Como aumentar as vendas na sua loja virtual com Marketing de Conteúdo
Planilha de contas a receber: saiba como fazer em 7 passos

7 dicas para descobrir o que vender pela internet

Publicado em: • Última Atualização:

Pensando em se aventurar pelo universo do e-commerce? Nesse momento, a primeira questão que costuma surgir é: mas o que vender pela internet? E, ao contrário do que muitos podem pensar, a resposta não é assim tão simples. A opção escolhida deve, no mínimo, oferecer facilidades para despacho, ter uma faixa de preço razoável e impactar o público adequado.

Levando tudo isso em conta, o empreendedor deve fazer pesquisas para definir um mix de produtos que proporcione uma base mais sólida para o negócio — principalmente se o objetivo é passar de uma renda extra para uma atividade permanente. Quer entender melhor? Separamos aqui 7 dicas que podem ajudá-lo a decidir o que vender pela internet. Confira!

1. Conheça a demanda do nicho de mercado

Para definir o nicho de mercado no qual vai atuar e também o mix de produtos disponíveis, o lojista precisa conhecer a demanda por esses produtos. Saiba desde já: quanto mais específico for o nicho, mais custoso pode ser atrair clientes. Ao mesmo tempo, a concorrência será bem menor.

Esses aspectos devem ser balanceados pelo lojista, que precisa identificar se a demanda é caracterizada por tendência, modismo, mercado em expansão ou se já está estabilizada. Ao identificar tais fatores e relacioná-los à possibilidade de crescimento, à concorrência e à faixa de preço, por exemplo, será possível optar por um nicho que apresente melhores oportunidades de vendas.

2. Opte por produtos com baixa concorrência

Quanto maior for a concorrência para vender determinado produto, mais o empreendedor terá que investir em divulgação e geração de clientes para manter as vendas elevadas. Nesses casos, o nicho não necessariamente precisa ter baixa concorrência, mas o e-commerce deve ser capaz de superar os resultados alheios — seja por ter ofertas melhores, um mix de produtos mais diversificado, mercadorias autorais ou entregar mais rápido.

Ao selecionar os produtos que vão compor a loja virtual, o indicado é que seja feita uma análise da concorrência para identificar as vantagens competitivas que diferenciarão seu e-commerce dos demais que atuam com produtos semelhantes.

3. Entenda as demandas do público-alvo

Pesquisar sobre o público-alvo do negócio é essencial para definir o mix de produtos com o qual vai trabalhar. Com essa informação em mãos, o empreendedor pode optar por uma variedade maior de itens ou não, assim como tomar outras decisões importantes a partir de uma base sólida.

Ao conhecer as demandas do público, é possível definir questões como as formas de pagamento disponíveis, a linguagem que será adotada para atrair novos clientes, as ofertas realizadas, as técnicas de cross-selling que podem ser empregadas, entre inúmeras outras opções. Caso atue com adolescentes, por exemplo, você deve saber que eles dificilmente terão cartão de crédito próprio, sendo preciso oferecer outras formas de pagamento.

4. Selecione produtos que se relacionem

Ao optar por um nicho de mercado, o lojista deve ter consciência da importância de manter a coerência na escolha feita. Assim, se você atua com a venda de joias pela internet, por exemplo, pode ser interessante expandir o mix de produtos para englobar itens de beleza feminina, como maquiagem e acessórios. Agora imagine se decide vender eletrônicos nessa mesma loja virtual: essa escolha não fará nenhum sentido para os clientes, além de dificultar as estratégias de atração de novos consumidores e a fidelização dos atuais.

Outro fator que é impactado por essa escolha é o ticket médio das compras. Com um mix de produtos que apresenta uma relação, o comprador pode optar por complementar a compra, escolher mais de um item, montar um kit, entre outras ações que permitem aumentar o valor médio gasto por cada cliente.

5. Identifique se o produto é vendido localmente

Produtos que são facilmente comprados em lojas próximas devem ter diferenciais que convençam o público a optar pela compra pela internet em vez de localmente. Existem diversos diferenciais que podem ser explorados nesse sentido, como:

  • praticidade de comprar sem sair de casa;
  • valor mais acessível;
  • formas de pagamento mais vantajosas;
  • frete grátis.

Identificar tal característica antes de inserir o produto no mix disponível possibilita a criação de uma estratégia preventiva que reconheça essa dificuldade. Anote aí: não ser pego de surpresa é fundamental para ter sucesso no e-commerce!

6. Defina a faixa de preço a ser trabalhada

Em uma loja virtual, é claro que alguns produtos podem destoar da faixa de preço predominante. No entanto, é importante que haja coerência na hora de escolher o mix de produtos, de forma que parte do estoque tenha valores similares.

Imagine que uma cliente quer comprar um brinco de 40 reais em sua loja virtual. Interessada em comprar um anel que combine com essa peça, ela só encontra produtos acima de 200 reais. Viu como não existe uma coerência entre os preços? Isso pode acabar fazendo com que a cliente não aumente o ticket médio da compra ou até desista totalmente da aquisição.

Também é essencial definir quais serão os fornecedores da sua loja virtual. Entre as opções disponíveis estão produtos feitos em casa, manufaturados, comprados em atacado ou na opção de revenda. Em cada um desses casos, haverá flutuações no preço de acordo com o modelo de fornecimento escolhido. E também é possível cruzar opções, como fazer parte em casa e comprar outra parte no atacado.

Por fim, vale lembrar que a faixa de preço definida também deve estar de acordo com o público-alvo do negócio. Se sua audiência é formada por mulheres de classe média baixa, por exemplo, vender bolsas de mais de mil reais é simplesmente inviável. Ainda que eventualmente você consiga vender alguma, o negócio não se sustentará.

7. Pense em criar um programa de fidelidade

O custo de aquisição de novos clientes é significativamente superior ao custo de manter um cliente atual ativo. Portanto, investir em um nicho de mercado que possibilite desenvolver estratégias de fidelização traz economia para a atração dos clientes, além de estar de acordo com as novas tendências do e-commerce.

Caso venda bens duráveis, por exemplo, a fidelidade do cliente não só é possível como é indicada. Nesse contexto, porém, o intervalo entre as compras provavelmente será maior, o que exige um grande número de consumidores para manter o negócio ativo.

Para e-commerces que atuam com produtos mais acessíveis, como joias, roupas e acessórios, é possível ter um retorno mais rápido do cliente. Entre as opções de programas de fidelidade que você pode adotar estão a disponibilização de créditos após certo número de compras, descontos, cupons, kits de produtos e tantas outras.

E então, qual das nossas dicas você achou mais interessante para tirar logo seu e-commerce do papel? Comente aqui e compartilhe suas experiências com vendas online!

Ficou com alguma dúvida? Faça parte do nosso grupo no Facebook com especialistas em e-commerce e outros lojistas e envie sua pergunta.

Está pensando em criar uma loja virtual? Faça o teste e descubra se você está pronto!

7 dicas para descobrir o que vender pela internet
Avalie esse artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *