10 Métricas do Google Analytics para acompanhar em sua loja virtual

Você acompanha as métricas do Google Analytics de seu e-commerce?  Seja diariamente, semanalmente ou mensalmente, é importante ficar de olho em dados […]

Você acompanha as métricas do Google Analytics de seu e-commerce

Seja diariamente, semanalmente ou mensalmente, é importante ficar de olho em dados e relatórios que podem auxiliar suas estratégias. Esses dados podem dar direções para melhorar seu planejamento, eliminando ações que não estão funcionando e intensificando o que está dando certo! 

Neste conteúdo vamos apontar algumas métricas do Google Analytics para considerar na hora de definir suas KPIs de acompanhamento.

Diferença entre métrica e KPI

Antes de mais nada, precisamos explicar a diferença entre uma métrica e uma KPI

As métricas são indicadores de comportamentos dos usuários dentro de sua loja virtual (blog ou site institucional). Essas métricas possuem várias origens, aqui falaremos especialmente das Métricas do Google Analytics.

Entretanto, as métricas também estão disponíveis no Facebook, Instagram, Youtube, LinkedIn, Search Console etc. 

Por outro lado, as KPIs são indicadores que são acompanhados para que as metas específicas de seu e-commerce sejam atingidas. Além de definir as KPI a partir das métricas disponíveis, deve-se definir a frequência de acompanhamento delas. 

Definindo suas KPIs

Antes de mais nada, as KPIs devem ser definidas a partir de suas metas

Existem empresas que preferem trabalhar com metas trimestrais e anuais. Outras apenas semestrais, mensais etc. A realidade é que tudo vai depender de seu negócio e necessidades. 

Se sua loja virtual conta com diferentes picos anuais e possibilita variações de uma hora para a outra, é importante que, além de metas anuais, você defina também as mensais ou trimestrais. 

Por exemplo, imagine que uma loja de brinquedos começou a trabalhar recentemente com SEO. Foi definida uma meta anual de aumento de tráfego orgânico em 200%. A meta semestral deve acompanhar este crescimento, aumentando em 60% no primeiro semestre e mais 140% no segundo semestre (referente ao número inicial do ano anterior). 

A diferença de expectativa de crescimento de um semestre para o outro é bem clara. Em outubro temos o dia das crianças, então a loja de brinquedos reserva sua meta maior para esta segunda fase do ano. 

Percebe como as KPIs devem ser pensadas exclusivamente para seu negócio

A seguir, apontaremos algumas métricas que podem ser definidas como suas KPIs. Avalie cada uma com atenção e considere seu objetivo (além do cenário do mercado) de suas metas: 

Métricas do Google Analytics para acompanhar:

  1. Número de sessões:

    Essa é uma métrica que nunca deve ser analisada individualmente. Na verdade, nenhuma deve ser, mas esta especialmente. Isso porque o foco de uma loja virtual, é a conversão em vendas e o número de sessões nem sempre vai representar isso. Entretanto, é importante avaliar o número de sessões para entender se a representatividade de sua loja está crescendo ou não no mercado.

  2. Usuários:

    Muitas pessoas confundem o número de sessões com os usuários. A diferença é que os usuários são pessoas únicas que entraram em sua loja e uma só pessoa pode ter entrado várias vezes, aumentando assim o número de sessões.

  3. Novos usuários:

    Os novos usuários nunca entraram em sua loja e agora a descobriram na internet. Esta métrica é significativa para lojistas que desejam atingir um novo público, além daqueles que já conhecem sua loja online.

  4. Taxa de rejeição:

    A taxa de rejeição representa a quantidade de sessões que sua loja teve, mas nenhuma ação foi tomada pelo usuário. Ou seja, o consumidor acessou sua loja e saiu sem ter nenhuma interação. 

    Aqui é um bom ponto para destacarmos o porquê nenhuma métrica deve ser analisada isoladamente. Imagine que seu número de sessões está muito alto, mas sua taxa de rejeição também. Logo, algo está errado. Seja na estratégia ou na navegação da loja. 

  5. Páginas mais visitadas:

    O que poucos lojistas sabem é que boa parte dos usuários não passam pela home de seu e-commerce. A maioria dos consumidores estão procurando um produto direto. Por esse motivo, é importante saber quais são suas páginas mais acessadas e identificar o porque a representatividade delas é maior do que as demais. 

    Muitas vezes pode ser mérito do próprio produto, mas, em alguns casos, analisar essas páginas mais acessadas pode trazer novos insights para toda a loja.

  6. Taxa de conversão:

    A segmentação de público, navegação da loja e qualidade de informações dos produtos, são alguns dos fatores que impactam diretamente para que esse número cresça ou diminua.

    Uma das métricas mais observadas pelos lojistas. A taxa de conversão representa a quantidade de sessões que resultaram em vendas

  7. Transações:

    As transações são a quantidade de pedidos que a loja teve naquele determinado período. Se o número de sessões se manteve (ou até diminuiu), mas as transações na loja estão aumentando, isso é bom sinal!

  8. Ticket Médio:

    Aqui temos o valor médio dos pedidos realizados em sua loja virtual. O ticket médio, nada mais é, que a receita dividida pelo total de transações. Muitas lojas não buscam aumentar seu acessos, e sim incentivar que aquela mesma quantidade de pedidos resultem em um valor maior. 

    Dica da Escola de E-commerce: Produtos relacionados, frete grátis a partir de um x valor de compra e o famoso “compre junto”, são recursos que auxiliam no aumento do ticket médio.

    Aprenda mais sobre Ticket Médio:

  9. Origem do tráfego:

    Imagine que os usuários estão aumentando, mas cada mídia possui sua própria meta. Como saber se a meta de cada uma foi batida?

    A origem do tráfico mostra de onde aquelas sessões estão vindo: redes sociais, Google Ads, tráfego direto, tráfego orgânico etc. Também é possível verificar a origem de tráfego com mais pedidos, maior taxa de conversão, maior ticket médio ou receita.

  10. Receita:

    Com certeza esta é a métrica mais aguardada!
    A receita é valor total que a loja captou no período de tempo determinado. Ou seja, é a métrica mais significativa para saber se a loja está indo bem ou não, certo?

    Errado! A receita leva em consideração apenas os pedidos realizados e não os pedidos pagos. Em muitos casos, a receita pode ser uma ilusão.
    O mais importante da receita é compará-la com o faturamento da loja. Que seja encontrado na plataforma ou no intermediador de pagamento.

Métrica Extra: 

Percentual de Aprovação de pagamento: 

Como dito no tópico de receita, o mais importante é comparar o total captado com o total faturado. Assim temos o percentual de aprovação de pagamento da loja. Ou seja, a porcentagem de pedidos que foram realizados e realmente foram pagos. 

Isso acontece porque podem haver problemas com o cartão de crédito recusado, boletos não pagos etc. 

Para fazer este cálculo: 

Faturamento (o que foi pago) / Receita (o que foi captado) 

A média ideal é entre 70% e 80%. Menos que isso, é importante analisar o porquê deste número. 

Em conclusão, lembre-se de tornar como KPIs apenas as métricas que impactam em suas metas. Porém, é sempre interessante ficar em todas as citadas! 

Agora é a hora de colocar a mão na massa. Não deixe de acompanhar a Escola de E-commerce semanalmente para mais conteúdos que auxiliarão no crescimento de sua loja virtual! 

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário