precisa ter claros antes de criar uma árvore de categorias!

Critérios de sucesso

A primeira coisa que você precisa ter bem definida são quais serão os critérios de sucesso estabelecidos para a avaliação de impacto da árvore de categorias.

É óbvio que, como toda estratégia, após a criação da sua árvore de categorias, ela ainda estará passível de aperfeiçoamento, o que é algo que sempre deve ser buscado, por sinal.

Entretanto, para saber como aperfeiçoar uma ferramenta ou estratégia, é importantíssimo conseguir medir bem os impactos que ela teve, ou deixou de ter, e o quão próximo ou distante isso ficou das expectativas criadas em torno dela.

Claro que, grosso modo, o intuito é aumentar as vendas do seu e-commerce, porém os seguintes questionamentos têm relevância:

  • quantos acessos foram necessários para se obter uma venda?
  • quantos eram antes da implementação?
  • quais são os públicos-alvo do seu site?
  • como essa estratégia afetou cada um deles?

Ter tudo isso em mente é de crucial importância para entender como aprimorar a sua árvore de categorias, de forma a fazer com que ela tenha o melhor impacto possível nas suas vendas.

Poucos cliques para a compra

Imagine que você acabou de acessar um site para realizar uma compra, tem em mente aquilo que deseja, mas o site e as categorias são tão confusos que você levaria meia hora para achar.

O que você faria, nesse caso?

Obviamente que você procuraria em outro site no qual fosse possível achar o produto que você está procurando de forma bem mais rápida e com menos cliques.

De forma geral, conseguimos manter entre cinco a nove itens em nossa mente e fazer comparações entre eles, mas, quando passamos disso, as coisas começam a ficar confusas.

Ou seja, de nada adianta bombardear o usuário com diversos itens em seu portal, pois tudo que você vai conseguir fazer é que ele se sinta perdido e cansado, e acabe buscando outro site.

A melhor estratégia possível é que o usuário esteja a poucos cliques de encontrar o produto desejado – em média, o número 3 é o ideal.

Entretanto, é claro que, para empresas que possuem um estoque muito grande, essa ideia acaba ficando um pouco fora da realidade.

Então, uma estratégia interessante é tentar manter, pelo menos, os seus principais produtos nessa média. Isso, inclusive, nos leva ao nosso próximo ponto.

Conhecimento dos meus principais produtos

Outro ponto muito importante que você deve ter bem claro quando estiver montando a sua árvore de categorias é saber quais são os seus principais itens.

Estamos falando daqueles que são mais procurados, vendidos com mais frequência e possuem as maiores margens de lucro, ou seja, aqueles que dão mais dinheiro!

Esses produtos são os que devem receber uma atenção especial na montagem da sua árvore de categorias, de forma a deixá-los em maior evidência.

Não é só uma questão de tentar empurrar os seus produtos mais lucrativos para os clientes, mas existe uma grande chance de o usuário já estar buscando por esses produtos quando acessar a página.

Por isso, já facilitamos para ele.

Imaginando que você tenha uma loja de roupas e sabendo que o seu item mais vendido é um determinado modelo de sandália feminina, apresentar essa categoria rapidamente para o cliente pode ser uma boa estratégia para garantir a conversão da venda.

Lembre-se sempre de que o menor número de cliques que o cliente precisar dar para os seus principais produtos será sempre o melhor.

Avaliação da página de categoria

A página para a qual o cliente será redirecionado após selecionar a sua categoria também é muito importante.

Uma boa página deve ser bem convidativa e intuitiva para os clientes, de forma a lhes apresentar o que buscam, mas também conseguir segurá-los em seu portal, fazendo-os visitar outras mercadorias.

Mas como fazer para avaliar se a página de categorias está boa?

No geral, uma boa estratégia é considerar se ela é uma página de destino para SEO – será que seria uma boa página?

É avaliando dessa forma que você vai conseguir obter o melhor resultado, até porque a sua intenção é a mesma: conseguir otimizar o seu portal!

Com esse passo sendo bem feito, é muito provável que você consiga a manutenção de diversos clientes no site da sua loja, que vão conferir ainda mais produtos que eventualmente serão convertidos em mais vendas.

Isso parece ser muito útil!

Estabelecidos esses 4 pontos, podemos seguir adiante!

Qual é a importância da criação da árvore de categorias?

Falamos muito sobre o que é uma árvore de categorias e os itens que você precisa ter em sua mente antes de criá-la, mas talvez ainda haja dúvida quanto à importância dessa estratégia.

A árvore de categorias é uma das coisas mais importantes na organização e no bom funcionamento de um e-commerce.

É justamente isso que explicaremos a seguir.

Quando pensamos em um site de vendas, a divisão dos seus produtos em categorias e diversos níveis tem uma relevância extraordinária.

Como se já não bastasse o fato de que facilita a vida do cliente, tornando a sua página mais amigável e aumentando as chances de conversão, essa prática ainda melhora o seu desempenho com o próprio Google.

Isso acontece porque os e-commerces são ranqueados no Google a partir de palavras-chave utilizadas estrategicamente no processo de criação das categorias.

Ou seja, a construção de categorias bem elaboradas, e feita de forma organizada, ajuda no posicionamento da sua página no Google, o que significa mais visibilidade e mais acessos para serem transformados em compras.

Sem falar que, com uma árvore de categorias bem implementada e estruturada, fica muito mais simples adicionar novos produtos quando necessário, afinal, está tudo bem organizado.

Como ela influencia na experiência de compra?

Essa questão acabou sendo visitada ao longo do texto até aqui, mas que tal falarmos um pouco mais sobre isso de forma mais específica?

Afinal, é fundamental entendermos como se dá a experiência do cliente, para que possamos melhorá-la!

Vamos começar com um exemplo simples: você deseja comprar um celular novo, acessa um site, clica em “eletrônicos” e descobre que não há mais nenhuma subcategoria.

O que acontece?

É bem simples: você está procurando um celular, talvez até com uma marca ou um modelo específico já em mente, mas a página estará mostrando notebooks, tablets, caixas de som e até impressoras.

Como você acha que terá sido a experiência desse usuário?

Será que ele julgou agradável? Recomendará a página para amigos ou retornará para eventuais novas compras? Será que ele ao menos terminou aquela compra? Então responda: você teria terminado?

É óbvio que não!

Entre ficar procurando por um celular específico em meio a todos os aparelhos eletrônicos possíveis e acessar um outro site mais organizado e achar o que eu procuro em 5 minutos, a segunda opção é bem mais atrativa.

Pequenas novas divisões, como “celulares” e depois algo relativo a alguns modelos e marcas mais procurados melhoram muito a experiência dos clientes, garantindo a venda e fidelizando-os para retornarem mais vezes.

Como funciona uma árvore de categorias, na prática?

A árvore de categorias tem como objetivo principal a divisão e categorização dos produtos para facilitar a busca do cliente o máximo possível.

Ou seja, tudo está conectado.

Para todo produto novo que precisa ser incluído, será necessário saber bem onde ele será localizado, de forma a manter a organização da estrutura.

É como se houvesse uma hierarquia, na qual os produtos mais procurados e vendidos estarão acima, e os demais, cada vez mais para baixo.

O mais importante é que todos possam ser encontrados de forma rápida e prática.

Em uma loja de eletrodomésticos, por exemplo, o cliente buscará por smart TV e, para encontrá-la, pode ir na categoria “TV” e depois optar entre as subcategorias “TV LED”, “monitor TV” e, é claro, a tão aclamada “smart TV”.

Clicando na opção desejada, outras opções de filtros podem estar disponíveis para o usuário, desde a data do modelo até sua faixa de preço, marca, entre outras opções.

Quanto mais específico for o produto desejado, mais ferramentas de filtro o usuário deve ter à sua disposição.

Como a árvore de categoria impacta no SEO?

O primeiro passo para tentarmos entender o impacto que uma árvore de categorias bem-estruturada pode ter no SEO é compreendermos o que isso significa.

SEO nada mais é do que uma sigla em inglês – Search Engine Optimization – para “Otimização para Motores de Busca”, ou seja, trata-se de um conjunto de estratégias para melhorar o desempenho da sua página em resultados orgânicos.

Isso significa que estamos falando de como uma árvore de categorias pode impactar no desempenho orgânico do seu site dentro dos mecanismos de busca como o Google.

Nós já comentamos um pouco sobre isso, então você já deve saber que o impacto é bem positivo.

Que tal aprofundarmos um pouco mais nisso? Ficou curioso? Então continue com a gente para descobrir mais!

Qual a importância das palavras-chave?

Quando falamos na divisão dos produtos em categorias, podemos pensar em 3 níveis diferentes de separação: os departamentos, as categorias, e as subcategorias.

Dando um exemplo rápido, poderíamos ter, em uma loja esportiva, o departamento de futebol, seguido pela categoria de chuteiras, e a subcategoria de chuteiras society.

O usuário não necessariamente precisa acessar pela página inicial ou o menu do site para chegar a qualquer um desses níveis, pois é possível acessá-los diretamente pela busca no Google.

Isso acontece porque cada uma dessas divisões está vinculada a um grupo de palavras-chave estratégicas, que serão utilizadas pelos mecanismos de busca.

Sendo assim, é possível deixar no menu inicial da página apenas as suas categorias e subcategorias que mais vendem, destacando, assim, as suas principais palavras-chave.

Enquanto isso, as outras divisões continuarão sendo lidas e buscadas pelo Google, garantindo continuidade nos seus acessos.

Esse é um exemplo de estratégia que pode ser traçada por meio da árvore de categorias, que melhora o posicionamento da sua página nos mecanismos de busca, a partir do melhor uso das suas palavras-chave.

Além disso, o Google também costuma recompensar páginas que ofereçam agilidade e eficiência para os usuários.

Como o Google entende a sua árvore de categorias

Aqui é que chegamos no grande ponto que impactará o SEO da sua página!

Afinal, existe uma forma específica de como o Google vai ler e interpretar a sua árvore de categorias, e entender esse funcionamento pode trazer grandes resultados.

Fazendo a leitura da sua árvore, o Google compreenderá que as suas palavras-chave mais importantes são aquelas presentes na árvore, e essas serão priorizadas.

Ou seja, o tráfego orgânico será direcionado para as categorias vinculadas a essas palavras-chave.

Mas não apenas isso, o Google vai tentar compreender quais departamentos você julga como os mais importantes e fará isso a partir do seu menu.

Ou seja, o primeiro item presente no menu será considerado o mais importante e, portanto, aquele que será priorizado pela plataforma.

Quanto mais pra baixo uma categoria estiver, menos atenção ela receberá.

Na prática, isso quer dizer que você deve organizar o seu menu a partir da ordem de prioridades, de quais categorias são mais importantes e trazem melhores retornos.

Outras ordens de organização, como a ordem alfabética, não têm valor aqui e devem ser deixadas de lado.

Assim, a primeira categoria/subcategoria do seu menu será a que receberá maior tráfego orgânico, maximizando o potencial da sua página.

Lojista, quer saber como anda a saúde do SEO do seu e-commerce?

Faça o teste gratuito e receba uma análise completa com insights para melhorar o desempenho da sua página.

Como essa prática afeta a conversão de uma loja virtual?

Outro local onde a árvore de categorias pode ter grande impacto é na taxa de conversão da sua loja.

Como você é um leitor atento, já deve ter notado ao longo do texto a importância que essa prática tem para impedir que o cliente desista de realizar a compra e vá procurar outro site.

Isso já é um indício do impacto dessa estratégia: quanto mais pessoas acessarem a sua página e efetivamente realizarem alguma compra, maior será a sua conversão.

Porém, não é apenas sobre os clientes que você deixa de perder em função da melhor organização, mas também aqueles que você passa a ganhar.

Quando o usuário sai de uma página com uma árvore de categorias mal-estruturada, na qual ele se sente perdido, e se depara com a sala bem-organizada, você acaba ganhando um novo cliente.

Essa pessoa já gastou um bom tempo procurando o item que deseja em outro lugar e, ao encontrá-lo em poucos cliques na sua página, ela não perderá mais tempo.

O que considerar na hora de fazer a categorização do seu e-commerce?

O primeiro ponto a ficar atento na hora de fazer a categorização do seu e-commerce é lembrar quais são os seus principais produtos, aqueles que são os mais procurados e as verdadeiras estrelas da loja, pois eles terão um papel fundamental para a atração de tráfego orgânico, como já vimos nos tópicos anteriores.

Seguindo adiante, é preciso ter claro em mente quais os outros produtos que mais devem agradar o perfil da sua persona, para organizar as suas categorias dentro hierarquia adequada.

Como já foi comentado aqui, a ordem dos itens no menu fará diferença da leitura que eles receberam dos mecanismos de busca, como o Google.

É imperativo, também, que se pense bem sobre o estoque da loja.

Se você sabe que, em determinada época do ano, a procura por um bem aumenta, e não terá estoque para atender a essa demanda, colocá-lo no topo do seu menu será um enorme desperdício, uma vez que você não conseguirá dar conta da procura.

Quais são as melhores práticas para organizar a árvore de categorias?

Já falamos bastante sobre os benefícios e o funcionamento da árvore de categorias. Entretanto, o processo de construir uma pode ser um tanto quanto complexo, além de confuso.

Por isso, decidimos separar aqui algumas das melhores práticas que podem ser adotadas por você, para ajudar a categorização do seu e-commerce.

Está preparado? Então continue com a gente para descobrir mais!

Separar os menus por temas

Umas das melhores práticas que você pode adotar quanto à construção da sua árvore de categorias é pensar nas divisões a partir de temas.

Ou seja, aquele menu com as categorias terá como fonte da sua organização alguns temas específicos!

Que tal um exemplo para facilitar?

Imagine que você vai a uma loja de roupas para comprar um tênis.

Ao acessar o menu, entra na seção de calçados e lá se depara com diversas subcategorias temáticas.

Podem ser calçados para trabalho, para caminhada, corrida, trilha, esportes específicos com basquete e futebol, dentre outras opções.

Em outras palavras, você não se prende ao item apenas, mas o inclui em categorias a depender do tema e da funcionalidade nos quais ele está incluído.

Agrupar por semelhanças

Outro ponto importante é o que diz respeito à navegabilidade do seu site.

Se o usuário encontra a categoria “TV e Vídeo” e ao lado se depara com “Calçados de Corrida,” ele pode sentir-se perdido, principalmente se o que estiver buscando está relacionado a um dos dois temas.

Para tornar o processo mais intuitivo e prático para o usuário, tente agrupar o máximo possível as categorias semelhantes.

Você pode optar por colocar a categoria “Celulares e Eletrônicos” ao lado da “TV e Vídeo”, enquanto move os “Calçados de Corrida” para mais perto de outros esportes ou calçados.

Com certeza, isso renderá frutos para o seu negócio!

Manter categorias bem estruturadas

Isso parece contrariar um pouco as dicas anteriores, mas é essencial saber dosar a criação de diversas subcategorias para evitar que se crie um ambiente muito poluído para o usuário.

Esse excesso de informações também pode deixá-lo perdido.

Por isso, por mais que seja bom tentar ser específico, cuidado para não exagerar no processo.

Uma boa dica é tentar entender se aquela categoria ou subcategoria é realmente necessária e funcional, ou se ela não acaba sendo uma classe um tanto quanto desnecessária.

Assim, suas categorias ficarão mais organizadas, trazendo mais fluidez para o usuário.

Outro ponto que pode parecer óbvio, mas que é necessário ter atenção, é em relação ao cadastro do item nas categorias.

Cuidado para não confundir e fazer o cadastro no local errado.

Isso pode bagunçar as suas divisões e dificultar bastante o fluxo natural do usuário.

Considerar a familiarização do seu público-alvo

Conhecer o público que está acessando a sua loja virtual é de extrema importância, pois é a partir disso que você conseguirá criar uma organização muito mais efetiva.

A primeira coisa que você deve visualizar é quem é a persona do seu negócio.

Partindo disso, questione-se sobre os problemas dela e as soluções que ela busca no seu site.

Conseguindo organizar essas informações, a apresentação das categorias no menu poderá ficar mais fácil de ser organizada, uma vez que a hierarquia de prioridades será facilmente arranjada.

Analisar a concorrência

Uma boa dica é observar e analisar as práticas dos seus concorrentes quanto à organização das categorias em suas próprias páginas.

Principalmente para quem está começando e pode não ter muita noção ainda, essa é uma ótima ideia para evitar erros significativos e jogar de forma segura.

É evidente que não estamos falando que você deve copiar as práticas dos seus concorrentes, mas, sim, utilizá-los com base para as suas práticas.

O importante é criar a sua própria árvore de categorias, mas se inspirar e usar como base as práticas do concorrente pode ser de extrema utilidade para você.

Apenas tome cuidado com quem você utilizará como base.

Tenha certeza de que a empresa trabalha com produtos semelhantes e com o mesmo público-alvo, para evitar estratégias equivocadas.

Além disso, busque também negócios com tamanhos semelhantes ao seu, pois empresas muito maiores tendem a ser mais versáteis, não sendo exemplos praticáveis.

Colocar-se no lugar do consumidor

Imagine que você é o consumidor que acabou de acessar a sua plataforma e está com pressa para encontrar o que deseja: onde é o local mais prático e intuitivo para ele?

Se não encontrar ali, qual o próximo local que ele deve olhar para achar o que procura?

Esses questionamentos podem parecer bobos, mas fazem grande diferença.

Quando você se coloca no lugar do consumidor, pode ficar mais fácil de entender onde ficaria mais prático para ele encontrar o que está procurando – ou, pelo menos, qual seria o caminho mais intuitivo para isso.

É claro que não é possível agradar a todos, afinal, se algo está no melhor lugar, outro item deixou de estar lá.

Mas é justamente por isso que esse questionamento é tão importante, para que os caminhos para os demais itens também sejam rápidos, práticos e intuitivos, garantindo uma melhor experiência para o usuário.

Com essas dicas, com certeza, montar a sua árvore de categorias ficará bem mais simples!

Quais são os erros que devem ser evitados na hora de fazer a categorização?

Existem diversos erros que comumente acabam sendo cometidos na hora de realizar a sua categorização, entretanto, alguma conscientização sobre eles pode dar uma boa ajuda.

Por isso, decidimos falar um pouco sobre o que deve ser evitado na hora de categorizar o seu e-commerce.

Para quem está abrindo o seu primeiro negócio virtual, é essencial ficar atento a dois erros principais que costumam prejudicar muito o seu negócio: a falta de foco e a falta de organização.

Quando nos referimos à falta de foco, não estamos falando da sua dedicação pessoal ao negócio, mas, sim, ao foco da sua estratégia.

Não adianta tentar atirar para todos os lados, pois haverá tendências e nichos de mercado que não fazem parte da sua esfera, e tentar mirar neles não dará certo.

Mesmo que uma vestimenta específica se torne uma grande tendência, não adianta nada colocá-la em destaque na sua árvore de categorias, se ela não é do interesse do seu público-alvo; ou, então, se for do interesse, mas você não tiver o suficiente em estoque.

O seu foco deve ser o seu público e o que você pode oferecer.

A falta de organização também é um erro grave, que pode ser notada na proximidade de categorias que não têm nada a ver uma com a outra, ou então em produtos nos locais errados.

De certa forma, esse erro acabou sendo abordado rapidamente em cada um dos tópicos até aqui, e sua consequência é fazer com que o usuário se sinta perdido e abandone a compra.

Enfim, a árvore de categorias é uma estrutura extremamente útil para a organização do seu e-commerce, tendo grande impacto na sua conversão de vendas.

Além disso, ela ainda desempenha um importante papel para atrair novos usuários, a partir da melhora de ranqueamentos em ferramentas de busca, por meio do seu bom uso.

Esperamos que tenha gostado do conteúdo e gostaríamos de convidar você a continuar sua leitura em outro artigo no nosso blog para entender mais ainda sobre a árvore de categorias!

Não há comentários ainda. Seja o primeiro a escrever um.

Deixe seu comentário